Tribunal de Nelas poderá recuperar competências

Foi na última reunião de Câmara que o presidente, José Borges da Silva, deu conta que a reorganização do mapa judiciário, neste momento a ser estudada pelo governo, poderá trazer boas notícias para o Tribunal da Comarca de Nelas. O edil explicou que “o governo tem programadas as extinções das secções e o regresso dos Tribunais com todas as suas competências, podendo, no caso de Nelas, abranger novamente crimes, família e insolvências, entre outras”. Lembramos que, à semelhança de muitas outras matérias, o governo do PS pretender reverter diversas decisões tomadas pelo anterior governo, também no âmbito do judiciário.

Politécnico de Viseu assinala do Dia Mundial do Ambiente com conferência

O Departamento de Ambiente da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu do IPV vai realizar, no próximo dia 6 de junho, pelas 9:00h, no auditório da ESTGV, uma conferência evocativa do Dia Mundial do Ambiente.

No ano em que se celebram 20 anos do curso de Engenharia do Ambiente do IPV – o primeiro criado no Ensino Superior Politécnico em Portugal –, o Departamento de Ambiente pretende com a organização deste evento, dirigido a técnicos, comunidade escolar e público em geral, criar um espaço aberto de debate e partilha sobre grandes temáticas ambientais “do local ao global”.

Num primeiro painel serão realizadas comunicações na área da Conservação da Natureza, incluindo a apresentação do Parque Natural Local Vouga – Caramulo, pela Câmara Municipal de Vouzela.

A Educação Ambiental e questões globais serão abordadas num segundo painel, que incluirá uma comunicação do Presidente da Associação Nacional de Conservação da Natureza – Quercus, João Branco, que proferirá uma comunicação sobre a Pegada Ecológica.

No intervalo entre painéis será plantado um carvalho roble (Quercus robur), a primeira de 20 árvores a plantar até ao final de 2016, criando uma nova área verde arborizada interpretativa no campus Politécnico de Viseu, e marcando indelevelmente os 20 anos de ensino de engenharia do ambiente em Viseu.

O evento tem entrada livre.

Informação IPV_Conferência Ambiente

Oliveira do Hospital atribui 230 mil euros em bolsas de estudo para o ensino superior

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital (CMOH) volta a apoiar, uma vez mais, os alunos economicamente carenciados do concelho que frequentam estabelecimentos de ensino superior público com bolsas de estudo num valor superior a 30 mil euros.

Nos últimos seis anos, são já 185 as bolsas de estudo para o ensino superior atribuídas pela Câmara Municipal, num investimento que ronda os 232 mil euros.

Sensível às dificuldades e à situação económica que afetam alguns agregados familiares, a CMOH pretende, com este investimento na Educação, contribuir para que os jovens residentes no concelho possam prosseguir os seus estudos no ensino superior e continuar com a sua formação académica, independentemente da sua condição económico-financeira.

No âmbito do Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo para o Ensino Superior, foram atribuídas no presente ano letivo um total de 35 bolsas de estudo, onde se incluem 5 bolsas de mérito escolar destinadas a 2 estudantes do ensino secundário e 3 do ensino superior com aproveitamento escolar excecional.

A autarquia tem procurado primar pelo apoio aos alunos e às suas famílias, na área da educação e da formação.

A bolsa de estudo por insuficiência económica é uma prestação pecuniária equivalente a 40% da retribuição mínima mensal garantida em vigor, para comparticipação nos encargos decorrentes da frequência do ensino superior pelos estudantes economicamente mais desfavorecidos do Concelho de Oliveira do Hospital.

Para além do objetivo de estimular a frequência do ensino superior e a continuidade do percurso académico, a atribuição de bolsas de estudo visa também a criação de condições adequadas ao tecido económico concelhio, através da dotação de quadros técnicos superiores, fomentando-se assim um desenvolvimento sustentado.

Fonte : CM de Oliveira do Hospital

Carregal do Sal.Laborinho Lúcio em encontro das CPCJ, Unidade de Missão e Valorização do Interior reuniu com Autarcas e recolha de sangue

CPCJLaborinho Lúcio marca presença no 6.º Encontro das CPCJ em Carregal Do Sal

Laborinho Lúcio é o orador convidado para o 6.º Encontro da CPCJ (Comissão de Proteção de Crianças e Jovens) de Carregal do Sal, que vai decorrer no Centro Cultural de Carregal do Sal, no dia 18 de maio.
O ex-Ministro da Justiça pertence a várias associações ligadas às crianças e aos Direitos da Criança e sobre ele recaiu a escolha para na próxima 4.ª feira falar sobre “Como fazer crianças e jovens felizes?”.
O Encontro terá a presença de Armando Leandro, Presidente da Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens em Risco e de representantes de diversas CPCJ concelhias.
“Como fazer crianças e jovens felizes?” é de acesso livre sendo apenas necessário proceder à respetiva inscrição até ao dia 16 de maio, por email ([email protected]) ou telefone (232960439).

Na próxima 4.ª feira, 18 de maio, aprendamos “Como fazer crianças e jovens felizes?” no 6.º Encontro da CPCJ, com Laborinho Lúcio.

Unidade de Missão para a Valorização do Interior reuniu com Autarcas em Carregal Do Sal

Carregal do Sal recebeu, esta manhã, a reunião da Unidade de Missão para a Valorização do Interior (UMVI).
Autarcas dos municípios classificados de baixa densidade, conforme proposta apresentada pela Associação Nacional dos Municípios Portugueses, integrados na CIM da Região de Aveiro e na CIM Viseu Dão Lafões, e representantes/técnicos das respetivas Associações de Desenvolvimento Local, estiveram reunidos no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Carregal do Sal para analisarem eventuais medidas e ações que considerem prioritárias e que possam vir a integrar o programa nacional para a coesão territorial a desenvolver pela Unidade.
A sessão de abertura contou com intervenções de António José Martins Coutinho, vice-Presidente da CIM Região de Aveiro; José Morgado Ribeiro, Presidente da CIM Viseu Dão Lafões e Helena Freitas, Coordenadora da Unidade de Missão para a Valorização do Interior.
Seguiu-se um período de debate em que os autarcas e representantes de associações de desenvolvimento locais deram os respetivos contributos, que a UMVI terá em linha de conta para traçar o respetivo programa nacional para a coesão territorial.

Domingo, dê Sangue, nos Bombeiros Voluntários de Carregal Do Sal

No próximo domingo, 15 de maio, a Unidade Móvel do Centro de Sangue e da Transplantação de Coimbra, do Instituto Português do Sangue e da Transplantação vai estar nas instalações da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Carregal do Sal para realizar mais uma campanha de colheita de sangue.
Os interessados deverão apresentar-se no quartel entre as 9h00 e as 13h00 e no caso de ser a primeira vez que dão sangue, devem apresentar o respetivo Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão. Se for dador regular, não se esqueça de levar o Cartão Nacional do Dador de Sangue.
Domingo, “Seja generoso para quem precisa…Dê Sangue. Salve Vidas.”

Caminhada solidária contra o cancro em Carregal do Sal

O Grupo de Voluntariado Comunitário de Carregal do Sal da Liga Portuguesa Contra o Cancro vai realizar, no próximo dia 22 de maio, uma caminhada solidária.
Com início marcado para as 9 horas, na Junta de Freguesia de Cabanas de Viriato, a iniciativa visa sensibilizar para uma doença que afeta milhões de pessoas em todo o mundo e angariar receitas que revertem a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro,
No local, estarão disponíveis para aquisição bonés e t-shirts alusivas a esta causa solidária.

Caminhada Alimentação

Palestra sobre Propriedade Industrial no Politécnico de Viseu

Inserida nas atividades do Departamento de Engenharia de Madeiras (DEMad) da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu do IPV, e do ciclo de palestras técnicas no âmbito da Licenciatura de Tecnologia e Design de Mobiliário, vai realizar-se na próxima segunda-feira, dia 16 de maio, pelas 15:00h, no Auditório da ESTGV, uma palestra dinamizada pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) HYPERLINK “http://www.marcasepatentes.pt/” www.marcasepatentes.pt/

A atividade do INPI centra-se na atribuição e proteção de direitos de propriedade industrial, na difusão da informação técnica e científica patenteada e na promoção da utilização do sistema de propriedade industrial, visando o reforço da capacidade inovadora e competitiva do país, a lealdade da concorrência e o combate à contrafação.

Neste âmbito, o INPI foi convidado a dirigir uma palestra que aborde temáticas relativas à criação de produtos: marcas e patentes, proteção do design, propriedade industrial e propriedade intelectual.

O programa contempla ainda um período de esclarecimentos e de debate, seguindo-se a visita aos laboratórios e ateliers do DEMad.

O evento tem como destinatários preferenciais os alunos da ESTGV e do IPV, sendo também aberto ao interesse do público em geral. A entrada é livre.

* Artigo redigido ao abrigo do nInformação IPV_Propriedade Industrialovo Acordo Ortográfico

Viseu, 11 de maio de 2016

Cristina Coelho | Docente ESTGV – IPV

[email protected]

Protótipo do Politécnico de Viseu compete no próximo fim de semana na Shell Eco-Marathon

É já nos próximos 13, 14 e 15 de maio que a equipa do Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial (DEMGI) do Instituto Politécnico de Viseu (IPV) leva a sua equipa a competir 2016. Nesta edição será no circuito internacional de Le Mans que a equipa IPV Green Racers conduzirá o protótipo Ghost, com o objetivo de percorrer o maior número de quilómetros com a menor quantidade de combustível possível, num tempo máximo de 33 minutos.

This slideshow requires JavaScript.

Apesar de marcar, desde 1999, presença assídua nesta competição, este ano reveste-se de renovada importância, não só por o circuito não ser urbano, o que traz novos desafios à pilotagem, mas sobretudo porque irão usar um protótipo completamente redesenhado onde foi integrado, não só todo o saber acumulado ao longo dos anos mas também algumas surpresas. IPV Green Racers é uma equipa recém-formada, que compensa alguma inexperiência com motivação e dedicação e que se apresenta com uma promessa de continuidade para futuras edições da prova internacional.

Este projeto, desenvolvido no seio da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu, procura levar os alunos a utilizar as valências adquiridas na sua formação nos cursos de licenciatura e de técnico superior profissional e testá-las em contexto real, não controlado, estimulando a criatividade e a adaptabilidade. Para além das vertentes naturais da engenharia automóvel, outras áreas como a automoção, a aerodinâmica, os materiais, e também competências tão distintas como o marketing, o webdesign e a gestão de recursos são solicitadas aos membros da equipa.

O trabalho, apesar de essencialmente extracurricular, aplica, sempre que possível, os trabalhos curriculares dos alunos e procura usar as sinergias entre os vários departamentos. É uma aposta não só na formação técnica, mas também pessoal dos estudantes, permitindo-lhes viver uma experiência de competição internacional, entrando em contacto com outras formas de procurar e encontrar soluções, tornando-se uma marca indelével no seu percurso académico e com fortes repercussões no seu futuro profissional.

A equipa atual conta com seis alunos e dois professores, todos do departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial, mas a participação está aberta a qualquer aluno do IPV.

A edição deste ano, conta com quarenta equipas de vários países europeus e Portugal estará representado pela equipa do IPV e pela equipa da UBI.

Toda a informação sobre a competição e a equipa em  HYPERLINK “http://www.facebook.com/shelldemgi” www.facebook.com/shelldemgi ou  HYPERLINK “file:///C:\\Users\\jamaral\\Documents\\x.%20NOTAS%20DE%20IMPRENSA%20IPV\\1.%20NOTA%20DE%20IMPRENSA_HOJE\\clubshellecomarathon.wix.com\\clubshell” clubshellecomarathon.wix.com/clubshell

* Artigo redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Viseu, 11 de maio de 2016

Alexandre Aibéo | Docente ESTGV – IPV e Coordenador do Projeto

[email protected]

Ideias Solidárias arranca com o projeto (A) Corda. Violência doméstica é o mote

A ideia nasceu de um grupo de jovens ligados à área social. Do papel passou à prática em Canas de Senhorim e o Nelense Marcelo Costa, que lidera o grupo, pretende expandir a ideia para Nelas.

Quais as razões para a criação do projeto e qual a data de arranque?

A Ideias Solidárias foi fundada em Dezembro de 2015 e fixou a sua sede em Canas de Senhorim, local onde se encontram as raízes familiares de uma das suas fundadoras. A associação foi criada por se ter constatado que, apesar dos meritórios esforços que têm vindo a ser desenvolvidos pelos agentes públicos e privados que já trabalham (e combatem) o problema da violência doméstica, esta é, ainda, uma luta inglória, com números que não parecem ter vindo a ceder. Assim, quanto maior o número de entidades a trabalhar no terreno, em articulação e cooperação, mais fácil se tornará a triagem dos casos e a resposta eficaz a dar aos mesmos.

A associação tem outros projetos em apreciação, quer no âmbito do apoio individualizado a vítimas de violência doméstica no distrito, quer no âmbito de outras áreas de intervenção incluídas no seu objecto social.
A Ideias Solidárias propôs-se a combater todas as formas de discriminação social e a auxiliar no processo de construção de uma sociedade mais justa e mais igualitária. Como tal está a estruturar projetos também ao nível da educação e da saúde comunitárias, a implementar em freguesias periurbanas de Viseu, e também na sua sede em Canas de Senhorim. O desafio é sempre o mesmo: o financiamento. Estamos a trabalhar no sentido de conseguir apresentar projetos viáveis social e financeiramente, que possam gerar um impacto social duradouro no nosso território.

Qual a constituição do vosso grupo e que modelo terapêutico seguem ?

O projeto (A)Corda surgiu da necessidade de criar um espaço terapêutico onde, em conjunto, as pessoas que vivenciam experiências de violência doméstica possam criar mecanismos de superação, através da Terapia Narrativa. Estes grupos, apesar de ainda não estarem muito difundidos em Portugal, assumem-se como uma resposta eficiente ao colocarem nas mãos dos intervenientes o poder de construir a melhor solução para cada situação, através da partilha de mecanismos, estratégias e experiências.
Necessariamente, tanto o técnico que facilita o grupo, como a Direcção da Associação, estão aptos a avaliar e gerir o risco associado à tentativa de rutura da relação violenta e a encaminhar para as repostas já instituídas.
O nosso objectivo não é forçar o aumento de denúncias, pelo menos não de forma desestruturada ou mal planificada, o que poderia duplicar o risco em que a pessoa se encontra.

Esperamos poder expandir o grupo “(A)Corda” para outras localidades, numa lógica de aproximação às populações do distrito de Viseu e de difusão das respostas onde elas se mostram necessárias. Gostaríamos que o próximo passo fosse iniciar este grupo terapêutico em Nelas. Aliás, o profissional de Psicologia que está a liderar o grupo – Dr. Marcelo Costa – é natural do concelho de Nelas.
Estamos a iniciar contactos no sentido de estabelecer possíveis parcerias que facilitem o funcionamento do projecto neste concelho.Cada grupo poderá funcionar com cerca de dez pessoas – homens e mulheres -, no sentido de facilitar a partilha e a fluidez das narrativas individuais.
O grupo não conhece limitações de género ou de idade. Reconhecemos que as famílias, apesar de serem a célula-base da sociedade, são também formadas de acordo com referenciais diferentes. Os nossos referenciais protetores não são um molde, ainda que nos custe a crer que nenhum filho será mal-tratante do seu pai na velhice, ou de que todos os casais funcionam de acordo com uma relação de respeito.

Que situações são consideradas violência doméstica e que casos já vos passaram pelas mãos?

O grupo está a ser formado e iniciou o seu funcionamento no inicio do presente mês de Abril, em Viseu. Logo nos primeiros dias, recebemos vários contactos de pessoas que viveram histórias terríveis de conjugalidade violenta. Mas a vergonha é o maior fator impeditivo para que as pessoas saiam de casa e partilhem as suas histórias. É preciso desmistificar a violência como algo raro ou que não pode acontecer a todos. Pode. E acontece. Há que mudá-lo, aos poucos…
Na nossa opinião, o crime de violência doméstica está bem tipificado. Abrange qualquer ato violento (físico, psicológico, financeiro), seja ou não reiterado, contra uma pessoa com a qual se viva uma relação de especial intimidade, não se exigindo o requisito da coabitação. O crime é público, numa lógica de responsabilização de toda a sociedade.
O maior problema é que a sociedade, não só a conjugal e familiar, está assente em referenciais violentos. O exercício de poder sobre o outro (mais fragilizado em razão do género, da idade, ou da situação económico-social) ainda é entendido como algo banal. As alterações legislativas nem sempre conseguem forçar as alterações de comportamento, principalmente quando estes comportamentos se processam dentro das nossas casas. Há muito a fazer, sim. Principalmente em termos educativos, quer em contexto formal – nas escolas – quer de modo informal, na educação das nossas crianças, jovens, e de todos os profissionais que acabam por lidar com estas situações de violência e de vitimação.

Eurodeputado João Ferreira de visita à Escola Agrária de Viseu

O eurodeputado João Ferreira, interessado pelas áreas ligadas ao setor primário, conhecedor dos assuntos do ensino superior e atento ao papel que a investigação científica pode ter no desenvolvimento agrícola, deslocou-se, no passado dia 3 de maio, à Escola Superior Agrária (ESAV) do Instituto Politécnico de Viseu (IPV).

Aqui, entre outros assuntos, debateram-se questões relativas às alterações ao Regulamento (CE) 1332/2008, tendo em conta o prejuízo que pode decorrer deste regulamento para a produção do Queijo Serra da Estrela, entre outros queijos DOP portugueses. A aprovação do referido regulamento limita a inclusão dos extratos de flor de cardo (Cynara cardunculus), que incluem um conjunto de cardosinas, na lista de enzimas alimentares autorizadas, pondo em causa a tradição e as características organoléticas, designadamente a textura, o sabor e a qualidade deste afamado queijo, um dos melhores queijos de montanha da Europa, o Serra da Estrela.

A biodiversidade do cardo, a tipicidade das pastagens e paisagens, a excelência das raças autóctones de ovinos “Serra da Estrela” e a preservação e valorização do saber empírico dos pastores e das queijeiras cujas mãos moldam as massas, são a marca do Queijo Serra da Estrela, produzidos na área geográfica definida pela DOP, onde se constitui como um dos pilares da sustentabilidade socioeconómica desta vasta região.

Foi também debatida a necessidade de se lutar, junto do Parlamento Europeu, contra o fim previsto dos direitos de plantação da vinha, cujas consequências podem ser desastrosas para a produção vitivinícola nacional, incluindo para a região do Dão, causa que sensibilizou também o eurodeputado João Ferreira para assumir o compromisso de defesa da produção vinícola da região e da promoção da diversidade de castas autóctones.

Na ESAV, o eurodeputado do PCP, visitou o Ovislab, infraestrutura criada no âmbito da execução do Programa Horizonte2020 (candidatura ICT 2013 05 004 5314 ID: 64757 CCDRC) e que resultou de uma pareceria da ESAV-IPV e do Departamento de Ciências da Saúde do Centro Regional das Beiras da Universidade Católica Portuguesa (DCS-UCP).

Houve igualmente oportunidade de debater a importância do trabalho desenvolvido pela ESAV-IPV na área da ovinicultura, instituição com localização de proximidade privilegiada com a região da Serra da Estrela e que possui uma elevada sensibilidade para a prática de investigação aplicada e para o desenvolvimento tecnológico de apoio à Ovinicultura; bem como a importância estratégica desta escola superior do IPV no desenvolvimento integrado do distrito e, particularmente, na dinamização do seu aparelho produtivo.

Outro dos assuntos prementes abordados foi a precariedade laboral imediata dos docentes e investigadores do ensino superior politécnico, dando-se particular ênfase à situação dos docentes/investigadores da ESAV, cuja renovação dos contratos de trabalho se encontra comprometida devido ao subfinanciamento sucessivo do IPV, sendo a maioria destes docentes já detentores de Doutoramento, ou em vias de o finalizar. Esta situação compromete para além do ensino de qualidade, a continuidade dos projetos de investigação da ESAV.

Foram ainda temas de destaque, a ausência de uma discriminação positiva das instituições do interior, como é caso do IPV, no que respeita ao financiamento, o que acentua ainda mais as dificuldades; sendo ainda alvo de reflexão o problema da incapacidade financeira das famílias e dos seus estudantes, cujo consequente abandono escolar se tem vindo a fazer sentir, com maior acuidade, nos últimos anos.

Esta visita permitiu que fossem abordados com o eurodeputado João Ferreira temas da maior importância e urgência para o ensino superior politécnico em Viseu, para os seus alunos e para a atividade agropecuária regional, com especial ênfase na ovinicultura e no Queijo da Serra da Estrela, sem esquecer o risco de abrandamento da investigação neste setor, devido à ameaça gerada pela continuação do subfinanciamento que impede a regular contratação dos docentes/investigadores da ESAV.

* Artigo redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Viseu, 10 de maio de 2016

Nevão corta estradas na Serra da Estrela

Os troços de acesso ao maciço central da Serra da Estrela estão, esta terça-feira de manhã, encerrados ao trânsito devido à queda de neve.

Os troços entre Piornos/Torre e Torre/Lagoa Comprida estão interditos à circulação automóvel desde as 08.15 horas, não havendo para já previsões quanto à reabertura, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro de Castelo Branco.

O Instituto do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê, para hoje, períodos de céu muito nublado, aguaceiros, que podem ser pontualmente fortes, de granizo e acompanhados de trovoada, em especial nas regiões centro e sul e possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela até ao final da manhã e para o final do dia.

Nove distritos do continente estão sob aviso amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, devido à previsão de chuva forte.

Politécnico de Viseu de braços bem abertos ao mundo

Mais de 180 participantes no Programa Erasmus+ em 2015/2016

O ano letivo 2015/2016 ficará na história da cooperação internacional do Instituto Politécnico de Viseu, pelo menos até ao momento, como o ano em que se registou o maior número global de participantes no programa Erasmus+.

No corrente ano académico são mais de 180 que terão o estatuto Erasmus+ no âmbito das atividades de cooperação do IPV.

Erasmus+ entrou definitivamente no funcionamento do Politécnico de Viseu como uma oportunidade única de conhecer uma cultura, um país e um sistema de ensino diferentes, e, também, como um elemento fundamental na internacionalização do ensino superior, criando dinâmicas e sinergias institucionais que o posicionam ao nível das organizações europeias.

No que respeita à mobilidade de estudantes, o IPV conta com 83 alunos a realizarem um período de mobilidade no espaço europeu (45 em período de estudo e 38 em estágio). Os alunos Erasmus+ portugueses escolheram como destino para estudar ou estagiar durante um semestre em 2015/2016 os seguintes países: Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Hungria, Itália, Letónia, Lituânia, Polónia, República Checa, Roménia, Reino Unido e Turquia.

O IPV foi também escolha de 74 estudantes europeus, provenientes de 10 países – Alemanha, Bélgica, Eslovénia, Espanha, Holanda, Hungria, Itália, Lituânia, Polónia e Turquia – para contarem na primeira pessoa a sua história Erasmus+.

Os objetivos do programa europeu passam necessariamente pelo investimento nas competências académicas e profissionais dos seus participantes, assim como na proficiência linguística, na integração sociocultural, e, acima de tudo, na consciencialização do estatuto de cidadãos europeus num espaço sem fronteiras com direitos e deveres inerentes a essa condição.

O Erasmus+ vai mais além. Envolve toda a comunidade académica, estudantes, docentes e não docentes, criando um universo transversal à vida internacional de uma instituição de ensino superior. Atualmente são 10 os docentes e não docentes do IPV que participam no programa Erasmus+ em destinos tão diferenciados como a Bélgica, Espanha, França, Lituânia, Reino Unido e Turquia.

Os professores das instituições europeias congéneres também escolhem o Instituto Politécnico de Viseu para realizarem as suas atividades Erasmus+. Serão previsivelmente 15 os docentes estrangeiros que estarão no IPV, vindos da Dinamarca, Espanha, Lituânia, Polónia e Turquia, para aqui desenvolverem uma missão de ensino. Além da Europa, releve-se o docente da Palestine Polytechnic University (Palestina) que visitou o IPV no âmbito da medida do programa Erasmus+, que permite a mobilidade de participantes fora do espaço europeu.

Para os públicos docente e não docente, o Erasmus+ pretende apoiar o desenvolvimento profissional daqueles que trabalham nas áreas da educação, com a finalidade de inovar e melhorar a qualidade do ensino em toda a Europa; aumentar as capacidades, o poder de atração e a dimensão internacional das organizações ativas nos domínios da educação, formação e juventude, para que estas possam oferecer atividades e programas que melhor respondam às necessidades dos indivíduos dentro e fora da Europa; reforçar as sinergias e as possibilidades de transição entre educação formal, não-formal, formação profissional, emprego e empreendedorismo.

Fora do programa Erasmus+, releve-se ainda o intercâmbio entre a Escola Superior de Saúde de Viseu e o Instituto Politécnico de Macau, que permitiu a mobilidade recentemente de 4 estudantes. De um lado do mundo para o outro, o IPV prevê receber brevemente estudantes provenientes do Brasil, ao abrigo de vários protolocos firmados entre o Instituto Politécnico de Viseu e universidades brasileiras.

Ser Erasmus+ entrou na gramática da Europa e no Instituto Politécnico de Viseu fala-se e ouve-se falar Erasmus+, para além de se privilegiar a mobilidade com países de outras regiões. A internacionalização faz parte do funcionamento do IPV, solidificando uma das suas atribuições enquanto instituição de ensino superior, a contribuição para a cooperação internacional e para a aproximação entre os povos.

Política de internacionalização do IPV

A política de internacionalização sustentada que a instituição de ensino superior viseense preconiza pode ser aferida no depoimento que a vice-Presidente do Instituto Politécnico de Viseu, e responsável institucional pelas Relações Externas, professora Paula Carvalho, nos concedeu:

“O Instituto Politécnico de Viseu (IPV) tem uma política para a internacionalização em várias dimensões: ensino, investigação e interação com a sociedade.

Assim, na área do ensino, o IPV intervém em programas de mobilidade (in-coming e out-going) de estudantes, professores e funcionários, e no recrutamento de estudantes internacionais. Esta vertente permite internacionalizar a oferta formativa divulgando-a em todos os continentes. Na investigação, a participação ativa dos docentes na publicação e apresentação de artigos em congressos internacionais permite a divulgação científica e projeta a atividade realizada neste domínio no Instituto além-fronteiras.

Na vertente de interação com a sociedade, o IPV coopera em atividades desportivas e culturais através de parcerias estratégicas de colaboração com instituições congéneres internacionais.

Reforçamos a importância da mobilidade na política de internacionalização. A aprovação do Estatuto do Estudante Internacional melhorou o processo de atração de mais estudantes estrangeiros e deu mais enfase à divulgação dos cursos ministrados. O Programa ERASMUS+ reforçou as mobilidades de estágio ou estudo e promoveu relações entre docentes de vários países com a possibilidade de conceção e implementação de projetos de interesse para os parceiros envolvidos.

O IPV tem estabelecido elevadíssimo número de protocolos com instituições de ensino superior. A rede de cooperação a nível internacional estende-se desde os estados membros da União Europeia, à Bósnia, Sérvia, Cazaquistão, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Brasil, Paraguai, Palestina e China – Macau. Neste âmbito, de realçar nos últimos tempos o interesse manifestado por várias universidades federais brasileiras em celebrar protocolos de cooperação com Viseu. Para além da cooperação já estabelecida e concretizada com a Escola Portuguesa de Macau, iniciámos, este ano académico, a mobilidade de estudantes de e para o Instituto Politécnico de Macau, na área da saúde.

O IPV pertence a várias redes de cooperação:

(i) a nível internacional, tais como, entre outras,

Pólo Universitário Transfronteiriço de Castela e Leão e da Região Centro de Portugal

Innovawood – Rede Europeia para a Indústria da Madeira

Enssee – Rede Europeia para as Ciências do Desporto, Educação e Emprego

Eurashe – Associação Europeia de Instituições no Ensino Superior

AULP – Associação de Universidades de Língua Portuguesa

EAIE – European Association for International Education;

(ii) a nível nacional, designadamente,

ERASMUSCENTRO, do qual recai no IPV, atualmente, a responsabilidade de coordenação.

A nível interno, os Serviços de Relações Externas são serviços de coordenação central e de apoio à estratégia de internacionalização do Instituto Politécnico de Viseu. Os coordenadores para a cooperação internacional asseguram, nas respetivas Escolas Superiores, a coordenação académica das atividades de apoio à estratégia de internacionalização e estabelecem a ligação fundamental entre o Serviço de Relações Externas e os membros da comunidade académica.

De forma a incrementar a cooperação estratégica, o IPV tem dinamizado a oferta quer de unidades curriculares nos cursos de primeiro e de segundo ciclos, quer de mestrados, em língua inglesa, fomentando a internacionalização do sistema. Neste sentido, o “Guia de Estudo” (Study Guide) institucional, que consigna toda a informação indispensável a estudar em Portugal, com enquadramento às cidades pelas quais se ramifica o IPV – Viseu e Lamego – já se encontra alojado no sítio do Instituto, em http://www.ipv.pt/guiaipv/ .

A nível nacional, o IPV pertence à comissão criada no CCISP de forma a melhor concretizar e articular a estratégia de internacionalização do ensino superior politécnico português.

A partilha de conhecimentos e de experiências entre instituições, com abertura para o bom acolhimento de novas culturas, contribuirá para o êxito da estratégia de internacionalização do ensino superior politécnico em Portugal!”.

This slideshow requires JavaScript.

Sandra Familiar

Serviços de Relações Externas – IPV

[email protected]

DETIDOS por presumível crime de roubo com arma de fogo em Nelas

A Directoria do Centro da Polícia Judiciária (PJ), anunciou hoje que identificou e deteve dois homens pela presumível autoria de um crime de roubo, praticado com arma de fogo, no passado mês de Novembro,em Nelas, de que foram vítimas um comerciante e um seu colaborador.

“Os suspeitos interpelaram as vítimas, propondo-lhes a venda de tabaco a baixo preço. Num encontro posterior, já com o dinheiro no bolso, as vítimas foram ameaçadas com uma arma de fogo e obrigados a entregar o montante que transportavam, sem que tenham recebido qualquer embalagem de tabaco”, refere a PJ em comunicado.

Nas diligências de prova realizadas, os agentes encontraram e apreenderam uma arma de fogo, que poderá ter sido a arma usada na prática do roubo.

Os detidos, de 28 e 58 anos de idade, foram presentes a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhes sido aplicado a medida de coacção de apresentações periódicas no posto policial da área das suas residências.

Seia : Homem condenado a 19 anos de prisão por homicídio da esposa

O homem acusado de matar a mulher num acidente rodoviário que terá simulado, em Seia, foi hoje condenado pelo tribunal da Guarda a 19 anos de prisão por crime de homicídio qualificado.

O caso remonta a 18 novembro de 2014 e o alegado acidente ocorreu na estrada de ligação Furtado – Sandomil, em Seia, na sequência de uma discussão sobre o relacionamento com a companheira Ana Rita, advogada, de 38 anos.

Segundo a acusação, o arguido, motivado por ciúmes, agrediu a companheira e, “com o intuito de provocar na vítima lesões compatíveis com a tese de acidente e que permitissem ocultar as lesões que lhe havia infligido voluntariamente, decidiu simular a ocorrência de um acidente de viação”.

É referido que, mantendo a vítima no interior do carro, “destravou-o, abriu os vidros das janelas das portas do lado do condutor e do pendura e empurrou o veículo pela ravina ali existente, aguardando que este capotasse ou se incendiasse”.

O tribunal de júri absolveu o homem, agora com 39 anos, da prática de sabotagem informática.

Durante o julgamento, a 25 de novembro, o homem tinha negado ter delineado um plano para matar a mulher.

Lusa

Oliveira do Hospital já investiu 236 mil euros no Incentivo à Natalidade beneficiando 213 crianças

O Município de Oliveira do Hospital (MOH) já investiu 236 mil euros no incentivo à natalidade beneficiando 213 crianças de 213 famílias. De acordo com o relatório de execução deste Programa Municipal, apresentado na última reunião da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal, a 31 de dezembro de 2015 existiam 213 crianças apoiadas pela prestação mensal do Incentivo à Natalidade provenientes de igual número de famílias.

De acordo com os dados apresentados é de registar a crescente subida do número de beneficiários deste programa municipal em 2015 relativamente ao total de 2014. Relativamente à localização, no ano transato, o maior número de crianças beneficiárias são naturais da União de Freguesias de Oliveira do Hospital, seguida pelas freguesias de Seixo da Beira e de Lagares da Beira.

O Programa Municipal de Incentivo à Natalidade, iniciado em 2013 pela Câmara Municipal é atribuído como subsídio mensal, a pagar a partir do mês seguinte ao do nascimento da criança prolongando-se até aos 36 meses de idade (3 anos).

Concretiza-se sob a forma de reembolso de despesas, efetuadas na área do Município de Oliveira do Hospital, com a aquisição de bens e de serviços considerados indispensáveis ao desenvolvimento saudável e harmonioso da criança.

Trata-se de uma medida de ação social direcionada a estimular e apoiar a natalidade mas também uma medida de apoio ao comércio local uma vez que as despesas consideradas para fins de subsídio têm de ser efetuadas no concelho. Relativamente às despesas efetuadas e que são apresentadas pelas famílias no âmbito do Programa de Incentivo à Natalidade continuam a prevalecer as despesas de farmácia, seguida pelos gastos com vacinas que não estão incluídas no Plano Nacional de Vacinação e pelas compras efetuadas em supermercado para aquisição de fraldas e artigos de higiene.

De realçar que tendo em conta esta obrigatoriedade de apenas serem passíveis de reembolso, as despesas feitas no comércio local de Oliveira do Hospital, significa que foram aplicados, desde o arranque do programa, cerca de 236 mil euros no comércio e serviços de Oliveira do Hospital.

Inovador, no contexto nacional, no que concerne à forma de apoio preconizada, o Programa Municipal de Incentivo à Natalidade obteve reconhecimento por parte do INTEC – Instituto de Tecnologia Comportamental que atribuiu ao MOH uma menção honrosa no domínio “Social” no âmbito do Prémio “Melhores Municípios para Viver”.

Na última reunião do CLAS – Conselho Local de Ação Social foi também solicitado um maior envolvimento das IPSS na divulgação do Programa junto de todas as famílias da sua área de influência.

José Francisco Rolo, vice-presidente da Câmara Municipal e vereador do pelouro da Ação Social refere, “o Programa é uma medida de Política de Apoio às Famílias que tem sido muito bem aproveitada pelas famílias, e é muito útil para os recém-nascidos e crianças até aos três anos, pelo que deve chegar a todos, e todas as famílias se devem candidatar ao incentivo”.

Fonte : CM de Oliveira do Hospital

Mau tempo está a provocar acidentes graves por toda a região …

… como este na A25, em que um despiste levou ao capotamento de uma viatura ligeira de passageiros, ao Km 34, no sentido Viseu-Aveiro.

Estradas muito escorregadias, com muito óleo e combustíveis derramados, estão a colocar em perigo os automobilistas, um pouco por toda a região, com diversos acidentes, dos quais não há feridos graves a registar para já.

Cuidadão promove a limpeza das margens do rio Dão na praia fluvial de Papízios

É com orgulho que a CuidaDão anuncia que vai realizar a terceira limpeza das margens do rio Dão deste ano, no dia 14 de Maio, na área belíssima da Praia Fluvial de Papízios, Freguesia de Carregal do Sal.

As duas primeiras limpezas organizadas pela CuidaDão, nos dias 20 de fevereiro e 13 de Março, inspiraram alguns participantes da zona de Santa Comba Dão a organizar esta terceira limpeza. A metodologia é fácil de replicar e, tal como nas duas primeiras limpezas, as autarquias e associações da área estão a apoiar o evento, oferecendo um almoço aos participantes e ajudando na sua divulgação.

A organização convida todos os cidadãos a participar nesta limpeza que vai acontecer entre as 10 e as 13h e que será seguida de um almoço ao ar livre.

As limpezas da CuidaDão estão focados na recolha do lixo presente nas margens do rio. As inundações deste inverno não só deixaram um rasto de destruição ao longo das margens do rio, como também grandes quantidades de lixo: sacos plásticos, garrafas, pneus de automóvel e outros objectos estão pendurados nas árvores, cobrindo as “praias” e estragando vários lugares deste ambiente natural.

Se forem aí deixados, continuarão a poluir o ecossistema do rio, podendo acabar no Atlântico, visto que o Dão desagua no Mondego que por sua vez termina no oceano.

É sabido que 80% do plástico encontrado nos oceanos provém de terra e que milhões de aves marinhas e mamíferos morrem todos os anos asfixiados, por o ingerirem.

Durante a última limpeza, ao longo de dois kms. do Rio Dão, na Freguesia de Fragosela, o lixo que foi apanhado pelos participantes ficou registado por peça numa ‘folha de recolha’. Isso tornou possível fazer uma estimativa da quantidade de lixo que pode ser encontrado ao longo das margens (100 Km) do rio Dão:

  • 300 sacos plásticos recolhidos numa área de dois quilómetros significa que, cerca de 30,000 podem ser encontrados nas margens deste rio. 70 embalagens em dois quilómetros correspondem a 7.000 ao longo de todo o comprimento do Dão.
  • 840 peças de 10 diferentes tipos de lixo, apanhadas durante esta limpeza, permitem imaginar que teria sido possível recolher até 85.000, nas margens do rio Dão, no passado mês de Março. Estes números são uma prova clara da dimensão do problema, considerando que o Dão é apenas um dos vinte e tal rios que atravessam Portugal e desaguam no Atlântico.

No imediato, a CuidaDão espera poder envolver o maior número possível de cidadãos na limpeza do Dão. No futuro, esta iniciativa de cidadãos quer também abordar as causas de tanto lixo no rio.

CuidaDão

Inscrições para Limpeza das margens do rio Dão na área da praia fluvial de Papízios: TM  965151136

13180937_10209168632479045_1026350120_n

As duas primeiras limpezas organizadas pela CuidaDão nos dias 20 de fevereiro e 13 de Março inspiraram alguns participantes da zona de Santa Comba Dão a organizar esta terceira limpeza. A metodologia é fácil de replicar e, tal como nas duas primeiras limpezas, as autarquias e associações da área estão a apoiar o evento, oferecendo um almoço aos participantes e ajudando na sua divulgação.

A organização convida todos os cidadãos a participar nesta limpeza que vai acontecer entre as 10 e as 13h e que será seguida de um almoço ao ar livre.

As limpezas da CuidaDão estão focados na recolha do lixo presente nas margens do rio. As inundações deste inverno não só deixaram um rasto de destruição ao longo das margens do rio, como também grandes quantidades de lixo: sacos plásticos, garrafas, pneus de automóvel e outros objectos estão pendurados nas árvores, cobrindo as “praias” e estragando vários lugares deste ambiente natural.

Se forem aí deixados, continuarão a poluir o ecossistema do rio, podendo acabar no Atlântico visto que o Dão desagua no Mondego que por sua vez termina no oceano.

É sabido que 80% do plástico encontrado nos oceanos provém de terra e que milhões de aves marinhas e mamíferos morrem todos os anos asfixiados, por o ingerirem.

Durante a última limpeza, ao longo de dois kms do Rio Dão, na Freguesia de Fragosela, o lixo que foi apanhado pelos participantes ficou registado por peça numa ‘folha de recolha’. Isso tornou possível fazer uma estimativa da quantidade de lixo que pode ser encontrado ao longo das margens (100 Km) do rio Dão:

300 sacos plásticos recolhidos numa área de dois quilómetros significa que, cerca de 30,000 podem ser encontrados nas margens deste rio. 70 embalagens em dois quilómetros correspondem a 7.000 ao longo de todo o comprimento do Dão.

As 840 peças de 10 diferentes tipos de lixo, apanhadas durante esta limpeza, permitem-nos imaginar que teria sido possível recolher até 85.000, nas margens do rio Dão, no passado mês de Março. Estes números são uma prova clara da dimensão do problema, considerando que o Dão é apenas um dos vinte e tal rios que atravessam Portugal e desaguam no Atlântico.

No imediato, a CuidaDão espera poder envolver o maior número possível de cidadãos na limpeza do Dão. No futuro, esta iniciativa de cidadãos quer também abordar as causas de tanto lixo no rio.

.

CuidaDão

Inscrições para Limpeza das margens do rio Dão na área da praia fluvial de Papízios: TM  965151136

Operação “Baco” arrancou hoje

Operação “Baco”

A Guarda Nacional Republicana (GNR) intensifica, durante todo o fim de semana (7 e 8 de maio), a fiscalização da condução sob influência de álcool e de substâncias psicotrópicas.

As ações de fiscalização serão direcionadas para as vias onde as infrações por excesso de álcool são mais frequentes e dão origem a um risco acrescido de acidentes de viação, sobretudo estradas nacionais, regionais e municipais de acesso a estabelecimentos de diversão noturna.

A redução dos índices de sinistralidade rodoviária continua a ser uma prioridade para a GNR, estando planeadas para este ano diversas operações nacionais, dirigidas em específico para as três principais fatores de agravamento de sinistralidade rodoviária: condução sob o efeito do álcool, excesso de velocidade e incorreta ou não utilização dos cintos de segurança.

Cannabis apreendido e homem de 40 anos detido

Militares do Posto Territorial de Resende aprenderam ontem, dia 5 de maio, no concelho de Resende, 2,38 quilos de cannabis folha e detiveram um homem com 40 anos.

A detenção ocorreu na sequência da identificação do filho do detido, que tinha em sua posse três doses de cannabis, e que motivou uma busca à sua residência onde foram detetados e apreendidos 2,38 quilos de cannabis sativa em folha.

O suspeito está neste momento a ser presente a tribunal.

Operação “Peregrinação Segura” da GNR atua na segurança aos peregrinos

Operação “Peregrinação Segura”
No âmbito das celebrações do 99.º Aniversário das Aparições de Fátima, a Guarda Nacional Republicana (GNR) reforça, desde o dia de hoje e até ao próximo dia 13 de maio, a ações de patrulhamento nas principais vias de acesso à cidade de Fátima e respetivo santuário, com o objetivo de garantir a segurança dos peregrinos durante as deslocações e nas celebrações religiosas.

Na primeira fase da operação, as ações de patrulhamento serão orientadas para as vias utilizadas pelos peregrinos no deslocamento até Fátima. Durante os trajetos a GNR aconselha aos peregrinos:

·         Informar a GNR, através do preenchimento de um questionário emhttps://goo.gl/k79b6Z ou através do posto mais próximo, sobre:

ü  Dia/hora/local de partida/chegada;

ü  Percursos utilizados;

ü  Número de pessoas que constituem o grupo;

·         Preparar a viagem com a devida antecedência;

·         Planear os locais de paragem (refeições/dormidas/descanso);

·         Andar em fila indiana e sinalizar o início e o fim do grupo;

·         Caminhar sempre na berma contrária ao sentido do trânsito;

·         Não andar em locais onde seja proibida a circulação de peões;

·         Usar sempre, quer de dia quer de noite, coletes refletores;

·         Se for preciso reunir o grupo, fazê-lo sempre fora da estrada;

·         Não andar sozinho(a) durante a noite;

·         Tomar especiais cuidados ao atravessar as vias.

 

A segunda fase desta operação incidirá na cidade de Fátima, com particular atenção ao santuário e zona envolvente. Relativamente a esta fase, será realizada uma conferência de imprensa no dia 11 de maio, pelas 10:30 horas, no Posto da GNR de Fátima, onde serão divulgadas as medidas de segurança que vão ser implementadas durante as celebrações.