“Os habitantes do concelho sentem que a actual gestão camarária é desastrosa”

Entrevista com o candidato do PPM à Câmara Municipal de Nelas, José Albuquerque Vaz

O que levou a candidatar-se novamente à Câmara de Nelas, praticamente 20 anos depois de ter sido o mais jovem Presidente da Autarquia?

Por um lado a profunda desilusão que os habitantes do Concelho de Nelas sentem pela desastrosa gestão do actual executivo, caracterizada pela falta de respeito pelas pessoas, insensibilidade social, falta de planificação e descontrole orçamental que colocou o Município à beira do caos financeiro.
E, por outro lado, a falta de esperança para mudar isto tudo, uma vez que a oposição nunca foi capaz de apresentar alternativas e ninguém acredita que o candidato do Partido Socialista tenha capacidade para acabar com esta desgraça que se abateu sobre o Concelho.
Desta forma, não me restava outra alternativa que não fosse a de organizar uma equipe jovem, sem passado politico mas constituída por pessoas muito sérias, honestas e competentes que, com a maior das independências, fosse capaz de fazer uma gestão rigorosa das finanças municipais para desenvolver todo o concelho.

Fez apenas um mandato, na época de 3 anos tendo-lhe o PS retirado a sua confiança política, não o reconduzindo como candidato. Ao que se sabe entrou em rota de colisão com o partido na altura… a que se deveram essas divergências?

Efectivamente o meu mandato foi o último com a duração de 3 anos passando, a partir daí, os mandatos a serem de 4 anos.
O partido Socialista nunca me retirou a confiança politica porque eu nunca lha cheguei a dar.
Nunca fui militante de qualquer partido político e sempre pautei a minha vida, em tudo, por critérios de absoluta independência.
É certo que concorri, nessa altura, como independente pelo Partido Socialista e ganhei as eleições com maioria absoluta contra a Aliança Democrática.
Ao fim de dois anos e meio estive para renunciar ao mandato porque ganhava apenas 72 contos (€360,00) por mês e, só por isso, decidi não me recandidatar apesar de o poder fazer por qualquer outro partido político, se desejasse continuar.
Devo referir-lhe que nunca existiu qualquer divergência com o P.S. e tenho até em meu poder um documento assinado a agradecer-me o contributo prestado ao Partido Socialista ao serviço da autarquia bem como um louvor público assinado por todos os vereadores socialistas, pela total isenção partidária com que sempre foram resolvidos todos os assuntos municipais.
É certo que a seguir a mim candidatou-se um militante do P.S. e perdeu as eleições, mas a decisão já foi dos eleitores que não lhe reconheceram nem mérito nem capacidade para desempenhar tais funções.

Quais as principais marcas que deixou enquanto Presidente da Câmara?

Como sabe fui presidente de uma Câmara que não tinha nem meios nem dinheiro e por pouco tempo.
No entanto, orgulho-me do muito que foi feito em Nelas, designadamente o abastecimento de água ao concelho vinda da Barragem de Fagilde, a instalação de novas indústrias, a criação da Comarca e a construção do Edifício do Tribunal, a estrada para a Felgueira, a pré-primária do Folhadal, o restauro do Cine-Teatro, a capela mortuária, a ponte sobre o caminho de ferro no Bairro das Flores e novos arruamentos e Avenidas por todo o concelho, o saneamento e abastecimento de água em Santar, Carvalhal Redondo e Aguieira, habitação social em diversas freguesias, a construção de pontes e viadutos e do Quartel da G.N.R. sede da Junta de Freguesia, pré-primária e o novo campo de futebol em Canas de Senhorim e tantas outras coisas que deixam, para sempre, marcas para as gerações vindouras.

Apresenta uma lista às próximas eleições baseada em personalidades cuja vida profissional lhes permite não necessitar da política. Este foi um dos princípios que presidiu às suas escolhas?

Efectivamente, todas as pessoas que integram a minha lista para a Câmara Municipal, para além da sua formação académica têm carreiras profissionais de grande sucesso e elevado nível com o futuro assegurado e não precisam da política para viver.
No entanto, estão comigo neste projecto de alma e coração, para o assumirem, porque acreditam nele e têm consciência de que, podemos fazer muito mais e melhor pelo concelho.
É, de facto, uma equipa extraordinária e de grande formação moral, da qual muito me orgulho.

Pensa que a política necessita de atrair gente mais jovem e com provas dadas na sua profissão, ao invés de enveredar e premiar o carreirismo político?

Como referiu, quando tinha 30 anos já era Presidente da Câmara, foi uma idade de ouro e aprendi muito pelo que, para além dos atributos que referi anteriormente e que foram determinantes para a escolha da equipe, sempre me preocupei em estar rodeado de bons profissionais com grande formação moral.
Fiz questão que nenhum dele tivesse passado politico porque todos estamos cansados de reformados da política e daqueles que parece que não sabem fazer mais nada.
Quem quiser estar ao meu lado, tem que se levantar cedo todos os dias, até ao Domingo.

Vai apresentar-se ao eleitorado, com que objectivos? A sua candidatura não poderá conduzir a uma maior divisão do eleitorado de esquerda e, com isso, beneficiar a coligação PSD/CDS-PP?

O meu objectivo é o desenvolvimento equilibrado de todo o concelho, com uma forte aposta nas questões sociais, no desenvolvimento industrial com vista ao pleno emprego que abra novas perspectivas aos jovens sem descurar as questões ambientais e a grande riqueza que ainda não soubemos explorar que são as nossas potencialidade no turismo.
Não estou preocupado com a divisão do eleitorado porque nas eleições autárquicas as pessoas sabem o que é o voto útil e conhecem as pessoas.
Hoje há uma grande consciência eleitoral e as pessoas sabem quem são os melhores.

Se for eleito apenas vereador assumirá o mandato?

Essa questão deve ser posta àqueles que já sabem que não vão ganhar.
Candidatei-me para ganhar e como sabe à nossa volta não temos dependentes mas apenas apoiantes e garantem-nos que vamos ganhar.

Irá apresentar listas a todas as Juntas de Freguesia? Confirma a existência de um acordo com Ana Mafalda Lopes em Canas, em termos de apoio mútuo?

Certamente que sim embora reconheça que temos dificuldades na freguesia de Senhorim pelas ameaças que os nossos apoiantes aí têm sofrido.
É uma situação que envergonha a nossa democracia mas quem envereda por tais caminhos vai acabar por reconhecer que regressará sem glória.
Quanto à outra questão que me coloca devo referir-lhe que a Dr.ª Mafalda Lopes, para além de minha sobrinha é uma pessoa de elevada formação moral que adora a sua terra e tem todo o meu apoio.
Nem ela nem eu temos nada a perder – juntos lutamos pelos mesmos objectivos e a sua candidatura é uma lufada de ar fresco naquela terra, acarinhada com grande entusiasmo e espero que as pessoas não confundam os seus sentimentos e elejam os melhores.
Não se pacifica um concelho comprando o líder do movimento, porque isso além de falso é uma ilusão.

Qual o balanço global que faz do mandato da coligação PSD/CDS-PP, após 20 anos de presidência de José Correia?

Penso que a coligação PSD/CDS-PP enganou o eleitorado e as pessoas que têm alguma dignidade ignoram-nos por completo.
Prometeu acabar com o caciquismo do passado e revelou-se muito pior.
Hostilizou os seus apoiantes e aproximou-se dos seus adversários.
Deslumbrou-se com o poder e entrou num delírio permanente de festarolas, sorrisos e beijinhos esquecendo-se do que é essencial e importante para o concelho.
Não há uma obra de referência neste mandato em todo o concelho apesar de terem gasto 44 milhões de euro não se sabem onde.
Não há uma única industria nova no concelho, os esgotos continuam a correr a céu aberto em todo o lado e só vemos lancil e passeios – de gosto duvidoso -. Que apenas servem para manter os empreiteiros do regime.
Perderam-se todos os fundos comunitários e entrou-se numa espiral de endividamento.
As despesas correntes atingiram níveis nunca vistos, a falta de planificação, a desorganização dos serviços e o mau ambiente de trabalho dentro da Câmara Municipal é confrangedor.
Contudo, quero salientar que todos estes factos deveriam ter sido denunciados, há muito, pelo Partido Socialista porque nós somos apenas alternativa e não oposição.

Se for eleito Presidente da Câmara, que projectos e áreas serão para si prioritárias, o mesmo é dizer quais serão as grandes apostas do programa eleitoral com que se vai apresentar ao eleitorado?

As prioridades do novo executivo vão centrar-se, em primeiro lugar, na resolução das gravíssimas condições sociais existentes no Concelho assegurando-lhe, desde já, que nenhuma pessoa carenciada ficará sem aviar os medicamentos de que necessita na farmácia criando-se um fundo especial para o efeito.
Depois, através do programa Eleitoral que vai ser apresentado aos munícipes as nossa prioridades vão centrar-se no desenvolvimento industrial do Concelho no apoio aos agricultores e pequenos comerciantes com politicas de verdade para os jovens e uma especial atenção ao ambiente ao turismo e ao termalismo.

Sabemos que foi abordado pelos actuais dirigentes do Sport Lisboa e Nelas, no sentido de aferir qual a sua abertura, se for eleito, para ajudar a encontrar uma solução para o Clube. Está disponível para reforçar o apoio financeiro à colectividade, no sentido de evitar a sua extinção?

É verdade, mas sabe que o Sport Lisboa e Nelas é uma colectividade com 70 anos de existência que se não pode deixar morrer pelos relevantes serviços que tem prestado em prol do desporto e do apoio à juventude.
E nessa abordagem ficamos a conhecer que alguns dos seus dirigentes estão a viver autênticos dramas na sua vida pessoal e familiar, também pelo facto da Câmara Municipal não prestado o devido acompanhamento a esta situação.
O assunto parece-me de fácil resolução ao longo do tempo e, nessas circunstâncias, todos lhes manifestamos o nosso apoio.

Que soluções preconiza para a resolução da situação financeira difícil por que passa a autarquia?

Quem perceber minimamente de economia e for capaz de distinguir despesas correntes de despesas de capital resolverá facilmente a gravíssima situação financeira da Câmara.
Não é preciso despedir ninguém, basta eliminar a ostentação e tudo o que é supérfluo para, com rigor, equilibrar as finanças municipais e pagar a toda a gente a tempo e horas.

Bombeiros de Nelas comemoraram 89 anos de vida

– Cerimónia ficou marcada pela apresentação do novo monitor de sinais vitais

Como vendo sendo hábito, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Nelas, festejou mais um aniversário, o 89º, na passado dia 24 de Junho, feriado municipal. A um ano de comemorar 90 anos de história, Manuel Marques, vereador com o pelouro das obras e também vice-presidente da mesa da Assembleia Geral da corporação, foi o primeiro a elogiar o papel que o actual comando tem vindo a desenvolver, demonstrando o seu “grande orgulho”, em particular pelo trabalho do comandante João Coelho. Aludindo à construção do novo quartel, o vereador criticou os anteriores executivos por terem tido “uma estrada larga para fazer o quartel, não o tendo feito, enquanto nós, com humildade e honestidade, com uma estrada muito estreita, travámos várias lutas – a próxima das quais o alargamento do novo quartel”. O comandante João Coelho, aproveitou esta ocasião para agradecer publicamente, mais uma vez, todo o apoio prestado pela Câmara Municipal, que considerou “inexcedível”. João Alfredo Ferreira, presidente da direcção, destacou a cada vez “maior e melhor preparação dos bombeiros, nomeadamente ao nível do parque de viaturas, do socorro e apoio a idosos, num grande trabalho social que fazemos”. Este dirigente reiterou que actualmente “os bombeiros vivem com um apoio financeiro mais reduzido por parte do estado, nomeadamente na questão do apoio à saúde, onde a tabela que o estado pratica está abaixo dos custos”, e manifestou o seu orgulho por “pertencer à direcção que ficará ligada à construção do novo quartel, pese embora nos pretendam condicionar através de actos administrativos”, daí o apelo que fez ao chefe de gabinete do governador civil, para “interceder junto do governo, para que o novo quartel possa ser ampliado e venha a corresponder às nossas necessidades”. Já Isaura Pedro, presidente da Câmara, mostrou-se também “orgulhosa” em relação ao novo quartel, esperando inaugurá-lo “até ao final do mandato”, depois de ter sido iniciada a sua construção “há apenas 3 meses”, e quando outros andaram “20 anos a fazer promessas”. A autarca manifestou ainda a sua confiança, numa “rápida aprovação da candidatura ao QREN”. Nesta ocasião foi ainda apresentado um novo aparelho, que constituiu uma mais-valia nas operações de socorro, por parte da corporação de Nelas – um monitor de sinais vitais, usado para situações de emergência. O investimento foi de 3 500 euros.

Bombeiros de Puy L´Eveque fizeram visita de amizade

A corporação de bombeiros da vila Francesa de Puy L´Eveque, associou-se mais uma vez aos festejos dos bombeiros Nelenses, fazendo deslocar uma delegação à vila “coração do Dão”, com um vasto de actividades entre 22 e 25 de Junho. De entre estas, destacaram-se a realização de um simulacro conjunto e as jornadas de mergulho, para além de uma série de visitas temáticas a instituições da região, assim como os habituais convívios.

Vereadora do PS é a mandatária de Isaura Pedro

– Natália Coelho, vereadora e membro da Comissão Política concelhia do PS aceitou o convite para ser a mandatária da (re) candidatura de Isaura Pedro às autárquicas de 11 de Outubro

– Isaura Pedro apresentou a (re) candidatura no passado Sábado, perante centenas de apoiantes

Há muito que se sabia da aproximação entre a actual vereadora do PS, Natália Coelho, e a coligação PSD/CDS-PP actualmente no executivo. Ainda assim, a escolha desta destacada militante socialista para mandatária da candidatura de Isaura Pedro às próximas autárquicas, não deixou de surpreender, tendo sido apresentada com grande pompa no passado Sábado, e constituindo desde logo a grande surpresa da sessão de apresentação da (re) candidatura da actual presidente de Câmara. Recordamos que Natália Coelho, já por algumas vezes nas reuniões camarárias, tinha votada ao lado da coligação, destacando-se a viabilização do empréstimo de 2,5 milhões de euros, o que na altura, deixou o líder socialista, Adelino Amaral, com os nervos “à flor da pele”, devido ao voto desalinhado da vereadora do seu partido. Esta demarcação foi enfatizada pela agora mandatária de Isaura Pedro, que num discurso fortemente aplaudido, sublinhou que “há muito me afastei da oposição feita a este executivo, com a qual deixei de me identificar, por bloquear constantemente decisões importantes para o município, numa atitude destrutiva e desacreditada”. Sucederam-se depois rasgados elogios à governação de Isaura Pedro, designadamente pela postura de “seriedade, honestidade e competência”, que a actual presidente tem demonstrado. A vereadora socialista, enumerou as áreas que, na sua opinião, têm transformado este mandato, no mais “humanizado” de toda a vida da autarquia, como sejam “o apoio aos empresários, a aposta na área social, os programas de apoio aos desempregados, a educação – demonstrando aqui que não é preciso fechar escolas, para se ter um ensino de qualidade, o forte apoio aos jovens e ao desporto, as obras de proximidade, com grande impacto na melhoria da qualidade de vida das pessoas, o apoio aos bombeiros de Nelas e Canas, tudo isto demonstrando claramente que a sua aposta principal são as pessoas”. Natália Coelho, exaltou ainda as qualidades pessoais de Isaura Pedro, nomeadamente o seu “espírito lutador” que até aqui não se lhe conhecia. A cumplicidade entre as duas autarcas foi notória, com a vereadora socialista a afirmar que “o meu partido é Nelas – eu visto a camisola do concelho”.
José Cesário, José Luis Arnaut e Hélder Amaral estiveram presentes na apresentação da candidatura “Todos juntos pelo concelho de Nelas”
A candidatura de Isaura Pedro, apresenta-se sob os lemas “as pessoas primeiro” e “todos juntos pelo concelho de Nelas. Com a presença do presidente da distrital do PSD, José Cesário e dos deputados eleitos pelo distrito de Viseu, Hélder Amaral (CDS-PP) e José Luís Arnaut (PSD), Isaura Pedro fez uma breve retrospectiva da situação em que encontrou, elencando várias situações, que considerou “anormais”, como por exemplo “as profundas assimetrias entre as freguesias, onde umas tinham tudo e outras nada, a situação financeira da autarquia, em que conseguimos passar de uma dívida de 6 milhões de euros, para 4 milhões, os regulamentos perfeitamente ultrapassados, alguns com mais de 40 anos, uma situação em termos de ambiente que era um enorme embuste, um parque escolar completamente abandonado e obsoleto, uma carta educativa por aprovar, que previa o encerramento de várias escolas, e uma situação de completo fingimento no que diz respeito ao apoio à protecção civil”. “A realidade que se vivia era de um concelho de tratamento selectivo, recheado de assimetrias”, disse ainda Isaura Pedro, que frisou que na sua acção política “as pessoas estiveram sempre em primeiro lugar”, num mandato que considerou “muito positivo”, fazendo “obras em todas as freguesias, apostando na requalificação de toda a rede escolar, procedendo a diversos arranjos, como passeios, estradas e arruamentos, reduzindo o IRS para os residentes, melhorando os espaços para as feiras e mercados, avançando com um projecto de habitação social para 22 famílias carenciadas”, entre outros projectos e obras. Isaura Pedro deixou contudo a menção de que “muito há ainda a fazer”, aludindo especificamente a alguns projectos que estão em curso, como “o Museu do Vinho de Santar e a requalificação da Felgueira”. Os agradecimentos da sessão, foram para todos os seus apoiantes, e principalmente para a sua mandatária, Natália Coelho, referindo que “se inicialmente havia muito que nos separasse, agora há muito mais que nos une” e ainda para o marido, agradecendo o seu apoio e também “as suas críticas, pois consegue ser muito isento a este respeito”.
“Não passa de um amor de verão”

Instado a comentar a passagem de Natália Coelho para o terreno do seu principal adversário político, Adelino Amaral considera que não passa de “um amor de Verão”, numa alusão à época estival que se vive, e querendo transmitir, que na sua óptica, esta união será efémera.

Projecto integrado pretende acabar com esgotos a céu aberto no concelho

– Documento foi apresentado na última sessão da Assembleia Municipal por Diogo Pires, num trabalho promovido pela Câmara Municipal

– Até 2013 a autarquia prevê realizar um investimento total de 5 milhões de euros, construindo mais de 20 novas ETAR´S

O levantamento efectuado pelo ex autarca de Vila Nova de Paiva, Diogo Pires, agora detentor de uma das mais prestigiadas empresas de consultoria na área dos projectos de saneamento e abastecimento de água, poderá vir a representar a resolução completa dos problemas que o concelho enfrenta nestas áreas.

O diagnóstico no terreno iniciou-se no passado mês de Março e ficou agora concluído, tendo sido apresentado no passado dia 26 de Junho, na sessão ordinária da Assembleia Municipal. O documento de enquadramento estratégico foi apresentado pela presidente da Câmara, Isaura Pedro, que realçou o facto de este executivo “ter prometido na campanha de 2005, resolver o problema do saneamento, que se arrasta há vários anos”. O problema é que “verificámos que dado o avultado investimento necessário, somente através de incentivos comunitários ou de um contrato programa com o governo, poderíamos executar este projecto”. Lembramos que o actual executivo já efectuou uma candidatura ao programa P.O.V.T. que foi no entanto rejeitada. Assim surgiu agora esta opção, como a mais viável para o concelho poder investir de forma estratégica e integrada, nesta área, candidatando-se para o efeito ao programa QREN, onde espera vir a obter uma comparticipação de até 70% das despesas elegíveis. Diogo Pires, que já foi presidente da Câmara de Vila Nova de Paiva, apresentou então tecnicamente o estudo, começando pela área do abastecimento de água, onde prevê que o município tenha que investir cerca de 750 mil euros, salientando que “Nelas é o concelho do distrito de Viseu onde a qualidade da água é mais elevada, e que viola menos os parâmetros de análise”. Ou seja, o problema a este nível não reside na questão da qualidade, mas sim do abastecimento em quantidade. A proposta vai então no sentido de aumentar a capacidade de reserva, construindo-se alguns novos reservatórios (Algeraz, Urgeiriça, Agueira, Póvoa de Santo António, entre outros), além do que actualmente está em obra, na Quinta da Cerca, que resolverá o problema de Santar, Vilar Seco e Moreira. O responsável pelo documento estratégico, adiantou que o que está previsto é de uma reserva de água, que dê para um dia de consumo, para assim se garantir, em caso de ruptura, o abastecimento, até que os problemas se resolvam.
Estudo propõe sistema de tele-gestão do abastecimento de água
Uma das grandes novidades propostas é um inovador sistema de controlo do abastecimento de água por tele gestão, em que, ao invés do que acontece actualmente, onde são os funcionários da autarquia que pessoal e manualmente fazem o controlo do abastecimento, passa este trabalho a ser efectuado directamente da autarquia, de uma forma electrónica, monitorizando-se assim todo o funcionamento da rede. Este sistema permitirá uma maior eficácia na gestão e ainda uma poupança de recursos humanos, pois bastará um funcionário para fazer este controlo. Relativamente ao sistema de saneamento de águas residuais, o estudo inventariou 48 instalações de tratamento, das quais apenas 9 são ETAR´S – as restantes as problemáticas 39 fossas sépticas, espalhadas um pouco por todo o concelho. “Nelas está numa situação muito complicada, porque toda a área do concelho ao abastecer a barragem da Agueira, está sujeita a uma exigência muito apertada em termos de qualidade de saída das águas residuais”, referiu Diogo Pires, elencando como os grandes problemas no concelho “a ETAR 1 de Nelas, a da Agueira, que está toda rebentada, e a de Canas, que tem 40 anos”. Também nos parques industriais surge como imprescindível construir novas ETAR´S.”Trata-se de aproveitar para renovar de forma quase completa, dado que apenas se aproveitam as ETAR´S de Nelas 2 e Folhadal, que funcionam bem”, disse ainda o técnico, que exemplificou com a situação de Senhorim, onde propõe “ a eliminação completa das 17 fossas que ali existem, através de bombagens para a rede”.
Água poderá não aumentar de preço
Uma das ideias base da candidatura ao QREN, é a sustentabilidade do sistema, ou seja, a sua capacidade para se auto financiar. Originando uma racionalização de custos muito importante, nomeadamente com a tele gestão, o executivo não prevê que a água venha a aumentar de preço para os munícipes, o que a verificar-se será uma boa notícia, quando se sabe que em muitos municípios que aderiram a sistemas multi-municipais os preços aumentaram drasticamente. O estudo agora efectuado, que Diogo Pires considera “a única via neste momento para os municípios intervirem nestas áreas, ao nível do QREN – por exemplo Sátão já teve a sua candidatura aprovada e já recebeu 4,5 milhões de euros”, seguirá para o INAG (autoridade nacional da água), para ser aprovado e depois seguir para aprovação na Câmara e Assembleia Municipal, e depois sim ser candidatado ao QREN. Estima-se que uma comparticipação na ordem dos 60% seria bastante aceitável, no quadro actual, tendo assim a autarquia que dispor em 4 anos de apenas de pouco mais de 1 milhão de euros, dado que também está previsto o auto financiamento do projecto.

Rui Neves poderá encabeçar lista do PS à Assembleia Municipal perante recusa previsível de Jorge Alves

– Número dois deverá ser o Canense Aires dos Santos
– Valdemar Silva em Senhorim e Orceano Pereira na Aguieira, são nomes confirmados para as respectivas Juntas de Freguesia, enquanto em Canas e Nelas a decisão estará praticamente tomada

Nos vários nomes que o PS tem em agenda para a composição das suas listas às próximas eleições autárquicas, começam a ganhar forma alguns lugares importantes, embora muito esteja ainda em aberto. Lembramos que previsivelmente, os partidos terão que entregar as listas até meados de Julho, se como tudo indica, as eleições se realizarem no dia 11 de Outubro. Rui Neves, o histórico militante do partido, que já foi candidato a presidente da Câmara e antigo vice-presidente da autarquia, é agora dado como provável cabeça de lista à Assembleia Municipal, perante a previsível recusa de Jorge Alves. O Canense Aires do Santos deverá ocupar o segundo lugar da lista. Já em relação às Juntas de Freguesia, confirmados estão os nomes de Valdemar Silva, em Senhorim e Orceano Pereira, na Aguieira, enquanto em Canas e Nelas a última decisão caberá a Adelino Amaral, tendo já os respectivos nomes em equação.

Coligação irá apresentar listas próprias em todas as freguesias, exceptuando Canas
A coligação PSD/CDS-PP confirmou-nos que irá apresentar listas próprias em 8 das 9 freguesias do concelho – somente em Canas tal não irá acontecer. As situações que estão ainda em aberto, são as mais delicadas de todas as freguesias – Moreira e Vilar Seco, onde os actuais presidentes de Junta, eleitos pelo PS, ponderam qual a participação no próximo acto eleitoral, podendo estar perante um grande dilema. Da parte da coligação, seria vista com bons olhos uma candidatura nas suas listas de Armando César Pinto (V. Seco) e José Costa (Moreira), mesmo como independentes, mas é certo que em caso algum a coligação deixará nestas duas freguesias de apresentar listas próprias, se os actuais presidentes tomarem outra decisão. Certas estão as candidaturas de António Luís dos Santos (Nelas), João Carlos Martins (Santar), Salomão Fonseca (Lapa do Lobo), António Morais (Senhorim), Manuel Mendes da Silva (Carvalhal Redondo) e Mário Marques (Aguieira).

Movimento anuncia recandidatura à Junta de Canas

– Movimento admite que “personalidade concelhia” de Canas é neste momento uma “tarefa difícil”
– Comunicado à população do passado dia 8, reafirma aproximação com o actual executivo camarário, advertindo, no entanto, que os “orçamentos municipais são ainda reveladores de níveis de marginalidade e exclusão significativos para com Canas”.

Dissiparam-se todas as dúvidas que persistiam sobre a recandidatura do M.R.C.C.S. à Junta de Canas de Senhorim. Embora com alterações na sua constituição, que “a seu tempo serão divulgadas”, o Movimento vai apresentar-se a votos na próxima eleição autárquica, tendo a decisão sido comunicada à população no passado dia 8, numa mensagem que abordou ainda outros temas da actualidade, como a continuação da luta Canense. Esta candidatura junta-se assim à independente Ana Mafalda Lopes, que já garantiu
Um assunto “ingrato e espinhoso” é como o M.R.C.C.S. classifica a situação da reivindicação da elevação de Canas a concelho. O actual líder do movimento, Luís Pinheiro, faz notar que “parece pouco razoável, e para alguns incompreensível ou inadmissível, o esforço que tem sido feito em algumas convergências políticas com a Câmara de Nelas, traçando-se um caminho de confiança mútua e trabalhando-se na reconstrução e requalificação da nossa terra”, numa clara alusão à aproximação com o executivo PSD/CDS-PP e as críticas que este relacionamento tem gerado nalguns quadrantes Canenses, a começar pelos seus pares na Junta de Freguesia. O Movimento sublinha que “ainda há muito a fazer”, mas aproveita esta oportunidade para elencar grande parte do volume de obras, que “tocam todos os pontos da freguesia”, embora lembre que alguns “não respeitam as opções constantes no caderno de encargos acordado com a freguesia”. O Movimento acusa ainda alguns de quererem “o regresso à luta radical, a que nos opomos”, fazendo apenas a “política da terra queimada”. De entre as obras e intervenções principais levadas a cabo na freguesia, o M.R.C.C.S. destaca a fase final do processo de disponibilização de terrenos no parque industrial da Ribeirinha, o apoio a todas as Associações locais, a continuidade da Rua Fonte da Cruz, a requalificação do Largo e Capela de Santa Bárbara, a nova sede do Rossio, passeio em frente ao posto médico, arranjo exterior e iluminação da igreja, construção na nova ETAR da Urgeiriça, protocolos com os Bombeiros (ampliação do quartel) e Centro Paroquial (ampliação do lar e centro de dia) e construção de diversos passeios, um pouco por toda a freguesia. Ainda assim, o Movimento lembra algumas obras “estruturantes”, que ainda estão por concretizar, como sejam a Casa da Cultura e o novo Parque Escolar da freguesia, admitindo que mesmo com o que já foi feito, “está ainda longe de ser minimizado o fosse que separa Canas da sede do concelho, com os orçamento municipais a revelarem ainda níveis de marginalidade e exclusão significativos”. O comunicado enaltece ainda a atitude do seu líder, Luís Pinheiro, por “não ter participado em qualquer lista para a Câmara Municipal, numa clara demonstração de que não se vendeu, ao contrário do que se passou com outros no passado”.

Empresas do concelho vão ser convidadas para o concurso do novo Centro Educativo de Nelas

– Embora numa primeira fase estivessem excluídas, foi o reparo do socialista Adelino Amaral que fez com que fossem contempladasA decisão está tomada – o adjudicação da obra do novo centro educativo de Nelas, vai ser feita por ajuste directo, situação prevista recentemente pelo governo, para obras até 5,1 milhões de euros, nomeadamente os centros educativos, que gozam agora de uma situação de “prioridade” na política de investimentos públicos. O investimento total estimado para o novo centro educativo de Nelas, objecto de uma candidatura ao QREN, por via do Programa Operacional do Centro, é de cerca de 3 milhões de euros, e irá localizar-se no bairro do areal. O executivo informou, na última reunião de Câmara, quais as empresas que convidou para concorrem à obra, sendo que nenhuma está sedeada no concelho de Nelas. Esta situação, esteve na origem de um pedido de justificação por parte do vereador do PS, Adelino Amaral, que quis saber quais os critérios subjacentes às escolhas do executivo, nomeadamente as razões para a não inclusão de qualquer empresa do concelho.Osvaldo Seixas,vice presidente da autaquia, justificou a escolha, com o facto de serem empresas já com experiência na construção deste tipo de equipamentos, ou seja, são empresas “especializadas”. Também Borges da Silva, questionou porque uma empresa, pelo menos, do concelho que tem um alvará suficiente, não foi convidada, referindo-se especificamente à Nelcivil. Isaura Pedro, presidente do município, reforçou que estas são empresas que estão a fazer actualmente a construir centros educativos. Borges da Silva fez ainda assim, uma proposta de serem incluídas nos convites todas as empresas do concelho e algumas do distrito que tenham alvará que lhe permita o acesso à construção da empreitada. Manuel Marques acabou por também fazer uma proposta, mas restringindo-a às empresas do concelho. A proposta de Borges da Silva acabou por ser rejeitada, devido aos votos contra dos 3 vereadores da coligação e ainda dos vereadores socialistas Carlos Rodrigues e Natália Coelho, que acabaram depois por votar favoravelmente a proposta de Manuel Marques. Ficou assim decidido convidar as empresas do concelho de Nelas, que cumpram os critérios de acesso.

PSD com vitória expressiva em Nelas

– A diferença para o PS foi de 654 votos
– Em termos nacionais os social-democratas também venceram com uma surpreendente margem de 5,1%
Foi uma vitória sem margem para dúvidas a que o PSD obteve nas eleições europeias, realizadas no passado dia 7. Contrariando as sondagens, a população apresentou ao PS um cartão vermelho, essencialmente devido à forma como o partido tem lidado com a crise e o desemprego (foi nos concelhos mais atingidos por este flagelo que os socialistas tiveram as derrotas mais pesadas), o que culminou com uma diferença de 5,1% entre os dois maiores partidos. O Bloco de Esquerda conseguiu pela primeira vez ser a terceira força política mais votada, ainda que por escassa diferença em relação ao PCP-PEV.
Em Nelas a vitória dos social-democratas foi ainda mais categórica – mais de 650 votos e cerca de 14% de diferença, quedando-se o PS com apenas 23,8% dos votos (cerca de 1 100). De realçar os 8% dos votos brancos e nulos. Numa análise mais detalhada, por freguesia, em Canas o PSD obteve mais do dobro dos votos do PS (406 contra 202), tendo aqui o Bloco de Esquerda tido uns surpreendentes 167 votos (14,6%). Em Nelas o PSD venceu nas 3 mesas de voto, conseguindo alcançar 35,2%, contra 23,52% do PS. Lapa do Lobo e Santar foram as freguesias onde o PS conseguiu um maior equilíbrio, ainda assim perdendo por cerca de 2% e 1% respectivamente. Em todas as freguesias venceu o PSD, com a maior vitória a registar-se em Vilar Seco,freguesia da Presidente da Câmara, Isaura Pedro – 51% contra 16% do PS.

Desavinho compromete colheita no Dão

Chuvas intensas na época da floração conduzirão a mais um ano fraco, em termos de quantidade, na região demarcada do Dão
A Touriga Nacional está a ser a casta mais afectada pelo desavinho, que mais uma vez está a ser devastador na região demarcada do Dão. Este acidente fisiológico, motivado pelas chuvas na época da floração, faz que com não ocorra a transformação das flores em fruto.

Brilhante ABC vence Académica, em jogo emocionante

ABC entre as 4 melhores equipas do país

Num jogo muito bem disputado e aguerrido, o ABC de Nelas venceu no seu reduto a Académica de Coimbra, por 4-3, estando assim a disputar palmo a palmo, com o equipa da Lusa Atenas, o acesso á final da Taça Nacional de Futsal em Juniores. Mais uma vez a colectividade Nelense, está a levar bem alto o nome de Nelas e a prestigiar as suas cores.
ABC 4 Académica 3
A 2ª mão irá realizar-se em Coimbra, no próximo Sábado, pelas 18h.

Santa Casa da Misericórdia de Santar homenageou ex provedora já falecida

– Lucília Paiva foi agraciada a titulo póstumo com o diploma de Irmã Benemérita

Um ano depois do trágico acidente de viação que vitimou a provedora da Santa Casa da Misericórdia e ao seu marido, Marcelino Paiva, a instituição fez questão de assinalar a data com uma homenagem a título póstumo a tão ilustre figura do concelho de Nelas e da freguesia de Santar.
Muitos foram os que se associaram a este dia, comungando da gratidão, da saudade e do reconhecimento por tudo aquilo que Lucília Paiva fez pela Misericórdia de Santar e pelos seus utentes, nomeadamente familiares, amigos, e ainda várias entidades públicas e privadas, bem como representantes de diversas Misericórdias do país. Exemplo acabado da dedicação e empenho da malograda provedora foi a criação de uma Unidade de Cuidados Continuados em Nelas, na antiga ala de internamento do Centro de Saúde, daí que a cerimónia tenha tido início precisamente neste local, onde foi descerrada uma placa com o seu nome. Segui-se uma romagem ao cemitério de Santar, onde após um toque de silêncio, belissimamente executado, se depuseram várias coroas de flores.
A Eucaristia presidida pelo Padre Nuno de Canas de Senhorim, contou com a animação da liturgia a cargo dos netos de LucÍlia e Marcelino Paiva, pelo que, após esse momento, todos os presentes se dirigiram ao Salão do Consistório da Misericórdia, onde se colocou a fotografia da ex provedora, perpetuando assim no tempo e na memória a figura de tão insigne pessoa.
Este foi de resto um dos momentos mais marcantes da homenagem, seguindo-se os discursos das entidades oficiais presentes, que foram unânimes em reconhecer todo o saber e os relevantes serviços prestados pela antiga provedora a esta Santa Casa.
A finalizar as cerimónias do passado dia 30 de Maio, destaque ainda para a entrega de medalhas por parte da Câmara Municipal de Nelas e da União das Misericórdias Portuguesas ao filho da homenageada, Professor José Pedro Paiva, que recebeu o Diploma de Irmã Benemérita a titulo póstumo. José Paiva agradeceu publicamente esta homenagem à mãe, mostrando-se profundamente “sensibilizado” com o facto de a mesma ter tido lugar na sua terra natal. Por fim, os presentes foram convidados a deslocar-se aos jardins da Casa de Santar, que gentilmente cedeu os seus espaços, para um lanche, após o qual se deu por encerrada esta cerimónia.
Refira-se que após a morte de Lucília Paiva, foi a professora Maria Infância Pamplona quem tomou conta dos destinos da Misericórdia de Santar,sendo ela a actual provedora.

Cavaca é eleito novamente presidente do Nelas, mas fica “amarrado” às decisões da Assembleia Geral

– Clube está actualmente impedido de inscrever equipas nas provas da Federação e Associação de Futebol de Viseu

Foi uma Assembleia Geral histórica, a que se realizou no Sport Lisboa e Nelas, na passada Segunda Feira, no Multiusos de Nelas. A presença de 66 sócios, numa das mais concorridas assembleias de sempre, deixou desde logo antever uma sessão animada. A ordem de trabalhos incluía as eleições para os órgãos sociais do clube, para o próximo biénio. A pairar no ar continuava entretanto a possível extinção do clube, motivada pela declaração de insolvência, que ao tudo indica poderá ainda vir a acontecer. Mas como diz o velho ditado “enquanto há vida há esperança”, resta agora aos novos dirigentes do clube, agarrarem-se a uma ténue esperança de salvação da colectividade, que parece cada vez mais difícil – a Comissão Administrativa anunciou que neste momento o clube já se encontra impedido de inscrever quaisquer equipas, nas provas organizadas quer pela Federação, quer pela Associação de Futebol de Viseu, devido às dívidas e processos que ali se encontram pendentes. O Nelas está também impedido de celebrar novos contratos com jogadores, assim como de renovar os existentes. Jorge David, que esteve à frente dos destinos do clube nos últimos meses, deu conta da situação asfixiante em que se encontram as finanças da colectividade, tendo até ao momento sido apurada uma dívida total de 272 mil euros, sem se considerar o empréstimo da caixa agrícola, que a comissão administrativa não reconhece como legal e em relação ao qual se opôs mesmo judicialmente, invocando que o mesmo foi contraído sem ter sido aprovado em Assembleia Geral. Se incluirmos este empréstimo, a dívida total aproxima-se dos 500 mil euros. Jorge David esclareceu ainda os sócios sobre os reais motivos que estiveram na origem do arresto de todos os bens e receitas do clube, que recordamos foi ventilado ter sido provocado por uma entrevista que publicámos no nosso jornal. David, desmentindo ter sido esse o motivo, enumerou os fundamentos para o referido arresto, nomeadamente as condições de funcionamento do clube, em que faltava de tudo, desde o pagamento dos salários, alimentação e cuidados médicos aos atletas. A Comissão Administrativa, que não apresentou qualquer lista para os órgãos sociais do clube, dando assim por findo o seu trabalho, não deixou contudo de fazer uma proposta no sentido dos sócios deliberarem que o subsídio retido da Câmara Municipal seja destinado a pagar, directamente, as dívidas ao fisco, segurança social e jogadores. Cavaca insurgiu-se com esta proposta, defendendo que “somente depois de eleita a direcção, se deveria colocar aos sócios esta situação”. Os ânimos ainda se exaltaram, com algumas trocas de acusações entre Cavaca e Manuel Marques. Cavaca tentou defender a celebração de um novo acordo com a segurança social, por forma a pagar a dívida em prestações. Tese que foi no entanto de imediato “desmontada” por Jorge David, ao afirmar que tal se afigura impossível, porque “o clube já incumpriu com dois acordos que fez anteriormente”. A proposta foi depois aprovada pela larga maioria dos sócios presentes – 59. Seguiram-se as eleições, com a apresentação de uma lista única, liderada por Luís Cavaca, para a direcção e Paulo Santos, para a Assembleia Geral, num verdadeiro “deja vu”, porque inclui os mesmos vice de sempre – Fernando Alexandre e Fernando Garcia. O insólito aconteceu no entanto, quando 3 dos membros integrados na lista pediram para os seus nomes serem retirados, o que é revelador da frágil situação desta nova direcção, que enfrente uma tarefa “hercúlea”. Os novos órgãos sociais, acabaram então por ser eleitos com apenas 16 votos a favor, dos 66 presentes, o que é sintomático do ambiente que se vive no clube. A Comissão Administrativa aproveitou ainda para fazer aprovar (dado que tinha uma larga maioria de apoiantes entre os sócios) a obrigatoriedade de todas as decisões relativas a empréstimos e ao arresto de que o clube foi alvo, terem que ser submetidas à Assembleia Geral de sócios, o que, na prática, limita a margem de manobra da direcção para decisões de carácter estrutural. Lembramos que a decisão sobre a contestação ao arresto, deverá ser proferida até ao final de Junho.

Idosa de Santar completou 100 anos

Maria dos Prazeres, Santarense, conseguiu a proeza de completar 100 Primaveras no passado dia 7 de Maio. A longevidade da idosa, teve direito a uma comemoração redobrada, onde esteviram presentes a provedora da Santa Casa da Misericórdia de Santar (é utente da unidade de cuidados continuados), Infância Pamplona e a Presidente da Câmara de Nelas, Isaura Pedro.