O Académico de Viseu entre a elite

O Académico de Viseu Futebol Clube, assim batizado em 2005, “herdou” os pergaminhos do Clube Académico Futebol Clube, numa mudança inteiramente motivada por questões de ordem financeira. Na sua génese, o Académico de Viseu existe oficialmente desde 1914. Hoje, os “Viriatos” militam na LigaPro, segundo escalão do futebol nacional, mas outrora estiveram mesmo entre a elite.

Década de 70

O Académico de Viseu é, nos dias que correm, presença habitual na Segunda Liga do futebol português, constantmente com os seus jogos disponíveis para apostas online em futebol. Até aos anos 70, o Académico de Viseu, ou Clube Académico Futebol Clube à data, deambulou sempre entre os segundo e terceiro escalões do futebol nacional, ainda que, em várias ocasiões, tenha estado perto de assegurar o acesso à elite do futebol português. O “passo de gigante”, tão aguardado pelos adeptos do emblema da zona centro, aconteceu na temporada 1977/78. Ora, o Clube Académico Futebol Clube terminou a Zona Centro da 2ª divisão portuguesa no segundo posto, atrás do Beira-Mar, emblema aveirense que assegurou a subida ao escalão máximo de forma direta. No entanto, os “Viriatos” viriam a beneficiar de uma oportunidade de ouro para ascender – corria o verão de 1978 quando  se disputou a “liguilha” com os vencedores de cada uma das Zonas, nomeadamente Clube Académico Futebol Clube, Aliados do Lordelo (norte) e Juventude de Évora (sul). A equipa à data comandada por Mário Morais venceu essa mesma “liguilha” e, desse modo, assegurou o acesso ao escalão máximo do futebol “luso”.

estreia no Campeonato Nacional da I divisão seria, no entanto, pouco auspiciosa. O Clube Académico Futebol Clube não conseguiu prolongar a sua estadia entre os maiores emblemas do futebol nacional e terminou no último lugar da tabela com apenas 11 pontos somados em 30 jornadas, resultado de cinco vitórias, um empate e 24 derrotas com 13 tentos marcados e 75 sofridos.

No entanto, o regresso seria breve, dado que bastou um ano à equipa viseense para regressar à elite. No final da época 1979/80, o Clube Académico Futebol Clube voltou a ser segundo colocado da Zona Centro, desta feita, atrás da também despromovida Académica de Coimbra. Na “liguilha” de promoção, o Clube Académico Futebol Clube voltou a levar a melhor diante do Juventude de Évora (sul) e do AD Fafe (norte), carimbando novo passaporte para o Campeonato Nacional da I divisão.

Manutenção

Na época 1980/81, o Viseu melhorou a sua prestação e terminou no 13º posto, mas sem se livrar de alguns momentos de maior aperto. É que no final dessa época, além dos três vencedores de cada uma das Zonas da 2ª divisão, a “liguilha” passou a ingerar também o 13º classificado do Campeonato Nacional da I divisão. Para conseguir a permanência, o Viseu superou o Leixões, o Nazarenos e o Juventude de Évora, assegurando, pela primeira vez na sua história, a manuenção no primeiro escalão.

No fim da época 1981/82, o Viseu voltaria a cair para o segundo escalão, ao terminar no 14º posto da tabela, ainda que em igualdade pontual com o Penafiel. Desta feita, a estadia nos escalões secundários viria a ser mais prolongada e até compreenderia uma crise diretiva. O Clube Académico Futebol Clube ainda voltaria ao escalão máximo na época 1988/89, terminando uma vez mais condenado à descida, naquela que foi a sua última experiência entre a elite.

A internet móvel revoluciona a forma como consumimos informação

Muito além da busca: a internet móvel revoluciona a forma como consumimos informação

A tecnologia moderna trouxe imensas facilidades à vida e ao quotidiano. Uma delas é a acessibilidade mobile que temos à palma das mãos. Em poucos passos é possível, num telemóvel conectado à internet, desbravar roteiros e atracções que espantam o tédio. Além disso, podes acabar conhecendo sítios surpreendentes que sequer imaginava que estariam à tua porta. 

De acordo com o website Our Mobile Planet, criado pelo Google, o uso de plataformas móveis em Portugal tem apresentado índices optimistas. As estatísticas demonstram que 90% dos utilizadores de smartphones usam tais aparelhos para realizar buscas por informações locais, com 83% desse total utilizando a mesma metodologia para efectuar acções como compras e contratações. Com uma penetração de mercado de 32%, a internet móvel já não é uma mera facilidade e demonstrou que está mesmo a revolucionar os hábitos de consumo.

Encontrar sítios que seguem na direcção do que buscas não é uma tarefa complexa ou que demande tempo. Com poucas palavras é possível encontrar online justamente aquilo que procuras. Isso se estende à busca por opções, ao invés de resultados directos, uma vez que há diversas listas que podem ser esclarecedoras na hora de reunir informações para uma tomada de decisão. 

Existem sites por toda a web que dão conta de nortear os internautas a fazer melhores escolhas. É possível ilustrar essa questão com algumas menções. O Galo Bonus, por exemplo, oferece aos seus visitantes informações relevantes a quem quer fazer apostas online. O Trip Advisor, por sua feita, trabalha em um formato mais amplo, reunindo dicas de viajantes quanto a restaurantes, hotéis e destinos. Há, ainda, a aplicação de telemóvel Yelp, focada em serviços de gastronomia.

Uma simples busca rápida em seu telemóvel pode facilitar a escolha por programas e vestimentas. Por exemplo, com o final oficial do verão neste hemisfério, naturalmente esperamos que as temperaturas estejam a cair, o que irá aproximar-nos das vestimentas mais pesadas. Mas não há razão para ter pressa, pois ainda há alguns resquícios de temperaturas mais altas por vir. Contudo, se estás farto de passar calor, podes fazer uma pesquisa para verificar sítios onde é possível refrescar-se sem necessidade de ir muito longe. O Bar de Gelo Viseu, construído com toneladas de gelo dos glaciares canadenses, onde as temperaturas ficam entre os 5 e os 12 graus negativos, é uma dessas opções. 

Em poucos segundos e, se utilizares as palavras-chave corretas, certamente irás encontrar opções de lazer que se encaixam no teu perfil e orçamento. Essa facilidade vem ao encontro do que as estatísticas já haviam afirmado. Cada vez mais afastada do computador para realizar buscas online, a população portuguesa passa a eleger os smartphones como seus fiéis aliados do dia a dia. A ferramenta é bastante popular entre os mais jovens, mas o acesso a essa tecnologia já está a superar os estigmas de dificuldade dos que não têm tanta habilidade com as facilidades trazidas pela tecnologia. O comércio electrónico também está a comemorar, pois essa movimentação o popularizou ainda mais, o que aquece a economia e gera ainda mais benefícios ao país.

O desespero cobarde…

A PROPÓSITO DO PANFLETO ANÓNIMO LANÇADO EM CABANAS COM O TÍTULO “O FILME SOBRE A VIDA DO CÔNSUL-BORDEUS ARISTIDES DE SOUSA MENDES

Há canalhas cobardes à solta a tentar denegrir a imagem do prof. Óscar Paiva, um homem culto, trabalhador e amigo de causas nobres. A sua vida pública não precisa de apresentações. Fala pelo que tem feito e está à vista de todos. E nunca vi este cidadão a dizer mal de ninguém, muito menos da figura do herói Aristides de Sousa Mendes como insinua o sujo panfleto largado pela calada da noite sob anonimato, em Cabanas de Viriato.

Se têm dúvidas vejam o trabalho que desenvolveu na Câmara enquanto vereador da cultura. E foi nessa qualidade que coordenou a “Comissão organizadora das Comemorações do Cinquentenário da Morte do Cônsul Aristides de Sousa Mendes”, entre 2003 e 2005.

Para quem sofre de falta de memória e só pode ser mau caráter aconselho a ler o livro de que foi principal redator e coordenador, o prof. Óscar Paiva: “Aristides de Sousa Mendes – 50 Anos de Memória – 1954/2004”, publicado em setembro de 2005, com edição da Câmara Municipal.

O senhor Presidente do Conselho de Administração da Fundação Aristides de Sousa Mendes, Álvaro de Sousa Mendes, numa sua mensagem, publicada nesse livro, pp. 15-16, escreveu o seguinte referindo-se ao prof. Óscar Paiva: “Pretendo, por último, elogiar e felicitar a Câmara Municipal de Carregal do Sal e o seu Presidente, Senhor Atílio dos Santos Nunes, pela excelente iniciativa e trabalho efetuado, sendo justo realçar o papel desempenhado pelo Senhor Vereador, Dr. Óscar Paiva, que não se poupou a esforços no sentido de tornar estas Comemorações um êxito”. Há gente para quem tudo vale! Importa é ganhar nem que seja escarnecendo os outros com mentiras e atoardas. No entanto, importa repor a verdade neste caso triste dum panfleto cobardemente anónimo.

E já agora permitam-me o desabafo: é a dizer mal e a denegrir de forma sistemática, a imagem de pessoas que nada vos devem, em comícios onde o vazio de ideias é notório, que julgais fazer com que a população acredite em vós como construtores de um futuro melhor para o concelho? Quem usa o insulto como arma de combate político contra os seus adversários, não tem nada de válido a oferecer para o futuro!

Um bom democrata preza sempre a verdade e o respeito pelos outros, mesmo que divirja (e ainda bem que assim é) das suas ideias.

Felizmente muita gente já vai percebendo que estes métodos são de baixa política e classificam perfeitamente quem os utiliza. E infelizmente o concelho nada pode esperar de bom de quem se permite enveredar por estes insólitos caminhos.

Fonte: Comunicado de imprensa do PSD de Carregal do Sal

Três fogos na região Centro mobilizam quase 300 bombeiros e nove meios aéreos

Quase 300 bombeiros e nove meios aéreos estão mobilizados para o combate a três incêndios florestais que deflagraram na tarde de hoje na região Centro, dois no distrito de Viseu e outro no de Santarém.

 De acordo com a página na Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o fogo que eclodiu às 15:18 na localidade de Chão de Codes, no concelho de Mação, mobiliza 141 elementos, 32 veículos e cinco meios aéreos.

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, as chamas lavram em mato, pinhal e eucaliptal e, às 16:15, não existiam habitações em perigo.

No distrito de Viseu, deflagraram incêndios em Sardeza, concelho de Sernancelhe, e Beijós/Pardieiros, no município de Carregal do Sal, com este último a mobilizar 113 elementos, 27 veículos e dois meios aéreos.

O fogo de Sernancelhe tem no terreno 50 operacionais, apoiados por nove viaturas e dois meios aéreos.

Os dois incêndios também não ameaçam habitações ou localidades, adiantou o Comando Distrital de Operações de Socorro de Viseu.

Fonte: RTP

Um Envelope na vindima

A Magnum Wines aproveitou o fim-de-semana das vindimas para apresentar o Envelope, o novo branco do enólogo Carlos Lucas feito com uvas colhidas nas vinhas velhas existentes na propriedade do Ribeiro Santo e numa parcela em São João de Lourosa. Foi bebido no jantar de gala em que Carlos Lucas anunciou ainda a extensão de atividade aos vinhos verdes.

Feito a partir das castas Encruzado e Malvasia Fina foi colhido em 2016, estagiou em barricas de carvalho francês, mostra lágrima, sendo uma poderosa mensagem que chega de Envelope e que se bebe fresco, a lembrar fruta, harmonioso, com um saboroso, e longo, final de boca.

Depois do jantar, na sexta-feira, seguiu-se a vindima na Quinta do Ribeiro Santo, no Dão. Sob o olhar, atento, do enólogo Carlos Lucas, cachos e uvas foram colhidos com desvelo e depositados na adega de Carregal do Sal, onde vinificam. 2017 promete uma grande colheita, mas nas cepas ainda há muito para cortar. “Nesta altura estamos com uma produção de quase 400 mil litros e o que temos nas videiras é sobretudo Touriga Nacional, que esperou por melhor maturação”.

Pela Quinta do Ribeiro Santo passaram duzentos “vindimadores” entre os mais de uma centena de clientes da vinícola. Vieram “ver sobretudo ver o respeito com que tratamos as nossas uvas porque isso permite aos compradores verificar a qualidade da vindima, aquilatar aromas e sabores e cores, num processo que lhes permite conhecer a colheita”.

As quintas do Ribeiro Santo, no Carregal do Sal, e da Alameda, em Santar, são as bases da Magnum Wines no Dão, a que se juntam as adegas de Mora, no Alentejo, Casal de Loivos, no Douro, e os vinhos verdes, em Marco de Canaveses.

Nas três regiões e com a vindima quase no fim, começou na segunda semana de agosto, Carlos Lucas espera uma “colheita memorável, que tirou partido das extraordinárias condições climatéricas, com noites frias, dias quentes e pouca humidade”.

Natural de Coimbra e com mais de 25 anos de experiência em vinhos, Carlos Lucas é um dos mais reconhecidos enólogos e viticultores do país. Em 2011, fez nascer a Magnum Carlos Lucas Vinhos e, desde aí, tem-se afirmado como uma das melhores marcas de vinhos nacionais.

Conhecedor profundo do universo vinícola, o empresário tem comprovado a excelência dos seus tintos, brancos, espumantes e rosés pelos quatro cantos do mundo e, hoje, já exporta para países como o Brasil, Estados Unidos, Bélgica, Alemanha, Roménia, Inglaterra, Canadá, Finlândia, Noruega, Japão, Uruguai e México.

O volume de negócios para este ano deve atingir os três milhões de euros, refletindo um aumento de 12 por cento em relação a 2016 o que leva a empresa a projetar a ampliação da adega da Quinta do Ribeiro Santo, dotando-a de sala para enoturismo.

This slideshow requires JavaScript.

Comunicado do Partido Socialista de Carregal do Sal

Quem com algum cuidado analisar as listas Candidatas à Assembleia de Freguesia de Oliveira do Conde e se se detiver nas listas do PURP e do PSD encontrará algo fantástico. Candidatos omnipresentes, mera clonagem ou desespero gritante?

Constatem as semelhanças. Perto disto até a ovelha Dolly é pura coincidência.

E D I T A L
LISTAS DEFINITIVAMENTE ADMITIDAS
ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE OLIVEIRA DO CONDE

Denominação da Lista: Partido Unido dos Reformados e Pensionistas – PURP
Nomes do Candidatos

Candidatos efetivos
António Alves da Silva
Lúcia Alexandra Borges Sousa
Luis Miguel da Silva Morgado
José Carlos Brás Sousa Gomes
Maria Luisa do Cabo Miranda
António Costa Carreira
Carlos Alberto Correia Borges
Maria Helena Costa Dias Conceição
David Pereira de Figueiredo

Candidatos suplentes
Abílio Silva Santos
Sandra Cristina Fernandes dos Santos Silva
Eduardo Carlos Nunes da Silva

 

Denominação da Lista: Partido Social Democrata – PPD/PSD
Nomes do Candidatos

Candidatos efetivos
Carlos Manuel de Sousa Amaral
Sílvio Fernandes Borges
Maria Fernanda dos Santos Ribeiro
José Gomes Figueiredo Vasco
Susana Lopes Veloso Mendes
Sérgio Filipe da Costa Brito
Tiago Nogueira Santos
Manuela Maria Fernandes Pais Soares
Davide Luís Galhardo Elias de Sousa

Candidatos suplentes
Carlos Alberto Duarte dos Santos Gomes
Paula Isabel Cunha Pereira Roque
Armando Duarte Loureiro
Pedro Ricardo Mendes Jesus
Maria Manuel Leite Brito Bento Ribeiro
André Daniel Costa Marques
Luís Miguel da Silva Morgado
Jani Marlene de Sousa Amaral

 

Para quem propagandeia o rigor das suas listas, isto ilustra claramente o desnorte e o desespero.

O PURP, talvez devido à sua inexperiência, foi apanhado nas teias do PSD. Já o PSD, não há maneira de aprender. É useiro e vezeiro neste tipo de ocorrências. Não olha a meios para obter fins. Vá lá saber-se porquê!

E depois, quem paga é o desgraçado (ou talvez não!) apanhado nesta teia.

Fonte: Partido Socialista de Carregal do Sal

Comunicado da Direção do PPD/PSD de Carregal do Sal

Em ação de campanha nos Pardieiros, a comitiva do PPD/PSD deparou-se com um incêndio que rapidamente adquiriu grandes proporções perto da referida localidade da Freguesia de Beijós,colocando a população em alvoroço.
Dadas as circunstâncias, e solidários com o inesperado problema que o fogo originou, a Direção de Campanha decidiu cancelar a sessão pública em Beijós prevista para as 21h, de hoje, 23 de setembro de 2017.
Ocasiões para discutir ideias e projetos não faltarão. Neste momento o que mais desejamos é que a vida das populações afetadas pelo inesperado incêndio regresse rapidamente à normalidade.

Fonte: Direção de Campanha do PPD/PSD de Carregal do Sal

Desfolhada à moda antiga em Mangualde

Mangualde viveu a tradição de uma Desfolhada à Moda Antiga. No início do presente mês de setembro, o Rancho os Rouxinóis do Dão de Fagilde reproduziu uma Desfolhada à Moda Antiga, típica do final do séc. XIX, primeira metade do séc. XX. Os elementos do Rancho, trajados a rigor, munidos das ferramentas adequadas, puseram literalmente mãos-à-obra e fizeram uma desfolhada, remetendo as memórias para o antigamente.

“Houve ainda tempo para a malha do milho com o mangual, onde só os mais ágeis e habilidosos arriscaram o manuseio do instrumento. Que a boa disposição, a vontade, o companheirismo e o espírito de entreajuda destas gentes não se perca. Para o ano esperamos ter o prazer de realizar mais um convívio idêntico, quem sabe em mais do que um lameiro, fazendo assim a permuta de ajuda entre amigos como era antigamente” – afirma a organização.

O Rancho Folclórico Os Rouxinóis do Dão de Fagilde existe há mais de duas décadas. Ao longo destes anos, foi recolhendo saberes das suas antigas gentes para que não se percam na memória, para que perpetuem no tempo e se reflita o quão rápido tudo muda. Hábitos, trajes, costumes de outros tempos, trabalhos agrícolas, o quotidiano rural da Beira alta, os afazeres de um povo que trabalhava de sol a sol. Tudo isto encenado e representado nas danças e cantares de um grupo jovem, com vontade de manter tradições, de não perder raízes e ver viva a aldeia e suas gentes.

Municipio de Mangualde associa-se às Jornadas Europeias do Património

O Município de Mangualde associa-se às Jornadas Europeias do Património, que decorrem nos dias 22, 23 e 24 de Setembro, comemorando esta efeméride através do convite à população para visitar o Dolmén da Cunha Baixa, o Dolmén de Padrões, ambos na freguesia de Cunha Baixa, e as Ruínas Romanas da Raposeira – Estalagem Romana – na cidade de Mangualde. Mais informações através do Gabinete de Gestão e Programação do Património Cultural da Câmara Municipal de Mangualde, telefone 232 619 880.

Os sítios arqueológicos estão requalificados e dotados de elementos de interpretação que permitem uma compreensão didática dos mesmos. A visita proporciona a comunhão entre aqueles bens do património cultural e a natureza, apelando e sensibilizando para a preservação de ambas as realidades.

A relação Património e Natureza pode ser uma fonte inesgotável de conhecimento, de criatividade e de recreação, e nela reside um enorme potencial para um desenvolvimento cultural, social e económico equilibrados.

Centenas de crianças assinalaram Dia Internacional da Paz em Oliveira do Hospital

Três centenas de crianças do 1.º CEB do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital participaram esta quarta-feira, numa iniciativa mundial, de comemoração do Dia Internacional da Paz, celebrado anualmente a 21 de Setembro.

A abertura oficial deste evento mundial, a Maratona Internacional em Labirinto com crianças a favor da paz aconteceu em Fiais da Beira, junto da réplica do Labirinto de Chartres que é propriedade do casal Lydus Kramer e Maaike Niemantsverdriet. Foi na Quinta da Ladeira que se concentraram os alunos do 1.º CEB num momento simbólico da comemoração desta efeméride que tem como objetivo sensibilizar as pessoas para a necessidade da paz no mundo, incitando-as a promover atos que tenham como resultado o fim dos conflitos entre os povos e a consequente paz mundial.

Evento mundial que ocorre em todos os continentes, esta Maratona Internacional em Labirinto é protagonizada por crianças, em idade escolar, dado que “são e têm o futuro e é por isso muito importante que chamem a atenção para a necessidade de paz mundial”, como refere a organização. Refira-se que este ano, a iniciativa teve o seu início, a nível mundial, em Fiais da Beira, no concelho de Oliveira do Hospital, na tarde de 20 de setembro e em simultâneo na Ásia onde era já dia 21, terminando 24 horas depois na Holanda após ter passado por África, América e Oceânia.

A iniciativa que teve a colaboração do Município de Oliveira do Hospital, foi também possível graças à abertura deste casal holandês radicado nos Fiais da Beira, onde construíram na sua quinta, uma réplica de um dos labirintos mais conhecidos que se encontra no interior da catedral de Chartres, em França.

Neste momento cheio de significado em que as crianças puderam percorrer o labirinto, numa breve caminhada pela paz, marcaram presença Graça Silva, vereadora da Educação bem como Carlos Maia e Fernando Fernandes, da União de Freguesias de Ervedal da Beira e  Vila Franca da Beira, que saudaram os presentes pela participação neste movimento mundial que teve como ponto de partida a localidade de Fiais da Beira.

A vereadora da Educação e Cultura realçou também a disponibilidade do casal anfitrião, Lydus e Maaike, que abriu as portas da sua casa às centenas de crianças participantes e seus professores numa ação que envolveu igualmente a comunidade local que se associou a este momento de sensibilização para a promoção da paz nas sociedades.