CDU enaltece homenagem ao anti-fascista Nelense, Diamantino Henriques

Justa Homenagem ao Dr. Diamantino Henriques

Em 23 Setembro de 2016, Manuel Fonseca, eleito da CDU na Assembleia Municipal de Nelas, apresentou uma Moção, que foi aprovada, requerendo uma justa homenagem do Município, ao Médico, ao distinto Cidadão, ao Democrata e lutador Antifascista, ao corajoso Militante Comunista, Diamantino Oliveira Henriques. A cerimónia que hoje ocorre, de atribuição do nome do “Dr. Diamantino” a uma rua da Vila de Nelas, tem um duplo significado, por se realizar no ano em que se comemora o Centenário da fundação do PCP e no dia em que se comemora o 47o aniversário do 25 de Abril. Ambos os acontecimentos, só foram possíveis graças à luta abnegada pela liberdade, a democracia e a justiça social de homens e mulheres que partilharam o ideal de sociedade do Dr. Diamantino Oliveira Henriques.

Cinco anos após a aprovação na Assembleia, a Câmara decidiu cumprir a deliberação. Mas, o Dr. Diamantino Oliveira Henriques, por tudo o que deu ao concelho e à população, enquanto médico e democrata, torna imperiosa uma homenagem pública mais significativa.

Texto da MOÇÃO aprovada

O “Dr. Diamantino”, como era conhecido, foi um médico distinto que exerceu a sua actividade nos concelhos de Nelas e de Viseu, tendo granjeado, pela sua generosidade e humanismo, o epíteto de “médico dos pobres”.

Desde muito jovem, Diamantino Henriques, afirmou a sua militância anti-fascista e afrontou corajosamente a ditadura, o que lhe valeu várias prisões nos sinistros calabouços do regime salazarista/marcelista.

Recém-licenciado em Medicina pela Universidade de Coimbra é preso pela PIDE, em 28 de Abril de 1962, tendo passado alguns meses na prisão do Aljube de onde transitou para Caxias. Sempre disponível para idosos doentes, era procurado por amigos e adversários que lhe reconheciam a integridade e a verdadeira vocação de «João Semana».

Preso novamente em 1968 por oposição à guerra colonial e acusado de actividades subversivas enquanto cumpria o serviço militar em Moçambique como médico reinspeccionado foi julgado pelo Tribunal Militar em Lisboa.

Regressou ao distrito, para Nelas, onde se encontrava a sua mulher e filhos. Continuou a exercer medicina particular por não lhe ser permitido o exercício de funções públicas, o que lhe dava para ir sobrevivendo, mas a sua vocação de «médico dos pobres» falava mais alto. Costumava dizer «Não tenho coragem de levar dinheiro aos doentes. Não lhes chega estarem doentes, ainda têm de pagar por isso?».

Ingressou como médico cardiologista no Hospital de Viseu onde trabalhou até falecer aos 62 anos. Antes, exerceu a especialidade de pediatria que era a sua verdadeira paixão. Até à sua morte em 6 de Março de 1993, foi sempre um democrata íntegro, combativo e coerente, tendo dado um forte contributo para a consolidação da democracia e dos valores do 25 de Abril.

A Assembleia Municipal de Nelas, reunida a 23/09/2016, propõe:1 – Considerando os relevantes serviços cívicos, sociais, médicos, culturais e políticos prestados pelo Dr. Diamantino de Oliveira Henriques, que a Câmara Municipal de Nelas decida da atribuição do nome de uma rua a este cidadão exemplar.

25/04/2021 – A Comissão Concelhia de Nelas do PCP