Micro Fórum do Dão debateu o desenvolvimento sustentável

O Micro Fórum do Dão #2 aborda os desafios e potencialidades para o desenvolvimento sustentável na região do Dão.

Esta segunda edição, organizada pela associação Ruralis, decorreu no 12 de junho e era o pontapé do projeto Eco Região do Dão. Este projeto pretende trabalhar no sentido em que esta região possa ser definida enquanto eco região com a criação duma rede de projetos de conservação, empreendedorismo social, iniciativas regenerativas e de micro-reservas na sub-bacia hídrica do Dão. O objetivo do projeto é a recuperação, valorização e conservação do património natural e o reforço das práticas regenerativas na região.

É neste contexto que surge a segunda edição do micro Fórum do Dão, onde foram apresentadas uma variedade de perspetivas, movimentos e projetos ecológicos e ambientais enraizados no ou com relevância para a região do Dão. A organização estava nas mãos de um pequeno grupo de membros da Ruralis que todos têm uma forte conexão e um senso de orgulho para o Dão e que querem cuidar e fortalecer as qualidades naturais e ambientais do Dão: Raquel Silva de Quinta ‘d Arminho agricultura regenerativa e familiar, Diego Garcia do Bloco Esquerda Carregal do Sal e colaborador Interior do Avesso, Freya van Dien da Moinhos do Dão Eco Quinta.

O evento contou com a presença de um público diversificado de empresários novos e mais consolidados com práticas de empreendedorismo social, neo-rurais que recentemente se mudaram para a região do Dão para viver mais perto da natureza e cidadãos que aqui viveram toda a vida e querem ver um desenvolvimento mais sustentável e melhores práticas ambientais na região.

Alguns destaques das palestras:

Maria Manuel Rola, deputada do Bloco de Esquerda que integra a Comissão Parlamentar do Ambiente apresentou o Projeto de Resolução, pela Recuperação Ambiental e Despoluição da sub-bacia hidrográfica do rio Dão. A resolução foi aprovada por unanimidade que significa que o governo subscreve a necessidade de implementar as medidas incluídas na resolução como: melhore a capacidade de tratamento de águas residuais na área abrangida, reforce a monitorização da qualidade da água e do estado ecológico do rio Dão, elabore e concretize um plano de ação para a recuperação ambiental do rio Dão.

Silvia Rodrigues falou sobre a sua tese de mestrado dedicada ao Mosteiro da Santa Maria de Maceira Dão. Neste mestrado a arquiteta desenvolve modelos em que uma nova comunidade pode ser situada ali e viver e trabalhar numa maneira inspirada a vida monástica dos monges da ordem de Cister, uma vida caracterizada pela ligação a terra e a natureza.

António Ribeiro da Casa de Mouraz contou a sua história enquanto filho dum agricultor e que se realizou já muito jovem que queria continuar o trabalho dos seus pais nas vinhas mas numa maneira mais sustentável. Elaborou uma das características das vinhas do Dão de estarem rodeadas de floresta e como os incêndios florestais e as mudanças na silvicultura para mais eucaliptos estão a afetar os vinhos do Dão até ao nível dos seus sabores.

As outras palestras foram de:  Raquel Silva da Quinta d’Arminho, Renata Almeida do Movimento Contra Mineração Beira Serra, e David Homem o Presidente da ABRE, Associação da Bio Região de São Pedro do Sul.

No âmbito do projeto ‘Eco Região do Dão’ a associação Ruralis quer continuar a organizar Micro Fóruns do Dão com o objetivo de networking e a divulgação do que está a acontecer na região em termos de ameaças e oportunidades ambientais e de empreendedorismo social.