Oliveira do Hospital : Praia fluvial de Alvoco das Várzeas é bandeira azul e água do concelho nas melhores do país

A praia fluvial de Alvoco das Várzeas foi novamente galardoada com a Bandeira Azul e volta a hastear este símbolo de qualidade ambiental – pelo terceiro ano consecutivo – já na abertura da próxima época balnear.

Banhada por um dos rios menos poluídos da Europa – o rio Alvôco – a praia fluvial de Alvôco das Várzeas foi a primeira zona balnear do concelho de Oliveira do Hospital a ser distinguida, em 2014, com uma Bandeira Azul.

Em 2016 – ano em que se comemoram 30 anos de Bandeira Azul, sob o mote “Trinta anos, trinta critérios, um objetivo” – a paradisíaca praia integra o lote das 22 praias fluviais portuguesas que ostentam aquele símbolo de qualidade ambiental atribuído pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE).

Esta zona balnear, integrada na Rede de Praias de Aldeias do Xisto, tem vindo a ser dotada com todo um conjunto de infraestruturas de valorização, detendo também o estatuto de Praia Acessível – uma distinção que visa galardoar as praias que reúnem um conjunto de condições para serem usufruídas por pessoas com mobilidade condicionada/reduzida.

Localizada junto à ponte medieval de Alvoco das Várzeas, freguesia que recentemente passou a integrar a Rede de Aldeias de Montanha, aquela praia fluvial foi também recomendada pela ABAE – pelo segundo ano consecutivo e por unanimidade – ao Júri Internacional do Programa Bandeira Azul 2016, tendo o júri nacional congratulado o Município de Oliveira do Hospital pela “evolução segura e de qualidade” desta zona balnear ao longo dos três anos de candidatura ao galardão Bandeira Azul.

Note-se que para este reconhecimento foi decisivo – ao longo dos três anos de candidatura ao galardão Bandeira Azul – o cumprimento de todo um conjunto de critérios e boas práticas impostas pela ABAE, ao nível da qualidade da água balnear, qualidade de informação, realização de atividades de educação ambiental e códigos de conduta ambiental.

O Vice-Presidente do Município de Oliveira do Hospital, responsável pelo pelouro do Turismo, José Francisco Rolo, sublinha que a renovação deste prestigiado galardão está implicitamente associada ao investimento que a Câmara Municipal tem vindo a fazer ao nível da valorização das zonas balneares e dos recursos hídricos, com vista a projetar o setor do turismo de natureza, que tem tido um franco crescimento com vários investimentos concretizados e outros em fase de conclusão.

Frisando que ser distinguido com uma bandeira azul três vezes seguidas é a demonstração que há um trabalho estruturado pela Câmara Municipal (CM) e Juntas de Freguesia na valorização das zonas balneares do concelho, José Francisco Rolo refere ainda que este certificado de qualidade é distintivo mas simultaneamente responsabilizador, porque é necessário preservar, cuidar e promover ações de educação ambiental e, neste aspeto, as ações levadas a cabo têm sido reconhecidas pela sua qualidade, criatividade, participação cívica e inclusiva, conforme tem ficado demonstrado pela recente participação em ações de divulgação de boas práticas do Instituto Nacional para a Reabilitação e da ABAE.

Qualidade da água é de excelência

Oliveira do Hospital é um dos municípios portugueses onde se consome uma das melhores águas do país.

De acordo com os últimos resultados que já foram aprovados pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), a percentagem de água controlada e de boa qualidade distribuída no concelho de Oliveira do Hospital, verificável através das análises obrigatórias por lei, ultrapassou a meta dos 99 por cento fixada pela ERSAR para o indicador “Água Segura”.

Das 1227 análises regulamentares efetuadas na rede de abastecimento público, no ano de 2015, a percentagem de cumprimento dos valores paramétricos especificados na legislação encontra-se agora com uma percentagem de 99,89 por cento.

No ano de 2014, o Município de Oliveira do Hospital (MOH), com 99,49 % de “Água Segura” já tinha também passado a fasquia de qualidade fixada pela ERSAR, posicionando-se acima da média nacional que se fixou em 98,41%.

Refira-se que o MOH tem um programa de controlo operacional que promove a realização de análises em paralelo com o Programa de Controlo da Qualidade da Água que é obrigatório pela ERSAR, efetuando mais análises do que aquelas que são obrigatórias.

O Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, sublinha que a qualidade da água distribuída aos munícipes tem vindo a registar uma evolução muito positiva nos últimos anos e frisa que estes resultados são os melhores de sempre.

O autarca, que recorda que antes de estar à frente da presidência da Câmara, Oliveira do Hospital tinha legítima desconfiança quanto à água que saía das torneiras, mostra-se agora com o espírito de missão cumprida por constatar que atualmente os oliveirenses estão a consumir uma das melhores águas do país.

É uma grande conquista, que é fruto da política de modernização que a Câmara Municipal tem vindo a implementar num setor verdadeiramente estratégico e que está intimamente associado à qualidade de vida e bem-estar da população, refere José Carlos Alexandrino, observando que a qualidade da água para consumo humano é um indicador essencial para a avaliação do nível de desenvolvimento de qualquer concelho e do bem-estar da sua população.

Fonte : CM de Oliveira do Hospital

AZU vê recusado o direito à palavra em sessão pública

No passado dia 25 de Abril e inserido nas Comemorações do Dia da Liberdade, foram inauguradas na Guarda, as obras de remediação ambiental da Antiga Fábrica de Rádio do Barracão e das Minas do Forte Velho e do Prado Velho.

O evento contou com a presença do Presidente da Câmara da Guarda, dos presidentes da Junta de Freguesia de Panóias de Cima e do representante da Empresa de Desenvolvimento Mineiro (EDM).

A Associação Ambiente em Zonas Uraníferas (AZU), com o trabalho desenvolvido na defesa da requalificação das Minas desde o seu encerramento na região Centro, solicitou antecipadamente à EDM o direito a fazer uma intervenção no evento, de forma a esclarecer sobre os impactos a que as populações estiveram afetas durante dezenas de anos, e alertar sobre outras situações mineiras que permanecem por resolver.

A intervenção não foi autorizada pelo que se optou pela entrega de um dossier sobre a matéria ao Secretário de Estado da Energia, o qual na sua ausência lhe foi remetido oficialmente.

Não deixa de ser caricato os discursos dos presidentes da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal nesta sessão fazerem referência à importância do 25 de abril e à necessidade de pluralismo e depois recusarem a participação de uma associação que há vários anos acompanha este assunto.

É importante recordar que em 2004 o Governo definiu o ano de 2013 para a recuperação total das minas abandonadas do país, prazo que não veio a confirmar-se, com os consequentes impactos para as populações.

Continuam por recuperar as minas do Castelejo, Vale d´arca e Ribeira do Bôco no concelho de Gouveia, distrito da Guarda, assim como intervenções inacabadas na Mina da Urgeiriça no distrito de Viseu, concelho de Nelas, onde falta concluir a Barragem Nova, parte da Zona Industrial e Zona habitacional. Também as Minas da Quinta do Bispo, nos concelhos de Mangualde e de Mondego Sul em Tábua com situações graves em termos ambientais, continuam por resolver.

A Quercus associa-se às preocupações da AZU e mostra-se preocupada com o atraso que a recuperação de antigas áreas mineiras de urânio tem tido com os consequentes impactos ambientais, sociais e de saúde pública.

A Direção da AZU- Associação Ambiente em Zonas Uraníferas

A Direção da ATMU- Ex Trabalhadores das Minas de Urânio

A Direção do Núcleo Regional da Guarda da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

Ações de sensibilizarão de prevenção dos fogos florestais arrancaram hoje em Nelas

Com a distribuição de um manual de informações, nomeadamente, acerca da necessidade de limpeza de matos na envolvente de 50m em redor dos imóveis (100m no caso de Zonas Industriais) e da limpeza dos terrenos agrícolas e florestais, todas as instituições ligadas à proteção Civil do Concelho de Nelas iniciaram um conjunto de ações de sensibilizarão de prevenção dos fogos florestais e que decorrerá á saída das missas em todas as igrejas e durante todas as feiras de Canas de Senhorim, Nelas, Carvalhal Redondo e Santar.

Nestas ações participam os Servicos de Proteção Civil da Câmara Municipal, os Bombeiros, os Escuteiros e os párocos de Nelas e Canas de Senhorim, bem como a GNR e o SEPNA (Ambiente) e ainda os Presidentes das Juntas de Freguesia.

Esta campanha é a concretização de um conjunto de ações previstas no Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios ( PMDFCI) e decidido na Comissão Municipal respetiva.
Vai acontecer em simultâneo ação semelhante nos Agrupamentos de Escolas junto das crianças e jovens.

Limpeza de mato e cuidado na utilização do fogo são essenciais para combater o flagelo dos incêndios.

Fonte : CM de Nelas

Empresário detido por suspeita de crimes de abuso sexual de duas crianças

A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Centro, deteve um homem, empresário, pela presumível prática de vários crimes de abuso sexual de crianças, de que foram vítimas duas menores, atualmente com 11 e 14 anos de idade.

O detido aproveitou-se das relações de confiança que mantinha com os pais das menores para as levar para a sua casa onde, de forma reiterada, praticava os abusos.

O alegado abusador é casado e dono de uma pequena empresa de retalho perto da cidade de Viseu, sendo que se disponibilizava para “tomar conta das duas crianças quando os pais estavam a trabalhar”.

O suspeito, de 60 anos de idade, foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Laço Azul e Caminhada solidária reúne 850 crianças em Nelas

Foram cerca de 850 alunos dos dois agrupamentos do concelho (pré escolar e 1º ciclo), que conjuntamente com alguns pais, se associaram hoje a uma iniciativa solidária da CPCJ de Nelas e Autarquia. Uma caminhada e formação de um laço azul gigante na Mata das Alminhas, contra a violência infantil, mobilizou também a população e chamou a atenção para uma causa nobre, porque afinal a melhor coisa do mundo são as crianças, em que os autores de maus tratos e violência, cada vez mais frequentes, devem ser exemplarmente punidos, por um dos crimes mais hediondos que existe.

  IMG_1609

Detidos por tráfico de droga no IP3

Militares do Núcleo de Investigação Criminal de Santa Comba Dão detiveram ontem, dia 28 de abril, dois homens com 38 e 39 anos, por tráfico de estupefacientes, num troço do IP3 em Santa Comba Dão.

Após a busca à viatura onde seguiam os suspeitos, foram apreendidas 68 doses de cannabis e 13 doses de haxixe.

No âmbito da mesma operação foram ainda identificados sete indivíduos por posse de produtos estupefacientes, aos quais foi foram apreendidos uma totalidade de 11 doses de heroína, nove doses de haxixe e uma dose de cannabis.

Os detidos estão neste momento a ser presentes ao Tribunal Judicial da Comarca de Viseu, Instância Local de Santa Comba Dão.

Aos restantes sete indivíduos identificados foram elaborados os respetivos autos de ocorrência e notificados para comparecerem nas Comissões para a Dissuasão da Toxicodependência das suas áreas de residência.

Esta ação contou com o apoio do Destacamento de Trânsito de Viseu, o Destacamento de Ação e Fiscal de Coimbra, binómios do Comando Territorial de Viseu e militares do  Núcleo de Protecção Ambiental de Santa Comba Dão.

Secretária de Estado da Justiça em Oliveira do Hospital.Tribunal da Comarca recupera competências

A Secretária de Estado Adjunta e da Justiça, Helena Mesquita, anunciou na quarta-feira, dia 27 de abril, que o Tribunal da Comarca de Oliveira do Hospital vai recuperar algumas das competências que perdeu em consequência da reorganização do mapa judiciário implementada pelo anterior Governo de Portugal em 2014.

Helena Mesquita deslocou-se à Câmara Municipal e às instalações do Tribunal de Oliveira do Hospital, depois de ter sido convidada pelo Presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino, que se insurgiu contra os efeitos da reorganização judiciária, reivindicando – logo após a tomada de posse do atual governo – a recuperação das competências que o Tribunal Judicial de Oliveira do Hospital perdeu, por considerar que estavam em causa os superiores interesses dos cidadãos do Município de Oliveira do Hospital, que passaram a ter uma justiça “mais distante, mais cara e muito menos acessível”.

Depois de uma reunião com o executivo camarário, onde também participou a representante local da Ordem dos Advogados, Clara Baila, a Secretária de Estado Adjunta e da Justiça mostrou-se preocupada com a situação e anunciou que o Tribunal Judicial de Oliveira do Hospital (TJOH) será brevemente contemplado com o regresso de algumas das competências que perdeu para que o acesso à justiça fique mais facilitado.

“Preocupa-nos a área da família e menores, porque os problemas atingem muitos agregados de baixo nível económico, muitas famílias desestruturadas em que as deslocações a outros tribunais trazem dificuldades ainda mais acrescidas”, afirmou a governante, explicando que esta será uma das competências que regressará brevemente ao Tribunal de Oliveira do Hospital.

No final da reunião, o Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, que sempre se insurgiu contra a reorganização do mapa judiciário, por afastar a justiça dos cidadãos, mostrou-se satisfeito pela anunciada recuperação de competências do TJOH. “O Governo está a fazer justiça com Oliveira do Hospital”, observou o autarca, sublinhando que à semelhança do que defende para a saúde, também quer que todos os cidadãos tenham igual acesso à justiça e não “uma justiça para ricos e outra justiça para pobres”.

Fonte : Município de Oliveira do Hospital

Carregal do Sal. Mercado de Rua marcou as comemorações do 25 de Abril

Sessão Evocativa integrou fado de Coimbra

Carregal do Sal comemorou os 42 anos do 25 de abril de 1974.
Apostando num programa participativo, envolvente, de e para o povo, a Autarquia alterou o figurino destas celebrações sobretudo em relação à sessão evocativa que, este ano, teve um caráter menos formal.
Realizada a partir das 21horas, no Centro Cultural de Carregal do Sal, a sessão evocativa da efeméride contou com a intervenção dos representantes dos grupos parlamentares municipais do PPD/PSD e do PS, respetivamente António Óscar de Almeida e Paiva e Carlos Alexandre Pais Baptista (o CDS-PP declinou o convite por convicções pessoais); do Presidente da Assembleia Municipal, Carlos Jorge Morgado Gomes, a quem coube dar as boas vindas e do Presidente da Câmara Municipal de Carregal do Sal, Rogério Mota Abrantes, que encerrou a sessão.
Pelo meio, registaram-se momentos culturais com o Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, que apresentou um vídeo recordando momentos chave da Revolução dos Cravos, declamação de poesia e canto por alunos do respetivo Agrupamento; declamação de poesia pelo historiador e poeta concelhio, Hermínio da Cunha Marques e dois momentos musicais com o grupo de fados de Coimbra “Pardalitos do Mondego”.
Com um repertório criteriosamente escolhido para a apresentação em Carregal do Sal, e assente em poemas e música maioritariamente de Zeca Afonso e Manuel Alegre, o grupo assegurou cerca de 50 minutos da sessão evocativa com a Canção Coimbrã conquistando o público que aplaudiu, de pé, a respetiva prestação.

Êxito absoluto no Mercado de Rua

Durante o dia, o ex-libris das comemorações s foi o Mercado de Rua realizado na zona envolvente ao Julgado de Paz e Rua S. João de Deus.
Desde as 10h até às 19h, cerca de noventa participantes, entre os expositores que se apresentaram em barraquinhas próprias e casas comerciais da área que se associaram à iniciativa, colocaram à disposição dos visitantes e transeuntes artigos e produtos diversificados conferindo uma nova dinâmica e colorido àquela que é uma das zonas centrais da vila sede do Concelho.
A iniciativa abriu com arruada pelo Grupo Recreativo Zés Pereira de Oliveira do Conde e até ao final do dia sucedeu-se a animação de rua pelos Art&Manha (polícias, ardinas e saloio s). À tarde, os grupos folclóricos do Concelho designadamente o grupo de Danças e Cantares da Sociedade Filarmónica de Cabanas de Viriato; o Grupo folclórico d’Alegria de Vila Meã e o Rancho Folclórico Flores da Beira (o Rancho Cravos e Rosas, por constrangimentos de última hora, não conseguiu estar presente) demonstraram que a cultura tradicional está bem enraizada nas gentes do Concelho e atraíram milhares de pessoas num dia em que até o São Pedro esteve de maré!
O espírito de abril reinou; o povo saiu à rua e o Concelho saiu a ganhar com mais um evento que revelou ter pernas para andar!

Detidos por posse de armas proibidas

Militares do Núcleo de Investigação Criminal de Viseu detiveram ontem, dia 26 de abril, em S. Pedro do Sul, uma mulher e um homem de 54 e 59 anos, por posse de armas proibidas.

A detenção ocorreu na sequência de uma busca domiciliária que culminou com a apreensão de:

  • Uma espingarda;
  • Uma carabina;
  • Uma pistola de alarme;
  • 68 cartuchos calibre 22;
  • Uma cartucheira.

Os detidos foram constituídos arguidos e ficaram sujeitos a termo de identidade e residência.

Chernobyl 30 anos : Um marco na história para “Os Verdes” advertirem sobre Almaraz

O acidente com a central nuclear de Chernobyl, há 30 anos, na Ucrânia, persiste na nossa memória para nos ir relembrando da urgência de se abandonar a opção nuclear nas nossas sociedades.

As consequências para as pessoas, para o ambiente e para a vida na Terra são demasiado dolorosas e destruidoras causando muitas mortes prematuras, malformações genéticas que se transmitem por gerações e gerações, graves consequências para o ambiente e para a biodiversidade. Com Chernobyl recordamos também os acidentes de Three Miles Island nos Estados Unidos da América, em 1979, ou mais recentemente Fukushima no Japão em 2011.

São graves riscos já vividos pela humanidade nestas diversas situações, para além de outras tantas menos gravosas, mas que ciclicamente vêm acontecendo pelo nosso planeta e que nos vão expondo cada vez mais ao perigo aniquilador da energia nuclear.

Um perigo que é ainda mais aumentado pela exploração das Minas de Urânio, combustível para estas centrais e cujos dramas o nosso país bem conhece pelas marcas que vai deixando quer na população mineira, quer pelo ambiente circundante, onde a palavra doença, chaga, cancro lhe está tão associada.

Mas o nuclear está também intimamente ligado à indústria do armamento que, apesar dos tratados internacionais de não proliferação de armas nucleares, uma iniciativa deveras importante no contexto internacional, não têm posto fim a esta ameaça e são muitas as armas nucleares ainda existentes no planeta. Nesta matéria os Estados Unidos da América encimam a lista de países com mais armamento nuclear. País este que até hoje (e esperemos assim continue) foi o único a lançar bombas nucleares sobre alvos civis (Hioroshima e Nagasaky) e cujas consequência e devastação ainda hoje se fazem sentir.

Esta é uma questão de sobrevivência e vital para o nosso planeta.
Os Verdes consideram que o princípio da responsabilidade deve chamar os povos e os seus representantes políticos para a salvaguarda da vida do Planeta unindo-se pelo Não ao Nuclear.

Que se encerre de vez o capítulo nuclear da história da humanidade.
Que se acabe com as armas nucleares, que se encerram os mais de 400 reatores nucleares existentes em todo o Mundo e a funcionar, que se travem os novos projetos para centrais nucleares!

É urgente que sejam feitos todos os esforços para que se encerre a central nuclear de Almaraz, a escassos 100km da nossa fronteira e cujo tempo de vida útil já expirou. Neste sentido, Os Verdes irão também dar corpo à grande jornada Ibérica pelo encerramento de Almaraz, que está prevista acontecer em Cáceres, Espanha, no próximo dia 11 de junho.

Partido Ecologista “Os Verdes”

Operação de controlo de velocidade detetou mais de 3 200 condutores em infração

A Guarda Nacional Republicana intensificou na última semana (de 18 a 24 de abril), em todo o território nacional, as ações de controlo de velocidade, direcionando as mesmas para as vias onde as infrações por excesso de velocidade são mais frequentes e dão origem a um risco acrescido de acidentes de viação, em particular nas vias situadas no interior das localidades.

Durante os sete dias de operação, foram controlados cerca de 190 mil  condutores, dos quais 3 286 circulavam em excesso de velocidade.

De destacar que no dia 21 e 22 de abril, teve lugar a segunda “speed marathon” (a primeira foi realizada em 2015), que consiste numa ação continua de 24 horas de controlo de velocidade de modo ininterrupto e em simultâneo em todos os países que fazem parte da TISPOL.

Esta operação, foi realizada de igual modo em todos os países da Europa e enquadra-se no plano definido pela European Traffic Police Network (TISPOL – www.tispol.org), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa, no qual a GNR é representante nacional, e pelo Euro Controle Route (ECR – www.euro-controle-route.eu/site), um grupo de serviços de controlo das estradas europeias cujo objetivo é o de melhorar a segurança rodoviária.

Detido por furto de trator

Militares do Posto Territorial de Tondela detiveram no dia 21 de abril, um homem com 25 anos de idade, por suspeitas de furto de veículo (trator agrícola) e respetivas alfaias agrícolas, em Tondela.

 

Foi realizada uma busca domiciliária na localidade de Lobão da Beira – Tondela, que culminou na apreensão do trator agrícola, diversos componentes extraídos do mesmo e latas de tinta e spray que serviram para a sua dissimulação.

 

O detido foi presente ao Tribunal Judicial da Comarca de Viseu, Instância local de Tondela, tendo ficado sujeito a termo de identidade e residência.

25 de Abril em Nelas. Vasto programa assinalou os 42 anos da Revolução dos cravos

Estão a decorrer as Comemorações dos 42 anos do 25 de Abril, que tiveram início com o Hastear de Bandeira no Largo do Município e Desfile da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Nelas. Seguiu-se a Sessão Comemorativa da Assembleia Municipal, que contou com a intervenção dos representantes dos diversos grupos parlamentares municipais, Presidente da Assembleia Municipal e Presidente da Câmara Municipal de Nelas, que enalteceram os valores da liberdade e a importância desta data no tecido social actual. A Sessão contou ainda com o requintado e excelente espectaculo musical “Canções de Abril” por Miguel Calhaz e Marco Figueiredo que brindaram os presentes com interpretações de temas de Zeca Afonso, Sérgio Godinho, Fausto, José Mário Branco, entre outros. Na Galeria do Edifício do Multiusos está patente uma exposição alusiva aos 42 Anos de Abril organizada pela Junta de Freguesia e Agrupamento de Escolas de Nelas.

As Comemorações decorrem também em Canas de Senhorim, tendo sido iniciadas com o Hastear da Bandeira no Quartel dos Bombeiros Voluntários da localidade e Desfile da Fanfarra, continuando durante a manhã junto à Capela de São Sebastião com Pintura de Rua, distribuição de cravos e Conversas sobre Abril, com intervenções de ex-combatentes.

A tarde prossegue em Vilar Seco com a Inauguração da Requalificação do Antigo Forno Comunitário (15h00), arruadas e Concerto “42 Anos de Abril” pelas Bandas Filarmónicas de Santar, Carvalhal Redondo e Vilar Seco, culminando com lanche convívio com broa de milho cozida no recém inaugurado Forno, com farinha moída nos Moinhos de Senhorim, pelas mãos da gente da terra.

À noite, no Cineteatro Municipal de Nelas, os alunos do Curso Profissional de Artes do Espectáculo da Escola de Mangualde, sobem ao palco com a peça “Os Filhos que Abril Deixou”.

Fonte : CM de Nelas

GNR Comando Distrital de Viseu promove “Floresta Protegida 2016”

O Comando Territorial do Viseu através do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA) e do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), no âmbito da Operação “Floresta Protegida 2016”, desenvolve entre hoje e 1 de maio, diversas ações de sensibilização junto da população, um pouco por todo o distrito.

Estas ações têm como objetivo alertar para a importância de procedimentos preventivos a adotar, nomeadamente sobre o uso do fogo, limpeza e remoção de matos e manutenção das faixas de gestão de combustível, consciencializando, assim, para a problemática da defesa da floresta contra incêndios, e de incentivo às boas práticas e ao respeito pela natureza, salvaguardando também aí a sustentabilidade e o futuro da nossa floresta.

Também, complementarmente à sensibilização, os militares desenvolverão ações de identificação de situações de incumprimento relativo à gestão de combustíveis, com o intuito de reduzir o número de ocorrências e minimizar o risco de incêndio florestal, procedendo, numa fase posterior, a ações de fiscalização.