Candidatura de Joaquim Amaral (Nelas): Cartazes vandalizados e comunicado anónimo

Alguns cartazes de Joaquim Amaral, candidato à Câmara de Nelas, pela coligação PSD/CDS, foram vandalizados.

Pelo menos em dois dos cartazes foi escrita a palavra vergonha. Quem decidiu vandalizar os outdoors de campanha usou tinta cinzenta e ainda tapou os símbolos dos PSD e do CDS, partidos que suportam a coligação liderada por Joaquim Amaral ao município.

O candidato na sua página oficial no Facebook critica duramente quem o fez, bem como um comunicado anónimo colocado a circular me Canas de Senhorim, que o considera “um dos maiores anti Canas”:

COMUNICADO integral na página de candidatura (https://www.facebook.com/joaquimamaral.autarquicas2021): 

MUDAR ESTÁ NAS MÃOS DE TODOS
Mudar políticas, prioridades e um modelo de gestão despesista decorrente de compromissos e nomeações políticas, avenças, consultadorias, estudos e pareceres que consomem recursos financeiros e geram prejuízos consecutivos e endividamento.
MUDAR
também a forma de estar e de fazer política.
Incentivando as pessoas para uma participação cívica ativa, pugnando pelos valores da democracia participada, do pluralismo e do respeito pela opinião diversa.
Apesar de existirem sempre uns poucos, os de sempre, que continuam a recorrer aos comunicados anónimos para vilipendiar e atacar a honorabilidade das pessoas, recorrendo à mentira e a um modo de escrita deliberadamente com erros e omissões para tentar camuflar as autorias do costume.
Os outdoors da candidatura são TODOS IGUAIS e estão à vista de todos, não pratico golpes baixos, dou sempre a cara, não me escondo no anonimato, cujas mãos e métodos se conhecem, e a minha postura de sempre na vida responde por mim. Não odeio, nem nunca odiei nada nem ninguém. Não sou um poço de virtudes, mas não é registo da minha personalidade. O meu percurso pessoal, associativo e político assim o atestam. Criei e desenvolvi uma formação desportiva e cultural forte, assente no primado da participação de crianças e jovens de todo o Concelho e dos municípios vizinhos.
O trabalho que realizei, e continuo a desenvolver, de forma desprendida e sem qualquer contrapartida, a não ser contribuir para o bem comum da nossa comunidade, é também ele do conhecimento público.
Não nos surpreende o comunicado dos “anónimos”, do costume, nem com a escrita “escorreita” e o ataque soez.
Mas também não confundimos a árvore com a floresta.
O caminho faz-se caminhando.
E esta Candidatura e a Coligação continuarão hoje e como sempre no trilho democrático de quem ousa centrar a prioridade da decisão política nas pessoas, no interesse coletivo e na sua qualidade de vida.
Cada vez mais convictos de que MUDAR ESTÁ literalmente NAS MÃOS DE TODOS.