Paris vai homenagear Aristides de Sousa Mendes através da toponímia

Pode ser uma rua, um jardim ou uma praça, mas até ao primeiro semestre de 2022, Aristides de Sousa Mendes vai ter um espaço com o seu nome na capital francesa, assim como uma placa comemorativa de homenagem ao cônsul português.

“Fiz a proposta porque Aristides de Sousa Mendes foi cônsul em Bordéus e as homenagens já são várias em França e em Portugal, mas Paris ainda não tinha feito, embora todos saibamos que entre as pessoas que ele salvou havia famílias parisienses”, afirmou Hermano Sanches Ruivo, lusodescendente e vereador da Câmara de Paris, em declarações à agência Lusa.

Para dar nome a um espaço público, a proposta tem de passar pela Comissão de Denominação de Paris, algo que aconteceu no final do dia 09 de junho e foi aprovada, começando agora o processo de seleção do local.

Hermano Sanches Ruivo quer que o espaço, dada a missão de Aristides de Sousa Mendes em França, tenha alguma ligação com o Consulado Geral de Portugal em Paris, privilegiando assim uma localização entre o 8.º e 17.º bairros da capital francesa.

Esta homenagem será concretizada até ao início da Temporada Cruzada entre Portugal e a França, que vai arrancar em fevereiro de 2022 e vai trazer intercâmbios culturais e não só entre os dois países.

Um ponto a trabalhar entre as duas nações, segundo Sanches Ruivo, é a questão da memória e, nesse sentido, outras homenagens fariam sentido a Aristides de Sousa Mendes e outros portugueses que se envolveram em formas de resistência em França durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 1940, durante a Segunda Guerra Mundial, Aristides de Sousa Mendes, então cônsul de Portugal em Bordéus, França, emitiu vistos que salvaram milhares de pessoas do Holocausto, desobedecendo às ordens do então presidente do conselho, António de Oliveira Salazar, que liderava o governo.

In: Jornal de Notícias

Visitas guiadas ao Circuito Pré-histórico Fiais/Azenha

No âmbito das Jornadas Europeias da Arqueologia (18,19 e 20 de junho), o Museu Municipal Soares de Albergaria e o Município de Carregal do Sal, promovem visitas guiadas ao Circuito Pré-histórico Fiais/Azenha.
Cumprindo as regras emanadas pela DGS, estas atividades darão a conhecer o rico património arqueológico do nosso concelho, sensibilizando também os intervenientes, para a importância da sua preservação.
A inscrição é grátis mas obrigatória.
Mais informações: 232960404 ou [email protected]

Ervedal da Beira acolhe a “Ópera Pimpone”

A Sociedade Recreativa Ervedalense, em Ervedal da Beira, e que possui o teatro mais antigo do concelho, abre portas para acolher o espetáculo “Ópera Pimpinone”, pela Associação Cultural Ritornello, no próximo sábado, dia 12 de junho. Com início às 21H00, o espetáculo é dinamizado no âmbito do 3.º ciclo de programação “Coimbra Região de Cultura”, da Comunidade Intermunicipal Região de Coimbra.

A entrada é livre, mas limitada à lotação do espaço, cumprindo com as orientações da DGS em vigor, sendo que os bilhetes disponíveis podem ser levantados na receção da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e na sede da União das Freguesias de Ervedal da Beira e Vila Franca da Beira.

A ópera terá também transmissão em formato Live Streaming a partir do facebook da CIM Região de Coimbra e do Município de Oliveira do Hospital – podendo assim ser acompanhada pelo público – e conta com os cantores Tânia Ralha e Luís Rodrigues, nos papéis de Vespetta e Pimpinone, respetivamente, sendo António Ramos o Diretor Musical.

Depois do concerto com as “Segue-me à Capela”, o concelho de Oliveira do Hospital recebe mais um espetáculo descentralizado através do projeto “Coimbra Região de Cultura”, ao abrigo do qual, e até outubro, serão realizadas várias iniciativas por todo o território da CIM Região de Coimbra: 34 apresentações dos vencedores do concurso “Convocatória Aberta”, 29 espetáculos e 19 visitas performativas. Trata-se de um programa cultural eclético que integra tanto a música com raízes mais populares e tradicionais, como ópera, e tanto apresenta nomes conceituados a nível nacional como projetos emergentes a nível regional que derivam do concurso “Convocatória Aberta”.

“Ópera Pimpinone” – sinopse:

Em português se conta a história de Vespetta. A camareira procura marido e vê no rico mercador Pimpinone uma possibilidade de independência. Assim, deliberadamente, Vespetta seduz Pimpinone que se apaixona por ela e lhe oferece emprego. O Intermezzo Pimpinone foi um dos maiores sucessos do compositor alemão Georg Philipp Telemann (1681-1767). Para aliviar as fatídicas histórias das grandes tragédias, que muitas vezes exigiam longas trocas de cenário, era comum intercalar nos intervalos os chamados intermezzi com música mais leve, com temas cómicos, seguindo a tradição da ópera buffa. Pimpinone é uma ópera cómica em três partes com música de Telemann e libreto em alemão de Johann Philipp Praetorius, sobre libreto original, em italiano, de Pietro Pariati.

A sua estreia ocorreu em Hamburgo, a 27 de setembro de 1725, com o objetivo divertir o público durante os intervalos da adaptação que Telemann fez da ópera séria Tamerlano de Händel. Telemann retoma o libreto que musicou Tommaso Albinoni quase vinte anos antes, através de uma versão em alemão para os recitativos, para serem melhor compreendidos pelo público, conservando para as árias o texto em italiano. A história começa com a camareira Vespetta em busca de um marido e vê no rico mercador Pimpinone uma possibilidade de independência. Assim, deliberadamente, Vespetta seduz Pimpinone que se apaixona por ela e lhe oferece emprego. Algum tempo depois, a jovem ameaça abandoná-lo, mostrando-se preocupada com os boatos que circulam pela cidade, colocando em dúvida sua reputação. Como forma de resolver a questão, Pimpinone pede-a em casamento, impondo a condição desta ficar em casa e não receber visitas. Inicialmente Vespetta concorda, mas, após o casamento, começa a rebelar-se contra as restrições impostas pelo marido, passando a exigir respeito, igualdade e liberdade para ir onde quiser. Irado, Pimpinone ameaça espancá-la, mas Vespetta desforra-se, lembrando-lhe que, no contrato de casamento que ela sagazmente providenciou, há uma indemnização em caso de separação. Pimpinone acaba por sucumbir às suas vontades. A grande popularidade de Pimpinone, que a levou a ser apresentada inúmeras vezes como espetáculo independente de outra ópera, encorajou Telemann a compor uma sequência, Die Amours der Vespetta (Hamburgo, 1727), obra infelizmente perdida. Pimpinone teve muito êxito e marcou o caminho que seguiriam os intermezzi posteriores, em particular La Serva Padrona de Pergolesi, cujo tema é semelhante.

Soprano: Vespetta – Tânia Ralha

Baixo: Pimpinone – Nuno Mendes

Ator: Diniz Lugdero

Orquestra: Camerata Joanina

Direção Musical: António Ramos

Encenação: Mário João Alves

Sinopse: Licínia Regateiro

Produção: Jorge Silva

Município de Oliveira do Hospital, 9 de junho de 2021

Exposição do Centenário do Partido Comunista Português em Mangualde

Por iniciativa da Comissão Concelhia de Mangualde do PCP no dia 1 de Junho, no átrio da Biblioteca Mu­ni­cipal, foi inaugurada a ex­po­sição alu­siva à his­tória do Partido, que fi­cará pa­tente até ao pró­ximo dia 14 de Junho.

No dia 5 teve lugar no Auditório da Biblioteca, com a participação de dezenas de pessoas, uma sessão de apresentação da Exposição e do livro «100 anos de Luta ao Ser­viço do Povo e da Pá­tria, pela De­mo­cracia e o So­ci­a­lismo» que contou com a participação de Manuel Rodrigues, director do Jornal «Avante!».

Na ocasião foi homenageada a emérita Professora Maria Teresa de Almeida Cruz, nascida em 1940, militante comunista, mulher de reconhecida coragem e dedicação, empenhada na causa da emancipação dos trabalhadores e do povo. Filomena Pires, do executivo da DOR Viseu fez um resumo do apaixonante currículo profissional e político desta «militante de toda a vida».

Teresa Cruz, no final, fez questão de recordar páginas do seu percurso de comunista e «mulher de Abril». Particularmente emocionantes foram as descrições do atentado à bomba contra o seu carro (bem como os de 2 outros militantes comunistas) e as agressões físicas de que foi vítima numa mesa de voto como delegada do PCP. Não menos comovente o agradecimento e o elogio ao seu Partido.

O momento cultural contou com a participação da artista mangualdense Margarida Esteves.

A sessão foi presidida por Roque Cruz, do executivo da DOR Viseu.

Nota de Imprensa do PCP Mangualde

“Máscaras com Som” no Verão de Mangualde

O Município de Mangualde promove nova edição das Noites Vivas de Verão, desta vez intituladas “Máscaras com Som”. Esta iniciativa pretende animar a cidade através de vários concertos descentralizados durante os meses de junho, julho e agosto.

Esta programação terá início já este mês de junho. Trata-se de uma iniciativa do Município de Mangualde e da União das Freguesias de Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta e, nos dias 14 e 15 de agosto contará ainda com o apoio da Associação Juvenil Jovens do Castelo.

Estas atividades serão gratuitas e decorrerão em diferentes locais da cidade. Todos os concertos terão início às 21:00h. Não serão permitidas aglomerações e será assegurado o cumprimento das regras de segurança estabelecidas pelas Autoridades de Saúde Pública: uso obrigatório de máscara, higienização das mãos, etiqueta respiratória e distanciamento físico entre as pessoas (2m).

PROGRAMAÇÃO “MÁSCARAS COM SOM”

JUNHO

12 de junho | Grand Jazz Hotel – 21h00 | Largo Pedro Álvares Cabral

19 de junho | Capitão Mondego – 21h00 |Largo do Rossio (centro)

JULHO

3 de julho | Litos | Miguel | Joaquim – 21h00 | Largo Dr. Couto

10 julho | Bora Lá – 21h00 | Largo do Rossio (Centro)

24 de julho | Alpha Music – 21h00 | Largo do Rossio (Topo)

AGOSTO

14 de agosto | Melody Guys – 21h00 | Largo do Rossio (Centro)

15 de agosto | Banda A4 – 21h00 | Largo Pedro Álvares Cabral

Amarelo Silvestre estreia “Sofá em Mi Maior” Museu – Casa da Ribeira

A Amarelo Silvestre tem a estreia do novo projecto SOFÁ em Mi Maior no próximo dia 26 de Junho, no Museu – Casa da Ribeira, em Viseu.

Trata-se de um projecto teatral para 6 sofás falantesdisponível numa instalação interactiva, numa criação de Rafaela Santos e Lígia Soares, com música original de João Lucas e cenografia de Carolina Reis.
Esta instalação teve como ponto de partida dezenas de entrevistas feitas a mulheres de várias freguesias de Viseu, a partir das quais, criámos peças teatrais sonoras para estes sofás.
Desafiamos os visitantes a descobrirem os universos sonoros que habitam estes 6 sofás, de forma a experienciar ambientes imersivos distintos, proporcionando um deambular por memórias embrionárias, pela consciência do papel procrastinador que o sofá por vezes pode adquirir, por um plano de massagens como repositório de energias e planos, por tentativas de sedução do próprio sofá ou ainda pela hipótese deste ter sido palco de um episódio de violência, etc.

O místico Palácio dos Condes da Anadia em Mangualde

Palácio dos Condes da Anadia (Mangualde)

Situado em Mangualde, a cerca de 20 quilómetros do centro da cidade de Viseu, o Palácio dos Condes de Anadia é um local mágico, preparado para ser (re)descoberto! O Palácio dos Condes de Anadia é um dos mais importantes exemplos da arquitectura senhorial setecentista. Trata-se de uma das casas mais importantes do país e com traços típicos da época da sua construção, no século XVIII.

Palácio dos Condes da Anadia
Palácio dos Condes da Anadia

Classificada como Imóvel de Interesse Público, o Palácio é obra da família Paes do Amaral, cujos antepassados foram Embaixadores de Portugal em Nápoles, durante o final do século XVIII e início do século XIX. Esta sumptuosa residência da Beira produz vinho do Dão através da marca “Casa Anadia” e, para além das suas vinhas, possui jardins, estufas e largos campos de sementeira, para além de uma extensa mata.

Palácio dos Condes da Anadia
Palácio dos Condes da Anadia

No seu interior, os visitantes podem apreciar um vasto e significativo conjunto de silhares de azulejo, um dos mais belos exemplos dessa época magistral da arte azulejar em Portugal. Pode encontrar-se, ainda, uma colecção de mobiliário, pinturas e gravuras, entre as quais ganha especial interesse a mesa da Sala Nobre, com tampo de embutidos marmóreos, executada por Leoni em 1673, e o mobiliário da Sala de Música, com chinoiseries.

Palácio dos Condes da Anadia
Palácio dos Condes da Anadia

Pelo Palácio, pernoitaram várias figuras históricas: o Rei D. Luís I, que o visitou em 1882, pela altura da inauguração do Caminho de Ferro da Beira Alta, e o Rei D. Carlos I, nos últimos anos do seu reinado. Anexa ao palácio, a capela de S. Bernardo, na face norte, vinda do século XVII, continua a conservar o seu retábulo primitivo com um S. Bernardo pintado por W. Machado, que se manteve mesmo após as várias alterações ocorridas ao longo dos séculos.

In: Vortex Magazine

ContraCanto estreou “U5A” no Centro Cultural de Carregal do Sal

“Estreámos! Foi bonito. Foi mágico. Foi especial. Quantas saudades tínhamos de tudo”, escreveu a Associação Cultural ContraCanto, que tem, ao que julgamos saber, ainda a sua sede na Lapa do Lobo (Concelho de Nelas). Pelo menos é o que ainda consta na sua página no Facebook. Lembramos que foi solicitada à Câmara Municipal de Carregal do Sal a mudança da sede para este concelho, como noticiámos – assunto discutido em Assembleia Municipal e revelado pelo vice presidente da Câmara, José Batista.
Próximas sessões deste espetáculo:
Dia 5 às 16 e às 21
Dia 6 às 16
Dia 9 às 21
Dia 10 às 21
Dia 11 às 21
Dia 12 às 21
Dia 13 às 21
Várias sessões encontram-se já esgotadas. Os interessados devem solicitar informações atualizadas para o número: 232 960 401.

Livroteca de Seguros em Santar tem crescido

A Livroteca dos Seguros é uma biblioteca, na área de seguros, situada em Santar, e como tal “teve que cumprir as regras do SNS e Governo em altura de pandemia (Covid 19)”,referiu ao nosso jornal o mentor do projeto, Rui Henriques,um mediador de seguros, residente em Santar, que tem a sua própria empresa. Agora com a abertura da economia e das atividades “tem crescido o interesse pelos nossos livros, que já são cerca de 300”.
“A ideia surgiu em 2012 com a necessidade de aprofundar conhecimentos e saber mais sobre o setor dos Seguros”, conta-nos. E como “Deus quer, o homem sonha e a obra nasce”, a Livroteca foi um realidade em 2015, sendo  “especializada na área de Seguros, Fundos de Pensões e Risco”.
Instado a revelar-nos qual a adesão que tem tido, afirma: “Desde a sua abertura (2015), existe uma curiosidade sobre a temática dos Seguros, sendo leitores já aposentados que têm interesse na historia dos Seguros. Mas a procura mais elevada é em estudantes universitários que procuram, para teses em mestrado nas áreas económicas, sociais e gestão”.
José Miguel Silva
DIRETOR

 

Viseu recebe Exposição Itinerante “O Futuro é Amanhã!”  

Esta sexta-feira, 4 de junho, teve lugar a inauguração da exposição itinerante “O futuro é amanhã!”.

Patente na Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea de Viseu, a sessão de apresentação da exposição, entre outros, contou com as presenças do Secretário Executivo da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho; e da Presidente de Câmara Municipal de Viseu, Conceição Azevedo.

Esta iniciativa procura dar resposta à necessidade de consolidar e divulgar os resultados patentes no Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas do território de Viseu, Dão e Lafões, estando enquadrada no projeto “O futuro é amanhã!”, cujo principal objetivo é motivar a reflexão, debate e divulgação da problemática das alterações climáticas. Este projeto abrange todos os alunos dos 14 municípios que compõem a CIM Viseu Dão Lafões, assim como professores e famílias.

Aliando a promoção do sucesso educativo às alterações climáticas, o projeto “o futuro é amanhã!” apresenta-se enquanto espaço privilegiado, diferenciado e inovador de acesso ao conhecimento, assente em estratégias de intervenção baseadas na experiência e na reflexão sobre os fenómenos decorrentes das alterações climáticas, criando um espírito de conhecimento pela experiência e visualização. A mostra está aberta à comunidade em geral.

A exposição pretende funcionar enquanto facilitador da descoberta da temática das alterações climáticas, partindo de questões simples e de desafios para mobilizar e captar a comunidade escolar na adoção de atitudes e comportamentos que atenuem e mitiguem os impactos negativos das alterações climáticas no território.

De acordo com o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho “Esta exposição itinerante afigura-se como uma mais-valia na sensibilização da população para a adaptação às alterações climáticas na Região Viseu Dão Lafões”.

“Atendendo aos eventos climatéricos a que temos assistido, a CIM adotou uma estratégia com vista a desenvolver uma literacia ambiental capaz de introduzir os conceitos de adaptação às alterações climáticas no nosso território, sendo que os alunos e a comunidade educativo assumem um papel estratégico na mudança de paradigma,” concluiu o Secretário Executivo.

A Exposição Itinerante “O Futuro é Amanhã!” poderá ser visitada até ao próximo dia 11 de junho.

Amarelo Silvestre promove “Formação Consciência do Movimento”

 A 9 e 20 de Junho, a Amarelo Silvestre, em parceria com a Escola Velha de Gouveia, irá promover a Formação Consciência do Movimento, com orientação de Yola Pinto.
 
Este será um laboratório de pensamento físico e de pesquisa sobre o trabalho do actor num sistema de auto-percepção inicial do movimento dos seus pensamentos, emoções e discurso, antes mesmo da utilização de um determinado texto.
 932 060 320
 

Feira de São Mateus 2021 cancelada

A Câmara Municipal de Viseu e VISEU MARCA anunciam que a Feira de São Mateus 2021 se encontra cancelada e que regressará em 2022. “Apesar de se tratar de uma decisão difícil, foi devidamente ponderada”, afirma a Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Conceição Azevedo. “O espectro legal relacionado com o cenário dos eventos de verão não é ainda claro e não podemos adiar eternamente a decisão. À luz da realidade de hoje, uma alternativa para animação do período de verão em Viseu será o mais prudente do ponto de vista de segurança, mas também do ponto de vista económico.”

A incerteza relativamente à legislação e normas a aplicar aos eventos de verão, bem os condicionamentos de segurança e económicos suscitados pelo contexto pandémico estiveram na base desta decisão que foi unânime entre a Câmara Municipal, promotora do evento, e a Direção e sócios da VISEU MARCA, associação responsável pela organização executiva do certame.

Ainda que a Feira de São Mateus não regresse em 2021, a Câmara Municipal de Viseu está a preparar um programa de animação cultural para o verão e a VISEU MARCA deverá participar do mesmo, associando-se à instalação de tradições do feirar na cidade, no período de verão.

Para a Presidente da VISEU MARCA, Cristina Paula Gomes, “Esta é a decisão possível num contexto de incerteza que implicaria a realização de uma Feira de São Mateus diminuída ou até descaracterizada. Queremos a nossa Feira de volta, mas com a sua identidade e força inalteráveis. A experiência do verão de 2020 foi muito importante e permitirá trazer um modelo atrativo para os visitantes e capaz de impulsionar a atividade económica de muitos operadores fortemente afetados pelo contexto pandémico.”

A Presidente da Câmara Municipal relembrou ainda a localização do Centro de Vacinação no Multiusos que se mantém como uma prioridade absoluta e que condicionaria desde logo a realização da Feira ao impossibilitar a instalação dos operadores neste local.

NOTA DE IMPRENSA da Viseu Marca

Viseu, 25 de maio de 2021

E um baloiço musical? Fomos visitá-lo na Beira Alta

Resolvi por estes dias, com clima ameno e algum sol, visitar em  Sabugal, (Distrito da Guarda), um dos mais criativos baloiços de Portugal, com um vista exuberante, tipicamente Beirã.

Altaneiro, o baloiço faz alusão às notas musicais, e eu diria que ali o sossego predomina, mas ouve-se a sinfonia da natureza. Vento com o chilrear dos pássaros e sons de outros animais.Grande espetáculo de uma dádiva da natureza.

José Miguel Silva

DIRETOR

Iniciativa “Alto Mondego Rede Cultural” aposta no slackline,arte urbana,música e dança

A itinerância das criações artísticas em espaços e equipamentos de elevado valor patrimonial volta a ser uma aposta dos quatro Municípios que compõem a iniciativa “Alto Mondego Rede Cultural”. Ao todo serão 24 espetáculos de várias artes performativas e 8 murais de arte urbana que irão, até setembro de 2022, percorrer vários espaços emblemáticos dos municípios de Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde e Nelas. Dada a atual situação epidemiológica, as performances decorrerão, maioritariamente, em espaços ao ar livre com reconhecido valor histórico-patrimonial e cultural.

Quer seja numa ponte romana, junto a um monumento megalítico, num anfiteatro natural, num balneário de umas termas seculares ou num castelo, o projeto “Alto Mondego Rede Cultural” contará com uma programação cultural diversificada e que visa essencialmente dinamizar os territórios com eventos culturais criados por associações culturais locais, com o intuito de impulsionar a economia local, mas também de promover as artes e as criações artísticas no território, projetar a sua imagem e a região e ainda exponenciar novos fluxos turísticos.

SESSÕES DE CAPACITAÇÃO “ALTO MONDEGO REDE CULTURAL”

No âmbito deste projeto é importante destacar o trabalho desenvolvido pelas associações locais que, após uma primeira fase de capacitação, irão desenvolver os espetáculos a apresentar no território, de forma itinerante. O envolvimento das associações locais apresenta vários benefícios, isto é, atende às necessidades dos agentes culturais locais, que infelizmente viram as suas atividades canceladas devido à pandemia, e gerem dinâmicas para que se criem raízes futuras.

As sessões de capacitação serão desenvolvidas com as associações culturais dos 4 Municípios através da cooperação entre estas e capacitadores nas áreas do slackline, da arte urbana, da música e da dança. É importante realçar que esta é uma oportunidade para as associações culturais envolvidas, apresentarem os seus trabalhos a outros públicos e até criarem ligações e parcerias com outras associações culturais, de forma a contribuir para a valorização da autenticidade dos produtos culturais e patrimoniais endógenos.

Capacitação – Slackline e Arte Urbana

As sessões de capacitação de slackline (corda bamba) e arte urbana decorrerão entre junho e agosto deste ano.  O slackline é um desporto que consiste na prática de equilíbrio sobre uma linha dinâmica, esticada entre dois pontos fixos. O praticante pode caminhar sobre ela ou fazer manobras e truques, dinâmicos ou estáticos.  As sessões de slackline serão orientadas pelo atleta profissional Rui Mimoso, campeão nacional. Dos mais experientes slackliners portugueses, conta com dezenas de competições internacionais e cerca de uma centena de shows e workshops, não só em Portugal, como por todo o mundo.

O principal objetivo desta capacitação é dar conhecimentos técnicos para a prática da modalidade como ferramenta artística. Capacitar os participantes com um know-how que lhes permita montar, usar e praticar slackline com todos os equipamentos de forma segura e variada. “Em relação ao rendimento desportivo dos participantes, espero que consigam no final da capacitação terem as capacidades básicas da modalidade, caminhar e aguentarem posições estáticas em equilíbrio sobre a fita de slackline” afirma o capacitador Rui Mimoso.

Sobre slacklinehttps://allaboutslackline.pt/o-que-e-slackline/

Perfil Rui Mimoso: https://allaboutslackline.pt/comunidade/rui-mimoso-2/

Capacitação – Arte Urbana

Em simultâneo, decorre a capacitação na área da arte urbana, onde serão criados 4 murais, um em cada Município, resultado do trabalho entre as associações, a comunidade e o artista plástico Desy. Será desenvolvido um workshop de arte urbana, com revisitação da História da Arte Urbana pelo mundo, técnicas, estilos e conceitos sobre a “arte do século XXI”. O resultado desta capacitação será a representação através do graffiti da história do Alto Mondego’ Rede Cultural. Serão criados 4 murais que representam a identidade da Rede, dividida em 4 “atos”. O principal objetivo, é que os visitantes necessitem de visitar os 4 territórios parceiros, para entenderem a história desta Rede.

Capacitação – Música

As sessões de capacitação na área da música acontecem em 2022, entre os meses de janeiro e maio. Desta vez, entram em cena Bitocas e Artur Fernandes, que juntamente com as associações locais, irão apresentar 8 espetáculos pelo território do Alto Mondego’ Rede Cultural. Nestes espetáculos participarão diversificadas formações instrumentais e/ou corais, de acordo com as tradições e realidades locais.

Dar-se-á ênfase à criação a partir do espólio tradicional do território, à conceção de eventos artísticos sem interações prévias, performance orientada para novos conceitos, direção artística, gestão de recursos humanos e dinâmicas de ensaio.

Numa perspetiva ambiental os aspetos relacionados com a planificação e maquetagem, cenografia ou figurinos e gestão de recursos técnicos terão o cuidado de reutilizar materiais disponíveis.

Capacitação – Dança

O Projeto encerra com a capacitação na área da dança, entre maio e setembro de 2022. Marta Silva irá trabalhar juntamente com as associações locais nos variados temas que abrangem a dança (movimento, corpo) e que resulta em 8 espetáculos artísticos itinerantes.

Esta capacitação visa o desenvolvimento e qualificação artística das organizações culturais locais, a partilha e construção de conhecimentos e de novas técnicas artísticas no desenvolvimento do processo criativo, tendo como pano de fundo a relação entre as artes performativas e o património humano e físico do contexto local. Incentivar e consolidar o trabalho em rede e interseccional, potenciando o papel fundamental da cultura nos processos de desenvolvimento e participação comunitária e coesão social.

O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Projeto Horta de Deméter na Quinta da Cruz (Viseu)

No próximo dia 29 de maio, às 11 horas, na Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea, tem lugar a primeira sessão de “Manhãs na Horta”. Um tempo e um espaço pensados para o público familiar que se repetirá no último sábado de cada mês, daqui até a outubro.

“Manhãs na Horta” é uma das atividades do projeto mais amplo “Horta de Deméter” – que integra também a exposição “Hortas confinadas”, acolhida igualmente pela Quinta da Cruz –, pensado numa perspetiva de inclusão social pelas artes. Um conceito que o projeto coloca em prática de forma tão original quanto produtiva: cruzando as artes performativas e visuais com o trabalho da terra numa horta real, de verdade, que é preciso semear e cuidar.

É nesta horta – que não deixa de o ser, mas à qual há que acrescentar o adjetivo “artística” – que ocorrerão estas reuniões mensais. Nesta sessão inaugural, os participantes podem contar com um programa cuja componente artística ganha forma num workshop orientado por Graeme Pulleyn e que gira à volta do mito da deusa Deméter, para além de incluir também atividades de manutenção das hortas comunitárias da Quinta da Cruz nas quais se desenvolve o projeto. E porque estes momentos se querem de partilha e convívio, as famílias estão convidadas a trazer manta e lanche, os elementos básicos para poder terminar as atividades com um piquenique conjunto. As inscrições podem ser feitas através do e-mail [email protected] ou do telefone 232 423 343.

O projeto “Horta de Deméter” é apoiado pelo Programa PARTIS & Art for Change, uma iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação “la Caixa” e é desenvolvido pela NICHO em parceria com o Município de Viseu, a Escola Superior Agrária de Viseu, o Lar Escola de Santo António, a Escola Secundária de Viriato e a ASSOL.

Nota de Imprensa

Baloiços que surpreendem em Castro Daire e Sabugal

Continuamos o périplo por alguns dos mais esplendorosos e até originais baloiços, que vão proliferando pela nossa amada Beira Alta. 
Penalobo (Sabugal)
Malhada
Tulha Velha
Cabril, Castro Daire
Com vista para o Vale do Paiva e Serra do São Macário
Fonte: https://www.facebook.com/groups/abaloicar/