Robô autónomo UX-1Neo testado na mina da Urgeiriça

O robô autónomo UX-1Neo, para exploração de minas subterrâneas inundadas, vai ser testado esta quinta-feira, dia 27 de maio, a partir das 11h00, na antiga mina de urânio da Urgeiriça, em Nelas, Viseu. Estes são os primeiros testes do robô desenvolvido pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), no âmbito do projeto europeu UNEXUP.
O UNEXUP é um projeto que pretende melhorar a tecnologia desenvolvida anteriormente no UNEXMIN e comercializá-la. O novo robô de exploração tem o hardware e o software melhorados, revelando um melhor desempenho em termos de alcance e profundidade, aquisição, gestão e processamento de dados.“
“Trata-se de um dos robôs submarinos mais avançados do mundo, com uma nova arquitetura modular, elevada operacionalidade e um conjunto bastante alargado de sensores, num volume reduzido (aproximadamente uma esfera de 70 cm de diâmetro), incluindo seis câmaras, sistemas de sensorização 3D baseados em laser e sensores acústicos de mapeamento e imagem. Novas capacidades que conferem às missões de exploração mais confiabilidade e segurança, com menores custos”, afirma Alfredo Martins, investigador do INESC TEC e docente do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP).
Este robô subaquático autónomo permite a exploração de minas inundadas até mil metros de profundidade, obtendo informação relevante como o estado estrutural e mapa das mesmas (permitindo saber se existiram derrocadas ou outros problemas) e informação geológica importante para determinar a existência de recursos minerais com interesse económico, que de outra forma seria mais difícil e perigoso obter ou teria custos mais elevados (como por exemplo pela necessidade de retirar a água, baixando o nível freático).
Existem na Europa cerca de 30 mil minas fechadas, muitas das quais estão agora inundadas, mas ainda contêm recursos minerais importantes e passíveis de serem explorados. Este projeto permitirá introduzir no mercado europeu um robô com capacidade de produzir informações geológicas, mineralógicas e espaciais da forma mais segura possível, a partir de minas inundadas e outros ambientes confinados subaquáticos, preenchendo uma necessidade específica do mercado que não se encontra atualmente coberta.
O UNEXUP é financiado pelo EIT Raw Materials em cerca de 2.953€. Termina em dezembro de 2022 e, além do INESC TEC, inclui os seguintes parceiros: Universidade de Miskolc (líder) e UNEXMIN GeoRobotics, Hungria; La Palma Research Centre e Universidade Politécnica de Madrid, Espanha; Resources Computing International Ltd (4dcoders), Reino Unido; Universidade de Tampere, Finlândia; e Serviço Geológico da Eslovénia, Eslovénia.