25 de Abril em Nelas. Vasto programa assinalou os 42 anos da Revolução dos cravos

Estão a decorrer as Comemorações dos 42 anos do 25 de Abril, que tiveram início com o Hastear de Bandeira no Largo do Município e Desfile da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Nelas. Seguiu-se a Sessão Comemorativa da Assembleia Municipal, que contou com a intervenção dos representantes dos diversos grupos parlamentares municipais, Presidente da Assembleia Municipal e Presidente da Câmara Municipal de Nelas, que enalteceram os valores da liberdade e a importância desta data no tecido social actual. A Sessão contou ainda com o requintado e excelente espectaculo musical “Canções de Abril” por Miguel Calhaz e Marco Figueiredo que brindaram os presentes com interpretações de temas de Zeca Afonso, Sérgio Godinho, Fausto, José Mário Branco, entre outros. Na Galeria do Edifício do Multiusos está patente uma exposição alusiva aos 42 Anos de Abril organizada pela Junta de Freguesia e Agrupamento de Escolas de Nelas.

As Comemorações decorrem também em Canas de Senhorim, tendo sido iniciadas com o Hastear da Bandeira no Quartel dos Bombeiros Voluntários da localidade e Desfile da Fanfarra, continuando durante a manhã junto à Capela de São Sebastião com Pintura de Rua, distribuição de cravos e Conversas sobre Abril, com intervenções de ex-combatentes.

A tarde prossegue em Vilar Seco com a Inauguração da Requalificação do Antigo Forno Comunitário (15h00), arruadas e Concerto “42 Anos de Abril” pelas Bandas Filarmónicas de Santar, Carvalhal Redondo e Vilar Seco, culminando com lanche convívio com broa de milho cozida no recém inaugurado Forno, com farinha moída nos Moinhos de Senhorim, pelas mãos da gente da terra.

À noite, no Cineteatro Municipal de Nelas, os alunos do Curso Profissional de Artes do Espectáculo da Escola de Mangualde, sobem ao palco com a peça “Os Filhos que Abril Deixou”.

Fonte : CM de Nelas

GNR Comando Distrital de Viseu promove “Floresta Protegida 2016”

O Comando Territorial do Viseu através do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA) e do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), no âmbito da Operação “Floresta Protegida 2016”, desenvolve entre hoje e 1 de maio, diversas ações de sensibilização junto da população, um pouco por todo o distrito.

Estas ações têm como objetivo alertar para a importância de procedimentos preventivos a adotar, nomeadamente sobre o uso do fogo, limpeza e remoção de matos e manutenção das faixas de gestão de combustível, consciencializando, assim, para a problemática da defesa da floresta contra incêndios, e de incentivo às boas práticas e ao respeito pela natureza, salvaguardando também aí a sustentabilidade e o futuro da nossa floresta.

Também, complementarmente à sensibilização, os militares desenvolverão ações de identificação de situações de incumprimento relativo à gestão de combustíveis, com o intuito de reduzir o número de ocorrências e minimizar o risco de incêndio florestal, procedendo, numa fase posterior, a ações de fiscalização.

Laço Azul Humano juntou 650 pessoas em Oliveira do Hospital

Cerca de 650 participantes na iniciativa “mOHve-te pelos Outros – Caminhada Solidária” contribuíram para a elaboração de um gigante Laço Azul Humano, ao final da manhã de ontem,no Largo Ribeiro do Amaral.

Inserida nas comemorações do 25 de Abril em Oliveira do Hospital, a iniciativa esteve associada à Campanha do Laço Azul dinamizada pela Cáritas, sensibilizando para a Prevenção dos Maus-Tratos na Infância, que se assinala ao longo do mês de abril.

Foi igualmente associada à recolha de fundos para a Associação Médicos do Mundo – organização não governamental que, desde 2007, vem desafiando as comunidades a organizarem corridas, marchas ou caminhadas, com o objetivo de angariar fundos para apoiar as populações mais vulneráveis de Norte a Sul do nosso país. Na edição deste ano, que decorre sob o tema “Educação para a Cidadania Global”, os participantes foram desafiados a contribuir com a doação de 1 euro para esta causa.

Esta iniciativa foi uma organização da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital –  com o envolvimento dos pelouros do Desporto, da Educação e da Ação Social – em parceria com a EPTOLIVA e com o envolvimento de várias entidades que participaram ativamente e que contribuíram para a enorme moldura humana que hoje preencheu o centro da cidade.

Além do público em geral que se associou à atividade, participaram professores e alunos do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital (pré-escolar, 1.º e 2.º CEB), EPTOLIVA, ESTGOH e da Universidade Sénior; utentes da ARCIAL e da Santa Casa da Misericórdia de Galizes; Cáritas Diocesana de Coimbra e GNR. Também o Centro Escolar de Nogueira do Cravo se associou a esta iniciativa elaborando, nas suas instalações, um Laço Azul com a participação dos seus alunos que frequentam o pré-escola e o 1.º CEB.

Como sublinha Nuno Ribeiro, vereador do Desporto e da Juventude, este foi “um evento integrador que sensibilizou para a problemática dos maus-tratos na infância”, reunindo alunos e utentes de várias entidades concelhias e cidadãos, aliando a “o desporto e a educação à solidariedade”. De mãos dadas proporcionaram uma iniciativa que, na sua opinião “ajuda a formar integralmente os nossos jovens e a contribuir para a construção de uma cidadania global”.

Fonte: Município de Oliveira do Hospital

Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais apresentado em Nelas

Decorreu ontem no Cineteatro Municipal de Nelas, a Sessão Pública de Apresentação do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) para o ano de 2016, com especial incidência no distrito de Viseu, que foi presidida pelo Sr. Secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, acompanhado pelo Presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva, pelo Tenente Coronel Lúcio Campos, responsável pelo Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS), e ainda pelo Comandante Operacional Nacional José Manuel Moura e pelo Presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil Major General Grave Pereira.

Depois de apresentar as principais características do Concelho de Nelas ao Secretário de Estado( lamentando as feridas abertas pelo adiamento na conclusão do IC 12 como complementar á Autoestrada Viseu Coimbra e ainda as decorrentes da infeliz decisão do Governo e da Endesa de não construírem a Barragem de Girabolhos e da Bogueira, congratulando-se todavia pela decisão de requalificação da Linha da Beira Alta), o Presidente da Câmara Municipal de Nelas iniciou a sessão realçando a excelente cooperação com os agentes de proteção civil, elogiando as duas Corporações de Bombeiros- Nelas e Canas de Senhorim- por estarem na linha da frente da intervenção distrital e merecerem todo o apoio, e neles todos os bombeiros e agentes de proteção civil presentes. Neste sentido, a proteção civil tem sido uma das principais preocupações do actual mandato, quer em termos municipais quer em termos Intermunicipais,sendo exemplo disso neste âmbito , o desenvolvimento do Sistema de Informação Geográfica (SIG ), a distribuição de elementos de proteção individual e de comunicação Siresp, e em termos municipais, o apoio financeiro celebrado com a assinatura de Protocolos com os dois Corpos de Bombeiros do Concelho, sendo no montante de 130mil euros para as duas corporações neste ano de 2016 . José Borges da Silva apelou ainda à necessidade de apoios para criação de uma boa rede de caminhos agrícolas e florestais alcatroados estruturantes, como factor essencial para prevenção de incêndios, bem como a pretensão apoiada pela Câmara de serem criadas duas Equipas de Intervenção Permanente ( EIP’s), o que justificou quer na qualidade dos corpos de bombeiros, quer no grande desenvolvimento económico, especialmente industrial ( Nelas apesar de 0,14% da população e territorial , é o concelho 108 em volume de negócios , 166 em número de empresas, 137 em empregados e 60 em volume de exportações).
Enalteceu, finalmente, a excelente cooperação existentes entre todas as entidades quer na prevenção e sensibilizarão contra os incêndios e na limpeza da envolvente urbana e industrial e também melhoria dos caminhos agrícolas e florestais .
O Tenente Coronel Lúcio Campos, que enalteceu a recente contínua colaboração e empenhamento da Câmara de Nelas neste esforço de proteção civil, e realçou a essencialidade dos corpos de bombeiros nesta matéria , procedeu à apresentação oficial da Diretiva que organiza este Dispositivo (DECIF 2016) planeado para a época de incêndios florestais no Distrito de Viseu, com uma explicação sobre as principais alterações, em termos de meios e organização, previstas para a campanha deste ano. Salientou que este Instrumento de planeamento, organização, coordenação e comando operacional tem como princípios de atuação a prevenção de comportamentos de risco, a vigilância e a deteção de incêncios, de forma a combatê-los com rapidez e segurança, disponibilizando os meios para o todo nacional.

O Secretário da Administração Interna, Jorge Gomes, encerrou a Sessão referindo que Portugal conta com cerca de 2 mil equipas no terreno e mais de 10 mil homens operacionais 24 horas por dia, sendo da responsabilidade do Estado estar junto destes profissionais nesta partilha de responsabilidade que é proteger bens e pessoas . Jorge Gomes afirmou também que, apesar do Distrito de Viseu ser complexo e com muitas ocorrências de incêndios florestais, tem sempre margem para auxiliar com rapidez e eficiência outros Distritos.

Entre as entidades presentes estiveram os responsáveis pelas principais instituições e Agentes de Proteção Civil do distrito de Viseu, nomeadamente o Sr Presidente da Assembleia Municipal , Presidente da Federação Distrital de Bombeiros, Presidentes de Junta, o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Presidente da Câmara de S.Comba Dao e vereadores de diversos municípios do distrito , e Gabinetes Técnicos Florestais, todas as Associações e Corpos de Bombeiros, Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), Guarda Nacional Republicana regional e local(GNR de Nelas e Canas de Senhorim) (SEPNA e GIPS), Policia de Segurança Pública (PSP), Exército( RIViseu), Policia Judiciária, Cruz Vermelha Portuguesa, Serviços Municipais de Proteção , AFOCELCA e outros Agentes de Proteção Civil e demais entidades que concorrem para a Defesa da Floresta Contra Incêndios, dando a conhecer os meios operacionais (humanos e materiais) bem como o conceito de operação que, no período mais vulnerável à ocorrência de incêndios florestais, materializam o dispositivo integrado de resposta a este desígnio nacional.

Fonte : Câmara Municipal de Nelas

Escola Superior de Saúde Viseu.Conferência sensibiliza para os maus-tratos na família

“Não à Violência na Família” foi o mote escolhido para a conferência que a Escola Superior de Saúde de Viseu (ESSV) leva a efeito no próximo dia 28 de abril.

O evento decorre no auditório da ESSV a partir das 16:30h e insere-se no âmbito das campanhas de sensibilização “abril – Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância e Juventude”, que têm como objetivo alertar para a prevenção dos maus-tratos a que muitas crianças e jovens ainda são sujeitos, bem como consciencializar a comunidade para o seu papel na prevenção do abuso infantil e promover nas famílias o exercício de uma parentalidade positiva, sem recurso à violência verbal ou física.

Imbuída desse espírito, a organização pretende com a realização desta conferência criar um espaço de informação e debate, que ajude a prevenir as diversas formas de violência na família, bem como promover o bem-estar familiar.

O evento tem o seu início agendado para as 16:30h, com a sessão solene de abertura, seguindo-se as comunicações, que abordam as temáticas da violência no namoro, contra a mulher e os maus-tratos infantis.

A iniciativa tem como público-alvo a comunidade em geral, com particular enfoque nos profissionais de saúde e educação e alunos dos cursos da ESSV.

Sobre esta temática, relembre-se que a Organização Mundial de Saúde (OMS) define abusos ou maus-tratos às crianças como todas as formas de lesão física ou psicológica, abuso sexual, negligência ou tratamento negligente, exploração comercial ou outro tipo de exploração, resultando em danos atuais ou potenciais para a saúde da criança, sua sobrevivência, desenvolvimento ou dignidade num contexto de uma relação de responsabilidade, confiança ou poder. Estabelece, ainda, quatro tipos de maus-tratos: físico, emocional, sexual e negligência.

A roupa azul é o símbolo associado à prevenção dos maus-tratos contra crianças e jovens.

O símbolo do laço azul remete-nos para 1989, na Virgínia, E.U.A. quando Bonnie W. Finney, uma avó atenta e preocupada, amarrou uma fita azul à antena do seu carro. A trágica história de maus tratos aos seus netos levou Bonnie a alertar a comunidade para este problema da sociedade atual, muitas vezes camuflado no seio familiar. A cor azul foi especialmente escolhida como constante lembrança aos corpos espancados e nódoas negras resultantes das agressões.

As inscrições são gratuitas e devem ser efetuadas on-line em: www.essv.ipv.pt

* Artigo redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Viseu, 21 de abril de 2016

Joaquim Amaral

Comunicação e Relações Públicas | IPV

HYPERLINK “mailto:[email protected][email protected]

Cineteatro de Nelas.CDOS apresenta amanhã o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais

O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viseu apresenta amanhã no Cineteatro de Nelas, pelas 18h30, o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF), com especial incidência no distrito de Viseu. A cerimónia contará com a presença de Secretário de Estado da Administração Interna, Dr. Jorge Gomes, bem como do Presidente da ANPC, General Grave Pereira e do Comandante Operacional Nacional da ANPC, José Manuel Moura.

No contexto desta sessão será feita a apresentação da Diretiva que organiza este Dispositivo – DECIF 2016, a cargo do Comandante Operacional Nacional, José Manuel Moura, que fará não só a apresentação do dispositivo planeado para a época de incêndios florestais deste ano, mas também uma explicação sobre as principais alterações, em termos de meios e organização, previstas para a campanha deste ano.

Como entidades convidadas estão as Câmaras Municipais e os responsáveis pelos principais Agentes de Proteção Civil do distrito de Viseu, nomeadamente todas as Associações e Corpos de Bombeiros, Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), Guarda Nacional Republicana (GNR) (SEPNA e GIPS), Policia de Segurança Pública (PSP), Exército, Policia Judiciária, Cruz Vermelha Portuguesa, Serviços Municipais de Proteção Civil (SMPC), elementos dos Gabinetes Técnico Florestais (GTF), AFOCELCA e outros Agentes de Proteção Civil e demais entidades que concorrem para a Defesa da Floresta Contra Incêndios, dando a conhecer os meios operacionais (humanos e materiais) bem como o conceito de operação que, no período mais vulnerável à ocorrência de incêndios florestais, materializam o dispositivo integrado de resposta a este desígnio nacional.

Prio Energy e Pingo Doce afirmam que foi o aumento das taxas que inviabilizou o PAC de Nelas. Defesa recusa esse argumento

– Em causa o processo em que o Ministério Público acusa os ex autarcas de Nelas, Isaura Pedro, Manuel Marques e Osvaldo Seixas, de dois crimes de abuso de poder e um de denegação de justiça (este apenas imputado a Isaura Pedro)

Decorreu no Tribunal de Nelas, a segunda sessão do Julgamento dos postos de abastecimento de combustível de Nelas, que remonta a 2009 e anos subsequentes, com a audição de duas testemunhas chave em todo o rocambolesco caso. Ricardo Coimbra, atual Diretor de Vendas da Prio Energy, e à época responsável pelo Departamento de Planeamento e Expansão, foi a primeira testemunha a ser ouvida, por videoconferência. Considerado um dos principais intervenientes no processo, confirmou que o posto de Nelas era, na época, “estratégico” para o Pingo Doce, tendo sido escolhido e negociado o terreno de Luís Rodrigues para o efeito. “No caso de Nelas foram feitas diversas diligências e estudos e chegámos a acordo com o Sr. Luís Rodrigues, dado que no terreno do Pingo Doce o projeto não tinha viabilidade”. “Houve mais de 10 encontros e este foi um licenciamento “caricato”, pois o departamento técnico da Câmara não estaria preparado para este tipo de processos”, assumiu, dado que “as pessoas não estavam habilitadas, segundo a nossa opinião”,isto apesar da presidente de Câmara, nas primeiras abordagens “ter mostrado total abertura para a instalação do posto”. “Fizeram-nos desde o início exigências,que, no nosso ponto de vista, não se justificavam – distâncias dos depósitos até ao eixo da via, por exemplo”, disse, concluindo no entanto, que “no final estava tudo contemplado nos projetos, conforme essas exigências”.

“O aumento bruscos das taxas, para os valores mais altos que temos conhecimento, foi claramente feito para inviabilizar a instalação do posto”

Nalgumas conversas (algumas mais acesas), Ricardo Coimbra afirmou ter percebido que o aumento brusco nas taxas (que antes tinham um valor residual e que foram entretanto revistas de 490€ por posto para 15 000€ por mangueira), foi feito claramente para “inviabilizar a instalação do posto, tendo eu imediatamente informado o Sr. Cavaca, que face a essas alterações, não podíamos avançar com o projeto”.”Era uma coisa muito abrupta – de 400 e poucos euros para 15 000 por mangueira e nós fazíamos essas contas todas”. “Reuni três ou quatro vezes com o executivo, onde foram debatidos os novos valores das taxas – não tenho dúvida nenhuma que as novas taxas iriam ser aplicadas ao nosso posto”, afirmou, estranhando “alterações de taxas a meio de um processo de licenciamento – nunca tinha visto esta situação”. Instado a definir tecnicamente o seu projeto, afirmou, de forma inequívoca, considerá-lo “um posto de abastecimento de combustíveis e não uma área de serviço”. Tendo-lhe sido ainda solicitado para situar as novas taxas aplicadas em Nelas, face às dos outros concelhos que conhecia na época, disse não conhecer municípios com aquelas taxas. “Para o investimento que pretendíamos ali fazer, o valor total seria de cerca de 240 000 euros, o que é altíssimo”, afirmou, exemplificando que “mesmo Coimbra, que é dos mais altos que conheço, nem chegaria a metade, para instalar quatro pistas, com duas ilhas”, enquanto as taxas anteriores “estavam alinhadas com a maior parte dos concelhos”. “Mostrei a minha indignação perante o que estava a acontecer à Sra. Presidente da Câmara, que teve uma postura de “não tenho culpa, vamos analisar, ou seja, dizia sempre NIM – era uma postura muito neutra”, revelou. “Relativamente ao vereador Marques, nunca vi que se manifestasse muito. Osvaldo Seixas pareceu-me sempre ser a pessoa mais colaborante”, adiantou ao Tribunal.

O desfecho foi a desistência do projeto, pois “com aquele valor das taxas perdia interesse”, tendo comunicado a Luís Rodrigues que “podia contar comigo para dizer a verdade sobre tudo o que se passou”.

Questão central abordada pela defesa foi o facto das taxas terem posteriormente sido revistas. Uma alteração no regulamento, veio descer os seus valores, o que terá inclusive permitido a instalação de um posto em Canas de Senhorim que usou a marca Prio, enquanto o Pingo Doce ainda tinha a sua licença válida antes deste licenciamento, só desistindo da renovação da licença em 2013.

O “Sr. Cavaca te-lo-á eventualmente enganado “, disse o advogado de defesa de Manuel Marques a Ricardo Coimbra, pois “em 16.12.2011 foi pedida a viabilidade para um posto em Canas de Senhorim (dois anos antes de vocês terem desistido do posto) e com outras taxas que viabilizaram o projeto”.

Miguel Orak confirma que “foi devido ao aumento abrupto das taxas que desistimos do projeto”

Miguel Orak, outra testemunha chave no processo, era na época o Gestor de Planeamento e Expansão do Grupo Jerónimo Martins, tendo saído em Março de 2014.”Estive presente nas primeiras reuniões com os arguidos”, informou ao Tribunal na sua audição e “antes de suspendermos definitivamente o investimento ainda tive reuniões na Câmara para tentarmos viabilizá-lo, mas nunca houve abertura para rever as taxas”, acrescentou, deixando claro que “foi pelo abrupto aumento das taxas que desistimos”. “Nos anos de 2009, 2010 e 2011, Nelas era para nós uma localização estratégica, depois deixou de o ser dada a normal dinâmicas nas empresas”. “Nunca vi semelhante mudança em taxas e para um valor muito acima dos máximos que até aí conhecíamos, que era de 50 000 euros por posto de abastecimento”, citando os casos de “Coimbra e Aveiro”. Este responsável vincou que “o alto valor fez-nos desistir – em 2012 e 2013 deixou de ser estratégico, pois começámos a abrir noutras localidades”. Sobre a renovação da licença, justificou com “uma eventual venda,  até pelo custo envolvido em termos de projetos”, ou seja, “é uma prática corrente, mesmo que se desista, num dado momento, de determinado local”. Lembramos que Luís Rodrigues reclama, em processo paralelo, o pagamento de uma indemnização de 688 mil euros, pela não instalação do posto no seu terreno.

IMG_1434

José Miguel Silva

Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais vai ser apresentado em Nelas

Esta sexta-feira, dia 22 de abril, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viseu vai apresentar publicamente o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) para 2016, com especial incidência no distrito de Viseu. A cerimónia terá lugar em Nelas, no Cine Teatro, às 18H30, e contará com a presença de Secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, bem como do Presidente da ANPC, Grave Pereira e do Comandante Operacional Nacional da ANPC, José Manuel Moura. Segundo a ANPC, “como entidades convidadas estarão presentes as Câmaras Municipais e os responsáveis pelos principais Agentes de Proteção Civil do distrito de Viseu, nomeadamente o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), Guarda Nacional Republicana (GNR) (SEPNA e GIPS), Policia de Segurança Pública (PSP), Exército, Policia Judiciária, Cruz Vermelha Portuguesa, Serviços Municipais de Proteção Civil (SMPC), elementos dos Gabinetes Técnico Florestais (GTF), AFOCELCA e outros Agentes de Proteção Civil e demais entidades que concorrem para a Defesa da Floresta Contra Incêndios, dando a conhecer os meios operacionais (humanos e materiais) bem como o conceito de operação que, no período mais vulnerável à ocorrência de incêndios florestais, materializam o dispositivo integrado de resposta a este desígnio nacional.”

Foto: Diário Digital

Suspeita de burla em Nelas relacionada com análises da água

CM NelasA autarquia local veiculou hoje um comunicado onde se mostra preocupada com um situação que tem vindo a acontecer no concelho : pedidos para se efetuarem análises à água de consumo doméstico, que considera configurarem uma possível burla.

A Câmara Municipal assegura, no mesmo comunicado, a total qualidade da água e já fez queixa da situação às autoridades policiais.

Ferrari em acidente aparatoso hoje pela manhã

Hoje pela manhã um automóvel da marca Ferrari despitou-se em Viseu, num acidente aparatoso que no entanto não teve consequências físicas para o condutor ou peões que passavam no local. Cerca das 9h da manhã na Rotunda Campocheio, o veículo não conseguiu fazer a rotunda, entrando pelo passeio ao lado direito, partiu e levou na frente três árvores. Isto no sentido Viseu-Nelas.

ÚLTIMA HORA : 19 detidos por suspeita de tráfico e mediação de armas

Militares do Comando Territorial de Viseu detiveram, ontem, dia 17 de abril, nos distritos de Viseu e Guarda, 19 suspeitos de tráfico e mediação de armas, dando cumprimento a 33 mandados de busca e cinco mandados de detenção.

No decorrer da operação foi apreendido o seguinte material:

  • 51 armas de fogo;
  • 1625 munições de diversos calibres;
  • Três silenciadores;
  • Cinco cartucheiras;
  • 28 detonadores;
  • Uma mira telescópica;
  • 56 doses de heroína;
  • Diverso material para transformação e modificação de armas;
  • Cerca de 1800 peças de vestuário presumivelmente contrafeitas;
  • Seis telemóveis;
  • Um cofre;
  • 65 € (em numerário).

Entre os detidos estão 18 homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 21 e os 65 anos, que serão presentes a tribunal amanhã, dia 19 de abril.

Esta operação, envolveu militares dos Comandos Territoriais de Viseu, Guarda, Coimbra, da Unidade de Intervenção, num total de 220 militares, contando ainda com o apoio da Polícia de Segurança Pública (PSP).

O material apreendido está exposto para recolha de imagem, nas instalações do Comando Territorial de Viseu (EN16 Ribeira de Mide – Abraveses).

Para mais informações contactar o Comandante do Destacamento Territorial de Mangualde, Capitão José Lopes – 961 195 246.