Videovigilância para a prevenção de Incêndios vai arrancar em Nelas,Carregal do Sal e Mangualde

Ontem, 7 de maio, no âmbito da primeira fase de implementação do Sistema Integrado de Videovigilância para a Prevenção de Incêndios Florestais na Região de Viseu Dão Lafões e Coimbra, a Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões realizou uma visita aos dois Centros de Gestão e Controle e a uma das três Torres de Acompanhamento Remoto (TAR) já instaladas no território. 

Este sistema, que representa um investimento global de mais de 3,7 milhões de euros, prevê a instalação de trinta e sete (TAR), dezassete das quais em Viseu Dão Lafões, proporcionando uma cobertura de 85% do território afeto à CIM.

Na Região Viseu Dão Lafões já se encontram em operação os dois Centros de Gestão e Controlo agora visitados, estando um localizado no Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Viseu e o outro no Comando Territorial da GNR de Viseu. Estando prevista a instalação de mais dezasseis Centros de Monotorização Remota, com a seguinte distribuição: catorze nos municípios que integram a CIM; um no edifício sede da CIM; e outro no veículo de comando afeto ao CDOS Viseu.

Desde abril, encontram-se em funcionamento as três primeiras TAR (localizadas nos concelhos de Tondela, Viseu e Vouzela), sendo expectável o início da operação de mais três até ao final do mês de agosto ( nos concelhos de Carregal do Sal, Mangualde, Nelas). Assim, durante o próximo período crítico de incêndios rurais estarão ao serviço um total de seis TAR, em todo o território.

De referir que este sistema conta com uma rede de comunicações dedicada, via rádio, e garante a interoperabilidade com os Sistemas de Acompanhamento e Apoio à Decisão já instalados e em operação em outras regiões.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes, “Este projeto que agora inicia a sua operação, irá contribuir, já este verão, para a deteção precoce de incêndios florestais e para uma melhor definição das estratégias de combate e apoio à decisão. Estando plenamente alinhado com as políticas de proteção civil e de defesa da floresta contra incêndios rurais, que a CIM preconiza para o território, esta ferramenta afirma-se como uma mais-valia para a proteção das populações e um investimento com um impacto direto na economia ligada à fileira florestal.” 

Referiu, ainda, o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões ”que este projeto está alinhado, estrategicamente, com outros projetos que têm sido desenvolvidos pela CIM, como seja, a titulo de exemplo, a plataforma de emergência e proteção civil intermunicipal, assim como, também, a criação do Gabinete técnico Florestal Intermunicipal e das brigadas de sapadores florestais e, ainda, mais recentemente, o desenvolvimento do projeto europeu LIFE, “Landscape Fire”, com uma componente forte de silvo pastorícia e de capacitação dos agentes de proteção civil do território.”

A visita contou com a presença do Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes; dos Vice-Presidentes da CIM Viseu Dão Lafões, Elísio Oliveira e Paulo Almeida; do Presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil de Viseu, Vítor Figueiredo; do Vice-Presidente da CM Viseu, João Paulo Gouveia; e do Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho.