MAAVIM exorta Estado a apoiar limpezas florestais

A MAAVIM, na defesa dos lesados dos Incêndios de Outubro de 2017, continua a reivindicar ajudas aos seus lesados e à população afetada.

Continuamos à espera dos apoios anunciados para as zonas afetadas pelos incêndios de Outubro de 2017. Sobretudo para as populações e empresas que nunca tiveram qualquer ajuda.

Este dia 15 de Maio significa o términus para limpeza dos terrenos, mas a limpeza tem de continuar.

O Estado tem de apoiar a limpeza para a manutenção do território.

A prevenção é a ocupação do território e não a contratação de meios aéreos de combate a incêndios. É preciso a manutenção no terreno durante todo o ano, quer dos particulares, quer dos bombeiros, quer das diversas associações, quer do próprio Estado.

A maioria dos tratores anunciados para manutenção dos terrenos ainda está no estaleiro, hoje, dia 15 de Maio de 2021. Esses tratores foram adquiridos para trabalharem durante todo o ano e foram adquiridos com dinheiro vindo da UE e do orçamento de estado Português.

Nesse sentido e para que de futuro possamos melhorar e diminuir toda falta de apoio e preocupação com a floresta, a Maavim deu o seu parecer na petição da EU, acerca das Florestas e do seu futuro.

Forests – new EU strategy (europa.eu)

Queremos compromissos para ajuda aos que nunca tiveram, como sendo, e repetimos desde 2017:

  • Milhares de Agricultores que nunca receberam ajudas;
  • Centenas de empresas, especialmente na área florestal, que não receberam qualquer apoio e levaram muitas famílias a ficar sem posto de trabalho;
  • Dezenas de famílias que nunca receberam apoio para a sua habitação, mesmo depois de tantas promessas.
  • Plano de reflorestação e desenvolvimento regional das zonas afetadas pela catástrofe de 2017.

Não queremos mais promessas para uso de milhões em meios de combate aos incêndios e á desertificação, quando o que precisamos é apoios para a prevenção e ocupação do nosso território.

Queremos os apoios a quem tudo perdeu e contínua no território, sem os apoios prometidos.

Continuamos Abandonados.

Nuno Tavares Pereira

Porta-Voz MAAVIM