“Das três candidaturas conhecidas, a mais bem preparada é a do PSD”

Conviveu com o histórico Atílio Nunes (presidente da Câmara durante 24 anos), no seu último mandato, entre 2009 e 2013. Vereador com diversos pelouros, e depois vice-presidente, pelo PSD, Telmo Lopes era também o líder da concelhia dos social-democratas. Decidiu fazer uma pausa sabática na política, nestes últimos oito anos. Foi  agora desafiado pela Iniciativa Liberal a encabeçar uma lista à Câmara Municipal, nas autárquicas deste ano, convite que declinou.
Conte-nos como foi a sua passagem pela atividade política concelhia, principalmente nesse mandato entre 2009 e 2013, onde se registaram factos relevantes, como a mudança de vice-presidente?
Acima de tudo foi uma honra e uma grande aprendizagem. Ter tido a oportunidade de privar com políticos históricos que nada temem foi, de facto, uma excelente forma de me inserir na política. Era muito novo quando assumi a responsabilidade que assumi. No entanto, acho que consegui dar um bom contributo para o meu Concelho. Apanhámos, nesse mandato, anos da TROIKA em que tínhamos “poderes” limitados e inúmeras restrições de natureza diversa, o que constituiu um verdadeiro desafio.A Câmara tinha cerca de 110 colaboradores e estava bastante equilibrada nas suas contas. Concelhos vizinhos tinham mais do dobro de colaboradores.Nesse mandato, tive várias pessoas no executivo com quem foi um prazer trabalhar. Liderámos projetos interessantes para o concelho, como por exemplo a reorganização e modernização do centro da vila de Carregal do Sal, a remodelação do antigo Colégio Nuno Álvares e a remodelação da Casa do Passal de Aristides de Sousa Mendes. Tenho excelentes recordações desse período.

A minha passagem por vice-presidente, teve a ver com a confiança política que me foi depositada nessa altura e que naturalmente agradeço e da qual penso que fui merecedor.

Como surgiu o convite da Iniciativa Liberal, para uma candidatura às próximas autárquicas? É um partido em relação ao qual se sente ideologicamente próximo? A IL, defende, entre outras coisas, menos Estado, mas melhor Estado….

Não lhe posso chamar convite, mas sim conversas informais e até com outros partidos. No entanto, não sou candidato por qualquer partido ou independente. De facto, nutro bastante simpatia pelo espírito e fundamentos da Iniciativa Liberal. O estado assume hoje um peso demasiadamente pesado na sociedade. Se pensarmos que cerca de 25% da população ativa nacional trabalha para o estado, concluímos que é demais. É Estado a mais. Numa altura em que até o Tribunal Constitucional elogia a gestão privada de hospitais, vemos este Governo a ir no sentido oposto. Mesmo assim, em Carregal do Sal o peso da autarquia é bem menor que em concelhos de igual ou menor dimensão. Quer na gestão PSD Atílio Nunes, quer na gestão Independente de Rogério Abrantes, privilegiou-se uma cuidada gestão financeira.

Já são conhecidos três candidatos à presidência da Câmara.Que comentário lhe merecem estas três candidaturas?
Dos três candidatos conhecidos, Dr. Luis Fidalgo (PSD), Prof. Hermínio Marques (BE) e Dr. Paulo Catalino (PS), tive oportunidade de privar, de perto, com os dois primeiros, no último mandato do PSD.

O Prof. Hermínio era então o Diretor do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal. Sei que prestou um bom serviço ao Concelho nesse âmbito. É, também, um bom conhecedor da sua terra. Filho de um homem que levou o nome de Carregal do Sal mais longe. Como candidato a autarca e apesar de ser um candidato interessante, encabeça uma lista partidária sem qualquer experiência autárquica e por um partido sem qualquer relevância local.Com o Dr. Luis Fidalgo lidei de mais perto no mandato referido. Homem de bons princípios, que teve um papel fundamental no que é hoje o Centro Social Professora Elisa Barros, onde hoje além de cuidar dos nossos “velhinhos”, cuida também das nossas crianças. Sei que esteve e está ligado ao associativismo no Concelho. O seu candidato para a Assembleia Municipal, o Dr. Vasco Jorge, conhecido e reconhecido por todos, é de facto uma mais valia. O Dr. Luis Fidalgo tem um sentido diretivo muito prático, o que o coloca, de facto, num excelente lugar para ser Presidente de Câmara. Além disso, assume uma candidatura pelo PSD, um partido com uma grande expressão local.O Dr. Paulo Catalino (PS), sei que é médico no Concelho e tem tido o seu papel de relevo na saúde do Concelho, especialmente considerando a conjuntura atual. Ao que consta, envolveu-se, também, em algumas estruturas associativas do Concelho. Não lhe vejo um caminho tão “fácil” como o que teve o atual Presidente da Câmara. Recordo que apesar de Rogério Abrantes ter ganho como independente pelo PS, tinha e tem um “ADN laranja”, o que o ajudou e muito a chegar ao poder. Conheci há dias a candidata à Assembleia Municipal, a Professora Cilene Lindinho, que foi minha professora de matemática e sei que é muito competente no que faz. Se as estruturas nacionais apoiarem esta candidatura, será capaz de discutir a vitória.

Das três candidaturas conhecidas, a mais bem preparada, na minha opinião, é a do PSD, mas PS e BE podem fazer mossa.

Como empresário, e na área da consultoria para a gestão, faz sentido, cada vez mais, fazer-se uma análise comparativa, ou “benchmarking”, entre concelhos, para se determinar um padrão de boas práticas a serem seguidas?
Concordo. Por isso mesmo nasceram as CIM (comunidades intermunicipais) como forma de se unirem em prol do mesmo objetivo. No último mandato de Atílio Nunes era eu que fazia a ligação com a CIM Dão Lafões. Muitas decisões conjuntas ajudaram e ajudam os Concelhos envolvidos.
Como situa Carregal do Sal, no contexto regional em que está inserido, numa época tão desafiante como a que vivemos, em áreas tão importantes como saúde,educação,ambiente,atração de novos investimentos e emprego?
Saúde.Ainda me lembro de Carregal do Sal ter um hospital em Oliveira do Conde. Hoje tem um Centro de Saúde com horários limitadíssimos. Ou seja, a saúde de Carregal do Sal está concentrada neste Centro para serviços de atendimento médico e enfermagem. Tudo o resto passou para os hospitais de Tondela e Viseu. Acredito que há bastantes melhorias a ser feitas neste âmbito.

Educação.Carregal do sal tem excelentes escolas e dotadas das melhores infraestruturas e de excelentes recursos humanos. A nova escola básica de Carregal do Sal tem melhores condições que muitos colégios privados em Lisboa. Já no meu tempo de autarca, defendia um pólo de uma universidade/politécnico no Concelho. Temos infraestruturas para isso. Por exemplo, um pólo de licenciaturas ligadas à Vitivinicultura, Silvicultura e Agricultura.

Ambiente.Por acaso era um dos pelouros que tinha enquanto autarca. Várias vezes fomos a Lisboa defender o Município das pesadas multas que nos eram aplicadas pelos problemas que as ETAR’s tinham. Esse problema acabou por ser recentemente sanado por uma decisão de investimento conjunto da CIM. Fora isso, acho que tem de existir algum cuidado na gestão florestal, que é aliás uma área de relevo no Concelho.

Novos investimentos e emprego.Carregal do Sal é um concelho onde o seu tecido empresarial emprega, maioritariamente, mão de obra com baixa qualificação. Faltam indústrias que requeiram mão de obra qualificada, farmacêuticas por exemplo. Um bom centro de logística também seria importante. Uma nova zona industrial terá que nascer e a aproveitar as boas vias de comunicação existentes. Temos uma autoestrada a atravessar o Concelho, a primeira do interior de Portugal, e temos de saber aproveitar isso em prol do Concelho. Tudo isto para atrair pessoas para o Concelho e manter os nossos jovens que vão para fora estudar e não voltam pois não têm opções, nem grandes expectativas.

Entrevista efetuada por José Miguel Silva
DIRETOR