Festival Street Art contempla pintura de uma cuba de vinho em Nelas

No âmbito do 2º Festival de Street Art de Viseu (pintura urbana, de ruas e edifícios), os Municípios de Nelas e de Viseu reforçaram laços de cooperação a propósito do vinho do Dão, com a pintura de duas cubas de Vinho, uma em Nelas e outra em Viseu, sendo a de Nelas localizada junto ao Edifício da Antiga Federação dos Viticultores do Dão, criando-se simbolicamente uma imagem comunicante no domínio da identidade vinhateira comum aos dois territórios.

No ano em que se comemoram as Bodas de Prata dos 25 anos da Feira do Vinho do Dão de Nelas, que se realiza nos dias 2, 3 e 4 de setembro de 2016, a Câmara Municipal de Viseu integrou no seu programa “Tons de Primavera”, a oferta desta ação à Câmara Municipal de Nelas, que será um importante contributo para a valorização do património arquitetónico de cariz vitivinícola do concelho. Neste sentido, as duas cubas vínicas que se encontram separadas por 24 km, uma em Viseu e outra em Nelas, recebem a intervenção artística de “The Caver”, estabelecendo desta forma “um elo” de ligação nesta região vinhateira e de consolidação da recente aposta da Câmara Municipal de Nelas na renovação da imagem urbana da Vila. Esta iniciativa do Município de Viseu dá o pontapé de saída na agenda enoturística anual do Concelho e da Região, com um mix de programação artística, vinhateira e de animação, sem esquecer a marca de identidade histórica de Nelas, que está situada bem no centro da Região Demarcada dos Vinhos do Dão.

Na Sessão de apresentação, o Presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva, destacou a proximidade dos dois Concelhos e a identidade na aposta do Vinho do Dão, pois tal como Viseu é considerada a Cidade Vinhateira do Dão, “o Concelho de Nelas tem a histórica e singular Vila de Santar, que lhe confere a posição de principal Vila Vinhateira do Dão”. Referiu ainda que as parcerias com Viseu, bem como com outras Câmaras e com a CVR Dão, são essenciais na divulgação da marca do Vinho do Dão, acrescentando que “a par de Viseu, os eventos do Concelho de Nelas, como o Rally Vinho do Dão e a Feira do Vinho do Dão, constituem mais valias ligadas a diversos sectores, em especial ao Dão, que já não cabem no nosso território, sendo cada vez mais regionais e nacionais”, palavras reafirmadas por Arlindo Cunha, Presidente da CVR Dão, que no seu discurso enalteceu o esforço que especialmente Nelas e Viseu têm feito na promoção do Dão.

Almeida Henriques, Presidente da Câmara Municipal de Viseu, explicou que esta decisão constitui um ato simbólico de união dos dois municípios que mantêm boas relações e que investem na promoção do vinho há muitas décadas, com orçamento próprio, acrescentando que “esta criação testemunha um diálogo regional positivo e valoriza um percurso enoturístico que une Viseu à sua vizinhança, na paisagem vinhateira e é um marco deste festival”. Adiantou ainda que esta iniciativa que se estende a Nelas é uma oferta à 25ª Edição da Feira do Vinho do Dão, pela qual nutre grande carinho e que acompanha desde o primeiro dia, enquanto Presidente da AIRV – Associação Industrial da Região de Viseu.

Ficaram assim reafirmados os laços de estreita cooperação com o Concelho vizinho de Viseu, o que reforça a projeção e promoção da Feira do Vinho do Dão, bem como todo o trabalho desenvolvido pela Câmara Municipal de Nelas na crescente afirmação e organização do evento, que concentra no mesmo espaço (Praça do Município de Nelas) diversas atividades ligadas ao setor vitivinícola.

.

Sobre o artista “THE CAVER” que irá intervir nas cubas de Vinho do Dão

Natural de Lisboa, aqui nascido a 28 de abril de 1983, Nuno Barbedo é The Caver, street artist, tatuador, ilustrador e designer gráfico freelancer. Iniciou-se no graffiti em 1998, pintando regularmente desde então.

Divide o seu tempo entre a arte de colorir e dar a vida a fachadas, murais e espaços públicos e a paixão por outras telas como o corpo humano, onde cultiva e transpõe a sua criatividade como tatuador.

Recentemente, foi um dos artistas seleccionado para participar no Mural Coletivo da Restauração, um projeto integrado no Programa de Arte Urbana do Porto, com uma homenagem à cidade portuense, onde ganha destaque a Estação de São Bento.

É membro e co-fundador do colectivo Cabidela Ninjas, um grupo que explora estéticas peculiares, caracterizadas pelo absurdo, enigma e algum humor negro, e da União Artística do Trancão. É também director executivo da GRVTA- Underground Apparel, empresa de vestuário urbano.

Fonte : CM de Nelas

Street Art

Dia Mundial da Dança comemorado em Nelas

Os alunos da Universidade Sénior, comemoram na próxima Sexta Feira em Nelas,  o Dia Mundial da Dança com Aula de Hidro Ginástica, às 11h10, e com DANÇAS AFRO-LATINAS,a partir das 21h00, no Salão Polivalente da Escola Secundária de Nelas.

Fonte : CM de Nelas13072630_1107514302604857_2358905468519776716_o

Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor.Ler é Saber

Encontrar o livro certo, no momento certo, para a pessoa certa, é um momento para toda a vida e inesquecível. É o mais importante da leitura. Mesmo no mundo de hoje, informatizado, invadido por imagens, a leitura é insubstituível e os outros suportes apenas a podem completar.

O prazer de ler um livro que nos motiva, que nos «agarra», perdurará no tempo e ficará sempre como um dos livros da nossa vida. São poucos os objetos que transportamos ao longo da vida. Os livros acompanhar-nos-ão sempre.

Portugal é um país onde se lê pouco e em que o hábito de ler deve ser estimulado na infância, para que se aprenda desde pequeno que ler é algo importante e prazeroso, assim ele será um adulto culto, dinâmico e perspicaz. Não se pode deixar de dar razão a António Lobo Antunes que referiu em 2003: “A cultura assusta muito. Um povo que lê nunca será um povo de escravos.”

A leitura é algo crucial para a aprendizagem do ser humano, pois é através dela que podemos obter conhecimento, dinamizar o raciocínio, enriquecer nosso vocabulário, e a interpretação. Não ter paciência para ler um livro, isso acontece por falta de hábito, pois se a leitura fosse um hábito as pessoas saberiam apreciar um bom livro, uma boa história.

Em nossa sociedade, ler, tem uma função primordial de despertar e proporcionar conhecimentos básicos que venham contribuir para construção integral da vida em sociedade e para o exercício da cidadania.

Milan Kundera em A insustentável leveza do ser escreveu “gostava de passear na rua com livros debaixo do braço. Eram para ela o que a elegante bengala era para um dândi do século passado. Eles a distinguiam das outras”. Ao longo da história da humanidade, o hábito de ler representa um sinal distintivo, de dignidade e saber.

A 23 de abril celebra-se o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor e quanto mais não seja é uma oportunidade de perguntar: Que livros leram?! Que livros vão ler?!

A leitura, para a minha geração, começou na banda desenhada (para termos acesso a uma maior quantidade de livros e como não tínhamos dinheiro para os comprar, íamos trocá-los a quiosques), e pelos clássicos infanto-juvenis como “As aventuras dos sete”, “O principezinho”, “O meu pé de laranja lima”, “1001 léguas submarinas” e diversas coletâneas de histórias.

É na adolescência – uma extraordinária etapa na vida de todas as pessoas, que a pessoa descobre a sua identidade e define a sua personalidade e onde os livros que lemos são um importante meio de transmissão de cultura e informação, e elemento fundamental nesse processo. Recordo, entre muitos, a leitura de “Os filhos da droga” Christiane F, “Capitães de Areia” de Jorge Amado, “1984” de George Orwell, “O nome da Rosa” de Umberto Eco, “O Diário de Anne Frank” de Anne Frank, “A insustentável leveza do ser” de Milan Jundera.

São várias a coleções que estimo e autores como Fernando Pessoa, Aquilino Ribeiro, Alberto Moravia, Miguel Esteves Cardoso, Vergílio Ferreira são obrigatórios na «minha» biblioteca.

Boas leituras.

Direito de autor é um direito natural

23 de abril celebra-se o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor. A UNESCO instituiu em 1995 este dia e a data foi escolhida por ser um dia importante para a literatura mundial – foi a 23 de abril de 1616 que faleceu Miguel de Cervantes e a 23 de abril de 1899 que nasceu Vladimir Nabokov. O dia 23 de abril é também recordado como o dia em que nasceu e morreu o famoso escritor inglês William Shakespeare.

O Direito de Autor, na sociedade contemporânea, tem uma crescente e reconhecida importância – no plano cultural e económico, ao nível legislativo. Este é um direito natural que sempre existiu mas o seu ingresso no ordenamento jurídico é um fenómeno relativamente recente. Foi sob pressão das necessidades socioeconómicas que se obrigou a adoção de regras com o aparecimento de novas formas de gestão empresarial e da multiplicidade de suportes de conteúdo.

O Direito de Autor – decompõe-se numa pluralidade de direitos, de caráter patrimonial uns, pessoal outros – é o direito que o criador de obra intelectual tem de gozar dos produtos resultantes da reprodução, da execução ou da representação das suas próprias criações. É um direito de cultura, e do seu respeito depende a sobrevivência desta.

O Direito de Autor – é um dos Direitos do Homem, como tal proclamado na respetiva Declaração Universal dos Direitos Humanos, é fundamental para estimular e favorecer a atividade criadora dos homens, permitir a difusão de ideias e facilitar o acesso do público em geral às obras intelectuais. Ainda mais hoje, quando qualquer criação, produto cultural – da publicidade ao vídeo, da literatura ao cinema, do software ao folclore, do jornalismo à internet – são atividades que passam pela questão dos direitos de autor. Calcula-se que o Direito de Autor representa em média, 2 a 5% do produto nacional bruto, chegando a ultrapassar os 8% em países industrializados, como é o caso do Japão. A dimensão cultural do Direito de Autor tende, cada vez mais, a ser suplantada pela sua dimensão económica.

Na comunicação social a questão dos direitos de autor é discutida há muito tempo, mas ganhou contornos mais visíveis nos últimos anos, quando se fazem sentir por todo o lado as consequências da globalização e do aparecimento dos grandes grupos dos Média. Na globalização o facto mais gritante é o uso nas várias plataformas de trabalhos jornalísticos. Discute-se os direitos morais, a começar pelos que dizem respeito à assinatura e à integridade da obra, se não há uma desresponsabilização deontológica perante os públicos que os jornalistas servem. Qualquer criação intelectual de espírito é protegida pelo que apresenta de novo, de original, inventivo e criativo. Sendo ela própria uma extensão da personalidade do seu autor, assegura o legislador a proteção ao direito moral do jornalista criador da obra.

As mudanças na conjuntura histórico-social indicam algumas alterações significativas do regime jurídico da obra intelectual produzida por jornalistas. O mundo viveu uma revolução tecnológica, cuja expressão maior tem sido o enorme avanço em inúmeros campos do conhecimento técnico-científico. O avanço da internet trouxe consigo inúmeros aspetos inovadores de comportamento e atitude social. Interessa aqui destacar é que toda a informação, agora acrescida de uma imensa capacidade de reprodução, resultante desse processo tecnológico, é uma propriedade intelectual. O plágio não tem na tecnologia um aliado como no passado.

Vitor Santos

Ateliê gratuito para crianças em Carregal do Sal

A Associação Mãos Unidas – P. Damião está a implementar um projeto piloto destinado a crianças com idades entre os 6 e os 12 anos.
Trata-se de um Ateliê que funciona como um complemento à Escola, Família e Sociedade e é de acesso gratuito.
Dotar as crianças de princípios e valores potenciando as suas competências é o objetivo do projeto que funciona de 2.ª a 6.ª feira, entre as 17h20 e as 19h00 e às  quartas feiras, entre as 14h30 e as 16h00, na Escola Primária Conde Ferreira, em Carregal do Sal.
Técnicas superiores das áreas da psicologia, serviço social e terapia da fala coordenam as atividades que vão desde ludicopedagógicas ao aconselhamento parental, passando pelo aconselhamento psicossocial e psicopedagógico, pedagógico e terapêutico.
Informações/inscrições: 961196585.

FIT Guarda : Carregal do Sal volta a promover a íconica figura de Aristides de Sousa Mendes

O Concelho volta a mostrar-se em mais um certame turístico. Desta vez, Carregal do Sal vai estar na FIT – Feira Ibérica de Turismo, na Guarda, entre os dias 5 e 8 de maio.
A evocação de Aristides de Sousa Mendes volta a ser o ex-libris da representação concelhia mas as potencialidades vitivinícolas, gastronómicas, culturais, patrimoniais e paisagísticas também serão valorizadas e até reforçadas. É que desta vez Carregal do Sal vai contar com a participação direta e ativa de produtores de vinho e néctares – Quinta de Cabriz e Ginja Victor; restauração – Hotel Restaurante Salinas e gastronomia – Fumeiro Flor de Sal e Bolos Tortos de Cabanas de Viriato que, repartidos pelos vários dias da FIT, vão garantir momentos de degustação in loco. Para além destes, serão ainda dados a degustar o queijo de ovelha Flor da Beira; as compotas Time To Be Sweet e os diversificados vinhos e espumantes produzidos no território concelhio.
O ator Hugo Rendas volta a “dar vida às palavras certeiras da Sandra Viegas Leal”, como afirma o encenador António Leal, em momentos teatrais “Eu Sou Aristides”, na evocação da Casa do Passal, numa réplica dos cenógrafos Paulo e Nélida Cruz.
À semelhança do que foi feito em Lisboa, vão ser oferecidos vouchers de desconto de 10% em alojamento e restauração do Concelho, numa parceria estabelecida com empreendimentos turísticos e restaurantes da área do Município.
A FIT abre portas no dia 5 de maio às 17h00 e é inaugurada oficialmente pelas 19h00, numa sessão que vai contar com a presença do Primeiro-Ministro, António Costa.
Sexta e sábado, a Feira funciona entre as 12h00 e as 00h00 e no domingo, 8 de maio, o recinto de exposição encerra às 20h00 mas a área de Restauração e de animação encerra às 00h00.
A Feira realiza-se no Parque Urbano do Rio Diz, na cidade da Guarda num espaço de 7 500 metros quadrados de área coberta, que este ano, reforça a participação espanhola tendo como convidada a Comunidade Autónoma de Castilla y León e, pela primeira vez, um país convidado – o Brasil.

2.º HOT SPOT Downtown Music Fest em Carregal do Sal

Carregal do Sal transforma-se na capital da música eletrónica da zona centro, no dia 21 de maio.
Durante 13 horas, nove dos nomes mais sonantes deste género musical animam 4 espaços diferentes na vila sede do Concelho …
Assim vai ser o 2.º HOT SPOT Downtown Music Fest que vai agitar a zona central da vila de Carregal do Sal num evento organizado pela Associação Cultural Folias & Tropelias e que começa em jeito de Sunset.
O acesso é feito através de pulseiras eletrónicas, já à venda nos locais do evento ou em:
– Facebook.com/Hotspotmusicfest;
– Residente advisor;
– Lxmusic.org

Mais informações: www.hotspotmusicfest.com

Oliveira do Hospital homenageia as Queijeiras em rotunda temática

Uma rotunda integralmente dedicada ao fabrico artesanal do Queijo Serra da Estrela, está pronta para ser inaugurada em Oliveira do Hospital. Na estrada que liga a cidade da Beira Serra à vila de Nelas, junto a Ervedal da Beira, a rotunda tem uma escultura que combina a modernidade com a tradição, numa grande homenagem ao Queijo e às Queijeiras, num concelho já por muitos considerado a capital do Queijo Serra da Estrela, sendo palco da maior festa do país dedicada a este nobre iguaria.13022229_1162119457153344_1011180739_n

“A primeira edição dos “Elos de Leitura” foi um verdadeiro sucesso “. Exposição de Maria Keil patente até ao final do mês

A Festa Literária “Elos de Leitura” de Nelas trouxe ao Concelho dezenas de eventos em torno da literatura e da arte que envolveram mais de 800 pessoas graças ao empenho da Rede de Bibliotecas de Nelas, Câmara Municipal, dos Agrupamentos de Escolas de Nelas e de Canas de Senhorim e da Fundação Lapa do Lobo.

Em nota de imprensa que fez chegar á nossa redação, a autarquia faz um balanço muito positivo do evento :

Com o objetivo de promover os livros e a leitura, não só em contexto escolar, nos estabelecimentos de ensino, mas também em contexto social, junto da população, o Concelho de Nelas viveu, de 11 a 17 de abril, a Festa Literária que apresentou  um programa diversificado, que incluiu “Trilhos de leitura”, dinamizados pela Universidade Sénior de Nelas,” Leituras Improvisadas”pelos alunos da EB.2.3/ Secundária nos estabelecimentos comerciais de Canas de Senhorim e os “Leitores do Fraque”, que provaram que ler não custa mesmo nada.

As montras dos espaços comerciais foram enfeitadas com frases alusivas ao tema, construídas pelos alunos em oficinas de escrita. Provando que podemos ler em qualquer lado, uma sessão de Yoga permitiu ouvir histórias e experienciar momentos de bem-estar físico, mental e espiritual. E porque de pequenino é que se começa a “ler”, realizou-se uma oficina de livros para bebés orientada por Lia Alvadia.

Também a gastronomia esteve em harmonia com a leitura no evento “Sabores Literários” que possibilitou aos comensais ouvir poesia e música e conhecer autores portugueses, bem como o espetáculo musical “M de Poesia” onde se ouviram canções cuja letra foi inspirada em conhecidos poemas.

Os autores do Concelho partilharam na Biblioteca da Fundação Lapa do Lobo, o percurso que trilharam entre o manuscrito guardado na gaveta e a edição de um livro, num agradável convívio que possibilitou a todos a troca de vivências.

O ilustrador Rui Castro dinamizou uma oficina de ilustração para os alunos do 1.º e 2.º CEB e ficámos a conhecer melhor o homem, o escritor e o jornalista Mário Zambujal, que deliciou a assistência com histórias da sua vida.

Porque os livros também servem de inspiração para o cinema, “Os Maias” estiveram presentes no último dia desta festa, sessão que antecedeu a cerimónia de entrega de prémios do concurso literário de micro contros “Palavrescrita” e de ilustração gráfica “A tua K”.

A primeira edição dos “Elos de Leitura” revelou-se um verdadeiro sucesso e despede-se por este ano, sendo ainda assim é possível visitar até ao final deste mês a exposição “Maria Keil-ilustradora, uma vida inteira a desenhar” na Biblioteca Municipal de Nelas.

Gonçalo Silva levou o Gap Year ao “5 para a meia noite”

Gonçalo Silva participou ontem no programa “5 para a meia noite” do Canal 1 da RTP. Fernando Alvim quis saber o que é o Gap Year e o jovem Carregalense explicou que “é um intervalo de tempo em que a malta mete os livros de parte e vai viajar e fazer voluntariado”, ou seja “não têm que se fazer as coisas à pressa – a ideia é parar um pouco, pensar, ir conhecer melhor o mundo e a nós próprios, para depois fazermos melhores escolhas e sermos melhores profissionais”. Tendo visitado 24 países, salientou na sua participação no voluntariado na Índia onde “comíamos no chão com as mãos, e não tomávamos banho todos os dias”, pois o seu quotidiano era igual ao dos nativos. Ali ensinaram muitas crianças, tal como aconteceu no Nepal . Resta acrescentar que o Gap Year é apoiado desde o seu início pela Fundação Lapa do Lobo, que acolheu esta ideia quando ainda germinava.13062807_1161687500529873_962592133_o 13054568_1161682850530338_1082858331_o

Notícias da Lapa do Lobo por Marco Costa

Anúncio Pascal na Lapa do Lobo
Os voluntários, que poucos dias antes se tinham oferecido para mordomos de Sta. Catarina, demonstraram a sua disponibilidade para servir a comunidade, e junto com seus familiares percorreram a Lapa do Lobo levando Cristo, e o anuncio da sua Ressurreição, a todos os que quiseram abrir a porta de casa.
Apesar de já não ter o encanto de outros tempos (quando quase em todas as casas se abria a porta e as crianças corriam atrás da cruz ou as pessoas faziam questão de estar em casa quando a cruz lá chegasse), não deixa de ser um dia especial de reunião familiar, com a alegria de se receber o anuncio de Cristo Ressuscitado.
Cristo Ressuscitou!
 Comemorações 39º Aniversário da Associação Desportiva e Cultural Lapense – Dia 1
A Associação Desportiva e Cultural Lapense celebrou no dia 14 de Abril, 39 anos e ao longo do mês de Abril oferece vários eventos culturais e desportivos.
O primeiro desses eventos foi um torneio da malha, que se realizou no dia 3.
Foi um dia de chuva, mas nem esse facto demoveu os aficionados da modalidade. Estiverem 14 equipas em competição, em que o vencedor foi o convívio e a boa disposição.
Para fortalecer ainda mais o convívio, os participantes tiveram direito a um lanche, que tendo em conta as condições climatéricas em que se realizou o torneio foi merecidíssimo.
Comemorações 39º Aniversário da Associação Desportiva e Cultural Lapense – Dia2
Inserido nas comemorações do seu 39º aniversário, a ADCLapense proporcionou, no dia 10 de Abril, uma tarde cultural.
Nesse dia tiveram na sua sede a atuação do Rancho Folclórico “Os Rouxinóis do Dão” de Fagilde.
Foi uma tarde muito animada e que teve como um dos pontos altos a participação de algumas pessoas do publico na dança.
Um dia em que a ADCLapense teve o prazer da presença do senhor presidente da Camara Municipal de Nelas, Dr. Borges da Silva, que não quis deixar de dar os parabéns a esta associação.
Este evento, teve também o condão de recordar os tempos em que a própria ADCLapense tinha o seu rancho. Bons tempos, em que toda a Lapa se unia e festejava a sua associação.
Parabéns ADCL! Que celebre muitos e bons anos!
 Ténis de Mesa da ADCLapense com permanência no Campeonato Nacional quase garantida
A equipa de ténis de mesa da Associação Desportiva e Cultural Lapense deu dois passos gigantescos para a permanência no Campeonato Nacional da 2ª Divisão.
Neste ultimo mês disputou jogos com os seus mais diretos adversários na luta pela permanência e conseguiu duas vitórias que permitiram criar uma diferença pontual que dá algum conforto aos lapenses.
O primeiro desses confrontos foi, precisamente, com o principal oponente dos lapenses nesta luta por ficar no Campeonato Nacional, o GD Vilar do Paraiso. Um encontro disputado nas instalações da ADCL e que se saldou numa vitória dos “lobos” da Lapa por 4-2.
No segundo encontro a ADCLapense recebeu e venceu o CR Arada, ultimo classificado e praticamente condenado á descida, por concludentes 4-0.
Os atletas da ADCLapense estão de parabéns por estas duas grandes vitórias e que continuem a demonstrar o mesmo empenho e dedicação, como têm feito até aqui, e a manutenção matemática pode ser uma realidade já na próxima jornada.
Para uma primeira presença em Campeonatos Nacionais, a ADCLapense tem-se portado muito bem, prestigiando a freguesia da Lapa do Lobo e o concelho de Nelas.

Marco Costa

Exposição “Reconstruir” inaugurada na Fundação Lapa do Lobo

Na passada sexta feira, dia 15 de abril, realizou-se no Auditório Maria José Cunha da Fundação Lapa do Lobo a palestra que antecedeu a inauguração da Exposição “Reconstruir” exposição de fotografia alusiva à recuperação da Casa do Passal de Aristides de Sousa Mendes.
A palestra começou pelas boas vindas dadas pela Dra. Mariana Torres – Curadora Cultural da Fundação, e de seguida foi constituído o painel de Oradores constituído pelos três elementos responsáveis pela Exposição: Dra. Paula Teles, Professora Josefa Reis e Sr. Rui Rodrigues, presente também neste painel esteve Dr. Luís Fidalgo (Fundação Aristides de Sousa Mendes).
Esta palestra contou com a presença de cerca de meia centena de pessoas no público, entre estes muitos entusiastas da causa de Aristides.
Durante esta apresentação foi possível ao público presente ficar a conhecer melhor a vida e obra de Aristides e os seus feitos que fizeram dele um Herói embora ainda pouco conhecido e reconhecido.
Foi também dado a conhecer o trabalho dos três Autores deste projeto e desta exposição e a forma como ao longo de um ano fotografaram a casa e a evolução das obras de recuperação.
Da parte do Dr. Luís Fidalgo foi dado a conhecer o ponto de situação no que refere ao andamento do projeto de requalificação e ainda o que futuramente se pensa fazer em relação ao espólio deixado por Aristides de Sousa Mendes.
O público presente esteve deveras interessado e participativo, e esta palestra tornou-se a dada altura uma agradável conversa entre Oradores e público presente, sendo possível a troca de ideias e de novas informações.
De seguida, todo o público foi convidado a visitar a exposição de fotografia propriamente dita, patente na Galeria de Exposições da Fundação, e aqui na presença dos seus Autores foi possível constatar a evolução das obras até ao seu resultado final, no que refere à qualificação exterior da casa.
A exposição ficará patente na Fundação Lapa do Lobo durante cerca de um mês.

Fotografias: Cortesia Professora Josefa Reis.

Texto : Fundação Lapa do Lobo

“Discências” em mostra coletiva no IPV

O dia 22 de abril foi a data escolhida para a inauguração de mais uma exposição, “Discências”, integrada no ciclo de eventos com a chancela do Instituto Politécnico de Viseu (IPV) “Venha Tomar Café Connosco”.

A mostra coletiva é uma súmula dos trabalhos produzidos por alunos do Curso Científico Humanístico de Artes Visuais da Escola Secundária Felismina Alcântara do Agrupamento de Escolas de Mangualde, com orientação e supervisão das professoras Anabela Pascoal e Cristina Vouga.
A exposição que agora vem a público resulta de exercícios de aula onde a observação, o grafismo e o ato de criar são preponderantes para a construção de um “futuro”.
A inauguração, agendada para as 14:00h do próximo dia 22 de abril no Foyer da Aula Magna do Politécnico de Viseu, estará patente ao público até ao dia 22 de maio.
O evento enquadra-se nos propósitos da instituição de ensino superior viseense em proporcionar à comunidade envolvente momentos de partilha e fruição de expressões culturais diversas, promovendo em simultâneo o processo criativo em jovens das escolas da sua área de influência.
O IPV volta a “abrir portas” a todos quantos queiram apreciar a exposição e saborear um café. Venha tomar café connosco!

* Artigo redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Viseu, 19 de abril de 2016

Joaquim Amaral
Comunicação e Relações Públicas | IPV
[email protected]

Comemoração do 25 de Abril em Oliveira do Hospital com vasto programa

O Município de Oliveira do Hospital vai assinalar o 42.º aniversário do 25 de abril de 1974 com múltiplas iniciativas que convidam os oliveirenses a participar ativamente nas comemorações. Exposições temáticas, atividades desportivas, concertos, animação de rua, teatro e atividades culturais são algumas das iniciativas das comemorações que têm como ponto alto a sessão solene a realizar no feriado.

No dia 25 de abril, a sessão solene das comemorações terá início pelas 10h45 no salão nobre dos Paços do Município e além das intervenções das individualidades presentes contará com um momento musical a cargo de jovens artistas locais. A cerimónia é antecedida pela arruada na cidade com a Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital e pelo hastear da Bandeira e interpretação do Hino Nacional pelo Coral de Sant’Ana.

Durante a tarde, a partir das 15H00 decorrerá, no Jardim Oliveira Mano, o II Encontro Concelhio de Filarmónicas, estando também a funcionar o serviço educativo das Bibliotecas Públicas Municipais com a atividade “Vem comemorar Abril”. Ao final da tarde irá acontecer a final do 3.º Torneio Solidário de Futsal, estando a entrega de prémios agendada para as 20H30.

O programa das “Comemorações 25 de Abril” inicia com o Clube de Leitura em Voz Alta, dia 19 de abril, dedicado ao tema “Revolução”.

Na próxima sexta-feira, 22 de abril, a manhã será preenchida com a dinamização de uma caminhada solidária “mOHve-te pelos outros” que terá o envolvimento de centenas de pessoas e culminará na realização de um gigante laço azul.

Ainda nesse dia haverá o espetáculo “Opera4Kids”, na Casa da Cultura César Oliveira, a partir das 21H00. Trata-se de uma espetáculo formativo e informativo no âmbito da música erudita com a produção da ópera Bastien et Bastienne de Mozart, numa adaptação para crianças e jovens até aos 15 anos de idade.

Já no sábado, 23 de abril, a Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital acolhe o lançamento do livro “O Homem que inventa setembros” de João Miranda. Nesse mesmo dia, às 21h00 decorrerá a inauguração da II Exposição Coletiva de Artes Plásticas de Oliveira do Hospital, no Espaço Multiusos do Mercado Municipal.

Inseridas nas comemorações da Revolução dos Cravos, a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital irá inaugurar, na tarde de domingo (24 de abril), a partir das 15h00, as peças de “Homenagem à Mulher Queijeira” e de  “Homenagem à Indústria das Madeiras”, em duas rotundas localizadas em Ervedal da Beira.

Destaque também para as várias exposições temáticas que estão patentes pelos diferentes espaços municipais – Casa da Cultura César Oliveira, Bibliotecas Públicas Municipais de Oliveira do Hospital e de Lagares da Beira, Museu Municipal Dr. Simões Saraiva, Espaço Multiusos do Mercado Municipal. As exposições podem ser visitadas até 6 de maio.

CITADÃO rima com paixão e animação

Abril marca o regresso de mais uma edição, a décima segunda, de um evento que marca a agenda cultural da região, o inesquecível CITADÃO – Certame Internacional de Tunas Académicas do Dão. Estão de volta as sublimes e apaixonantes serenatas, o contagiante e animado desfile pelas ruas de Viseu e as memoráveis performances que esgotam a maior sala de visitas da cidade: a Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu.

O certame, com entrada gratuita em ambos os dias, decorre nos próximos dias 29 e 30 de abril e conta com um programa que promete mais uma edição inesquecível.

Este ano, sobem ao palco a concurso as tunas Hinoportuna – Tuna Académica do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Tuna Universitária do Minho, Estudantina Universitária de Lisboa e a Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra.

O primeiro dia de espetáculo, na Aula Magna do IPV, está reservado às divinas “Serenatas”, com início marcado para as 21:30h. Já no segundo, igualmente na Aula Magna, terá lugar a noite do “Festival de Tunas”. Durante a tarde de sábado, pelas 16:30h, será possível aos viseenses assistirem ao “Passacalles”, que consiste num desfile pleno de boa disposição pelas ruas da cidade (Rua Formosa e Rua do Comércio), onde as tunas participantes dão a conhecer os seus dotes musicais.

As tunas participantes disputam os prémios de Melhor Serenata, Melhor Instrumental, Melhor Original, Melhor Solista, Melhor Pandeireta, Melhor Estandarte, Melhor Passacalles, Tuna + Tuna e Melhor Tuna.

Os presentes vão também poder assistir às atuações dos Capitães da Adega, ADFECTUS – Ricardo Rocha e Vox Visio – Coral, bem como, naturalmente, à performance dos anfitriões do evento: a TUNADÃO 1998, que “canta e (nos) encanta desde 1998”.

Informações adicionais: telefone: 232 480 700 / telemóvel: 967 155 681 / e-mail: [email protected]

* Artigo redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Viseu, 18 de abril de 2016

TUNADÃO 1998 – Tuna do Instituto Politécnico de Viseu

[email protected] / [email protected]

Joaquim Amaral

Comunicação e Relações Públicas | IPV

[email protected]

Mário Zambujal : um exímio contador de estórias que encantou uma plateia entusiasta

O jornalista e escritor, Mário Zambujal, marcou presença no passado Sábado no Festival Literário “Elos de Leitura”. O encontro teve lugar na Biblioteca Municipal António Lobo Antunes em Nelas.

Nascido em 1936, Mário Zambujal conta com muitos anos no exercício do jornalismo em Portugal. Trabalhou em televisão e vários jornais, como A Bola, Diário de Lisboa, Diário de Notícias e O Século, onde estava no dia 25 de abril de 1974. Foi em 1980, com Crónicas dos Bons Malandros, que se estreou como romancista, atividade que mantém até hoje. Um jornalista que escreve para se divertir, com um humor infantil, matreiro, marcado por uma linguagem ágil e cheia de um humor genuíno e fresco, e uma prosa despretensiosa e criadora de personagens que só por si constituem todo o universo ficcional (em Portal da Literatura).
A entrevista de vida a Mário Zambujal foi moderada por Pedro Vieira, colaborador do Canal Q e das Produções Fictícias, onde apresenta o programa diário Inferno. Pedro Vieira é ilustrador residente da revista LER, venceu o prémio P.E.N. Clube Português para a Primeira Obra 2012, em 2015 publicou o seu segundo romance, O Que Não pode ser Salvo e é o rosto do programa da RTP O último apaga a luz.com

IMG_1430

M de Poesia reúne música e poesia num espétaculo intimista

Num harmonioso espetáculo de poesia musicada, foram interpretadas canções cujas letras foram inspiradas em poemas literários, no âmbito da iniciativa “Elos de Leitura”.
O espetáculo foi criado pela Biblioteca da Fundação Lapa do Lobo (BFLL), tendo como anfitrião o seu coordenador, Rui Fonte, que contou com a companhia em palco dos músicos Rui Pina (orquestração, guitarra, baixo e piano) e João Hilário (guitarra), ambos cortesia Paracetamole Band, e das jovens vocalistas Ana Filipa Morais e Manuela Morais.

Câmara de Nelas e Banda de Carvalhal Redondo em visita a Puy L´Évêque

O Município de Nelas esteve presente no dia 15 de Abril em França para contactos culturais e económicos nas regiões francesas de Bordéus, Toulouse e Montepelier, cuja comunidade se reuniu numa Mostra de Produtos Portugueses e num convívio Franco-Português que teve lugar na Câmara de Puy L’Évêque.
O Maire desta localidade francesa convidou, para culturalmente enriquecer a iniciativa, a Banda Filarmónica de Santo António de Carvalhal Redondo que ali actuou com os seus mais de 40 elementos, quase todos jovens, com a qualidade por todos reconhecida e elogiada. Convidou ainda o Presidente da Câmara de Nelas que ali se deslocou também acompanhado pelo Presidente da Assembleia Municipal e Pelo Presidente da Junta de Carvalhal Redondo e Aguieira.
Nos encontros Franco Portugueses estiveram presentes mais de três centenas de emigrantes oriundos das referidas regiões do sul de França .13000213_10206230673305887_7767952142160681779_n

Caminhada pela Estrada Romana de Santar proporcionou experiência única

A iniciativa da Câmara Municipal de Nelas para assinalar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, reuniu ontem

aproximadamente 30 participantes numa caminhada de 8 km pela recém requalificada Estrada Romana de Santar.

Apesar da chuva, os participantes percorreram cerca de 5 milhas romanas, numa experiência única que aliou a prática desportiva das caminhadas ao ar livre à história da Vila de Santar.

Via principal no Império Romano, esta estrada fazia a ligação entre as cidades (civitas) de Viseu e Bobadela que, no respeitante ao atual Concelho de Nelas, subia das Fontanheiras atravessando Santar pela “Ponte Romana” em direção ao Rio Mondego. Estas vias de comunicação já milenares, reforçaram o papel estratégico e de centralidade deste território, onde ainda hoje se produzem os melhores vinhos do Dão. Esta tradição vinícola de Santar foi comprovada pela visita à lagareta rupestre existente nas proximidades da Estrada Romana.