Neve na Serra da Estrela (com vídeo)

Uma redução de até 10 graus nos termómetros, com a chuva e neve a regressarem, está a marcar a meteologia em Portugal, e na região da Serra da Estrela.

Um manto de neve cobre a Torre, desde ontem, 9 de maio, descendo até aos 1400 metros de altitude. Registo de temperaturas negativas.

 

 

Canas de Senhorim: Germina um Movimento independente rumo às Autárquicas

Este fim de semana, muitos Canenses decidiram iniciar, recorrendo à poderosa ferramenta chamada IMAGEM, a promoção, lançamento da semente, de um Movimento independente, que poderá, entre outras intervenções cívicas, ser a base de uma candidatura à junta de freguesia de Canas de Senhorim, nas próximas autárquicas.

Surpreendeu muitos, ou talvez não. Figuras de várias quadrantes da sociedade Canense, decidiram desde ontem, 8 de maio, publicar nas suas páginas nas redes sociais a sua fotografia, com camisa branca. Simplesmente isto. Mudar a foto de perfil no Facebook, para uma pose, digamos que mais institucional, e todos com a referida indumentária branca. A cor da paz, portanto, a chancelar uma eventual candidatura autárquica, que muitos dos seus amigos e seguidores não deixaram de comentar, exultando a mesma.

Encontramos desde empresários do setor da restauração, a músicos, engenheiros, bombeiros, aposentados da banca, figuras proeminentes do Movimento pela Restauração do Concelho de Canas, de todas as idades, profissões e com grande intervenção cívica, na cultura, no desporto, no associativismo. Têm grande visibilidade, mas não são mediáticos através da política. Se há, para já, um elo que os une, é que vêm da sociedade civil, sem passado político, pelo menos na larga maioria dos casos. Se se vier a concretizar esta candidatura, é para muitos já considerada uma  lufada de ar fresco. Um destes Canenses, por nós contactado, apenas nos referiu serem “independentes” e estar para “breve” o anúncio do Movimento e dos seus membros. Esperamos assim, em breve, ter novidades.

José Miguel Silva

CONTEÚDO com opinião

 

Covid-19.Beira Alta tem cinco concelhos nos sete com maior incidência

Arganil é o município de Portugal que regista maior incidência de infeções pelo Sars-Cov2, na avaliação feita pelo Governo, na passada quinta-feira, 6 de maio.

Logo a seguir, e integrando um conjunto de seis municípios, temos, por ordem de incidência, Cabeceiras de Basto, Lamego, Oliveira do Hospital, Resende, Tábua e Odemira.

Todos estes concelho estão com nível de novos casos acumulados acima de 240 por 100 mil habitantes.

O autarca de Arganil já espera “um passo atrás no desconfinamento na próxima semana”, como referiu à TSF.

Desapareceu ontem, 7 de maio, e reside em Santa Comba Dão

Encontra-se desaparecido, desde as 18h30 do dia 07 de maio, o Sr. Joaquim Borges Ferreira, de 81 anos de idade, residente em Fontainhas – Santa Comba Dão.
Na altura do desaparecimento envergava boina escura, casaco escuro e calças de ganga azuis.
Pede-se a quem tenha informações sobre o seu paradeiro que entre em contacto com o Posto Territorial da GNR de Santa Comba Dão, através do número 232 880 250.

Viseu.”Capitão de Abril” morre aos 75 anos

A família do Coronel Arnaldo Carvalhais da Silveira Costeira comunica o seu falecimento, aos 75 anos de idade, ocorrido ao início da manhã deste sábado, 8 de Maio de 2021. O desenlace decorreu após um longo combate a um quadro de doença prolongada, que se agravou ao longo da última semana, tendo partido de forma serena na sua residência, rodeado dos seus familiares mais próximos.

Nascido em Lamego a 20 de abril de 1946, coronel do Exército Português na reforma, Arnaldo Carvalhais Costeira foi Capitão do Movimento das Forças Armadas, contribuindo decisivamente aos comandos da força militar, que saiu na madrugada de 25 de Abril de 1974, do Regimento de Infantaria 14 de Viseu. Da sua participação nesse momento marcante da história recente de Portugal, escreveu e publicou o livro “Eu, Capitão de Abril me confesso” onde deixa perpetuada a descrição dos acontecimentos que antecederam o movimento dos capitães, todos os detalhes das operações no terreno e importantes testemunhos dos meses que se seguiram ao derrube do regime. Foi ainda Comandante do Regimento de Infantaria 14 de 1993 a 1996.

Foi condecorado, por S. Exa. o Senhor Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em 26 de fevereiro último, com a Ordem da Liberdade – grau de Grande-Oficial, que considerou “uma justiça ainda não cabalmente prestada” aos capitães de abril.

Espírita convicto, dedicou-se integralmente à direção da Associação Social Cultural Espiritualista de Viseu (ASCE Viseu, IPSS), importante instituição particular de solidariedade social da região, sendo um dos seus cofundadores e à qual presidia desde a sua criação, em 1977, onde desenvolveu profícua atividade social e de divulgação de mensagem espiritualizante.

Conforme a sua vontade, o corpo será velado, a partir das 15h, nas instalações da sede da ASCE, onde serão prestadas as últimas homenagens, salvaguardadas e cumpridas todas as normas impostas pelo combate à COVID-19.

O funeral será domingo, pelas 15h, no cemitério de Pindo e está reservado à família e amigos próximos por causa da pandemia.

Balanço operações GNR: 317 detidos em flagrante delito

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de operações, em todo o território nacional, entre os dias 30 de abril e 6 de maio, que visaram, não só, a prevenção e o combate à criminalidade e à sinistralidade rodoviária, como também a fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional, registando-se os seguintes dados operacionais: 

1.    Detenções317 detidos em flagrante delito, destacando-se:

·         103 por condução sob o efeito do álcool;

·         97 por condução sem habilitação legal;

·         18 por tráfico de estupefacientes;

·         16 por desobediência;

·         5 por violência doméstica;

·         4 por furto.

 

2.    Apreensões:

·         167,9 doses de haxixe;

·         103 comprimidos de anfetaminas;

·         73,3 doses de heroína;

·         37,8 doses de liamba;

·         12 doses de cocaína;

·         8 veículos. 

 

3.    Trânsito:

Fiscalização8 536 infrações detetadas, destacando-se:

·         5 370 excessos de velocidade;

·         688 por falta de inspeção periódica obrigatória;

·         355 relacionadas com anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização;

·         354 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;

·         348 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;

·         345 por falta de seguro de responsabilidade civil;

·         338 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;

·         268 relacionadas com tacógrafos.

Videovigilância para a prevenção de Incêndios vai arrancar em Nelas,Carregal do Sal e Mangualde

Ontem, 7 de maio, no âmbito da primeira fase de implementação do Sistema Integrado de Videovigilância para a Prevenção de Incêndios Florestais na Região de Viseu Dão Lafões e Coimbra, a Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões realizou uma visita aos dois Centros de Gestão e Controle e a uma das três Torres de Acompanhamento Remoto (TAR) já instaladas no território. 

Este sistema, que representa um investimento global de mais de 3,7 milhões de euros, prevê a instalação de trinta e sete (TAR), dezassete das quais em Viseu Dão Lafões, proporcionando uma cobertura de 85% do território afeto à CIM.

Na Região Viseu Dão Lafões já se encontram em operação os dois Centros de Gestão e Controlo agora visitados, estando um localizado no Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Viseu e o outro no Comando Territorial da GNR de Viseu. Estando prevista a instalação de mais dezasseis Centros de Monotorização Remota, com a seguinte distribuição: catorze nos municípios que integram a CIM; um no edifício sede da CIM; e outro no veículo de comando afeto ao CDOS Viseu.

Desde abril, encontram-se em funcionamento as três primeiras TAR (localizadas nos concelhos de Tondela, Viseu e Vouzela), sendo expectável o início da operação de mais três até ao final do mês de agosto ( nos concelhos de Carregal do Sal, Mangualde, Nelas). Assim, durante o próximo período crítico de incêndios rurais estarão ao serviço um total de seis TAR, em todo o território.

De referir que este sistema conta com uma rede de comunicações dedicada, via rádio, e garante a interoperabilidade com os Sistemas de Acompanhamento e Apoio à Decisão já instalados e em operação em outras regiões.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes, “Este projeto que agora inicia a sua operação, irá contribuir, já este verão, para a deteção precoce de incêndios florestais e para uma melhor definição das estratégias de combate e apoio à decisão. Estando plenamente alinhado com as políticas de proteção civil e de defesa da floresta contra incêndios rurais, que a CIM preconiza para o território, esta ferramenta afirma-se como uma mais-valia para a proteção das populações e um investimento com um impacto direto na economia ligada à fileira florestal.” 

Referiu, ainda, o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões ”que este projeto está alinhado, estrategicamente, com outros projetos que têm sido desenvolvidos pela CIM, como seja, a titulo de exemplo, a plataforma de emergência e proteção civil intermunicipal, assim como, também, a criação do Gabinete técnico Florestal Intermunicipal e das brigadas de sapadores florestais e, ainda, mais recentemente, o desenvolvimento do projeto europeu LIFE, “Landscape Fire”, com uma componente forte de silvo pastorícia e de capacitação dos agentes de proteção civil do território.”

A visita contou com a presença do Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes; dos Vice-Presidentes da CIM Viseu Dão Lafões, Elísio Oliveira e Paulo Almeida; do Presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil de Viseu, Vítor Figueiredo; do Vice-Presidente da CM Viseu, João Paulo Gouveia; e do Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho.

 

Câmara de Nelas pretende investir 9 milhões em habitação

São 121 famílias, que constituem pelo menos 281 pessoas, a viver em casa sem condições, 15 pelo menos nas suas habitações em várias localidades do Concelho, 27 em núcleos precários e 28 com carências várias de alojamento condigno. A esta realidade acresce a necessidade de construção ou reabilitação de pelo menos 50 habitações, numa fase inicial, para fixar e atrair jovens casais, com idades entre os 20 e os 34 anos preferencialmente.

Para resolver o problema, a Câmara de Nelas vai discutir e votar na próxima reunião de Câmara da próxima quarta feira, a Estratégia Local de Habitação gizada pelo Executivo e pelo Presidente da Câmara Municipal.

Prevê-se um investimento de quase 9 milhões de euros nos próximos quatro anos com o apoio estatal do “1º Direito” – Programa de Apoio ao Acesso à Habitação (Decreto Lei 37/2018, de 4 de Junho e Portaria 230/2018 de 17 de Agosto), bem como no acesso ao Programa de Habitação a Custos Controlados.

A ideia destes Programas é, nos 50 anos do 25 de Abril – em 2024 – não ter ninguém em Portugal, a viver em habitação que não seja digna. A Câmara de Nelas já fez o seu diagnóstico e tem tudo pronto para submeter a candidatura, assim a mesma seja aprovada em reunião de Câmara e na Assembleia Municipal a realizar logo de seguida.

A par destes Projetos e Candidatura, a Câmara de Nelas vai começar em breve as obras de requalificação de todas as 47 habitações sociais já existentes (Figueira Velha, Bairro Dr, Augusto Rosado, Póvoa de Luzianes, Fiais e Canas de Senhorim), no âmbito de uma Candidatura de eficiência energética aprovada no Centro 2020, no valor de 450,000€.

A Câmara, no âmbito da Estratégia Local de Habitação e Construção de Habitação a Custos Controlados, vem adquirindo já terrenos junto à conhecida Quinta dos Bigote (e ao arruamento que dá acesso ao Novo Quartel  dos Bombeiros de Nelas) para resolução do problema de habitação indigna dos núcleos precários, negociando terrenos junto ao Bairro de Santa Luzia para construção de apartamentos não destinados a residentes em núcleos precários ou acampamentos e disponibilizando ainda imóveis seus para reabilitação para esse fim (por exemplo no antigo Edifício da EDP, no Folhadal junto à Igreja da Sra. da Tosse e em Vila Ruiva).

Celebrou ainda o Presidente da Câmara um contrato promessa de compra e venda com a empresa proprietária de um Lote de terreno no Pomar em Nelas, com um edifício em construção (parada há mais de 20 anos), destinada á sua conclusão para acabamento de 11 apartamentos, a ceder no âmbito da Estratégia Local de Habitação com venda ou arrendamento a preços controlados (conforme Portaria 65/2019, de 19 de fevereiro e pelos valores de referência aí fixados e que no caso de Nelas para um T2 pode situar-se o preço entre os 50 e os 60 mil euros) a jovens casais que se queiram fixar ou instalar no Concelho de Nelas, podendo constituir esses parte das 50 habitações que se pretendem construir destinadas a este fim nos próximos 4 anos. Do contrato consta, não só que o prédio não se destina a famílias atualmente residentes em núcleos precários ou acampamentos, como que o mesmo contrato ficará sem efeito se o Estado não vier a apoiar a compra e o acabamento do prédio para o referido fim. A Câmara não pagou qualquer quantia a titulo de sinal ou preço (estabelecido em 200 mil euros por avaliação efetuada pelos Serviços Técnicos da Câmara), e não será obrigada a pagar qualquer indemnização se o contrato ficar sem efeito, estando tal no mesmo contrato expressamente previsto.

A Estratégia e os Projetos e Ações estão em curso, havendo já noticias de uma comparticipação estatal que pode chegar aos 100% no PRR (Plano de Recuperação e Resiliência). Por isso mesmo seria imperdoável a Câmara de Nelas perder esta oportunidade para resolver o problema destas famílias e destas pessoas e promover um futuro com mais habitação, mais dignidade e conforto na habitação e mais jovens com casa para a comprar ou arrendar a preços acessíveis no nosso Concelho.

O “TRABALHO DE CASA”, para resolver um problema de décadas e que constitui um dos principais desafios e prioridades dos próximos 4 anos para o progresso, desenvolvimento e modernização do Município e bem-estar das suas populações e famílias, ESTÁ FEITO!

Nota de Imprensa da CM de Nelas

Corte de água em Canas de Senhorim e Lapa do Lobo

Dr. José Borges da Silva, Presidente da Câmara Municipal de Nelas, TORNA PÚBLICO que o abastecimento de água pública vai estar condicionado, com eventuais cortes no abastecimento, nas freguesias de Canas de Senhorim e Lapa do Lobo devido à necessidade de intervenção do reservatório de Urgeiriça/Canas de Senhorim para operações de manutenção a partir das 21h30min até às 24h00 min do dia 10 de maio de 2021.

Para constar e para os devidos efeitos se publica o presente EDITAL e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares públicos do costume.

Paços do Concelho, 07 de maio de 2021

O Presidente de Câmara,

Dr. José Borges da Silva

 

IPMA: Chuva, frio e neve esperados no domingo

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a chuva e o frio, regressam a Portugal continental já a partir de domingo. Neve na Serra da Estrela também é esperada.

Noite frias para hoje, sexta feira e amanhã, sábado e no domingo, o IPMA espera períodos de céu muito nublado com chuva e possibilidade de aguaceiros, fracos e pouco frequentes no Sul. Até ao final da tarde, prevê-se também a ocorrência de trovoada.

No final do dia de domingo, o IPMA alerta também para a possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela.

Na segunda-feira, o céu deverá continuar nublado, prevendo-se ocorrência de aguaceiros, mais intensos nas regiões Norte e Centro.

Problemas da habitação social em Mangualde começam a ser resolvidos

Após um trabalho consistente junto das famílias que foram contempladas pelo concurso de Habitação de Arrendamento Acessível em Mangualde, o Mangual em Movimento, em articulação com a Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda, soube que a própria Diretora de Gestão do Norte do IHRU, Ana Cruz, com o Vogal do Conselho Diretivo do IHRU, Luís Gonçalves, se dirigiram ao complexo habitacional para atestar, in loco, a veracidade das queixas e das reclamações dos moradores/moradoras, para além dos comunicados do Bloco de Esquerda e das intervenções parlamentares a que estas queixas e reclamações deram origem, nomeadamente pela deputada Maria Manuel Rola.

É de destacar que esta visita institucional do topo hierárquico do IHRU é precedida da saída de duas famílias que habitavam os apartamentos. Uma das casas entregues continua sem condições de habitabilidade, com infiltrações de água que inviabilizam divisões inteiras devido à acumulação de humidade. Apesar das várias intervenções, ainda há problemas estruturais por resolver, como é o caso da eficiência energética da falta de soluções de climatização e do sistema de aquecimento de água pensado para o uso de painéis solares, sem que estes existam, tendo como consequência o consumo excessivo de eletricidade.

A visita teve ainda como consequência a disponibilidade – da parte do instituto – para a mudança de apartamento, de um primeiro andar para um rés-do-chão, de uma moradora com mobilidade reduzida. Cá estaremos para verificar se a promessa é cumprida.

Esta visita constitui a prova de que é possível, trabalhando-se em conjunto e em proximidade, tendo em vista a resolução dos problemas concretos dos e das mangualdenses – principalmente dos que aparentemente “não têm voz” e/ou poder -, obterem-se resultados que mudem realmente o estado de coisas em prol da(s) comunidade(s) e das suas necessidades sociais.

A visita da Diretora de Gestão do Norte do IHRU é resultado do trabalho do Mangual em Movimento em conjunto com o Bloco de Esquerda, mas não deixa de ser, também, o prenúncio de uma nova fase que esperamos ver agora começar. E que agora se possam começar a resolver, paulatinamente mas sem adiamentos incompreensíveis, os problemas estruturais associados aos prédios em causa, bem como os problemas organizacionais e institucionais que produziram uma sensação de distanciamento, e, mesmo, de alienamento, entre os moradores e a tutela do IHRU – o que, por sua vez, criou sérios obstáculos à boa e necessária comunicação entre uns e outros com vista à resolução dos problemas emergentes das famílias.

Da parte do Mangual em Movimento, e da distrital de Viseu do Bloco de Esquerda, mantém-se o compromisso de acompanhar a execução de programas de habitação pública como o que ocorre em Mangualde, desejando a rápida resolução dos problemas em falta para que a totalidade das habitações possa ser ocupada, assim como o avanço da requalificação dos blocos devolutos anexos Sendo a habitação social, nomeadamente pública, um dos eixos da nossa intervenção política, podem sempre contar connosco como uma força social e política com vista à efetivação de um direito constitucionalizado.

Mangualde, 6 de maio de 2021

A Comissão Coordenadora Distrital de Viseu

Carregal do Sal está a ser alvo de “perseguição” pelos governantes

O executivo municipal de Carregal do Sal vem por este meio e de forma veemente censurar a perseguição de que o concelho está a ser alvo pelos governantes deste país. 
Com uma situação pandémica controlada, casos isolados e identificados e um valor global reportado ao dia de ontem de 119 casos por 100 000 habitantes (temos de momento 10 casos ativos) não foram suficientes para avançar no processo de desconfinamento.
Como é possível explicar aos munícipes que Carregal do Sal com os valores anteriormente identificados continue paralisado no processo de desconfinamento e por todo o país e à sua beira, concelhos vizinhos com incidências de 563, 296 ou 238 casos por 100 000 habitantes, por exemplo, estejam na situação de alerta, mas usufruindo na prática das vantagens do desconfinamento.
É simplesmente lamentável que se queiram decepar os pequenos concelhos do interior, com situações absurdas com esta vivida por Carregal do Sal. A perseguição ao nosso concelho é evidente e toma proporções catastróficas. Querem matar o tecido comercial do nosso concelho? Ou o que querem afinal?
A pacificidade das gentes da Beira começa a esfumar-se. A atrocidade com que nos querem afrontar, amordaçando e fragilizando o já de si frágil, extravasa o sentido do razoável.
Carregalenses, esqueçam as colorações políticas. Unamo-nos!
Carregal do Sal pede justiça IMEDIATA!
Comunicado da Câmara Municipal de Carregal do Sal

Carregal do Sal não avança no desconfinamento

Apenas cinco dos 278 concelhos de Portugal Continental ficam de fora das regras da fase mais recente do desconfinamento após a revisão semanal da situação epidemiológica a nível municipal, anunciou esta quinta-feira o Governo.

Face à anterior avaliação, apenas o concelho de Cabeceiras de Basto recua para as regras de 19 de abril, ou seja as da terceira fase.

Já as duas freguesias de Odemira (São Teotónio e Longueira/Almograve) mantêm-se na primeira fase.

Carregal do Sal e Resende permanecem na segunda fase do desconfinamento, enquanto Paredes continua na terceira fase.

Portimão sai da primeira fase e fica com as regras aplicáveis à generalidade do país, enquanto Aljezur sai da segunda para a quarta fase e Miranda do Douro e Valongo sobem da terceira para a quarta fase.

Assim, apenas as duas freguesias de Odemira estão sujeitas às restrições mais apertadas, que se aplicavam a 15 de março, enquanto Carregal do Sal e Resende estão no patamar seguinte e Cabeceiras de Basto e Paredes seguem as regras de 19 de abril.

  • No concelho de Odemira, concretamente nas freguesias de São Teotónio e Longueira/Almograve, aplica-se as regras que vigoraram na primeira fase do desconfinamento – a 15 de março:
    • Cerca sanitária nas freguesias de São Teotónio e Longueira/Almograve
    •  Encerramento de:
      • Esplanadas;
      • Lojas até 200 m2 com porta para a rua;
      • Ginásios;
      • Museus, monumentos, palácios, galerias de arte e similares.
    • Proibição de:
      • Feiras e mercados não alimentares;
      • Modalidades desportivas de baixo risco;
    • Permite-se o funcionamento de:
      • Comércio ao postigo;
      • Comércio automóvel e mediação imobiliário;
      • Salões de cabeleireiros, manicures e similares, após marcação prévia;
      • Estabelecimentos de comércio de livros e suportes musicais;
      • Parques, jardins, espaços verdes e espaços de lazer;
      • Bibliotecas e arquivos;
  • Nos concelhos de Carregal do Sal e Resende, aplicam-se as regras do dia 5 de abril. Assim:
    • Permite-se:
      • Funcionamento de lojas até 200 m2 com porta para a rua;
      • Feiras e mercados não alimentares (por decisão municipal)
      • Funcionamento de esplanadas (com a limitação máxima de 4 pessoas por mesa) até às 22h30 nos dias de semana e até às 13h aos fins de semana;
      • Prática de modalidades desportivas consideradas de baixo risco;
      • Atividade física ao ar livre até 4 pessoas e ginásios sem aulas de grupo;
      • Funcionamento de ginásios sem aulas de grupo;
      • Funcionamento de equipamentos sociais na área da deficiência.
  • Nos concelhos de Cabeceiras de Basto e Paredes, aplicam-se as medidas correspondentes ao dia 19 de abril:
    • Permite-se a abertura de:
      • Todas as lojas e centros comerciais;
      • Restaurantes, cafés e pastelarias (com o máximo 4 pessoas por mesa no interior ou 6 por mesa em esplanadas), até às 22h30 nos dias de semana ou 13h nos fins-de-semana e feriados;
      • Cinemas, teatros, auditórios, salas de espetáculos;
      • Lojas de cidadão com atendimento presencial por marcação.
    • Autoriza-se a prática de:
      • Modalidades desportivas de médio risco;
      • Atividade física ao ar livre até 6 pessoas;
      • Realização de eventos exteriores com diminuição de lotação (5 pessoas por 100 m ²);
      • Casamentos e batizados com 25% de lotação.

Há 23 concelhos em alerta

A ministra da presidência indicou que quanto aos concelhos que se encontram em alerta, ou seja com mais de 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, 17 mantiveram-se, nove baixaram desse patamar e outros seis entraram para este intervalo de incidência.

Contas feitas, há agora 23 municípios em situação de alerta.

Veja quais são:
Alpiarça
Alvaiázere
Arganil
Beja
Castelo de Paiva
Coruche
Fafe
Figueiró dos Vinhos
Fornos de Algodres
Golegã
Lagos
Lamego
Melgaço
Oliveira do Hospital
Paços de Ferreira
Penafiel
Peniche
Ponte da Barca
Ponte de Lima
Santa Comba Dão
Tábua
Vale de Cambra
Vidigueira

GNR recupera material roubado

O Comando Territorial de Viseu, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Viseu, ontem, dia 5 de maio, identificou um homem de 42 anos por furto, no concelho de São Pedro do Sul.

No âmbito de uma investigação de furto de mobiliário de uma unidade hoteleira que teve início em dezembro do ano passado, os militares da Guarda deram cumprimento a quatro mandados de busca, duas domiciliária e duas em veículos, que culminaram com a recuperação do material furtado.

O material recuperado foi entregue aos legítimos proprietários.

O suspeito foi constituído arguido, e os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial de São Pedro do Sul.

“Movimento Solidário” em apoio aos Bombeiros de Carregal do Sal

Dando seguimento à iniciativa impulsionada pela Sra. Dona Paula Marques, decidimos criar o que chamamos de “Movimento Solidário”.
Foi criada uma conta para que toda e qualquer pessoa, que queira e/ou possa contribua, realize uma transferência bancária com o valor que entender, para o NIB que se encontra no flyer.
O objetivo final será a aquisição de um veículo elevatório (o que está no flyer é meramente ilustrativo).
Pedimos a todos que ajudem na divulgação da iniciativa e que divulguem o flyer pelo mundo para conseguirmos, todos juntos, cumprir o objetivo.
Queremos mais uma vez agradecer a iniciativa e relembrar o nosso lema #UNIDOSPARASALVAR!
O Gabinete de Comunicação e Imagem

Europe Direct Viseu Dão Lafões comemora o Dia da Europa

O Europe Direct Viseu Dão Lafões, no âmbito das comemorações do Dia da Europa, a decorrer no próximo domingo (dia 09 de maio), vai dinamizar um conjunto de atividades junto da população.

Assim, no dia 09 de maio, será hasteada a Bandeira da União Europeia no Centro Europe Direct (Casa do Adro), sendo que este espaço, ao longo do dia, estará de portas abertas para receber todos os cidadãos que o queiram visitar.

É ainda proposto aos cidadãos que, de forma segura e cumprindo as normas sanitárias em vigor, ao longo do dia de domingo, se dirijam, vestidos a rigor com uma T-shirt alusiva à comemoração, à Ecopista do Dão, partilhando fotos da iniciativa nas suas redes sociais. Para participar nesta atividade, os cidadãos interessados, devem preencher, previamente, o formulário de inscrição e levantar a sua t-shirt na Casa do Adro (Viseu).

Terminada a visita à Ecopista do Dão, os participantes podem enviar as suas fotos para o endereço de e-mail [email protected]com para publicação nas redes sociais do Europe Direct.

Para mais informações sobre esta iniciativa, os interessados devem seguir as redes socias (Facebook e Instagram) do Europe Direct Viseu Dão Lafões em @europedirectviseudaolafoes.

A participação nas atividades é gratuita, devendo a inscrição ser efetuada em: https://tinyurl.com/2pr5yuc5

 

Carregal do Sal.Autarquia pretende requalificar Centro de Saúde

A Câmara Municipal apresentou uma candidatura para Reabilitação e Apetrechamento do Centro de Saúde de Carregal do Sal.

Apresentada ao abrigo do Aviso CENTRO-42-2021-20, na Prioridade de Investimento 9.7 – “Investimento na saúde e nas infraestruturas sociais que contribuam para o desenvolvimento nacional, regional e local, para a redução das desigualdades de saúde para a promoção da inclusão social através de melhor acesso aos serviços sociais, culturais e de recreio, assim como para a transição das respostas institucionais para serviços de base comunitária”, a candidatura prevê intervenções ao nível interior e exterior, num investimento total de 1 562 572,49 € (IVA incluído), dos quais se espera uma comparticipação por fundos FEDER no montante de 1 310 260,20 €.

O projeto apresentado na candidatura prevê a realização de obras no interior e exterior através de uma empreitada com custo base estimado de 1 360 000,00€ (IVA incluído) designadamente:
– arranjos exteriores;
– nova receção / sala de espera;
– novas instalações sanitárias, salas de tratamento e sala de amamentação, sala de isolamento;
– ampliação da sala de reuniões e biblioteca;
– reparação e substituição de pavimentos cerâmicos e vinílicos;
– intervenção em paredes;
– requalificação IS existentes;
– melhorias nos espaços de descanso e copa;
– criação de novas zonas de circulação;
– criação de nova sinalética;
– revisão e substituição de toda iluminação;
– revisão e melhoria do sistema de AVAC;
– caixilharia com vidros adequados para melhor conforto térmico e eficiência energética;
– intervenção no claustro aberto para exterior;
– aplicação, no exterior do edifício, de um sistema de isolamento térmico, e pintura.

Ao nível do apetrechamento, estão considerados equipamentos médicos, mobiliário e equipamentos informáticos.

Ut invidia*. Opinião por Rui Marques

Era um poderoso Senhor das trevas, Mostrengo de seu nome, dono de uns terrenos pantanosos divididos por uma encruzilhada e habitado por umas poucas figuras de má índole, por seres tenebrosos, bestas malcheirosas e uma récua de pouco mais de duas centenas de indivíduos, que, por isso mesmo, dava nome ao lugar: Récuas!
O Mostrengo invejava as terras do lado, terrenos cultivados e verdejantes, com carpinteiros, oleiros, sapateiros e tecelões… Dizia-se, sem nunca alguém ter visto, que existiam fadas e elfos no bosque que rodeava por completo aquele lugar… Os ribeiros, com águas cristalinas e cascatas límpidas, formavam um arco-íris desde o nascer ao pôr do Sol… Os cavalos, por viverem num lugar tão idílico, tinham asas e eram montados por cavaleiros de coração nobre e puro!
O lugarejo chamava-se Pégasos, não era possuído por donos ou senhores, todos os habitantes tinham a responsabilidade na gestão, todos tinham os seus direitos e deveres… Diria eu … Uma democracia utópica!
O Senhor de Récuas, de modo a conseguir a posse de Pégasos, teria de fazer um pacto com o Diabo por forma a que tivesse a sua posse eterna!… Em troca, Mostrengo e todos os seus sucessores, controlariam as terras, seus frutos e feitorias, mas nunca os seus habitantes e seus nobres cavaleiros…
Récuas estaria obrigada, para todo o sempre, a invejar Pégasos!…

(Continuará…)
“….
Aqui ao leme sou mais do que eu
Sou um Povo que quer aquilo que é seu
E mais que o Mostrengo, que me a alma teme
E que até invejam estes versus
Manda a vontade, que me ata ao leme
Da mui nobre gente de Pégasos
…”**

* invejar
** O Mostrengo, Mensagem – Fernando Pessoa – Adaptação