Cabanas de Viriato não vai concluir a época desportiva na AF Viseu

Comunicado do Sport Cabanas de Viriato e Benfica na sua página no Facebook:
O Sport Cabanas de Viriato e Benfica, vem por este meio informar todos os sócios, simpatizantes, adeptos e patrocinadores que não irá continuar a competir para finalizar a época 2020/ 2021.
Depois de muito analisar os prós e contra de continuar a competição,chegou-se a conclusão que seria melhor terminar.
Agradecemos a todo o plantel, equipa técnica e massagista todo o empenho que tiveram tanto em treinos como nos jogos onde sempre se empenharam o máximo para dignificar o nome do Sport Cabanas de Viriato e Benfica.
Agradecemos aos nossos sócios e adeptos que mesmo sem poderem estar conosco no campo, tudo fizeram para se fazer ouvir no apoio em cada jogo.
Agradecemos aos nossos patrocinadores e amigos pelo apoio que nos deram.
Agradecemos a todas as coletividades e empresas que sempre que foram solicitadas disseram presente.
Agradecemos também à Junta de Freguesia de Cabanas de Viriato e à Câmara Municipal de Carregal do Sal, que de uma forma ou outra sempre atenderam aos nossos pedidos.
Continuaremos a trabalhar para na próxima época regressar mais fortes e com vontade de continuar a honrar o nome do Sport Cabanas de Viriato e Benfica.
SCVB sempre.

Mangualde e Carregal do Sal terminam participação na Divisão de Honra

Associação de Futebol de Viseu fez saber, em comunicado, quais as equipas que não vão disputar os jogos que faltam para concluir a época 2020-2021.

Na Divisão De Honra, das 18 equipas que iniciaram a temporada, apenas Mangualde e Carregal do Sal ficam de fora na reta final da competição, que era de inscrição facultativa, ou seja, sem penalização de descida.

Ricardo Lopes, presidente do Mangualde, em declarações ao Jornal do Centro, justifica esta decisão com o facto “de não haverem condições, quer desportivas quer financeiras, para retomar a competição”. O responsável lembra que “a retoma irá ser feita, novamente, com a ausência de pública e com uma série de constrangimentos que foram decretados pela Direção Geral de Saúde”.

O presidente do Mangualde salienta ainda que “a instabilidade que se vive nos quadros competitivos da AFV”, é outro dos motivos para não competirem. Ricardo Lopes lembra que “este é o terceiro modelo competitivo que a direção da AFV decidiu implementar este ano” e, “por tudo isto, entendemos que não estão reunidas as condições de estabilidade que um clube de futebol precisa para estar em competição”.

Paulo Catalino, presidente do Carregal do Sal, também explicou o porquê da decisão: “O campeonato devia ser repensado tendo em conta o momento que vivemos de pandemia”.

“A grande parte das associações desportivas, vivem muito do apoio que as câmaras municipais dão às coletividades desportivas. Não havendo futebol das camadas jovens, as verbas que a gente vai conseguindo ter para o ano desportivo, são escassas”, explica.

Paulo Catalino assume que era “uma loucura” e “muito insensato, colocar uma equipa que, neste momento, não tem condições financeiras para poder praticar o desporto, num campeonato que tem de tudo, menos bom senso”.

“A nova norma que saiu da Direção Geral de Saúde, que obriga a que haja necessidade de fazer os testes [à Covid-19], e que são mais um custo para os clubes, acabam por ainda agravar mais a situação financeira dos clubes”, salienta.

Na zona norte da Primeira Divisão Distrital de futebol, as 13 equipas que iniciaram a temporada, vão todas continuar em competição. O mesmo não acontece na zona sul, onde dos 14 clubes iniciais, apenas nove vão continuar a competir. Besteiros, Vale de Madeiros, Cabanas de Viriato, Os Ciências e Santar, foram as equipas que optaram por não integrar a competição facultativa.

A Taça Distrital de Futebol de Sub-21, que foi criada para as camadas jovens que estão sem competir há mais de um ano, vai ser disputada por 18 equipas. A mesma adesão não se verificou no futsal, onde apenas três equipas vão disputar esta competição para os escalões de formação.

Na Divisão de Honra de futsal, todas as equipas aceitaram continuar em competição. A zona norte é composta por oito clubes, enquanto que a zona sul vai contar com sete equipas em prova.

No futsal feminino, a Primeira Divisão Distrital, que ainda não tinha arrancado, vai ser disputada por oito equipas, divididas em duas séries, norte e sul, cada uma composta por quatro clubes.

A Associação de Futebol de Viseu diz que “os regulamentos, formatos competitivos e calendários a aplicar em cada uma das provas, serão publicados na próxima semana”. “Os sorteios de cada competição vão ter lugar entre 19 e 21 de abril”, lê-se no comunicado oficial.

 

Carregal do Sal. Câmara requalifica Estádio

Continuam em curso os trabalhos da empreitada de Requalificação do Estádio Nossa Senhora das Febres, em Carregal do Sal.
Recentemente, e de acordo com o Plano de Trabalhos em vigor, foi concluída a cobertura da bancada; executam-se rebocos das paredes exteriores e interiores; colocam-se os revestimentos cerâmicos em paredes interiores; betonilha em pavimentos e estão também já aplicadas algumas caixilharias.
Em curso continua a execução das redes de distribuição de água, esgotos e águas pluviais.
A empreitada realiza-se na sequência da candidatura apresentada pela Câmara Municipal e aprovada no âmbito do Programa BEM (Beneficiação de Equipamentos Municipais), num investimento total de 352 000,00€.

CM de Carregal do Sal

Atletismo Adaptado: Cristino Pereira é campeão Europeu de 3.000m

O atleta da Lapa do Lobo (Nelas), que corre pela Casa do Povo de Mangualde, conquistou a medalha de ouro, nos 3 ooo mts, nos Europeus de Atletismo Adapatado (pista coberta), que decorrem em Nantes (França).

Portugal termina o Europeu Indoor com 17 Medalhas.
No último dia em Nantes foram 3 de Ouro e 1 de Bronze.
Terminou em grande para Portugal o 10º Campeonato da Europa de Atletismo em Pista Coberta VIRTUS, com a conquista de mais 4 medalhas e com a equipa masculina a ser vice-campeã coletivamente.
O grande destaque do dia foi a medalha de ouro alcançada por Cristiano Pereira nos 3.000m com a marca de 8.34.67 que é o novo recorde dos campeonatos. Na mesma prova o estreante em competições internacionais, Cristiano Silva Pereira terminou em 4º lugar com 9.47.26 (melhor marca pessoal).
Quem também repetiu os ouros dos dias anteriores foram Lenine Cunha e Ana Filipe, ambos no salto em altura com 1.60m e 1.54m, respetivamente. A medalha de bronze do dia foi conquistada pela estafeta lusa dos 4x400m composta por Domingos Magalhães, Cristiano Pereira, Lenine Cunha e Carlos Freitas com a marca de 3.52.42.
Referência ainda para a presença de Carlos Freitas na final dos 200m masculinos onde conseguiu o 5º lugar com 24.61.
A Seleção Nacional terminou este Europeu Indoor em Nantes com um total de 17 medalhas (7 de ouro, 6 de prata e 4 de bronze), sendo que a equipa masculina acabou no 2º lugar a classificação coletiva com 57 pontos, menos 2 que a França que a “jogar” em casa se sagrou Campeã da Europa e com mais 23 pontos que a Espanha.

Sabemos o que fizeste no jogo passado.Opinião por Vítor Santos

As competições profissionais têm decorrido e podemos afirmar que ainda são das poucas distrações, espetáculos que nos permitem “desligar”, por momentos, da situação atual de pandemia, dor e ansiedade em que vivemos.

Infelizmente o futebol profissional não tem tido por parte dos seus protagonistas, mais mediáticos, atitudes que apaixonem o adepto pelo desporto. Continuam os egos e a bacoquice das guerras e guerrinhas. A gestão emocional é uma competência intrínseca aos vencedores.

Os presidentes, dirigentes, treinadores ou funcionários dos clubes têm de ser penalizados monetariamente pelos seus atos. Coimas elevadas. Se tiverem coimas de milhares de euros, duplicando a cada ação, vamos ver se aprendem a perder ou não. Quando lhe forem aos bolsos vão começar a pensar antes de terem comportamentos saltitantes. Não é preciso suspender os agentes desportivos. É aplicar-lhe multas em função dos ordenados de luxo que recebem. Esta solução é válida para todos os agentes ligados aos clubes: do dirigismo à comunicação.

Atirar culpas pelo insucesso para os outros é estar a desresponsabilizar quem decididamente deve ser melhor e assim estar mais perto de ganhar. E são os que recebem MILHÕES. Repito: MILHÕES.

Estes comportamentos desviantes só servem para os paineleiros e pseudocomentadores e as suas teses mirabolantes de entendidos de tudo e de todos, além de julgarem o próximo pelo seu próprio espelho. Se o ridículo matasse!! Mas no desporto não existem ses. Já nada os envergonha. Será que pensam que estamos no século passado e somos “carneirada” que engole tudo?! Que não sabemos diferenciar o que é sério e o que é encenado? O que é certo e o que é errado? Quem tem agenda própria e presta vassalagem e quem não tem?

O que hoje é penalty, amanhã se for contra nós já não o é. O atleta que comete um erro é um vendido quando é contra o nosso clube, se for a nosso favor foi infeliz. Quem dá palco a esta gente?! Formação académica não é sinónimo de valores. Muitos antigos dirigentes, treinadores, jogadores ou árbitros também já se esqueceram de onde vieram.

Os clubes que tanto protestam, e são sempre os mesmos, nada fazem para alterar o rumo da situação. Não interessa puxarem pela memória. Basta que pensem no presente e no esforço louvável que fazem para jogarem de 3 em 3 dias e valorizarem o que se tem. De que vale tanto trabalho, tanto esforço e dedicação se depois tudo se resume a fazerem ruído? Nem desfrutam do jogo, nem deixam que o façamos. Os regulamentos disciplinares podem sempre ser melhorados. Porque têm os clubes medo de o fazer?! Porque preferem que tudo se mantenha na mesma?!

A pressão exercida sobre a arbitragem ajuda a que as situações não corram como todos desejávamos. É demasiado. Ultrapassa limites. Os comportamentos nos bancos são de bradar ao céu. Ninguém assume responsabilidades?! Os árbitros portugueses quando atuam em jogos da UEFA ou da FIFA não tem tido grandes problemas. Não são piores que os dos outros países. Porque os agentes desportivos (dirigentes, treinadores, diretores de comunicação, jogadores), que por cá tanto falam e saltam, nas competições europeias têm comportamentos civilizados e de desportistas? Afinal sabem estar, mesmo quando não ganham!! Então em que ficamos?! Fora de portas todos se sabem comportar e ter boas prestações. Quando entram em território nacional é o ruído completo.

Queremos desporto. Futebol. Espetáculo. Competição. É assim tão difícil perceber isso?!

Atletismo Adaptado: Cristiano Pereira conquista o Bronze em Nantes

Cristiano Pereira, o atleta de Lapa do Lobo (Nelas), que corre pela Casa do Povo de Mangualde, conquistou a medalha de bronze na prova de 1500 metros no europeu de atletismo adaptado, que está a decorrer em Nantes (França), até 14 março.

Atingindo a marca de 04.39,14 minutos, Cristiano Pereira volta a competir no sábado, onde vai disputar a prova dos 3000 metros.

 

Oliveira do Hospital.Gala do Desporto acontece no próximo sábado

No próximo sábado, o Município de Oliveira do Hospital promove mais uma edição da Gala do Desporto, evento anual que presta uma homenagem de reconhecimento ao trabalho dos agentes desportivos que, na época transata, contribuíram decisivamente para a projeção do desporto no concelho de Oliveira do Hospital.

Este ano, devido à pandemia da Covid-19, a Gala do Desporto assume diferentes contornos e será emitida nas plataformas online da autarquia, no próximo sábado, 6 de março, a partir das 21H00, bem como nos meios de comunicação social que se quiseram associar como parceiros desta divulgação. Também por isso, em 2021, o evento não será de reconhecimento nas categorias habituais mas sim, “um reconhecimento às boas práticas e à resiliência do associativismo desportivo do concelho, reforçando assim o seu importante papel social, cívico, cultural, formativo e desportivo”, como assinalou o vereador do Desporto, na apresentação da Gala do Desporto.

Na conferência de imprensa, realizada esta quinta-feira, Nuno Ribeiro sublinhou que ao longo das seis edições da Gala do Desporto foram distinguidos cerca de 150 agentes desportivos, uma prova “do ecletismo e excelência dos nossos agentes desportivos” num concelho onde o “desporto é importante para a vivência do território”. Este foi também o ano em que o Município foi distinguido com o galardão “Município Amigo do Desporto”, afirmou o vereador que entende ser justo “reconhecer a sensibilidade e perceção que o senhor Presidente da Câmara Municipal sempre demonstrou em relação à importância do desporto e à promoção de hábitos de vida saudáveis”.

Como disse o responsável pelo pelouro do Desporto, num ano particularmente difícil marcado pela suspensão, cancelamento e esvaziamento das competições desportivas e “não podendo atribuir as categorias de prémios habituais”, a edição 2021 da Gala do Desporto “para além da entrega dos Votos de Reconhecimento Municipal/Mérito Desportivo já atribuídos em reunião de Câmara, pretende reconhecer e premiar todos os clubes e associações, que de forma regular, desenvolvem e dinamizam a prática desportiva no concelho de Oliveira do Hospital”.

Assim, na emissão que poderemos assistir no próximo sábado – previamente gravada e enriquecida com momentos musicais e de humor – serão distinguidos os Clubes Federados, com desporto coletivo e individual; o Desporto INATEL; e o movimento associativo que mantém secções de desporto. Da emissão faz parte também a entrega das distinções a atletas que já haviam sido homenageados pelo executivo municipal com um voto de reconhecimento municipal e que receberam o galardão durante a conferência de imprensa de apresentação do evento. A saber: Fernando Vicente, campeão nacional de Clubes na prova de salto em comprimento com a camisola do GD Eirense; Miguel Stoffel, vencedor da Taça de Portugal em Trap 5 – Fed. Portuguesa de Tiro com Armas de Caça; Rafael Gomes, campeão Nacional de Clubes de Longa Distância e Campeão Nacional Individual de Média Distância; e José Carlos Pinto, campeão de Portugal em 800m Pista coberta no escalão seniores e campeão nacional de Clubes, 1.ª Divisão, prova de 800m pista ar livre.

Também o presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino não deixou de lembrar o “conjunto de políticas que a Câmara Municipal introduziu, nomeadamente de desporto para todos”, nos últimos anos bem  como estes momentos de homenagem a todos os atletas “de elevado nível que o concelho possui” e que levam mais longe o nome de Oliveira do Hospital. O presidente da autarquia  frisou também que, durante a pandemia, a Câmara continuou a apoiar os clubes e associações, “mantendo os apoios que já tinha para que as pessoas não desmotivem e sintam que devem continuar o seu trabalho porque o concelho não seria o mesmo sem a sua forte componente desportiva”.

Município de Oliveira do Hospital, 4 de março de 2021

Ciclovia na Variante de Nelas vai ser uma realidade

Está em fase final o procedimento concursal para construção de uma ciclovia de ligação na Variante de Nelas, entre a “Rotunda do Lidl“, a “Rotunda da Vinha“ e o Parque de S. Miguel, numa extensão aproximada de 3 Km, tendo tal investimento sido aprovado no âmbito de uma candidatura efetuada ao Aviso PAMUS (Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável), no Centro 2020 da CCDRC, sendo o investimento de 700.000€, com o apoio financeiro de fundos comunitários de 85%.
O prazo de execução da empreitada é de 10 meses, tendo à mesma concorrido com o melhor preço a empresa “A. M. Cacho & Brás, Lda“, de Condeixa-a-Nova.
Está previsto que esta obra esteja no terreno até final do mês de abril próximo, constituindo uma excelente infraestrutura de mobilidade externa à malha urbana da Vila de Nelas, em particular, como alternativa ao veículo automóvel nas acessibilidades às zonas industriais norte e sul da Vila de Nelas.

Fernando Tavares Pereira desencadeia onda solidária para os núcleos do Sporting

Por iniciativa de Fernando Tavares Pereira, sócio nº 26.572-0 e em conjunto com outros sócios do Sporting, está em curso uma campanha solidária de apoio aos núcleos do Sporting CP, os quais infelizmente têm sido esquecidos pela Direção do nosso clube.
Os núcleos são sempre um dos maiores elos de ligação do exterior e apoio ao nosso Sporting CP, nunca esquecendo mesmo quando os resultados desportivos não eram os melhores. Tendo dado sempre o apoio incondicional à nossa equipa, assim como continuam a dar e a apoiar, onde quer que se desloquem, para que o bom nome e os resultados do Sporting Clube de Portugal sejam sempre aqueles que todos os sportinguistas, de bem, pretendem, que são as vitórias.
Para isso, exigimos, com clareza e desportivismo, a dignidade que o desporto merece.
O Sporting CP e o desporto português merecem o respeito de todos nós.
Assim, enviamos para vosso conhecimento um flyer informativo, sendo que, todo e qualquer apoio, reverterá sempre para os núcleos. São eles que levam o nome do Sporting mais além.
Os núcleos contam convosco, e assim contamos com o apoio de todos.
A conta bancária para o efeito já se encontra aberta, pelo que gostaríamos de contar com a vossa colaboração para fins de divulgação da mesma:

PT50 0045 3456 40336939721 75
Crédito Agrícola

Relembramos que todos os fundos creditados na referida conta serão distribuídos por todos os núcleos que estão a aderir a esta iniciativa, a qual está a ter um grande nível de adesão.

No dia 10 de Junho os respectivos fundos serão distribuídos.

Atribuição de Utilidade Pública Desportiva à Federação Nacional de Squash

Através do Despacho nº 1993/2021 do Senhor Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, de 9 de Fevereiro de 2021, publicado em Diário da República, de 23 de Fevereiro, foi declarada a Utilidade Pública Desportiva da Federação Nacional de Squash.

A presente declaração é o reconhecimento de um processo de modernização da estrutura organizacional, competitiva e de formação de toda a Federação.

A Utilidade Pública Desportiva permitirá ao Squash aumentar, ainda mais, a sua base de atletas, promovendo um trabalho de divulgação da modalidade, um trabalho mais aprofundado junto da juventude, a continuação do desígnio da igualdade de género no desporto e um apoio às seleções nacionais.
O Squash é um dos desporto mais saudáveis incutindo nos seus praticantes um espírito de resiliência, respeito pelo adversário e diversão.

A Federação deseja agradecer a todos os seus atletas, treinadores, dirigentes e patrocinadores que tudo fazem para que continuemos a Respirar Squash.

Mangualdense Miguel Monteiro bate recorde do mundo em lançamento do peso

O atleta paralímpico Miguel Monteiro bateu hoje, 21 de fevereiro, o recorde do mundo do lançamento do peso da classe F40 com a marca de 11,01 metros. O atleta de 20 anos de idade superou a sua anterior melhor marca pessoal de 10,70 metros no decorrer do Torneio de Preparação que se está a desenrolar em Pombal a par dos Campeonatos de Portugal de Provas Combinadas em pista coberta.

O anterior recorde mundial, situado nos 10,88 metros, pertencia aos lançadores Garrah Tnaiash (Irão) e ao Denis Gnezdilov (Rússia).

AF Viseu suspende todas as provas que organiza

A Direção da AF Viseu informa que, dando prossecução às decisões e orientações resultantes do Conselho de Ministros realizado ontem, dia 13 de Janeiro, as quais foram oficialmente publicadas hoje no Decreto n.º 3-A/2021, deliberou É (), todas as provas organizadas sob a jurisdição da AF Viseu.

Viseu Dão Lafões Riders Challenge atraiu 183 atletas

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões deu por encerrada a primeira edição do Viseu Dão Lafões Riders Challenge, um desafio inovador que atraiu 183 atletas, oriundos de cinco países (Canadá, Itália, Portugal, Espanha, Reino Unido).

Nesta prova, que decorreu entre 17 de outubro e 20 de dezembro de 2020, os participantes foram desafiados a percorrer as quatro Subidas Épicas | Viseu Dão Lafões, traçadas nas encostas das serras do Caramulo, Arada e Montemuro. Embora os componentes de superação e de descoberta fossem os condimentos principais deste evento, a vertente competitiva não foi esquecida por via do registo dos tempos obtidos em cada uma das quatro subidas.

No plano competitivo, foram validadas 273 subidas. Entre os 50 atletas que completaram as quatro subidas (finishers), Flávia Lopes, atleta da equipa Vasconha BTT Vouzela, foi a Vencedora Absoluta Feminina; Michel Machado, também da equipa Vasconha BTT Vouzela, foi o Vencedor Absoluto Masculino. Já a equipa Vasconha BTT Vouzela sagrou-se vencedora do “Finishers Board” e do “Climbers Board”.

Atendendo às restrições que vivemos, o Viseu Dão Lafões Riders Challenge assumiu-se como uma alternativa válida para a prática desportiva, permitindo a captação e o acolhimento de atletas, respeitando todas as diretivas associadas à situação sanitária atual.

De acordo com o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho: “Tendo em conta o número de participantes, as suas nacionalidades, bem como a diversidade dos distritos de origem dos atletas nacionais, consideramos que esta iniciativa foi um sucesso, tanto no plano desportivo como no âmbito da estratégia que a CIM Viseu Dão Lafões delineou, de promoção da região enquanto destino de excelência para turismo natureza e desportivo.”

Ainda de acordo com o Secretário Executivo: “O sucesso desta iniciativa, é um reflexo do potencial de atração que os recursos naturais da região, se devidamente explorados, exercem sobre os amantes de atividades ao ar livre. Cabe-nos a nós, não só, preservar estes recursos endógenos, mas também ser capazes de os apresentar ao mundo de uma forma sustentável, criando novas oportunidades de desenvolvimento regional. É este o trabalho que a CIM tem vindo a desenvolver.”

Este desafio contou com a parceria do Turismo Centro de Portugal, da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) e dos 4 Municípios envolvidos no projeto.

Os resultados finais podem ser consultados em: https://resultados.viseudaolafoes.stopandgo.net/

Abandono desportivo empobrece o país.Opinião por Vítor Santos

O ano de 2020 acaba com a esperança de que a vida, tal e qual a conhecemos, irá voltar à normalidade dentro de meses. Para o Desporto, foram duas épocas desportivas atípicas e que vieram trazer mais abandono e pobreza aos clubes/modalidades mais modestos.

O abandono precoce da prática desportiva tem sido um tema para o qual temos alertado com muita veemência. O excesso de pressão e as elevadas expetativas que se criam a crianças desde os sub-8, e que nos sub-15 não se confirmam, levam à frustração e ao cansaço. Agora são os escalões acima dos 15 anos a desistirem por não haver competição. A desmotivação leva ao abandono. As razões para o abandono podem ser positivas ou negativas, mas estas últimas são, de certeza, em maior número. Reduzir a taxa de abandono deve ser um desígnio de todos – a saúde e economia agradecem.

O desporto em Portugal sofre a maior perda de praticantes que alguma vez aconteceu. As associações, os clubes e todos quantos estão ligados ao desporto vão ter de fazer renascer a paixão pela prática desportiva de forma a se conseguir minimizar essa perda. Estima-se, que só a nível federado, estejam parados mais de 150 mil praticantes. Muitos destes já não regressam e outros terão menor capacidade para socializar, para se superar e para traçar objetivos.

Na temporada passada, nas modalidades de futebol, futsal, andebol, hóquei em patins, basquetebol e voleibol existiam 220 735 jovens federados e atualmente contam-se apenas 47 774. Elucidativo. A superação e a resiliência são características dos atletas e por isso vamos acreditar.

Ainda não sabemos bem como, nem quando, mas todos queremos retomar. As boas práticas têm de vir com a retoma da atividade desportiva. Cada um de nós tem uma função e, ao exercê-la, deve ser exigente consigo mesmo e com os outros.

Ao contrário do que muitos apregoam, o desporto continua a ter intactos todos os seus valores. Não está na moda o desvio comportamental. O que está na moda é a bacoquice, a ausência de solidariedade, a falta de exemplo de quem ganha milhões e deve transmitir através da atitude e da palavra os valores de que se faz o futebol.

As punições têm de ser revistas. Quem ganha milhões tem de pagar em consonância com o vencimento. Não faz sentido treinadores, jogadores e dirigentes que ganham imenso dinheiro serem penalizados em meia dúzia de euros por promoverem o ódio, a violência, o racismo, a descriminação. Quando se releva qualquer ato destes, está-se a criar impunidade. A justificação de não saber perder não valida absolutamente nada!

O futebol é “só” a atividade mais mediática e escrutinada no mundo. As redes sociais amplificam. Mas esta é a sociedade atual e tem coisas boas e más, como sempre foi.

O que é fundamental não esquecer, e muitos infelizmente esquecem-no, é que o desporto é uma escola de valores e não de egos. Quanto melhor for a educação desportiva da criança e do jovem, melhores adeptos, treinadores e dirigentes vamos ter. Por agora, urge cumprir as regras de saúde pública e esperar que o futuro traga de volta as crianças e o desporto na sua plenitude.

Votos de um excelente ano de 2021.

I Divisão Sul.Resultados e Classificação

AF Viseu.Resultados e Classificação da Divisão de Honra

Sátão    2-3    GD Resende
GDC Roriz    2-1    GD Mangualde
Paivense (V.N. de Paiva)    3-2    Molelos
CD Cinfães    2-0    Moimenta da Beira
Vale de Açores    1-1    Nespereira FC
GD Oliveira de Frades    1-3    SC Lamego
Carvalhais    3-2    Penalva Castelo
Carregal do Sal    0-1    CR Ferreira de Aves

O CR Ferreira de Aves passou para a liderança, com 24 pontos. O CF  Carregal do Sal é 12º, com 12 pontos.

 

Campeões Centro Ralis 2020

A equipa J. Silvas Rally Team, composta por Armando Carvalho e Ana Santos aos comandos do Mitsubishi Lancer Evo V sagraram-se Campeões Centro de Ralis 2020, um título há muito ambicionado pela dupla de Vila Nova de Poiares.

“Num ano atípico e difícil para todos devido à pandemia que vivemos, conseguimos alcançar o objectivo a que nos tínhamos proposto. Já há muito que ambicionávamos alcançar este saboroso título”, salientou o novo Campeão Centro de Ralis, Armando Carvalho e Ana Santos.

“A nossa performance ao longo do ano foi notável, onde conseguimos vencer todos os ralis e todas as especiais”, disse o piloto. “Depois do vice-campeonato em 2019, este era um título ambicionado por toda a equipa. Em conjunto com os nossos patrocinadores, preparámos e montámos um ambicioso projecto, que nos permitiu reunir os melhores meios para conseguirmos atingir a vitória no Campeonato Centro de Ralis de 2020 e também no Desafio Kumho Centro. Apesar das circunstâncias, foi um ano fantástico e queremos deixar um enorme agradecimento aos nossos patrocinadores, à Domingos Sport pela preparação e assistência do nosso Mitsubishi, aos nossos parceiros, fãs e amigos, pois este título é de todos nós. Estamos muito satisfeitos com o trabalho desenvolvido ao longo deste ano”, acrescentou o piloto da J. Silvas Rallye Team.

“A pandemia do Covid-19 condicionou todos os campeonatos e o Campeonato Centro de Ralis não foi excepção. Das 8 provas inicialmente previstas só foi possível realizar 4. Ainda vimos o Rali Vidreiro Centro de Portugal ser cancelado, quando já estávamos em parque de partida, devido ao infortúnio que vitimou a navegadora espanhola Laura Salvo. Teria sido bom para o campeonato termos realizado mais uma prova mas, infelizmente não foi possível. Ainda assim conseguimos ter mais provas que os nossos colegas que estavam para disputar o Campeonato Sul de Ralis”, afirmou Armando Carvalho navegado pela Ana Santos.

“Para a temporada de 2021, a FPAK deveria ter em conta que não será uma época normal nos ralis nacionais e regionais, pelo que achamos que deveria ser lançado um campeonato mais pequeno e concentrado com um máximo de 5 ralis. Para não corrermos os riscos de vermos provas anuladas e canceladas e, assim tirar o interesse na disputa dos campeonatos por parte das equipas e patrocinadores, deveriam ser analisadas provas com melhores condições para a sua realização. 2021 vai ser um ano difícil e os calendários e regulamentos têm que ser feitos em conformidade com isso para que todos os intervenientes”, referiu o piloto da J. Silvas Rally Team.