Coro Misto da Universidade Sénior de Nelas ensaia no Centro Paroquial de Nelas

Ontem, o Coro Misto da Universidade Sénior de Nelas fez um ensaio diferente. Presenteou os utentes do Centro de Dia, do Centro Paroquial de Nelas, com uma aula aberta a outros ouvidos, vozes, palmas e sorrisos.
A recetividade a esta iniciativa foi excelente, motivo pelo qual já ficou a promessa que se irá repetir, porque “a educação não é apenas alimentar o cérebro. Arte e música alimentam o coração e a alma” (Julie Garwood)

Arte urbana: comunidade vai colorir as ruas de Nelas, Mangualde, Gouveia e Fornos de Algodres

As ruas de Nelas, Mangualde, Gouveia e Fornos de Algodres vão ganhar nova vida. Cores e linhas vão preencher as paredes e contar a história e as estórias dos que por cá vivem e dos que por cá passam. Trata-se de uma iniciativa do Alto Mondego’ Rede Cultural que desafiou o artista urbano Desy a criar 4 murais, um em cada município. Mas há mais. A comunidade também vai ser chamada a pegar no spray e a pintar a sua terra e criar o seu próprio mural.

4 murais, 4 histórias para contar, 4 puzzles que se juntam numa única narrativa: o Alto Mondego e aquilo que une e diferencia estes 4 Municípios. Em Fornos de Algodres o trabalho já está concluído e a homenagem é ao fadista António Menano, natural do concelho. Os outros murais vão ser pintados muito em breve. Em Gouveia será pintada a figura de Vergílio Ferreira, romancista e ensaísta português, natural de Melo; já em Mangualde a personalidade escolhida é Ana de Castro Osório, escritora e ativista feminista.

Fadista António Menano foi a personalidade escolhida em Fornos de Algodres.

“Procuramos homenagear personalidades locais ligadas à cultura e aos territórios. Cada mural tem uma leitura individual, mas todos têm uma ligação comum”, explica Desy que não tem dúvidas: Este projeto de arte urbana é um instrumento muito importante “para embelezar e enriquecer os Municípios”.

Comunidade desafiada a pegar no spray e a pintar a sua terra

Dos 8 aos 80, a comunidade vai ser desafiada a colorir a sua terra. Nos meses de agosto e setembro serão promovidas sessões de capacitação em todos os Municípios. “As pessoas vão ficar a perceber como funciona a arte urbana, quais as técnicas, qual a história e o porquê desta ser uma das artes deste século”, adianta Desy.

 

Da teoria à prática o projeto culmina com a criação de mais 4 murais. Os participantes poderão testar os seus conhecimentos e dar o seu contributo para embelezar os seus territórios.

“O envolvimento da comunidade é para mim a grande mais-valia destes projetos. As pessoas vão poder criar algo que é para o Município delas, mas é também delas. Os murais vão valorizar o Município, mas também vão valorizar as pessoas, muitas delas podem até perceber que é este o futuro que querem seguir e que é possível seguir este futuro”, sublinha.

Comunidade desafiada a descobrir a Arte Urbana.

As primeiras capacitações decorrem em Fornos de Algodres, de 2 a 4 de agosto, depois serão em Gouveia de 12 a 14 de agosto. Mangualde é o terceiro Município a acolher a iniciativa. As sessões decorrem entre 23 e 25 de agosto. A ação termina em Nelas com as capacitações de Arte Urbana a decorrerem de 6 a 8 de setembro.

As inscrições são gratuitas e já estão abertas. Os interessados devem contactar:

  • Fornos de Algodres: André Pereira – [email protected] – 967 377 759
  • Município de Gouveia: Rui da Eufrázia – [email protected] – 961 730 876
  • Mangualde – [email protected] – 925 785 552
  • Nelas – [email protected] – 961 671 526

    Acompanhe em primeira mão todas as novidades na página do facebook da Rede Cultural do Alto Mondego.

    O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Câmara de Mangualde evocou José dos Santos Pinto em tertúlia-concerto

Município de Mangualde homenageou no passado domingo, dia 11 de julho, o músico José dos Santos Pinto durante a tertúlia-concerto comentado que teve lugar na Igreja Matriz de Lobelhe do Mato. O evento contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Elísio Oliveira, e do Vereador da Cultura, João Lopes.

Cumprindo todas as regras de segurança emanadas pela Direção Geral da Saúde – DGS, cerca de 25 pessoas marcaram presença na iniciativa e assistiram à tertúlia–concerto moderada por Ana Margarida Cardoso. O momento cultural contou ainda com a presença do oboísta Luís Francisco Vieira, antigo aluno Uma imagem com pessoa, chão, interior, em pé

Descrição gerada automaticamentede Santos Pinto, que partilhou com o público algumas das memórias com o músico.

Tiago Coimbra no oboé e Joana Moreira no piano, protagonizaram o momento musical composto pelo seguinte repertório: José S. Pinto – Sonate dans l’Spirit Classique, para oboé e piano; Tomás Borba – Rosas Bravas: Melodia do Pastor (para oboé); Marcello/Bach – Adagio em Ré menor; José S. Pinto – Segunda Sonata, para oboé e piano.

A ação aconteceu no âmbito do projeto Reviver José Santos Pinto, cujo intuito é recordar o trabalho do músico e homenageá-lo. Constava ainda na programação deste projeto um Concerto Sinfónico com a Orquestra Poema, mas que acabou por ser cancelado.

PROJETO REVIVER SANTOS PINTO

O projeto Reviver Santos Pinto é da autoria de Ana Margarida Cardoso, que escreveu o livro “José dos Santos Pinto: retrato de um músico profissional durante o Estado Novo”, e do oboísta Tiago Coimbra. Através desta parceria pretendem recuperar duas sonatas para oboé compostas pelo próprio José dos Santos Pinto, apresentando-as ao público com o oboé que o músico utilizou durante toda a sua carreira. Este instrumento faz parte do espólio constante na Sociedade Filarmónica Lobelhense, foi restaurado e é único no mundo, uma vez que a sua dedilhação foi patenteada pelo músico.

 

 

Carregal do Sal:Feriado municipal celebra-se em Cabanas de Viriato

Assinala-se na próxima 2.ªfeira, dia 19 de julho, o Dia do Município.

E a Câmara Municipal preparou um programa comemorativo que, pela primeira vez, é deslocalizado.

A sessão solene vai realizar-se na Casa do Passal, em Cabanas de Viriato, situação motivada pelo facto de, nesse dia, ser a data de nascimento do humanista Aristides de Sousa Mendes.

Um dos momentos altos da sessão será, portanto, a evocação ao aniversário do Cônsul que salvou milhares de vidas do extermínio nazi.

A Câmara Municipal vai também distinguir as empresas com resultados meritórios em 2020 que conquistaram, por isso, as distinções PME Líder e PME Excelência.

O programa integra ainda ao lançamento e apresentação de mais um livro alusivo ao património concelhio – “Lagares e Lagaretas rupestres no Concelho de Carregal do Sal” e a entrega de prémios aos melhores alunos do ano letivo 2019/2020, cerimónia que foi adiada devido à situação pandémica.

Concerto da Escola Municipal de Música em Nelas

Cerca de 70 alunos da Escola Municipal de Música, professores de música e professores de atividades lúdico expressivas, apresentaram no passado dia 10 de julho 2021, no Largo do Município, Nelas, o resultado do trabalho desenvolvido durante o corrente ano letivo.

“Com um repertório musical composto por músicas clássicas e contemporâneas, a apresentação traduziu o talento, empenho e dedicação dos alunos e professores, merecendo os aplausos de pais, familiares e amigos presentes. Excelentes momentos musicais neste fim de ano letivo 2020/2021”, escreve o município na sua página no Facebook.

“Culturiza-te” uniu arte e política em Carregal do Sal

No dia 4 de julho, o Núcleo Concelhio de Carregal do Sal do Bloco de Esquerda realizou a quarta edição do Culturiza-te, uma iniciativa que pretende juntar a arte à política.
Esta quarta edição serviu também como mote para a inauguração da sede de campanha do Bloco de Esquerda em Carregal do Sal, localizada na Avenida Nossa Senhora das Febres, umas das vias de entrada na vila.
O Culturiza-te contou com uma exposição de arte, de artistas como a Micaela Correia, António Abrantes, Joana Sousa, Bruno Pereira e Rafaela Bento, e com uma instalação sonora de Pedro Abrantes, um jovem carregalense, mas também houve a oportunidade de realizar um balanço do mandato de quatro anos que está a terminar na Assembleia Municipal e para a apresentação de algumas propostas que vão constar no Programa Eleitoral do Bloco de Esquerda.
A iniciativa teve a presença de vários candidatos do Bloco, nomeadamente os dois primeiros candidatos à Câmara Municipal, Hermínio Marques e Vanessa Rodrigues, e os primeiros candidatos à Assembleia Municipal, Diego Garcia e Ana Mendes.
Diego Garcia começou por falar sobre a proposta de promoção de Unidades de Gestão Florestal, apresentada em 2018, e rejeitada pela maioria do Partido Socialista, mas também foi debatida a criação do Centro de Recolha Oficial de Animais, que foi uma proposta do Bloco e sobre o processo de transferência de competências.
O atual deputado municipal e 1º candidato à Assembleia Municipal referiu que “o Partido Socialista já tentou chamar a medida do canil municipal para si, mas de facto a presença do Bloco faz a diferença como o comprovam estes dados: 108 adoções entre 2011 e 2017; 122 adoções de julho de 2017 a dezembro de 2020”. Relativamente às transferências de competências, Diego Garcia sublinhou que “o Bloco foi o primeiro partido na Assembleia Municipal a refutar estas transferências, ficando isolado num primeiro momento, mas passado uns meses já foi a Câmara Municipal a pedir à Assembleia Municipal para rejeitar estas transferências, sobretudo na área da saúde e da educação”.
Por sua vez, Ana Mendes, a segunda candidata à Assembleia Municipal, também falou sobre algumas propostas apresentadas pelo Bloco ao longo destes últimos 4 anos, como por exemplo a criação de um cinema no Centro Cultural, a carta do associativismo e a criação do Gabinete do Cuidador Informal, que segundo Ana Mendes “foi criada uma rubrica no Orçamento Municipal para 2019 para a implementação desta estrutura, mas desde então ainda não saiu do papel”.
Vanessa Rodrigues, a segunda candidata à Câmara Municipal, começou por apresentar algumas propostas que vão integrar o Programa Eleitoral do Bloco, uma delas é a criação de um plano especial de adoção para cães idosos que estejam no canil municipal, mas também a criação da figura do Guarda-Rios, como forma de proteger e preservar os cursos de água do concelho. Relativamente ao turismo, Vanessa Rodrigues alertou que “é importante valorizar as praias fluviais existentes no concelho como forma de promoção dos nossos recursos naturais”.
O candidato do Bloco à Câmara Municipal, Hermínio Marques, disse que o Bloco “sempre alertou para os principais problemas do concelho”, desde o ambiente até à habitação, e foi dos poucos partidos a levar essas preocupações à Assembleia da República. O candidato bloquista falou das propostas do Bloco na área da educação e da saúde.
Hermínio Marques frisou que “não há vencedores antecipados, às vezes há fenómenos extraordinários”, acrescentando que aquilo que o fez candidatar-se à Presidente da Câmara foi “fazer com que as pessoas do concelho de Carregal do Sal sejam felizes e vivam bem”.

Honras de Panteão Nacional para Aristides de Sousa Mendes

A cerimónia de concessão de honras de Panteão Nacional ao antigo cônsul Aristides de Sousa Mendes vai realizar-se no próximo dia 05 de Outubro, informou esta quinta-feira a porta-voz da conferência de líderes parlamentares.

“No âmbito da concessão de honras de Panteão Nacional a Aristides Sousa Mendes e do 136.º aniversário do seu nascimento, o grupo de trabalho entendeu que o dia 5 de Outubro [feriado nacional em que se assinala a implantação da República] seria uma boa data para fazer esta cerimónia”, referiu a porta-voz da conferência de líderes, a deputada socialista Maria da Luz Rosinha, no final de uma reunião deste órgão.

Para assinalar o aniversário de Aristides de Sousa Mendes, em 19 de julho haverá uma cerimónia no parlamento em que será entregue à Assembleia da República um busto do antigo cônsul por parte do grupo de trabalho.

O grupo de trabalho responsável por definir o processo de concessão de honras de Panteão Nacional a Aristides de Sousa Mendes foi constituído em outubro do ano passado, contando com representantes de todos os partidos (exceto Chega) e familiares do antigo cônsul.

Este grupo de trabalho surgiu no seguimento da aprovação, em julho, de um projeto de resolução proposto pela deputada não inscrita Joacine Katar Moreira, que recomendava a homenagem do antigo cônsul Aristides de Sousa Mendes no Panteão Nacional.

A recomendação em causa – que não tem força de lei – pretende homenagear o antigo cônsul português na forma de um túmulo sem corpo, não implicando assim a habitual trasladação para o Panteão Nacional.

Desta forma, a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira propunha que o corpo continue no concelho de Carregal do Sal, terra onde nasceu e viveu Aristides de Sousa Mendes, preservando a importância cultural e económica que a presença do corpo tem no turismo da região.

Esta foi a primeira iniciativa legislativa apresentada por Joacine Moreira, em 2019, quando ainda representava o partido Livre – força que lhe retirou a confiança política em janeiro do presente ano e da qual se desvinculou.

Em 1940, durante a Segunda Guerra Mundial, Aristides de Sousa Mendes, então cônsul de Portugal em Bordéus, França, emitiu vistos que salvaram milhares de pessoas do Holocausto, desobedecendo às ordens do então presidente do conselho, António de Oliveira Salazar, que liderava o governo.

No Panteão Nacional estão sepultadas figuras como os escritores Aquilino Ribeiro, Guerra Junqueiro, Almeida Garrett e Sophia de Mello Breyner Andresen, a fadista Amália Rodrigues, o futebolista Eusébio, e o marechal Humberto Delgado, ex-candidato à Presidência da República.

No panteão estão também alguns dos antigos Presidentes da República, como Sidónio Pais, Manuel de Arriaga, Óscar Carmona e Teófilo Braga.

Lusa

CIM Viseu Dão Lafões lança guia “O Verão é aqui!”

Reforçando e dando continuidade à campanha “O verão é aqui!”, que promove o território enquanto destino turístico de excelência e seguro, a Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões apresenta o Guia de Oferta Turística 2021.

Mais do que uma seleção diversificada de sugestões de alojamento, apresentando temas como “Termas”, “Atividades e Animação”, “Artesanato e Gastronomia”, este guia digital, dá a conhecer, de forma estruturada, a mais relevante informação relativa à oferta turística no território da CIM.

Destinado a visitantes, turistas e todos aqueles que, de alguma forma, pretendam ou necessitem de explorar Viseu Dão Lafões, o Guia de Oferta Turística 2021 assume-se como o roteiro ideal para quem procura descobrir a oferta turística regional, independentemente do orçamento ou do motivo da estadia.

Recorde-se que, a campanha turística “O verão é aqui!” reveste-se de particular importância numa altura de retoma para as várias atividades económicas relacionadas com o turismo.

Com esta nova publicação, a CIM Viseu Dão Lafões volta a sugerir a região como a opção segura para as “escapadinhas” e férias de verão dos amantes da natureza, dos apaixonados da gastronomia e vinhos, do público familiar e dos fãs das propostas de saúde e bem-estar das estâncias termais.

Para o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho “A CIM realizou uma forte aposta na estruturação dos seus produtos turísticos, a comunicação da nossa oferta, seja no espaço digital ou noutros formatos, é uma parte fundamental dessa estratégia que tem contribuído decisivamente para afirmação do território, enquanto destino turístico de excelência, junto de novos públicos”.

À semelhança de campanhas anteriores, pretendemos que este guia seja mais um convite aberto para que todos descubram a qualidade da nossa oferta hoteleira e, em consequência dessa descoberta, se aventurem, de um modo mais intenso, naquilo que a Região Viseu Dão Lafões tem para oferecer“, concluiu o Secretário Executivo.

Este guia está disponível, de forma gratuita, em: Guia Turístico 2021 – Turismo Viseu Dão Lafões (visitviseudaolafoes.pt)

 

Nelas.Escola Municipal de Música realiza Concerto

Concerto da Escola Municipal de Música: Sábado, 10 de julho.

A Escola Municipal de Música apresenta, este sábado, dia 10 de julho 2021, no Largo do Município de Nelas, pelas 21h30, uma apresentação musical que traduz o trabalho, empenho e dedicação dos alunos e dos nossos professores de música ao longo do presente ano letivo.

Mangualde.Exposição homenageia Eurico Cunha

Mangualde recebe a Exposição de Pintura de homenagem ao mangualdense Eurico José Gomes Cunha, na Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, de 2 de agosto a 11 de setembro. A mostra, de entrada livre, é um tributo prestado pelos amigos do autor, que tiveram a necessidade de homenagear e recordar Eurico Cunha. A iniciativa é um gesto de celebração da vida do autor e marca 10 anos da sua partida. A exposição será realizada de acordo com as regras impostas pela DGS.

A obra será composta por obras reunidas pelos seus amigos, de forma a criar uma exposição à imagem do artista, uma vez que Eurico Cunha desde cedo ofereceu aos seus amigos e familiares as suas criações. É devido a esta generosidade, que os amigos podem hoje partilhar estas obras, com aqueles que não tiveram a sorte de conhecer o autor.

As obras são o reflexo da aprendizagem contínua do autor e da sua perceção peculiar e entendimento único da sua envolvente, pois tudo era considerado um recurso disponível, tudo era potencialmente tema ou matéria porque não havia barreira ou imposição social que não pudesse ser corrompida. A sua arte refletiu a exploração da sua própria fragilidade e da sua insaciável sede de conceber e experimentar. A sua estética pessoal fazia coagir o feio e o belo num contexto onde não havia distinção entre o real e a fantasia.

Biografia

Eurico José Gomes Cunha (1984 – 2011) foi um dos artistas mais promissores da região. Embora a sua passagem tenha sido breve, a sua obra foi sem dúvida de uma diversidade e criatividade imensa.

Nascido a 16 de março de 1984, viveu e cresceu na cidade de Mangualde, onde frequentou o agrupamento de Artes na Escola Felismina Alcântara. Embora dado às artes desde cedo, aí demonstrou ser um destemido experimentalista, desenvolvendo as suas capacidades técnicas através da exploração de várias formas de expressão. Eurico Cunha revelava um imenso interesse pela pintura, escultura e fotomontagem, onde a arte do retrato sempre foi mais proeminente. Embora o seu trajeto artístico nunca tenha sido interrompido, somente aos 23 anos ingressou no curso de Artes Plásticas e Multimédia na Escola Superior de Educação de Viseu, onde desenvolveu interesse por design de comunicação e vídeo.

Candidatura do PS Carregal do Sal pretende intensificar relações com a FLL

Tendo como objetivos apresentar as principais ideias da candidatura do PS para o concelho de Carregal do Sal, bem como procurar conhecer a visão da Fundação Lapa do Lobo (FLL), realizou-se uma reunião na sede da FLL com elementos da candidatura liderada por Paulo Catalino.
O candidato a presidente da Câmara, referiu ao nosso jornal que o encontroe “constituiu uma grande oportunidade de debater o futuro do Concelho de Carregal do Sal com alguém que tem sido essencial para o seu desenvolvimento. Foi nosso objetivo apresentar a nossa visão para o Concelho, assente na atração de investimentos e postos de trabalho qualificados e na melhoria da qualidade de vida. Durante esta reunião, tivemos também oportunidade de falar sobre a cultura no Concelho e sobre a relação entre a Câmara Municipal e a Fundação”.
Paulo Catalino enfatizou ainda o “compromisso de aumentar a proatividade na apresentação de propostas à Fundação, algo que não tem existido nos últimos anos. Mais do que reagir e aguardar por desafios de terceiros, queremos ser proativos e ser nós a desafiar. Estamos muito confiantes que saberemos tirar mais proveito da parceria entre a FLL e a Câmara Municipal, para dar resposta ao desenvolvimento que queremos incutir ao município”.
Ouvido pelo nosso jornal, o presidente da FLL, Carlos Torres, sublinhou que esta reunião de apresentação fez todo o sentido uma vez que o concelho de Carregal do Sal está estatutariamente inserido na área de abrangência geográfica da Fundação Lapa do Lobo. Instado a comentar o compromisso de intensificar as relações entre as duas instituições,caso esta candidatura saia vencedora da eleição, vê-o com bons olhos: “Temo nosso inteiro agrado e mereceu o nosso inteiro acordo, uma vez que achamos que efectivamente se pode ir mais longe na referida interação entre as duas entidades. Damos como exemplo a possibilidade de a FLL transferir para o Centro Cultural de Carregal do Sal alguns dos espectáculos ou eventos culturais mais emblemáticos inicialmente previstos para se realizarem no espaço da própria Fundação, de forma a que os mesmos possam chegar a um maior número de público”.

Viseu.Evento Jardins Efémeros altera programação devido à pandemia

organização dos Jardins Efémeros informa que, devido ao aumento do número de casos de infetados por COVID-19 e, mantendo o compromisso de salvaguardar a saúde e o bem-estar da população, procedemos à alteração dos horários de alguns concertos.

Neste contexto, alterou-se os seguintes horários:

  • Na segunda-feira, dia 05 de julho, o concerto da Odete (PT) ficará marcado para as 21h45 no Parque Aquilino Ribeiro seguindo-se de She Pleasures Herself, curadoria Fora de Rebanho (PT) às 22h45.
  • Na quinta-feira, dia 08 de julhoJoão Pais Filipe (PT)presentear-nos-á com um concerto, agora às 21h30 no Parque Aquilino Ribeiro.
  • Bendik Giske (NO/DE), na sexta-feira, dia 09 de julho, ficará marcado para as 20h30e, no mesmo dia, Os Sereiasàs 21h30 no Parque Aquilino Ribeiro.
  • No sábado, dia 10 de julho, a programação começará com Gala Drop (PT) às 18h00 no Parque Aquilino Ribeiro, seguindo-se Ece Canli (TR) às 19h00. No mesmo dia, Suso Saiz (ES) & André Gonçalves (PT) às 20h30 eRui Reininho (PT), a fechar a noite no Parque da cidade, às 21h30.

A equipa técnica, a equipa artística, os formadores e todos os outros membros desta equipa estão a ser testados diariamente (PCR) numa unidade móvel de saúde instalada no Parque Aquilino Ribeiro para o efeito.

O desenho da programação dos jardins efémeros 2021 teve em consideração, quer no plano artístico quer no plano técnico, o contexto pandémico que atravessamos e esperamos com este projeto, que apela à civilidade através das artes, contribuir para uma ideia de uma sociabilidade saudável e segura.

Viseu.Jardins Efémeros regressam à Senhora da Beira

Amanhã,3 de julho, pelas 18h30, nos Claustros da Sé de Viseu, a Presidente da Câmara de Viseu, Dr. Conceição Azevedo e a Diretora Artística dos Jardins Efémeros, Sandra Oliveira, inaugurarão a IX edição dos Jardins Efémeros, seguindo-se a primeira apresentação da peça de arte sonora imersiva “In the making” de Pedro Rebelo (19h00).

Aproveitamos para comunicar que, no decorrer dos Jardins Efémeros, das 15h00 às 23h00 estão disponíveis 4 galerias de arte com obras de 24 artistas nacionais e internacionais.

Devido às limitações de espaço já homologado pela Direção-Geral de Saúde, os bilhetes, apesar de serem gratuitos, terão de ser levantados nos três diferentes postos. São estes:

·         Posto 1 – PARQUE AQUILINO RIBEIRO – Carrinha “Pão de forma” do Jornal do Centro X Jardins Efémeros (10h00 >23h00)

·         Posto 2 – GALERIA 5/POSTO DE INFORMAÇÃO – Rua Cândido dos Reis nº5 (10h00>23h00)

·         Posto 3 – TEATRO VIRIATO – Largo Mouzinho de Albuquerque (13h00>14h30 e 17h30>19h00)

(Este projeto obedece às normas e recomendações de segurança da Direção-Geral de Saúde face à pandemia COVID-19)

A equipa técnica, a equipa artística, os formadores e todos os outros membros desta equipa estão a ser testados diariamente (PCR) numa unidade móvel de saúde instalada no Parque Aquilino Ribeiro para o efeito.

O desenho da programação dos jardins efémeros 2021 teve em consideração, quer no plano artístico quer no plano técnico, o contexto pandémico que atravessamos e esperamos com este projeto, que apela à civilidade através das artes, contribuir para uma ideia de uma sociabilidade saudável e segura.

 

Mangualde.Feira dos Santos 2021 cancelada

A Câmara Municipal de Mangualde, tendo em conta a pandemia e o agravamento da situação a nível nacional e os riscos sanitários que daí advêm, decidiu não realizar, uma vez mais, a tradicional e secular Feira dos Santos, adiando o evento para 2022.

Este histórico certame não se realiza este ano, mas voltará a animar a cidade de Mangualde, nos dias 5 e 6 de novembro de 2022, com os milhares de visitantes habituais, destacando sempre o que de melhor se faz no concelho ao nível da gastronomia, vinhos, artesanato, agropecuária, máquinas e alfaias agrícolas, indústria, entre outros, não esquecendo as tradicionais febras e rojões que dão a identidade a esta feira.

“TRATA-SE DE UMA DECISÃO DOLOROSA QUE DÁ EXPRESSÃO AO SENTIDO DE RESPONSABILIDADE E DEFESA DA NOSSA COMUNIDADE” – ELÍSIO OLIVEIRA

“Trata-se de uma decisão dolorosa, mas imperativa e incontornável” começa por contextualizar o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira. “Sacrificamos a realização da Feira dos Santos em prol de um bem maior, que é a defesa da saúde e da vida das pessoas, bem como da resiliência de toda a sociedade. Esta decisão tem em conta o prolongamento da pandemia, além do que era expectável, com novos riscos de contágio. Por muito que nos custe a todos, não podemos promover um ajuntamento dinâmico de mais de 50.000 pessoas nos dois dias. Não seria prudente e responsável da nossa parte.”, conclui o Presidente.

Slackline em Nelas marca arranque da Rede Cultural do Alto Mondego

– “Andorinhas” estreia sábado em Nelas e conta com 22 elementos da comunidade

É a contagem decrescente para o pontapé de saída da 2ª edição da Rede Cultural do Alto Mondego. O primeiro espetáculo é já no sábado, 3 de julho, em Nelas e os grandes protagonistas são as associações culturais e a comunidade. No total, sobem ao palco 22 nelenses e mangualdenses. “Andorinhas” é o nome desta criação artística que teve como ponto de partida a realidade do território. Os espectadores podem contar com uma performance completamente fora de caixa e muito inovadora. Será “um teatro em cima de fitas” em que os participantes terão muitas histórias para contar, numa homenagem ao Mondego e num apelo às memórias.  O espetáculo, marcado para as 21h30, é ao ar livre, junto à Praça do Município, assegurando-se todas as medidas de segurança indicadas pelas DGS. Este é o primeiro de 7 espetáculos de slackline previstos, nos concelhos de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia.

Fica a promessa: Nunca viu nada assim. O palco são as fitas e é aí que serão revelados todos os segredos do Mondego: o maior dos rios portugueses. O ponto de partida para esta construção artística resulta da realidade do território das Beiras, fortemente marcado pela migração. Muitos partiram à procura de melhores condições de vida, mas, tal como as andorinhas, regressam todos os verões. “Andorinhas” fala assim de despedidas e de reencontros, das festas e das romarias, mas também dos costumes e das vivências, das lendas e dos mitos, do real e do imaginário. “O espetáculo remete para a memória e cada espectador será convidado a criar a sua própria história”, explica Rui Mimoso, capacitador de slackline.
O espetáculo original resulta das aulas de capacitação de slackline. Previsto estão, nesta primeira fase, sessões de capacitação em todos os municípios da rede que irão originar novos espetáculos. Em Nelas e Mangualde as sessões já estão a decorrer. No início do próximo mês arrancam também em Fornos de Algodres e Gouveia. Depois, o objetivo é promover a itinerância dos espetáculos por esta rede cultural. No total serão realizados 7 espetáculos, o próximo é já no dia 3 de julho em Nelas.

Participantes das capacitações deram um grande pulo
Das sessões de capacitação, que juntam associações culturais do território e elemento da comunidade, Rui Mimoso faz um balanço muito positivo. Caso para dizer que os participantes deram um grande pulo. “Estão a evoluir muito rápido e a consolidar o que aprenderam”. Das capacitações que já arrancaram o mais novo tem 7 anos e o mais velho 49, mas a grande maioria são jovens. “Para além dos benefícios que esta prática desportiva pode trazer para todos eles, o envolvimento neste espetáculo tem contribuído para estimular o sentimento de pertença. Percebem o que é que a sua terra tem de diferente e todo o potencial que tem. Aprendem a valorizar o seu território”, sublinha.
Recorde-se que as sessões de slackline estão a ser orientadas pelo profissional Rui Mimoso, campeão nacional de slackline. O slackline é um desporto que consiste prática de equilíbrio sobre uma linha dinâmica, esticada entre dois pontos fixos. O praticante pode caminhar sobre ela ou fazer manobras e truques, dinâmicos ou estáticos. O principal objetivo desta capacitação é dar conhecimentos técnicos para a prática da modalidade como ferramenta artística. Capacitar os participantes com um know-how que lhes permita montar, usar e praticar slackline com todos os equipamentos de forma segura e variada.

Dança, música, arte urbana há muitas capacitações previstas

Envolver as associações culturais e a comunidade é uma das máximas desta rede cultural. Neste sentido estão previstas capacitações nas áreas da dança, música e arte urbana.
Na arte urbana, já em agosto, as associações e a comunidade vão juntar-se ao artista plástico Desy para criar 4 murais, representativos desta rede cultural e que representarão a identidade destes 4 territórios.
Para 2022 os desafios são nas áreas da música e da dança. Pretende-se envolver as associações culturais e criar, em cada área, um espetáculo original que partirá em itinerância pelos 4 municípios num total de 8 espetáculos cada.  O primeiro será dirigido por Bitocas e Artur Fernandes e o segundo por Marta Silva.

Acompanhe em primeira mão todas as novidades na página do facebook da Rede Cultural do Alto Mondego.

O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Sementeira 9: a semear a cultura no centro histórico de Viseu de 2 a 11 de julho

A 9º edição da Sementeira abriu portas a artistas e projetos de toda a natureza cultural e artística e partilha agora o resultado desse processo, com abertura de portas às 18H00 de dia 2 de julho, com direito a uma visita conduzida, aberta a quem melhor quiser conhecer este desafio multidisciplinar.

De novo investida na fruição cultural e sua democratização, valores que remontam à sua génese, a Sementeira tem lugar no n.º 6 da Rua das Ameias em Viseu, de 2 a 11 de julho 2021.

Neste solo fértil cabe uma exposição coletiva com obras, de técnicas e temáticas diversas, autoria de mais de vinte artistas, entre quem expõe pela primeira vez na Sementeira e quem regressa em mais uma edição.

Um dos estreantes é o fotógrafo Pedro Gomes Almeida, que apresenta a série de retratos Entre as margens do Ser, de pessoas trans, recentemente distinguida com uma menção honrosa na categoria de Retrato no Prémio Estação Imagem.

Um dos regresso é Sérgio Amaral, desenhista e pintor, escultor e ceramista, por vocação e profissão de fé, desenvolve pesquisas experimentais e ensaia novos materiais (ferro e barro) assim fazendo o seu percurso na escultura, na modelagem e na cerâmica, com especial interesse pelo barro negro.

Mas outras visões, nomes e estreias (de artistas ou de obras) marcam presença na exposição da Rua das Ameias: Vanda Rodrigues, Oaktree, INTHEDIGITALFOREST, Sleepy.Kitties, Ricardo Correia, Pedro Rodrigues, deidra corp., Nuno Queirós, Maria João Fitas, Gil Rodrigues  e José Crúzio do Agrupamento de Escolas do Viso, Joana Sá, Jaf Graph, Arisca, Inês Costa, História no Feminino, bazookå!DOOM, Catadu, Carlantunes, Ana Verónica e Lexie Wolfs.

E porque a resposta à Chamada foi rica, a Sementeira expande-se além da exposição coletiva e contará com momentos musicais, de várias “formas e feitios”, dança, teatro, conversas, um almoço vegetariano… Tudo regado com muita cultura, pensamento crítico e vontade de construção política.

Assim, pelo nono ano consecutivo, a Sementeira, tal como a Cultura, não se esgota! Continua a ser um lugar de partilha e de encontros, de convívio e de criação, um lugar em permanente construção.

Nesta nova realidade, as sementes – da arte, da cultura, da criação, da desconstrução – são fundamentais para a germinação de novos frutos nos campos férteis da cultura, mas também do social e do político. Vamos fazer crescer para depois colher?

“Tangerina” na Fundação Lapa do Lobo

Tangerina é uma viagem pelo universo da palavra feita, ora prosa, ora poesia, num “tom de menino pequeno que está a falar com a sua mãe”. Inspirados no livro “A Invenção do Dia Claro”, de Almada Negreiros, os artistas recuperam a metáfora da tangerina que rola de um cesto até ao mar e descobre o mundo, e com ela também todos partem à descoberta de novos lugares.

Inventar o que já foi inventado, emprestando vida e sons a palavras, é a proposta deste concerto inspirado no universo dos mais novos mas decididamente dirigido a todas as idades. Tangerina traz consigo um disco com um lado rock/pop como identidade aglomeradora, mas cujas composições são muito influenciadas quer pela harmonia jazz, quer pela música erudita e música étnica. Na senda de Almada Negreiros, a música de Tangerina pretende ser tão simples quanto sofisticada, repleta de dinâmicas ricas e contrastantes, cores luminosas e vitais.

Textos Almada Negreiros e Bruno Pinto Música Ana Bento e Bruno Pinto Apoio ao Movimento Joana Providência Interpretação Ana Bento (voz, sax e percussão), Artur Pinto (voz e bateria), Bruno Pinto (voz e guitarra), Jasmim Pinto (voz, trompete e teclado), Olívia Pinto (voz, baixo e teclado) e Úrsula Pinto
(voz, teclado e violoncelo) Cenografia e Figurinos Patrícia Costa aka Dona Pata Desenho de Luz Mário Bessa Coprodução Gira Sol Azul e Teatro Viriato Apoio Fundação GDA Vídeos Maria Mónica e Joana Providência/Tomás Pereira

Público-Alvo Famílias (+ 3 anos) Horário 11h00 Duração 35 minutos
LOCAL Jardim Fundação Lapa do Lobo

Já pode efetuar a sua reserva sujeita à lotação do espaço.
232 671 084 ou [email protected]

Projeto Reviver José Santos Pinto em Mangualde

Mangualde irá acolher o projeto Reviver José Santos Pinto, nos dias 10 e 11 de julho. Um projeto que pretende recuperar duas sonatas para oboé compostas pelo próprio José dos Santos Pinto, apresentando-as ao público em forma de tertúlia e concertos, onde estará presente o oboé que o músico utilizou durante toda a sua carreira.

O primeiro dia de divulgação junto ao público decorrerá no dia 10 de julho, sábado, com um Concerto Sinfónico com a Orquestra Poema (integrado na Programação Anual da Orquestra Poema), pelas 21h30, no Complexo Paroquial de Mangualde, com a seguinte programação:

  • Sinfonia nº 29 de W.A. Mozart (I. Allegretto Moderato)
  • Concerto para Oboé em Dó Maior de Mozart
  • José S. Pinto – Concertino para oboé e orquestra
  • Sinfonia nº 10 de W. A. Mozart
  • Tiago Coimbra, Oboé
  • Tiago Correia, Direção
  • Orquestra Poema

No domingo, dia 11 de julho, terá lugar uma Tertúlia – Concerto Comentado, na Igreja Matriz de Lobelhe do Mato, pelas 21h30, com a moderação de Ana Margarida Cardoso e com os seguintes convidados: Luís Francisco Vieira e Lopes da Cruz (oboístas); Alda Santos Pinto e António Bordelo Ruivo (família); Prof. ª Maria do Rosário Pestana (INET-md | UA); Tiago Coimbra (Oboé); e Joana Moreira (Piano), com o seguinte repertório:

  • José S. Pinto – Sonate dans l’Spirit Classique, para oboé e piano
  • Tomás Borba – Rosas Bravas: Melodia do Pastor (para oboé)
  • José S. Pinto – Segunda Sonata, para oboé e piano

Para que o evento seja realizado em segurança e de forma a cumprir com todas as normas impostas pela DGS, existirá lotação limitada, pelo que a reserva de bilhetes é obrigatória e deverá ser realizada através do contacto telefónico 232 619 889.

PROJETO REVIVER SANTOS PINTO

O projeto Reviver Santos Pinto é da autoria de Ana Margarida Cardoso, que escreveu o livro “José dos Santos Pinto: retrato de um músico profissional durante o Estado Novo”, em parceria com o oboísta Tiago Coimbra. Através desta parceria pretendem recuperar duas sonatas para oboé compostas pelo próprio José dos Santos Pinto, apresentando-as ao público com o oboé que o músico utilizou durante toda a sua carreira. Este instrumento faz parte do espólio constante na Sociedade Filarmónica Lobelhense, foi restaurado e é único no mundo, uma vez que a sua dedilhação foi patenteada pelo músico.

 

Centro Interpretativo de Artes e Ofícios e Albergue de Caminhantes em Mangualde

Foi assinado, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Mangualde, um protocolo de cooperação entre o Município de Mangualde e a União das Freguesias de Santiago de Cassurrães e Póvoa de Cervães, que permitirá a instalação de um Centro Interpretativo de Artes e Ofícios e Albergue de Caminhantes. Para o efeito estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira, e o Presidente da Junta de Freguesia da União das Freguesias de Santiago de Cassurrães e Póvoa de Cervães, Rui Valério.

O referido protocolo de cooperação confere a cedência da antiga escola pré-primária de Contenças de Baixo, na União das Freguesias de Santiago de Cassurrães e Póvoa de Cervães, para a instalação de um Centro Interpretativo de Artes e Ofícios e Albergue de Caminhantes no âmbito do caminho de Santiago. Este protocolo terá vigor por um período de 10 anos, renovável por igual período de tempo.

Elísio Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde realça “a importância da reutilização e recuperação das escolas que já não estão ativas, dando-lhes assim uma nova vida e atribuindo-lhes novas funções. Estes edifícios são ricos em arquitetura e locais de referência para as aldeias e seus habitantes. Não existem soluções únicas para estes espaços inativos e, nesse sentido, torna-se essencial que cada localidade analise as suas oportunidades e a solução será encontrada tendo em conta esse desejo da população.”

 

“Beijo sem fim” em Sortelha

A lenda romântica do Beijo sem Fim vai estar em destaque, no dia 03 de julho, na Aldeia Histórica de Sortelha, concelho do Sabugal, no âmbito do ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021, foi hoje anunciado.

Em nota de imprensa a Associação de Desenvolvimento Turístico Aldeias Históricas de Portugal, que organiza este ciclo, refere que o evento chega a Sortelha a 03 de julho e que contará com várias atividades e surpresas que evocam a famosa lenda e que recordam curiosidades e histórias sobre o povo e daquela Aldeia Histórica.

“Reza a lenda que, no tempo em que Portugal lutava pela reconquista das Beiras aos mouros, a filha do alcaide de Sortelha ter-se-á apaixonado pelo príncipe mouro. Trocaram mensagens e presentes, até que um dia combinaram encontrar-se. Mas a mãe da donzela, sempre vigilante, decidiu segui-la. Praticante de bruxarias, assim que os dois se beijaram, amaldiçoou-os, transformando-os em pedra. Surgiram, assim, os curiosos penedos de Sortelha, que até hoje são conhecidos como as Pedras do Beijo Eterno”, conta a organização.

Segundo especifica, esta lenda servirá então de mote para visitas guiadas encenadas, oficinas gastronómicas e um piquenique, entre outras.

O dia terminará com um concerto de Luísa Sobral, uma das mais conceituadas compositoras e cantoras do atual panorama musical do país.

Do programa destaca-se ainda a oficina de bracejo “Conversas entrelaçadas”, que irá decorrer naquele dia, às 14h00, na Zona da Porta Nova (largo junto ao chafariz).

“O bracejo é uma planta filiforme que é utilizada, desde os tempos mais remotos, para tecer, de forma entrelaçada, vários objetos de uso doméstico e decorativo, nomeadamente esteiras, cestaria, vassouras, entre outros. É um tipo de artesanato que fazia parte do património cultural de algumas regiões, como o concelho do Sabugal (a que pertence Sortelha) e atualmente é característico desta Aldeia Histórica.

A organização também ressalva que, devido à pandemia, a participação no evento será limitada e sujeita a inscrição prévia, mas haverá transmissões via ‘livestreaming’, na página de Facebook das Aldeias Históricas de Portugal.

O certame arranca às 09h00, com a realização da caminhada “Conhecer Sortelha a partir do Arrabalde…”. Entre as 11 e as 12h30 decorre a iniciativa “A Natureza à Mesa”, que será transmitida via ‘online’ e que conta com uma criação do chef Rui Cerveira.

Entre as 14h00 e as 15h00 realiza-se a oficina de bracejo – “Conversas entrelaçadas”, seguindo-se, às 16h00, o atelier “Histórias Criativas – Vamos fazer o Zé do Feijão”, que se destina a crianças dos 3 aos 12 anos).

Entre as 16h00 e as 17h30, haverá o piquenique nas ‘sortes’, que remete para a origem do nome Sortelha, o qual poderá estar relacionado com o facto de, na aldeia, apenas existirem pequenas ‘sortes’ (quintais pequenos).

“Murmúrios de Paixão”, um percurso encenado, está marcado para o período entre as 18h00 e as 19h00.

Entre as 19h30, Sortelha recebe um concerto de Luísa Sobral, que também será transmitido em ‘livestreaming’ e que poderá ter no máximo 60 pessoas a assistir presencialmente.

O evento é promovido pela Associação de Desenvolvimento Turístico Aldeias Históricas de Portugal, numa organização do município de Almeida, Junta de Freguesia de Castelo Mendo, associações e agentes económicos locais.

Trata-se de uma iniciativa apoiada pelo Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE).

O ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021 prossegue depois em Belmonte (dia 10), Almeida (dia 17), Linhares da Beira (dia 31), Castelo Rodrigo (dia 28 de agosto), Marialva (dia 11 de setembro), Piódão (dia 25 de setembro), Idanha-a-Velha (dia 30 de outubro) e Monsanto (dia 06 de novembro).