Pastelaria Central de Nelas renova imagem e aposta na modernidade

Situada no Edifício Central em Nelas (Avenida João XXIII), a Pasteleria, que tem também serviço de restaurante, decidiu remodelar o seu espaço, com mobiliário mais moderno, atrativo e cómodo. 

A aposta da gerência, a cargo de Joana Mendes, passa por ter um menu  muito diversificado, assente na “gastronomia tradicional portuguesa”, como referiu ao nosso jornal.

“A nossa especialidade de referência é o hambúrguer no pão do caco e realço também, todas as terças feiras, leitão assado“, revela-nos.

Os outros pratos fixos no menu são : Kebab de carne de frango, no prato ou pão pita,bitoque, alheiras e bifinhos com cogumelos.

O prato do dia, que muda todos os dias,  tem um preço “justo” de 4,5€, muito atrativo.

This slideshow requires JavaScript.

CONTACTOS:

232949159

Página Facebook:

https://www.facebook.com/Pastelaria-Central-Nelas-156066488404351

Artigo publicitário

Movecho produz com impressora 3D a “Estrela da Europa”

“A Star for Europe” do artista Leonel Moura em parceria com a Movecho, está em exibição a partir de hoje na Alfandega do Porto. Com 2 metros de altura e um peso de 100 kg, a Estrela da Europa foi produzida pela Movecho com recurso a impressão 3D num composto especial de PLA biodegradável.
A obra baseia-se nas estrelas presentes na bandeira da União Europeia e foi produzida no âmbito da Cimeira Social da Presidência Portuguesa.
A Estrela da Europa, é resposta da Movecho ao desafio lançado pelo artista, enaltecendo: a manufatura aditiva, a construção sustentável e a cooperação entre arte e indústria.

Patinter é a melhor empresa transportadora para trabalhar

A empresa Mangualdende PATINTER, foi reconhecida no maior estudo de employer branding, que teve como base os 150 maiores empregadores portugueses – a Randstad Employer Brand Research (REBR) analisa anualmente as principais tendências do mercado de trabalho, dando a conhecer as empresas e sectores mais atractivos para trabalhar em 34 países, incluindo Portugal.

Distinção «reforça a estratégia de recursos humanos da Patinter»
Este ano, a vencedora no sector dos transportes foi precisamente a Patinter, que alcançou o primeiro lugar na categoria em que opera. O resultado é agora conhecido após a realização de um inquérito online, realizado em território português durante o mês de Janeiro, que abrangeu mais de 5 mil pessoas com idades entre os 18 e os 64 anos. Os questionários aplicados à amostra foram divididos em três blocos, com a finalidade de analisar preferências, entre as quais:

Factores mais relevantes na decisão de emprego; Reconhecimento das empresas e selecção de quais as preferenciais para trabalhar;

Percepção das empresas que conhece como entidades empregadoras.
Os dados divulgados pela entidade responsável pelo estudo revelam que o salário e os benefícios atractivos (71%) continuam a ser, expectavelmente e sem surpresas, o principal critério de motivação para quem procura emprego, seguindo–se factores como a conciliação entre a vida pessoal e profissional (66%), a estabilidade profissional (66%), o bom ambiente de trabalho (65%) e, ainda, a progressão na carreira.

«Este reconhecimento reforça a estratégia de recursos humanos da Patinter, que visa a satisfação e o compromisso dos colaboradores e, consequentemente,a captação e retenção na empresa dos melhores talentos na área dos transportes», vincou a empresa

in Revista Cargo

Feira de Nelas inaugura espaço requalificado e vedado

Hoje, 8 de maio, a Feira Mensal de Nelas está a realizar-se no espaço requalificado e vedado para o efeito, no mesmo local em Nelas.
Depois de décadas de reclamações e pedidos para que este mercado mensal se realizasse num recinto fechado, mais afastado dos blocos habitacionais e permitindo melhor mobilidade e acessibilidades, é já neste mês de Maio que tal se inicia.
A Câmara organizou o espaço por produtos em venda e levou em consideração o período de pandemia que se atravessa, reduzindo o Presidente da Câmara (ao abrigo da legislação COVID) a taxa por metro quadrado de ocupação de 42 cêntimos para 16 cêntimos, valor em linha com o praticado nas feiras dos Municípios dos Concelhos vizinhos neste momento.
No espaço e na envolvente que inclui também um Parque de Autocaravanas (ainda em fase de conclusão de construção), em especial nos acessos, foram investidos mais de 200 mil euros.
A Câmara contactou os mais de 90 feirantes que aqui exercem a sua atividade e com eles consensualizou a mudança e os ajustamentos que houve necessidade de fazer, agradecendo a todos a compreensão e cooperação tidas neste processo.
O novo espaço, para além da realização da Feira Mensal, constitui-se num funcional recinto multiusos para outros eventos, como outras feiras e exposições ou espetáculos.
Câmara Municipal de Nelas

Riportico (Cabanas de Viriato) renova estatuto de PME Excelência

A consultora de engenharia Riportico  acaba de renovar o estatuto PME Excelência 2020. Pelo segundo ano consecutivo, o IAPMEI distingue “o mérito, o rigor e a excelência dos serviços oferecidos pela Riportico Engenharia, reconhecendo os bons níveis de desempenho e gestão financeira da empresa no último ano”.

O selo de reputação PME Excelência é o reconhecimento empresarial mais importante a nível nacional, estando apenas ao alcance das empresas que evidenciam níveis superiores de solidez, robustez financeira e estratégia de inovação. Atribuído pelo IAPMEI em parceria com um conjunto de bancos parceiros e as Sociedades de Garantia Mútua, o estatuto valoriza ainda factores como o emprego e o contributo para o desenvolvimento local e regional, reconhecendo o mérito e o contributo das empresas para os resultados da economia portuguesa.

Depois de no final de 2020 ter conquistado o estatuto PME Líder pelo quarto ano consecutivo, e de ter fechado o ano com um volume de negócios próximo dos cinco milhões de euros, a Riportico Engenharia volta agora a receber o selo de reputação PME Excelência, reforçando a sua posição de referência no sector da engenharia e construção.

“A atribuição do estatuto é o reconhecimento do rigor e da excelência que a Riportico entrega aos seus clientes. Voltar a fazer parte do leque de empresas com uma capacidade competitiva indiscutível na economia nacional é um grande orgulho e uma motivação extra para continuarmos a nossa estratégia de crescimento e o nosso trabalho, sempre em busca das melhores soluções para os nossos cliente”, afirma Davide Borges, gestor da Riportico Engenharia.

“Este é um reconhecimento também partilhado com todos os nossos clientes e parceiros, que estão sempre connosco e que contribuem igualmente para estas distinções”, aponta o responsável, realçando o objectivo da Riportico em consolidar-se cada vez mais como uma consultora de engenharia de excelência a nível nacional e internacional, e afirmar-se como uma mais valia na região e nos mercados onde actua.

De acordo com o IAPMEI, o estatuto PME Excelência trata-se de um selo de reputação que permite às empresas relacionarem-se com a sua envolvente – fornecedores, clientes, sistema financeiro e autoridades nacionais e regionais – numa base de confiança facilitadora do desenvolvimento dos seus negócios, sendo particularmente relevante para empresas exportadoras e com ambição internacional por constituir-se como um fator de diferenciação e uma garantia da solidez e idoneidade das empresas.

In:  https://construir.pt/2021/05/05/riportico-engenharia-renova-estatuto-pme-excelencia/

Monumentos & Paisagens (Nelas) aposta na diversificação de produtos e serviços

ENTREVISTA com o Co-Fundador & Gerente Mikael Loureiro.

A nossa empresa foi criada em 2005, em nome individual.

Em 2007 foi constituída uma sociedade, fundando assim a empresa Monumentos & Paisagens, Lda.2015 representou o ano da grande transformação. Em conjunto com os meus pais adquirimos a restante parte da empresa, tornando-se assim uma empresa 100% familiar.

Foi então que assumi perante a família a gestão da empresa, onde foi feita uma restruturação a nível de instalações, aumento da diversidade de produtos e novos serviços.

Criámos o serviço de florista, garantindo diversidade de flores e plantas sempre frescas ao melhor preço/qualidade, tanto para a venda a particulares como para profissionais.

Mais tarde iniciámos a vertente de criação e manutenção de jardins, onde hoje sem dúvida nos destacamos nesta área face à concorrência. Tentamos sempre realizar todos os nossos serviços com o máximo de rigor, aplicando também produtos de qualidade superior.

Iniciamos esta área para particulares, mais tarde abrangendo empresas e entidades publicas.

Sentimo-nos orgulhosos pela forma como somos acarinhados pelas populações e deste modo contribuir para o embelezamento do nosso município e municípios vizinhos.

Como a vossa empresa passou a primeira e segunda onda da pandemia da Covid-19? Quais os principais constrangimentos por que passou?

Na primeira fase encerrámos cerca de uma semana por iniciativa própria, onde adotamos as condições necessárias de segurança, tanto para clientes, colaboradores e fornecedores.

Desde então mantivemo-nos sempre em funcionamento, mas com bastantes constrangimentos, dado o medo que se instalou na população.

Numa fase inicial os clientes eram reduzidos, uma vez que todos os cemitérios estavam encerrados e os funerais também estavam limitados a um número reduzido de pessoas.

Os dias que para o sector da floricultura são importantes (finados, dia dos namorados, páscoa), também acabaram por ser fracos, dado todas as medidas do estado de emergência implementadas pelo nosso governo.

Na segunda fase a situação melhorou um pouco e estamos a voltar à normalidade.

Em contrapartida as pessoas mantiveram-se mais em casa e acabaram por querer decorar/jardinar/plantar, o que levou a uma procura significativa de todo o tipo de plantas, substratos e outros artigos necessárias à atividade.

 

De momento tem havido alguma dificuldade por parte dos fornecedores que nem sempre conseguem ter capacidade de resposta para alguns artigos, já na floricultura está haver rotura de stock de algumas plantas e flores vindas de outros países. Dada a elevada procura, também temos assistido a um aumento significativo nas tabelas de preços. Em conversa com outros empresários, temos verificado que está a ser comum em todos os sectores, o que nos preocupa bastante.

Que oportunidades surgiram, em tempos de reinvenção, nomeadamente na digitalização, em termos de e-commerce e eficiência no uso de recursos?

Tentamos reduzir ao máximo o contacto presencial, limitámos o número de clientes em espaço fechado e a utilização de gel desinfetante e máscara passou a ser obrigatória.

Os clientes contactam-nos por telefone, email, mensagem, redes sociais, fazem o pedido e já só precisam de passar nas instalações para levantar os bens adquiridos, pagos agora também por multibanco ou MBway, algo que decidimos adotar neste momento face à situação que vivemos.

Esperança e Resiliência. Duas palavras chave durante os confinamentos. Que comentário lhe merecem, perspetivando já o futuro ..

A resiliência foi a chave para ultrapassar e progredir perante esta fase menos boa que o mundo está a viver, mas que nos permitiu evoluir e adquirir novos métodos e conhecimento necessário para encararmos o futuro.

Todos temos de fazer a nossa parte cumprindo todas as regras e reduzir os contactos sociais.

Deixo desde já o meu apelo a todos para que não facilitem, mesmo quando o número de novos casos ou de casos ativos é mais reduzido.

Não podemos baixar os braços, temos de nos readaptar, pois certamente temos de viver com esta pandemia durante muito tempo.

Sinceramente não sei bem (acho que ninguém sabe), os impactos que esta pandemia irá ter na sociedade e na economia, portanto o futuro é incerto, mas estamos cá para nos adaptar, trabalhar e lutar em prol da nossa empresa e para agradar os nossos clientes.

Tenho esperança que juntos podemos reduzir estes impactos, bem como todo o impacto que houve na sociedade.

Aproveito para agradecer a todos os profissionais de saúde que têm sido incansáveis neste processo.   

Convido-vos a visitar-nos em segurança, protejam-se!

Até breve.

Exportações de vinho aceleram 2,96% em 2020

O vinho parece ser o setor exportador tradicional, mais resistente aos efeitos da pandemia do Sars-Cov2. Cresceu 3,2% em 2020, alcançando um novo recorde de vendas ao exterior, nos 846 milhões de euros, mais 27 milhões do que em 2019. E os primeiros dois meses de 2021 seguem a mesma tendência: as exportações aumentaram 2,96% para 121 milhões de euros. Destaque para o crescimento de 36,64% do Brasil, de 12,09% da Alemanha e de 7,86% do Canadá. Em sentido contrário, os EUA caíram 14,72% e França perdeu 3,93%.

“Vamos prosseguir o caminho da diversificação de mercados, com a convicção que a trajetória de crescimento das exportações terá de continuar com uma postura competitiva no mercado, apostando em saber vender bem, em valorizar a qualidade do nosso produto de modo a conseguirmos aumentar o preço médio”, disse Frederico Falcão, presidente da ViniPortugal.

Termas do Centro de Portugal reabrem

  • Fim do estado de emergência permite o início da época termal, depois de um longo período de encerramento.
  • Tratamentos termais são comparticipados pelo SNS.
Data: 03/05/2021

Os muitos milhares de portugueses que frequentam os estabelecimentos termais já podem regressar, com toda a segurança, às suas termas de eleição. A Resolução do Conselho de Ministros que declara a situação de calamidade, no âmbito da pandemia de covid-19, permite a reabertura das estâncias termais, o que não foi possível no anterior estado de emergência.

“Os aquistas podem, a partir de hoje, regressar às termas. As estâncias termais portuguesas estão preparadas para iniciar a época termal, com a qualidade de sempre e com a segurança e a higiene reforçadas. Esta era a medida que mais aguardávamos, depois de tanto tempo de atividade suspensa”, sublinha Victor Leal, presidente da Associação das Termas de Portugal.

Victor Leal acredita que, apesar da crise provocada pela pandemia, as Termas têm todas as condições para encararem o futuro com confiança acrescida: “Esperamos uma grande procura das termas nas próximas semanas. Os nossos aquistas sabem que as termas são o local ideal para recuperaram de um período tão difícil das suas vidas. As termas estão mais do que preparadas para os receber”, destaca.

Adriano Barreto Ramos, coordenador do consórcio Termas Centro, que reúne 20 estâncias termais da região Centro, destaca o trabalho feito pelas termas no sentido de assegurarem a máxima segurança a todos. “Desde sempre que as estâncias termais pautam a sua atividade por rigorosas condições de higiene e de segurança das suas instalações. É uma preocupação que não é de agora, que sempre existiu, mas que naturalmente foi reforçada em virtude desta pandemia. Por isso, estamos em condições de assegurar os máximos cuidados de higienização a todos os que nos procuram”, considera.

As termas podem desempenhar um papel importante de promotoras de saúde e de bem-estar, numa altura em que ainda são visíveis os efeitos de um confinamento forçado. “Os tratamentos termais representam uma mais-valia para quem procura recuperar de doenças respiratórias ou de outras, consequência do período de confinamento. Os efeitos terapêuticos das curas termais no reforço do sistema imunológico são comprovados pela ciência, pelo que as estâncias termais têm um papel importante na promoção e recuperação da saúde. Além de que a sua localização, em zonas de interior, afastadas dos grandes centros, com uma envolvência natural apelativa, favorece por si só o relaxamento e o bem-estar. As termas são ainda uma excelente opção de férias”, acrescenta Adriano Barreto Ramos.

As datas de reabertura das várias estâncias termais serão anunciadas nas redes sociais da Associação das Termas de Portugal e das Termas Centro.

Tratamentos termais são comparticipados pelo SNS
Recorde-se que o Orçamento de Estado para 2021 contemplou a comparticipação do Estado nos tratamentos termais. Os médicos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) podem prescrever estes tratamentos a quem deles necessita.

Esta comparticipação dos tratamentos termais por parte do SNS, mediante prescrição médica, regressou em 2019, depois de ter sido suspensa em 2011.

Sobre a rede Termas Centro:
A rede Termas Centro, cujo promotor líder é a Associação das Termas de Portugal – Delegação Centro – é um projeto cofinanciado pelos programas operacionais Centro 2020, Portugal 2020 e pela União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), no âmbito da Estratégia de Eficiência Coletiva PROVERE (Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos).

Um total de 20 estâncias termais da região Centro integram o consórcio, representando 60 por cento do mercado nacional. A saber: Termas de Alcafache, Termas de Almeida – Fonte Santa, Termas de Águas – Penamacor, Termas do Bicanho, Caldas da Felgueira, Caldas da Rainha, Termas do Carvalhal, Termas da Curia, Termas do Cró, Termas da Ladeira de Envendos, Termas de Longroiva, Termas de Luso, Termas de Manteigas, Termas de Monfortinho, Termas da Piedade, Termas de Sangemil, Termas de São Pedro do Sul, Termas de Unhais da Serra, Termas de Vale da Mó e Termas do Vimeiro.

A partir de 1 de maio restaurantes e similares abertos até às 22h30

O Governo decidiu aplicar a última fase de desconfinamento já a partir das 00h00 do dia 1 de maio. Com esta decisão, a restauração e similares pode funcionar, já a partir do próximo sábado e também domingo, fornecendo almoços e jantares até às 22h30.

Esta medida dará um novo alento e esperança a estes setores, enormemente impactados pela pandemia. Assim, a AHRESP congratula a decisão do Governo, e apela a todos os empresários e a todos os clientes que continuem a ser escrupulosos no cumprimento das regras e boas práticas ao nível das medidas de proteção e combate à pandemia. Na atual situação, a irresponsabilidade de poucos pode prejudicar o bem de todos.

Município de Carregal do Sal reconverte Mercado Municipal

A Câmara Municipal apresentou uma candidatura para reabilitar integralmente o edifício do Mercado Municipal.

Convertê-lo num espaço de acolhimento de atividades económicas e culturais através da adaptação de espaços para acolhimento de iniciativas produtivas (indústrias criativas, mostras de atividades e de produtos, soluções de co-work), da criação de ambientes urbanos dinamizadores da criatividade, do networking e da inovação social  e consequentemente fomentar a empregabilidade,  são os principais objetivos da intervenção, integrada no Domínio da Sustentabilidade e Eficiência Energética e enquadrada na qualificação e modernização de edifícios públicos, no âmbito do Plano de Ação e Regeneração Urbana (PARU 5.)

A candidatura, com investimento total de 401 154,06€ (IVA incluído) será comparticipada pelos fundos FEDER até 85% e prevê a compartimentação interior do edifício, execução de tetos falsos, repavimentação, substituição de caixilharia e dos painéis da cobertura e alteração da fachada exterior, numa área de 948 m².

 De acordo com a candidatura apresentada, o edifício integrará os seguintes espaços:

• Receção e atendimento;

• Área de estar e espera para visitantes e clientes das empresas a instalar;

• Área de Exposições;

• Salas de trabalho das empresas a instalar;

• Salas de reuniões partilhadas pelas empresas;

• Áreas de arrumos;

• Instalações sanitárias de apoio;

• Infraestruturas tecnológicas.

“Aqui Entre Nós” promove o Turismo no Centro de Portugal

Turismo Centro de Portugal apresentou, em conferência de imprensa, a campanha promocional da região para 2021. A campanha, intitulada “Aqui Entre Nós”, tem como grande objetivo dar a conhecer aos portugueses a essência do Centro de Portugal e solidificar a região como o primeiro destino de férias dos portugueses.

A apresentação teve lugar no Museu da Cerveja, em Lisboa, e contou com a presença de Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, Catarina Pestana, Chief Creative Officer da Bang Bang Agency, agência responsável pelo conceito da campanha, e Adriana Rodrigues, chefe do Núcleo de Comunicação, Imagem e Relações Públicas do Turismo Centro de Portugal.

A campanha “Aqui Entre Nós” tem como veículos principais um filme promocional (disponível em https://youtu.be/wGRltp7tKkQ), uma forte presença nos meios digitais, spots na televisão e rádios e visibilidade em outdoors espalhados pelo país.

Na ocasião, Pedro Machado destacou o facto de a campanha ser lançada no momento “em que o país está a sair do estado de emergência”. “O Turismo Centro de Portugal está, mais uma vez, a marcar a agenda”, disse. “Esta nova campanha reforça o posicionamento da região. Queremos que o Centro de Portugal seja o primeiro destino de férias dos portugueses, como já foi em julho e agosto do ano passado. Ao longo deste período difícil, mantivemos o destino vivo, com o objetivo de ajudar as empresas e empresários do setor a voltar a ter negócio. Por outro lado, pretendemos, com esta campanha, fidelizar os portugueses, para que voltem a escolher a região e que passem a palavra a outros turistas”, disse Pedro Machado.

Catarina Pestana explicou a base conceptual da campanha, sublinhando que assenta na “diversidade da região” e que exprime “a autenticidade e cumplicidade que aproxima as pessoas e faz com que as relações durem no tempo”.

“VINHOS a Descobrir” realiza-se no Porto

A 5ª edição do VINHOS a Descobrir, a primeira de 2021, dias 8 e 9 de maio.
Feira de Vinhos Portugueses produzida pela INSPIRE, dedicada aos apreciadores de vinho e a quem gosta de comprar vinho.

O Wine Market será realizado no belíssimo Mercado Ferreira Borges, um ex libris da cidade, em pleno centro histórico do Porto. Dentro do espaço Hard Club, privilegiando o contacto entre os visitantes e os Produtores.
Juntando apreciadores de vinhos e os Produtores, partilhando novidades, o local ideal para um fantástico mercado de vinhos!
Num espaço amplo e ambiente descontraído, das 14H30 às 21H00 no sábado e das 15H00 às 21H00 no domingo.
Conta com 40 Produtores, de variadas regiões, que irão levar ao Porto, mais de 350 referências!
Desde os fantásticos vinhos do Douro e do Porto, continuando para os Vinhos Verdes, com reinterpretações do Alvarinho e Loureiro, abordagens distintas dos vinhos da Bairrada, ótimos e premiados vinhos do Tejo e de Óbidos, passando pela excelência da Beira Interior até ao fantástico Alentejo. Muitas surpresas e lançamentos de vinhos!
Contamos com a Quinta da Lameira a lançar a sua marca no Wine Market, com vinhos, espumantes e azeite. Junta-se a Quinta de Serzeda que também irá lançar os seus vinhos, com combinações de castas irreverentes no Douro! By Élio Lara vai também lançar os seus vinhos, com as suas três reinterpretações do Alvarinho.
Juntam-se a Casa de Cello; Quinta do Roncão; Sapateiro Wines; The Portuguese Winery; Pedro Milanos; Reguengos de Melgaço; Companhia Agrícola Sanguinhal e as suas três Quintas; Vinhos d’Avó; Ceira Wines; Vinisicó com 6 Produtores de Terras de Sicó: Casa d´Alfafar, Encosta da Criveira, Aperto, Fundação ADFP, Tapada de Sabogos, Vale da Brenha; Vinhos Quinta do Paúl; Douro Prime; Quinta de Folgorosa; Vale de Cortém; Quinta Vale do Armo; Montel Wine e os seus vinhos biológicos; Quinta da Vinha; e Vinhas Velhas Garrafeira que nos traz 15 Excelentes Produtores: Quinta Vale D. Maria, Maçanita, Fitapreta, Tiago Cabaço, Casa Ferreirinha, Quinta Vale D’Aldeia, Churchills, Conceito, Quinta do Paral, Reynolds, Herdade do Peso, Quinta do Encontro, Quinta da Biaia, Ribafreixo, Adega Mayor.

Os visitantes têm a possibilidade de falar com os Produtores, conhecer novos vinhos, e adquirir vinho a preços especiais.
Produtores pequenos, Produtores independentes, novos vinhos, de facto VINHOS a Descobrir!
Para uma melhor experiência de harmonização com o vinho, contam com ótimos produtos regionais e gourmet da Rissolaria Tradicional, Queijo Bornes de Trás os Montes e gelados artesanais da Wine on Ice.
Tudo num local belíssimo animado por DJ para um ambiente cool e descontraído.
No domingo o Get Together Profissional, abre mais cedo as portas aos Profissionais do sector, para uma partilha e descoberta dos muitos vinhos a conhecer.
Localização: Mercado Ferreira Borges, Hard Club – Porto.
Entrada: 3€
Entrada com copo: 5€, incluindo vale de desconto de 1€ na compra de 10€ ou superior em vinho.
Entrada com copo: 6€, incluindo 2 vales de desconto de 1€ na compra de 10€ ou superior em vinho (vales não acumulam)

Será assegurado o cumprimento das regras de segurança e saúde exigidas pela DGS, assegurando que o Mercado de Vinhos cumpre os requisitos exigidos. Torres de desinfeção à entrada e saída, desinfeção das mãos à entrada, medição de temperatura corporal antes de entrar, uso de máscara obrigatório exceto durante o consumo de vinho / produtos regionais, entre outras. O pé direito bastante elevado do edifício permite uma circulação de ar excelente, assegurando assim um maior conforto para todos.

www.facebook.com/vinhosadescobrir
www.instagram.com/vinhosadescobrir

Carregal do Sal faz parte de projeto de incentivo ao Teletrabalho no interior

Vouzela, Sátão, Santa Comba Dão, Carregal do Sal, Aguiar da Beira e Cinfães são alguns dos concelhos que vão constituir uma rede de “Teletrabalho no Interior. Vida Local, Trabalho Global”, que pretende criar espaços de coworking em concelhos do interior.

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, vai assinar esta sexta-feira (30 de abril) em Vouzela os acordos de cooperação para a região Centro. A assinatura decorrerá no Cineteatro João Ribeiro às 9h30.

A iniciativa vai ser lançada esta semana pelo Ministério da Coesão Territorial e pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Em comunicado, o Governo avança que a “criação dos novos espaços de coworking no interior, prevista no Programa de Estabilização Económica e Social, vai contribuir para a dinamização dos territórios do interior, facilitando a fixação e atração de pessoas e empresas, diminuindo a necessidade de deslocações e a consequente pegada carbónica e melhorando a qualidade de vida das populações do Interior, ao promover a conciliação entre vida profissional e familiar”.

Nesta primeira fase, vão ser abertos 53 espaços até ao final de junho. Só na região Centro, serão abertos 23. As autarquias serão responsáveis pela divulgação com vista a disponibilizar toda a informação e visitas virtuais.

Associações de Imprensa reclamam mais apoios do Governo

As Associação Portuguesa de Imprensa, Associação de Imprensa de Inspiração Cristã e a Associação Portuguesa de Radiodifusão e a Associação de Rádios de Inspiração Cristã, representantes de operadores e editores de órgãos de comunicação social que empregam mais de 50% dos jornalistas em Portugal e contactam regularmente mais de 60% dos portugueses, dirigiram hoje ao Primeiro Ministro de Portugal, uma carta onde manifestam a sua preocupação por o Conselho de Ministros para a Cultura, hoje realizado no âmbito da Presidência Portuguesa da União Europeia, não ter tratado de questões relevantes para o setor dos media em Portugal.

As Associações do setor expressaram a sua preocupação com o facto de a Lei Orgânica do Governo estabelecer que a Cultura é a área executiva em que se insere a atividade da comunicação social, temendo que não se verificará uma nova oportunidade para, antes da implementação do Plano de Recuperação e Resiliência, hoje enviado para Bruxelas, fazer uma avaliação e atribuição de apoios que assegurem a manutenção do ambiente mediático em Portugal.

Os mesmos responsáveis relembraram o Primeiro Ministro que, nos últimos meses, “acentuaram-se as condições negativas resultantes da contração económica motivada pela pandemia, o que tem como consequência um continuado recuo do investimento publicitário na rádio, na televisão e na imprensa, acompanhado pela queda das vendas de publicações e outros suportes, em papel e digital, em virtude da redução do número de pontos de venda e das crescentes atividades de pirataria e de desinformação”.

A terminar esta comunicação enviada ao responsável pelo Governo, as Associações manifestaram, além das preocupações com o setor, “a esperança de que muito brevemente possamos contar com a atenção e o interesse do Governo para os problemas do nosso setor, cujos impactos ultrapassam muito a sua dimensão estatística, pois constitui um elemento fundamental da Democracia em que todos queremos viver, da luta contra a iliteracia e a desinformação, vital neste momento de pandemia e da afirmação cultural de Portugal na Europa e no Mundo”.

Lisboa, 22 de abril de 2021

Luís Neves Peixes e Mariscos. Já pensou provar peixe manteiga?

Luís Neves é um Tabuense, que prima pela qualidade dos produtos que comercializa: Peixe e mariscos, frescos e congelados.

“O cliente pede e nós fornecemos”, explica, revelando ter no nicho de mercado de restaurantes Chineses, um dos seus fatores de sucesso. “Consigo encontrar os peixes específicos que me pedem, como por exemplo peixe manteiga”, conta-nos o empresário, que trabalha com duas viaturas e apenas ele e a esposa, num negócio familiar (vem já da sua avó), que cresceu para o “dobro durante a pandemia”.

Contactos: 

https://www.facebook.com/Luis-Neves-peixe-marisco-2410474302610444

A Primavera nos Viveiros Valter (Beijós – Carregal do Sal)

Valter Sousa herdou o gosto pela agricultura do seu pai. Remonta ao ano 2000, há 21 anos, a dinamização que implementou na empresa, situando-a, atualmente, como uma das grandes referências em viveiros de plantas, em toda a região Centro de Portugal. 

Arrancou com poucos funcionários e atualmente já conta com 12 colaboradores fixos  e outros ocasionais, pois “existe sazonalidade nesta atividade”, conta-nos. “Plantas com qualidade e os clientes satisfeitos”, é o segredo do seu êxito empresarial. A publicidade “boca a boca” foi “pilar determinante”, diz-nos. 

Da vasta gamas de produtos, as plantas que mais vende são oliveiras e videiras.

Mas, em plena Primavera, é com muito colorido de flores que pinta o seu espaço, sempre em harmonia com a natureza.

Expansão é a palavra chave, sempre na mente de Valter Sousa. Daí que continue a crescer. A área de plantação segue em evolução, pois “não podemos parar”, realça.

 

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies