MAAVIM: “Já passou tempo demais para não se apresentarem as contas”

A MAAVIM, na defesa dos lesados dos Incêndios de Outubro de 2017, continua a reivindicar ajudas aos seus lesados e à população afetada.

E porque estamos em tempos de crise e de clarificar muito do que se tem passado, não compreendemos porque passados 45 meses ainda tanto está por fazer.

Em Outubro de 2017, a área afetada, muito superior à de Pedrogão em 2017, não teve um critério de igualdade em apoios e ajudas.

Continuamos com um território devastado e que não foi objeto das promessas dos governantes.

Relembramos este mês os números anunciados pelos vários Ministérios e pelas várias entidades governamentais e autárquicas, mas que não são divulgados:

Até hoje nunca ninguém disse para onde foram os mais de 60 milhões que a CCDR-C diz ter aplicado no terreno. Será isso porque existem habitações que ficaram em mais de 300000€??

Porque será que ainda existem muitas habitações sem licença de utilização, com as famílias lá a habitar? Qual será o problema legal? Os empreiteiros já receberam?

Porque ainda existem dezenas de famílias sem habitação, 4 verões após Outubro de 2017???

Na Agricultura não sabemos quanto o Estado realmente pagou, porque desde 2019 que nunca mais se soube o paradeiro dos mais de 60 milhões que o Ministro da Agricultura na altura divulgou?

Quem os recebeu? Afinal o que foi feito?

Na área da Floresta quantas toneladas de madeira queimada foram compradas nos parques de recolha? E quais os projetos apoiados, com os mais de 100 milhões vindos da UE, que sofreram com os Incêndios, foram apoiados?

Na Industria, além das empresas que nunca tiveram apoio, quantos milhões ainda faltam pagar?

Urge explicar ao povo português e á União Europeia saber o que aconteceu a tantos milhões e explicar porque milhares de pessoas e empresas na região nunca nada receberam ou não receberam o prometido.

Já passou tempo demais para não se apresentarem as contas.

Continuamos Abandonados.