Politécnico de Viseu promove cursos livres de idiomas

Estão a decorrer até ao próximo domingo, dia 18 de outubro, candidaturas a cursos livres de línguas promovidos pelo Politécnico de Viseu (PV). Alemão, espanhol, inglês, italiano e mandarim são os idiomas dos cursos que vão funcionar em horário laboral e pós-laboral e que se destinam a alumni, alunos, docentes e colaboradores da instituição. Mais informações podem ser obtidas através do Serviço de Inserção na Vida Ativa pelo e-mail siva@sc.ipv.pt ou 232 480 763.

Com esta iniciativa, pretende-se propiciar a capacitação de competências complementares à comunidade do PV, através da aprendizagem e desenvolvimento de conhecimentos de outros idiomas, ferramentas indispensáveis no contexto global que vivemos e na aposta clara da instituição na internacionalização.

Os cursos decorrem de 26 de outubro de 2020 a 19 de fevereiro de 2021.

Biblioteca de Nelas acolhe exposição itinerante “O Futuro é Amanhã”

Em Nelas as questões ambientais são uma prioridade e, como tal, hoje recebemos na Biblioteca António Lobo Antunes a exposição itinerante “O Futuro é Amanhã”.

Uma exposição que se encontra patente até dia 26 de novembro, e que pode ser visitada durante a semana entre as 10h00 e as 17h30 e ao fim-de-semana entre as 14h30 e as 18h00.

Fonte : CM de Nelas

IPV acolhe Seminário sobre Enoturismo e Sabores e Saberes do Dão

Evento conta com a presença de diversos especialistas das áreas do enoturismo e gastronomia.

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu (ESTGV) vai receber, no dia 28 de novembro, o III Seminário de Enoturismo do Dão, subordinado ao tema “Os Saberes à Mesa no Dão: Ontem, Hoje e Amanhã”.
O evento decorre a partir das 14h00, no Auditório da ESTGV, e conta com a presença de especialistas das áreas do enoturismo e gastronomia, designadamente Guida Cândido, investigadora e autora do livro “Comer como uma Rainha”, Diogo Rocha, Chefe Executivo do Restaurante “Mesa de Lemos” e “embaixador de Viseu”, a enóloga Mafalda Perdigão, diretora do departamento de vendas da “Cave Lusa Premium”, o enólogo Paulo Nunes, da Casa da Passarella, e Tiago Gonçalves, diretor da Pousada de Viseu, na qualidade de moderador.
A escolha do tema desta terceira edição deve-se ao facto de Viseu ser em 2019 “Destino Nacional de Gastronomia”.

Promovida pelos alunos do segundo ano do Curso Técnico Superior Profissional (CTeSP) em Enoturismo da ESTGV, a 3.ª edição do Seminário de Enoturismo do Dão está a ser desenvolvida no âmbito da unidade curricular da “Organização de Eventos e Protocolo Empresarial” e tem como objetivos promover o CTESP em Enoturismo, bem como conhecer a relação entre vinho e gastronomia numa perspetiva histórica e refletir sobre tendências enogastronómicas.

O evento tem como público-alvo todos os interessados nesta temática, bem como a comunidade estudantil das áreas de turismo e restauração.
Mais informação e inscrições em www.estgv.ipv.pt/3semenoturismo

Viseu, 20 de novembro de 2019

Alunos do segundo ano do CTeSP em Enoturismo • ESTGV • IPV

Joaquim Amaral • Comunicação e Relações Públicas • IPV

Cerimónia do Hastear da Bandeira Verde Eco-Escolas da Escola Tecnologia e Gestão de Viseu

No próximo dia 27 de novembro, na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu (ESTGV) do Instituto Politécnico de Viseu (IPV) irá realizar-se a Cerimónia do Hastear da Bandeira Verde.

Programa:

11h:00min – Hastear da Bandeira Verde por altos dirigentes da ESTGV, do IPV e do Programa Eco-Escolas; entrada principal da ESTGV;

11h:15min – Récita de um poema por José Lapa: “De quantas graças tinha, a Natureza”, Luís Vaz de Camões;

11h:20min – Cerimónia de abertura da exposição: The Bio Art Galery, made by Biovoices; Foyer do auditório da ESTGV.

 Neste Tempo de Alterações Climáticas e globais que vivemos, a Bioeconomia é um dos caminhos a seguir para diminuir a nossa pegada ecológica.

A Bioeconomia pretende reduzir a dependência de recursos de origem fóssil, garantindo a produção e fornecimento seguro e saudável de alimento. Ao promover a produção sustentável de recursos renováveis através do solo, da pesca e da aquicultura a Bioeconomia pretende gerar novos empregos e indústrias.

De um modo visualmente impactante, promovendo a sensibilização ambiental, The Bio Art Galery, patente até dia 6 de dezembro na ESTGV, é uma exposição internacional itinerante, sobre bioeconomia que, através da fotografia, apresenta artisticamente novos aproveitamentos que podem ser realizados a partir de resíduos agroalimentares e de produtos de origem biológica.

A ESTGV foi recentemente distinguida pela primeira vez com a Bandeira Verde do programa Eco-Escolas. A ESTGV é uma das primeiras instituições de ensino superior em Portugal a quem é outorgado tão relevante “selo de garantia” de boas práticas ambientais. A ESTGV junta-se assim a diversas Eco-Escolas de Viseu, com quem teve uma articulação significativa promovida pelo Município de Viseu, um dos concelhos do País com maior número de Bandeiras Verdes atribuídas.

Este galardão resulta de um intenso trabalho da comunidade escolar, envolvendo estudantes do curso de engenharia do ambiente e de outros cursos, docentes e discentes da ESTGV.

A Bandeira Verde foi conquistada pelo cumprimento de uma metodologia que envolveu diversas etapas. Foi constituído um Conselho Eco-Escolas envolvendo a comunidade escolar, outras escolas do concelho de Viseu, o Município de Viseu e outros parceiros institucionais locais. Foi realizada uma auditoria ambiental ao edifício e espaços exteriores. A partir desta foi estabelecido um plano de ação, que obedeceu a uma monitorização e avaliação sistemática.

Ao longo do ano letivo 2018/2019 decorreram diversas ações de sensibilização para a defesa do ambiente a para a sustentabilidade junto da comunidade escolar e da comunidade local, incluindo palestras de divulgação, debates, seminários técnico-científicos, escrita de artigos em jornais, ações de rua, jogos, concursos, etc.

Um dos pontos altos do Programa foi o grande envolvimento que se verificou com a primeira Green Week Viseu. Evento que resultou de uma parceria entre o Município de Viseu e o Instituto Politécnico de Viseu, através do Departamento de Ambiente da ESTGV. A Green Week é um evento internacional anual que decorre em diferentes cidades Europeias, visando informar e esclarecer as pessoas sobre os problemas ambientais, procurando transformar os cidadãos em participantes ativos na proteção e preservação do meio ambiente.

Ao nível da gestão ambiental da ESTGV, com o programa Eco-Escolas foram implementadas diversas ações que melhoram os seus indicadores ao nível da recolha seletiva de resíduos – incluindo também pequenos eletrodomésticos, roupas e calçado usados, cápsulas de café e resíduos laboratoriais –  e da redução do consumo de água e de energia. A floresta, a economia circular e a mobilidade sustentável foram outros dos temas fortes da iniciativa. 

Com o programa Eco-Escola, e o seu aprofundamento nos próximos anos, estará dado um forte impulso para a implementação de um sistema de gestão ambiental na ESTGV, que se deseja exemplar em Portugal.

X Jornadas Nacionais de Educação pelos Pares em Seia

As X Jornadas Nacionais de Educação pelos Pares resultam da iniciativa da Fundação Portuguesa a Comunidade contra a Sida, em parceria com o Instituto Piaget de Viseu e o Instituto Politécnico da Guarda / Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia. No próximo dia 20, em Seia,  irão dar a conhecer e promover a reflexão sobre o Projeto Nacional de Educação pelos Pares (PNEP). Este projeto que integra Voluntári@s do Ensino Superior, desdobra temáticas que vão da sexualidade à cidadania e que promovem a defesa ativa dos Direitos Humanos junto dos professores do Ensino Básico. Neste dia, inclui-se nestas Jornadas o Curso de Formação Científica de Voluntári@s, atendendo a que as temáticas se ajustam às suas funções. O CAOJ da Beira Alta promove as parcerias e apoia a colaboração entre instituições que defendem as mesmas causas.

IPV oficializou o PEPER – Promoção do Ensino Profissional em Rede

“A missão do Politécnico de Viseu (PV) é ser relevante para a região onde se encontra: Viseu e Lamego”, foram as declarações iniciais de João Monney Paiva, sobre o papel da instituição na criação, conjuntamente com o Instituto Piaget (IP), de uma rede de colaboração entre 35 entidades ligadas ao ensino profissional.

O presidente do Politécnico de Viseu falava na cerimónia que oficializou a PEPER – Promoção do Ensino Profissional em Rede, que decorreu no Auditório da ESTGV – Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu do PV, no passado dia 11 de novembro. Na sessão, que contou com a presença dos representantes das entidades protocoladas, estiveram ainda Teresa Panteleichouk, vice-presidente do Instituto Piaget Viseu; os presidentes das comunidades intermunicipais parceiras — Rogério Mota Abrantes (CIM Viseu Dão Lafões) e Carlos Silva Santiago (CIM Douro); Cristina Oliveira, Delegada Regional de Educação da Região Centro – Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, e Marta Rodrigues, Diretora do Centro de Emprego e Formação Profissional de Viseu.

Paulo Costeira, pró-presidente para a Promoção Académica do IPV, anunciou a PEPER como um quadro de cooperação institucional, amplo e efetivo, para valorizar o ensino profissional, e desenvolver um trabalho em rede com vários agentes que, de uma forma mais próxima e permanente, podem estabelecer condições para a continuidade dos estudos no ensino superior. A formalização desta cooperação entre instituições distribuídas por 19 concelhos e pertencentes a duas comunidades intermunicipais (Viseu Dão Lafões e Douro) irá ajudar a operacionalizar no terreno, os grandes objetivos desta Rede.

Trata-se de uma rede que envolve um conjunto de 35 escolas (17 agrupamentos de escolas, 10 escolas profissionais, três escolas secundárias e cinco escolas superiores — quatro do Politécnico e uma do Piaget) que, conforme sublinhou o presidente do Politécnico de Viseu, responderá à “necessidade do território fixar os seus jovens”, ”contribuindo para que os alunos provenientes dos cursos profissionais prossigam estudos no ensino superior e desse modo haja um aumento do número de cidadãos com qualificações superiores”, num modelo em que “toda a região se articula de modo a ser capaz de dar resposta a todos os jovens” e “captar esse manancial para a região”.

As expectativas de um bom resultado deste esforço, que envolve as duas instituições de ensino superior proponentes e restantes entidades que passaram a integrar a rede PEPER, cooperando e contribuindo para o enquadramento dos jovens no mercado de trabalho esteve patente em todas as declarações dos presentes. Teresa Panteleichouk, destacou na rede que agora dá os primeiros passos a aposta da capacidade conjunta das duas instituições, Politécnico de Viseu (PV) e Instituto Piaget (IP), comprometendo-se “para o sucesso da mesma, através da sua Escola Superior de Saúde, com a formação de técnicos intermédios, com percursos formativos ajustados”.

Os responsáveis da CIM presentes valorizaram a importância que este protocolo representa tanto para formação de técnicos intermédios, como para a possibilidade de prossecução dos alunos para o ensino superior, como salientou Rogério Mota Abrantes, presidente da CIM Viseu Dão Lafões. Apelidando a rede agora criada como uma “fileira da formação”, o presidente da CIM Douro, Carlos Silva Santiago, frisou a necessidade de ajudar a “fixar jovens capacitados”, destacando a importância da formação e da cultura nos “territórios de baixa densidade”.

A Delegada Regional de Educação da Região Centro, Cristina Oliveira, falou da grande aposta que tem sido feita na formação profissional, nos últimos 25 anos, e que foi “fundamental para a fixação jovem”, considerando que a criação desta rede é um “trabalho de fundo que se afigura fundamental” para o ingresso dos jovens do ensino profissional no ensino superior.

Marta Rodrigues, do Centro de Emprego e Formação Profissional de Viseu, considerou que para contrariar o ensino profissional como uma segunda escolha “cabe-nos, a nós, desenvolver estratégias” para inverter a situação, indicando dois percursos possíveis para estes jovens: “ingressar no mercado de trabalho ou ingressar no ensino superior, uma formação que poderá ser uma mais valia para o seu percurso”.

Instituições de ensino da Rede PEPER: Politécnico de Viseu, Instituto Piaget, Comunidade Intermunicipal Dão Lafões, Comunidade Intermunicipal do Douro, Agrupamento de Escolas de Canas de Senhorim, Agrupamento de Escolas de Castro Daire, Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, Agrupamento de Escolas Latino Coelho (Lamego), Agrupamento Escolas de Mangualde, Agrupamento de Escolas Miguel Torga (Sabrosa), Agrupamento de Escolas de Moimenta da Beira, Agrupamento de Escolas Morgado de Mateus (Vila Real), Agrupamento de Escolas de Nelas, Agrupamento de Escolas de Oliveira Frades, Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo, Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão, Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul, Agrupamento de Escolas do Sátão, Agrupamento Escolas de Tondela – Cândido Figueiredo, Agrupamento Escolas de Tondela – Tomaz Ribeiro, Agrupamento Escolas de Vila Nova de Paiva, Escola de Hotelaria e Turismo do Douro (Lamego), Escola Profissional de Carvalhais, Escola Profissional Fundação D. Mariana Seixas (Viseu), Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo (Godim), Escola Profissional de Murça, Escola Profissional Nervir (Vila Real), Escola Profissional Profitecla (Viseu), Escola Profissional de Tondela, Escola Profissional de Torredeita, Escola Profissional de Vouzela, Escola Secundária Emídio Navarro (Viseu), Escola Secundária São Pedro (Vila Real), Escola Secundária de Viriato (Viseu) e Instituto de Emprego e Formação Profissional de Viseu.

 

IPV acolhe o III Congresso Nacional das Escolas Superiores Agrárias

Análise e debate dos mais recentes resultados científicos de docentes e investigadores de escolas superiores agrárias e a identificação de novas tendências nos domínios técnico-científicos do setor agrícola são os grandes temas da terceira edição do CNESA, que reúne mais de 200 congressistas.

Nos próximos dias 14 e 15 de novembro de 2019, a Aula Magna do Politécnico de Viseu recebe o III Congresso Nacional das Escolas Superiores Agrárias (CNESA). O evento, organizado pela Comissão Especializada de Escolas Superiores Agrárias (ESAs) no âmbito do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, conta exclusivamente com a participação de todas as ESAs do país, e tem como propósito a promoção da atividade científica nos seus domínios de atuação e a afirmação do ensino superior politécnico. O CNESA é um certame com periodicidade bienal, que depois das edições de Bragança e Elvas, acontece agora em Viseu.

Os objetivos deste Congresso passam pela análise e debate dos mais recentes resultados científicos desenvolvidos pelos docentes e investigadores, pela identificação de novas tendências nos domínios técnico-científicos das ESAs, bem como pela promoção da colaboração científica entre as instituições.

Os temas em debate abordarão áreas diversas, desde a Agronomia, a Ciência Animal e Veterinária, o Ambiente e os Recursos Naturais até à Ciência e Tecnologia Alimentar. Cada sessão/área começa com uma conferência plenária de um convidado de reconhecido mérito, seguida de sessões de comunicações proferidas por docentes e investigadores nas áreas temáticas em debate, finalizando com uma mesa redonda. No total foram submetidas cerca de 250 comunicações.

O evento começa no dia 14, pelas 9h00, com a comunicação do primeiro palestrante convidado, professor Arlindo Cunha, prosseguindo com duas sessões paralelas: “Agronomia” e “Ambiente e Recursos Naturais”. O segundo palestrante, professor Francisco Rego, dá início aos trabalhos da parte da tarde. O final do primeiro dia é dedicado ao período de discussão e debate e a sessão de comunicações em painel.

A comunicação da professora Raquel Guiné marca o arranque dos trabalhos do segundo dia do congresso, que contempla mais duas sessões paralelas: “Ciência e Tecnologia Alimentar” e “Ciência Animal”. O evento prossegue à tarde com a intervenção do quarto palestrante convidado, professor Jorge Azevedo, seguindo-se a continuação das comunicações orais das duas mesas que fazem a agenda do dia.
A sessão de encerramento está agendada para as 17h30.

Viseu, 12 de outubro de 2019

Joaquim Amaral • Comunicação e Relações Públicas • IPV

Hackathon Ibérico CENCYL teve lugar no IPV

Projeto vencedor, com alunos das duas instituições, visa melhorar a segurança de peões e veículos nas cidades, atuando sobre semáforos em situações de emergência para garantir a passagem prioritária de veículos de socorro.

Nos dias 7 e 8 de novembro decorreu na Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTGV) do Politécnico de Viseu a 3.ª edição do Hackathon Ibérico CENCYL, uma organização da ESTGV, em parceria com as empresas do grupo IBM (Softinsa e Viewnext), Município de Viseu, V21 – Centro de Incubação Tecnológico de Viseu e a Universidade Pontificia de Salamanca (UPSA). 

No evento formaram-se equipas constituídas por estudantes do Departamento de Informática da ESTGV e de Tecnologias da Informação da UPSA. O desafio envolveu a criação de um projeto inovador, recorrendo a serviços IBM Cloud, e centrando-se nos temas Smarter City Networking, Digital Tourism Citizens, Gamification Open Community e Intelligent Public Safety.

No final do dia 8, o júri avaliou todos os trabalhos e decidiu atribuir o primeiro prémio à equipa que propôs “A safer way to move faster”.

O projeto vencedor desta edição visa melhorar a segurança das cidades (peões e veículos), atuando sobre semáforos em situações de emergência para garantir a passagem prioritária de veículos de socorro. Foram utilizados vários recursos disponibilizados na IBM Cloud, tais como “Cloud Computation” ou “Deep learning algorithms”, através do Watson Visual Recognition que, neste caso, permite o reconhecimento, com elevada percentagem de certeza, da presença de um veículo em marcha de emergência. Fizeram parte da equipa vencedora os estudantes de Engenharia Informática da ESTGV Luís Laranjeira e Pedro Batista e os estudantes Alejandro Díaz e Gonzalo Amador da UPSA. Cada elemento da equipa vencedora ganhou um prémio monetário e uma carta de compromisso para integrar, respetivamente a Softinsa ou Viewnext.

Um Hackathon visa estimular os participantes a encontrarem soluções úteis e inovadoras para desafios ou problemas reais e promove, antes de mais, o desenvolvimento de novos conhecimentos, de uma forma mais intensa e produtiva. Outro grande benefício é a oportunidade de adquirir experiência de resolução de problemas, em cooperação com pessoas de diferentes perfis, o que acontece no caso do Hackathon Ibérico CENCYL, pela presença de equipas mistas formadas por estudantes de duas instituições ibéricas de ensino superior. 

Viseu, 12 de novembro de 2019

Departamento de Informática • ESTGV • IPV

Joaquim Amaral • Comunicação e Relações Públicas • IPV

Resultados dos estudos realizados no âmbito do Projeto Carregal Educa

As psicólogas do Projeto Carregal Educa e do Serviço de Psicologia e Orientação do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal apresentaram, no dia 7 de novembro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, os resultados de dois estudos realizados no final do ano letivo transato.
Avaliar o uso de Smartphones e o Bem-estar dos alunos no Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal foram o foco dos estudos realizados junto dos alunos do 3.º ao 12.º ano de escolaridade… E os resultados comprovaram que estas são áreas a que toda a comunidade tem de estar atenta no sentido de garantir um melhor desempenho académico e crianças/jovens mais felizes e motivadas para a aprendizagem. Por isso, serão alvo de um amplo debate no respetivo Agrupamento.
A sessão contou com a presença do vice-presidente e vereadora da Câmara Municipal de Carregal do Sal; da diretora do Agrupamento de Escolas concelhio; de representantes da CPCJ, da FAPEECS e da Associação de Estudantes e pais/encarregados de educação.

Carregal do Sal. Formação “Inclusão Digital” arranca

Arrancou esta manhã (7 de novembro), a última etapa da formação ministrada em Carregal do Sal na sequência da aprovação da candidatura da ADICES, com a colaboração dos serviços de Ação Social dos Municípios do seu território de intervenção, ao POISE – Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, medida 9.i – Inclusão ativa.

Sob a designação “Inclusão Digital”, a formação é frequentada por 15 formandos e vai decorrer até ao dia 22 de novembro nas instalações do Espaço@Carregal, num total de 60 horas.
Cumprindo uma prática habitual, João Carlos Figueiredo, responsável da ADICES e Ana Cristina Borges, Vereadora da Ação Social da Câmara Municipal de Carregal do Sal, fizeram questão de estar presentes e dirigir algumas palavras aos formandos.
O responsável da ADICES lembrou que esta etapa é o culminar de um caminho com cerca de 1 ano e meio referindo que os conhecimentos a ministrar no âmbito da “Inclusão Digital” são simultaneamente de inclusão social pois são o futuro.
A vereadora da Câmara Municipal, Ana Cristina Borges, reiterou a importância desta formação e sensibilizou os formandos para a respetiva capacitação ao nível digital pois, para além de outras mais-valias, poderá permitir-lhes contactos com familiares emigrados. Sensibilizou todos para o uso correto e produtivo das ferramentas digitais e fez votos para que quem realiza a formação e quem a frequenta adquira a sensação de “missão cumprida”

Câmara de Viseu atribui bolsas de estudo a alunos do ensino superior

Candidaturas abertas até 15 de novembro. Montante global alocado a esta medida de apoio é de 50 mil euros

O Município de Viseu tem abertas, até 15 de novembro, as candidaturas à atribuição de bolsas de estudo a jovens provenientes de famílias carenciadas e numerosas, mediante a apresentação de formulário próprio e respetivos documentos. Neste ano letivo 2019-2020, o montante global alocado a esta medida de apoio é de 50 mil euros.

De acordo com Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, “o apoio às famílias e o estimulo à natalidade reclamam medidas concretas, e apoios como este podem fazer a diferença, podem influenciar a decisão das famílias apostarem na formação superior dos seus filhos. Este é mais um estímulo ao rendimento disponível dos munícipes necessitados ou com maiores encargos educativos, mas é também um incentivo para o progresso dos nossos jovens no Ensino Superior”.

Ainda de acordo com o autarca, “o Município de Viseu tem um compromisso ativo no apoio às famílias numerosas e carenciadas do concelho”.

A atribuição destas bolsas implica que o agregado familiar resida pelo menos há três anos no Concelho de Viseu e que os estudantes em causa ingressem ou frequentem estabelecimentos de ensino superior no território nacional, para obtenção do grau académico de licenciado.

Academi@ STEM Mangualde presente na maior Feira Educacional da Europa

Mangualde esteve presente, com o projeto Academi@ STEM Mangualde, na maior Feira Educacional da Europa de professores STEM, Festival Europeu Science on Stage 2019, sobe o mote Skills for the Future, que decorreu na passada semana, entre os dias 31 de outubro e 3 de novembro, no Centro de Congressos do Estoril. 

Recorde-se que o projeto da Academi@ STEM Mangualde havia sido selecionado para estar presente neste Festival em janeiro último, aquando do Evento Nacional de Seleção 2019, que decorreu na Escola Básica e Secundária de Carcavelos – Cascais, e onde a Academi@ STEM Mangualde esteve presente. O evento juntou professores das várias disciplinas de ciências, tecnologias e matemática (STEM) do ensino básico e secundário, bem como educadores do pré-escolar e professores do 1º CEB, durante o qual apresentaram as suas ideias de ensino mais inovadoras.

Mangualde esteve assim entre cerca de 450 professores dos ensinos básico e secundário, bem como educadores do pré-escolar, de 32 países. No Festival Europeu Science on Stage 2019 os participantes partilharam ideias, projetos e boas práticas, numa feira com stands, workshops e apresentações em palco, tudo para que a aprendizagem dos alunos seja mais divertida, interativa e bem-sucedida.

SOBRE A ACADEMI@ STEM MANGUALDE

Nasceu para trabalhar a educação das áreas da Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática de uma forma mais integrada e agregadora. Este é um projeto do Município de Mangualde, destinado ao Agrupamento de Escolas de Mangualde, que conta com o apoio do Centro de Formação EDUFOR, da Direção-Geral de Educação, da Universidade Católica Portuguesa – Pólo de Viseu e com o apoio das empresas Patinter S.A., CBI – Indústria de vestuário S.A. e MangualTécnica – Indústria Metalomecânica Lda.. Tem como principal objetivo promover o sucesso escolar, preparando os estudantes de hoje para o mercado de trabalho do amanhã, sendo financiado ao abrigo do Portugal 2020, no âmbito da Promoção do Sucesso Educativo Viseu Dão Lafões.

A sigla STEM designa, em Inglês, as quatro áreas do conhecimento: Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática (em inglês Science, Technology, Engineering, and Mathematics). Este novo conceito tem a função não só de identificar as quatro áreas, mas também de interligá-las, incentivando a aprendizagem interdisciplinar, com foco na aplicação prática da aprendizagem.

Estudantes de Viseu e Salamanca envolvidos no Hackathon Ibérico CENCYL

Estudantes de Viseu e Salamanca procuram soluções baseadas em serviços IBM Cloud para áreas como Smarter City Networking ou Intelligent Public Safety, com a colaboração de professores e parceiros institucionais.

Nos dias 7 e 8 de novembro vai decorrer na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu (ESTGV) o Hackathon Ibérico CENCYL. O evento tem como principal objetivo encontrar uma solução baseada em serviços IBM Cloud, envolvendo os temas Smarter City Networking, Digital Tourism Citizens, Gamification Open Community e Intelligent Public Safety. Para dar resposta ao desafio, serão constituídas equipas mistas de estudantes do Departamento de Informática da ESTGV e da Universidade Pontificia de Salamanca.

Um Hackathon visa estimular os participantes a encontrarem soluções úteis e inovadoras para desafios ou problemas reais e promove, antes de mais, o desenvolvimento de novos conhecimentos, de uma forma mais intensa e produtiva. Outro grande benefício é a oportunidade de adquirir experiência de resolução de problemas, em cooperação com pessoas de diferentes perfis, o que acontece no caso do Hackathon Ibérico CENCYL, pela presença de equipas mistas formadas por estudantes de duas instituições ibéricas de ensino superior. 

Neste evento, colaboram ainda mentores, professores das duas instituições de ensino e profissionais especializados de parceiros tecnológicos. Estas interações contribuem para o desenvolvimento de competências transversais, designadas soft skills, que são muito procuradas pelas entidades empregadoras. Espera-se ainda que esta iniciativa incentive a troca de experiências entre estudantes e professores de ambas as instituições de ensino e que se estreitem relações conducentes a futuras colaborações entre todas as entidades envolvidas.

O evento é organizado pela ESTGV em parceria com as empresas do grupo IBM Softinsa e Viewnext, Município de Viseu, V21 – Centro de Incubação Tecnológico de Viseu e a Universidade Pontificia de Salamanca. 

Viseu, 6 de novembro de 2019

Departamento de Informática • ESTGV • IPV

Investigação do Politécnico de Viseu potencia aproveitamento de zângãos para uso alimentar

“zDrone Flour” combate doença grave das abelhas e valoriza novo produto da colmeia.

Uma equipa de estudantes e docentes do Politécnico de Viseu e da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro desenvolveu um projeto de investigação – “zDrone Flour” – que visa contribuir para a diminuição dos prejuízos provocados pelo ácaro Varroa destructor e pelo uso de medicamentos veterinários, através da técnica de remoção de quadros de zângãos, e proceder ao aproveitamento e valorização destes insetos para uso alimentar.

Desta forma, é possível aumentar o rendimento da atividade apícola e proporcionar no futuro um conjunto de novos produtos à base de farinha de zângão rica em proteína animal.

A equipa do projeto, constituída por três estudantes da Escola Superior Agrária (ESAV) do Politécnico de Viseu – Ana Rodrigues, Mariana Rosário e Manuela Costa – e um da Escola de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro – Sebastião Machado – e pelas docentes da ESAV, Paula Correia e Cristina Amaro da Costa, apresentou na audição final alguns dos produtos em estudo à base de farinha de zângão.

Para os membros do projeto “participar em iniciativas deste tipo desafia a capacidade técnica e conhecimento dos estudantes, bem como suscita a importância da comunicação para o desempenho dos futuros profissionais. Este ano, com o projeto “zDrone Flour”, tivemos a oportunidade de apresentar com sucesso um projeto multidisciplinar e multi-institucional, que propõe uma dupla solução em benefício dos apicultores: combater uma doença grave das abelhas, remunerar os apicultores através da adoção desta medida e valorizar um novo produto da colmeia”.

A proposta “zDrone Flour” conquistou recentemente o 2.º prémio do “Concurso Universitário & Politécnico CAP – Cultiva o teu futuro”, edição de 2019, dedicada à inovação em apicultura. A iniciativa que a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) promove, pelo oitavo ano consecutivo, procura desafiar os estudantes do ensino superior a proporem projetos inovadores relacionados com a atividade agrícola.

Comunicação e Relações Públicas • IPV

Câmara de Nelas desafia alunos do concelho a criarem banda desenhada alusiva à fruta

O desafio foi lançado a cerca de 450 crianças que frequentaram o 1o CEB dos Agrupamentos de  Escolas do Concelho, Canas de Senhorim e Nelas, no passado ano letivo, distribuídas por 26 turmas,  que em conjunto criaram, desenharam e pintaram a Banda Desenhada que apresentamos em :

(https://drive.google.com/file/d/1uwLqnZ7yoAzckodsE2xAzUJA5rUp9fdk/view?usp=sharing)

Uma  história repleta de criatividade, contada pelos alunos das turmas do 3o e 4o anos, desenhada pelos  2o anos e ilustrada pelos mais pequenos, os alunos das turmas dos 1o anos. 

Às personagens desta história, juntou-se a mascote do Fruticool que no desenrolar da ação alerta  para os benefícios do consumo diário de fruta na escola e em casa, bem como para as implicações  que os hábitos de uma alimentação pouco saudável têm na saúde, sensibilizando assim crianças e  famílias para a adoção de práticas alimentares mais saudáveis. O projeto Fruticool do Município de  Nelas garante a distribuição de uma peça de fruta no 1o CEB dos Agrupamentos de Escolas, nos dias  não abrangidos pelo Regime da Fruta Escolar (RFE) do Instituto de Financiamento da Agricultura e  Pescas (IFAP), bem como a distribuição de uma peça de fruta diária a todo o pré-escolar do Concelho. 

No cumprimento das medidas educativas de acompanhamento, monitorização, desenvolvimento e  avaliação das atividades associadas ao RFE, que anualmente garante a distribuição gratuita de 1  peça de fruta, duas vezes por semana, aos alunos do 1.o CEB dos estabelecimentos de ensino  público, foi enviada ao IFAP a Banda Desenhada elaborada, como testemunho de todo o trabalho que  tem vindo a ser desenvolvido em redor da importância de uma alimentação e estilo de vida  saudáveis 

Ainda neste âmbito, e para o presente ano letivo 2019/2020, foi lançado o desafio “Missão S.A.B.E.  Pela tua Saúde, Alimentação e Bem-Estar!”, aos 571 alunos do Pré-Escolar e do 1o CEB dos  Agrupamentos de Escolas do Concelho, sob a forma de Caderneta que se divide em diferentes  temáticas, composta por informação útil, adivinhas, dicas, desafios, jogos lúdico-pedagógicos e uma coleção de autocolantes que dão a conhecer os alimentos, bem como as suas propriedades e benefícios para a saúde. A Missão decorre durante este ano letivo, e convida todos os alunos em conjunto com os professores titulares, a cumprir a MISSÃO S.A.B.E! com muito empenho e êxito, no  sentido de contribuir para uma efetiva melhoria da qualidade de vida e saúde de todos, sensibilizando os pais para adoção de estilos de vida saudáveis. 

Fonte : Câmara Municipal de Nelas

AEC´s arrancam em Nelas com ano letivo a decorrer

Foram assinados no passado dia 23 de outubro de 2019, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, 10 contratos de trabalho que asseguram o funcionamento das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) para o ano letivo de 2019/20, nas escolas do 1º CEB dos Agrupamentos de Canas de Senhorim e de Nelas. As AEC´S são atividades pedagogicamente ricas e complementares das aprendizagens básicas essenciais para o progresso de cada aluno e potenciam o sucesso educativo e a prevenção do abandono escolar e da educação para a saúde.

Neste sentido e de forma a assegurar o desenvolvimento das referidas atividades, a Câmara Municipal procedeu à contratação de 1 Técnico de Atividade Física e Desportiva, 2 de Atividades Lúdico – Expressiva, 6 de Expressão Musical e 1 Técnico de Inglês, totalizando 10 contratos a termo certo, tempo parcial, para as atividades de Enriquecimento Curricular, completando assim, a equipa já existente de 10 Técnicos integrados no quadro de pessoal da Autarquia em março de 2019.

O Presidente da Câmara Municipal de Nelas, Borges da Silva, apelou ao desenvolvimento de um trabalho positivo entre todos os responsáveis de educação, como sendo necessário e importante para uma comunidade escolar cada vez mais empreendedora, solidária e criativa. Porque a educação escolar é potenciador de saber, competências, atitudes e motivação, resultado do excelente trabalho entre o Município e Agrupamentos de Escolas.

Fonte : CM de Nelas

Politécnico de Viseu celebrou o dia da instituição e anunciou programa comemorativo dos 40 anos

O presidente do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), professor João Monney Paiva, anunciou ontem o programa de comemorações dos 40 anos da instituição, na ocasião do evento “Música e Ciência – Mudam-se os Tempos”, perante a vasta assistência que marcou presença na Aula Magna.

Esta iniciativa, com que se assinalava o “Dia do Instituto Politécnico de Viseu”, e para o qual toda a comunidade foi convidada, consistiu numa atuação da Orquestra Metropolitana de Lisboa e numa conferência do professor Carlos Fiolhais.

Cenário ideal para, num ano particular, em que se assinalam os 40 anos da criação de instituições de ensino superior politécnico no nosso país, o presidente do IPV anunciar que essas comemorações vão ser mais do que a celebração de um dia, tendo enumerado várias atividades previstas para os próximos cinco meses.

Recorde-se que o então designado por Instituto Superior Politécnico de Viseu tem a sua génese no decreto-lei que estabeleceu a criação destas instituições de ensino superior no nosso país, publicado em 26 de dezembro de 1979.

Arte e Ciência de mãos dadas

O momento cultural que conciliou música e ciência em formato concerto-conferência, “Mudam-se os Tempos” é um evento inserido na iniciativa “Música e Ciência”, que resulta de uma parceria entre a Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML) e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Na primeira parte do programa, dedicada à ciência, o professor Carlos Fiolhais, físico, ensaísta e docente universitário, discorreu sobre “De Carl Philipp Bach a Joseph Haydn: Muda a Música e Muda a Ciência”. O académico estabeleceu o paralelismo das grandes mudanças vividas no século XVIII, tanto na música, e até mesmo na arte escultórica, como na ciência, que da Alemanha e da Áustria irradiariam para o resto da Europa. Também em Portugal se começavam então a viver tempos de mudança.

Seguiu-se a interpretação pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, da “Sinfonia em Sol Maior, WQ 173”, de Bach, e a “Sinfonia N.º 64, Hob. I/64, Tempora mutantur”, de Haydn, sob a direção musical de Marcos Magalhães.

A escolha de temas de Bach e Joseph Haydn resultou de um enquadramento com a intervenção do professor Carlos Fiolhais, uma vez que estes dois grandes nomes da música universal se situam na época em análise, um tempo florescente nas artes e na ciência, um tempo de mudança e gerador de novos rumos.

Viseu, 24 de outubro de 2019

Comunicação e Relações Públicas • IPV

Autarquia de Oliveira do Hospital investe 17 mil euros  nas escolas do 1.º CEB e Jardins de Infância

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital vai investir, neste ano letivo 2019/2020, 17 mil euros no apoio ao funcionamento das Escolas do 1º CEB e Jardins de Infância do concelho. O valor, aprovado em reunião de Câmara pelo executivo será atribuído ao Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital em três tranches correspondentes a cada período do ano letivo.

Esta verba de 17 mil euros para funcionamento das escolas visa apoiar diferentes áreas como atividades de animação e apoio à família, expediente e limpeza, e subsídios aos alunos. Assim, em cada período são atribuídos 10 euros por aluno do JI e 1.º CEB para atividades extra curriculares; 150 euros por JI para atividades de animação e apoio à família; e 80 euros por sala de JI e 1.º CEB para limpeza e manutenção dos espaços.

A Educação é um dos eixos prioritários da autarquia de Oliveira do Hospital que procura desenvolver ações que fomentem a educação e o ensino e onde tem concretizado um forte investimento  nos últimos anos. As políticas para a área da Educação foram assumidas, desde sempre, como uma das prioridades pelo executivo liderado pelo presidente José Carlos Alexandrino sendo inclusivamente uma das áreas estratégicas, anualmente, em evidência no orçamento municipal e nas Grandes Opções de Plano.

Refira-se que na área da educação, a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital tem vindo a concretizar vários investimentos através de diferentes programas e apoios às famílias e à escola pública.

São disso exemplo o apoio à aquisição de manuais, fichas de estudo e material escolar; apoio ao funcionamento das atividades de Animação e Componente de Apoio à Família; apoio às Atividades de Verão no pré-escolar; atribuição de bolsas de estudo; alargamento dos transportes gratuitos até ao ensino superior; modernização tecnológica da sala de aula e de equipamentos das tecnologias de informação e comunicação. Bem como o desenvolvimento de programas específicos como o “Fruta Escolar”, “Escola Feliz” e “Escola + Feliz”; o projeto inovador “Ensinar É Voar”; e ainda a aposta em novas ofertas das AEC como a “Oficina do Território”; atividades de Educação Ambiental e do programa de Empreendedorismo nas Escolas.

Medidas que permitem ao Município de Oliveira do Hospital destacar-se no panorama nacional e ser reconhecido por diferentes entidades externas com vários galardões, de que é exemplo a bandeira “Autarquia + Familiarmente Responsável”.

 

Oliveira do Hospital recebe Colóquio Luso-brasileiro de História e Culturas da Alimentação

O Município de Oliveira do Hospital recebe esta sexta-feira, 25 de outubro, o 6.º Colóquio DIAITA subordinado ao tema “Das Culturas da Alimentação ao Culto dos Alimentos”. O encontro realiza-se de 23 a 25 de outubro na Universidade de Coimbra e conta com mais de 70 comunicações de oradores nacionais e internacionais, sendo que o programa do último dia tem lugar em Oliveira do Hospital, concretamente na Bobadela. 

Durante a manhã, as conferências acontecem no Museu do Azeite reunindo um painel de palestrantes internacionais, investigadores em universidades de Portugal, Brasil, Espanha e França. Antes, e após a sessão de boas vindas, será feita a apresentação da candidatura Coimbra – Região Europeia da Gastronomia 2021.

O 6.º Colóquio DIAITA Luso-brasileiro de História e Culturas da Alimentação, organizado também com a colaboração da CIM Região de Coimbra, contará com a presença do presidente da CIM Região de Coimbra, José Carlos Alexandrino e irá culminar com um programa cultural, durante a tarde que inclui a visita ao Museu do Azeite e ao Centro Interpretativo das Ruínas Romanas de Bobadela.

Esta iniciativa de caráter cultural e académico que vai já na sua sexta edição é promovida anualmente pela DIAITA – Património Alimentar da Lusofonia, projeto que tem como objetivo proceder a um estudo aprofundado e interdisciplinar sobre uma temática fundamental de um património e identidade culturais comuns a portugueses e brasileiros: a história e a cultura da alimentação. Reúne uma equipa de especialistas de várias áreas disciplinares (História, Arqueologia, Filologia, Museologia, Arte, Dietética, Gastronomia e Nutrição), da Antiguidade aos nossos dias, que se responsabiliza pela criação de conteúdos científicos necessários à criação de dois universos digitais inéditos, destinados à preservação e divulgação das Culturas Alimentares do Espaço Lusófono: Museu e Biblioteca virtual DIAITA.

Trata-se de uma investigação em rede, pioneira no espaço lusófono, reunindo investigadores portugueses e brasileiros com vista a fazer uma história e um levantamento do património dos padrões alimentares identitários que vigoram na atualidade, tanto portuguesa como brasileira.

Programa 25 de outubro | Município de Oliveira do Hospital 

10H Receção em Oliveira do Hospital- Museu do Azeite 

Apresentação da candidatura “Coimbra-Região Europeia da Gastronomia 2021”

10H30 Conferência Plenária | Maria Cecília Amorim Pilla (PUC-Paraná, Brasil): Patrimônio alimentar e os cuidados com a saúde na coluna “Forno e Fogão” no Brasil dos anos 1950;
11H Conferência Plenária | José Manuel Sobral (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa): Comida, celebração, memória e nostalgia entre os são-tomenses em Portugal;
12H Conferência Plenária | F. Xavier Medina (Universitat Oberta de Catalunya): La transformación del concepto de Dieta Mediterránea: de la salud a la sostenibilidad, pasando por la cultura y el patrimonio;

12H30 Conferência de Encerramento | Jean-Pierre Poulain (Université de Toulouse Jean Jaurès & Taylor’s University): Entre Food Studies et approche disciplinaire. L’alimentation, un enjeu pour les Sciences Sociales.

13H Encerramento

15H Programa Cultural | Visita ao Museu do Azeite e ao Centro Interpretativo das Ruínas Romanas de Bobadela