25 de Abril: Liberdade com mais pobreza e austeridade? E onde fica o combate à corrupção?

O 25 de Abril é a data mais marcante da nossa história contemporânea, mas é justo dizer que o país, conquistada a liberdade, também percebeu que as ideias económicas da revolução teriam de ser mais flexíveis e liberais pois “socialismo” e “revolução” não se conjugavam necessariamente com progresso e desenvolvimento “real”. E a ideologia não dá de comer a ninguém. Hoje – não por culpa do 25 de abril – assistimos à estagnação da nossa Economia que deixou de convergir face à União Europeia (UE) desde meados de 1990 levantando negras sombras sobre o nosso futuro no contexto europeu. O país encontra-se numa situação periférica e dependente, sempre com a divida soberana à espreita. Os sucessivos governos parecem ter poucas soluções. Entre o Estatismo e a Austeridade o país parece bloqueado.

Sobre o tema da corrupção, e tendo o espectro dos processos judiciais que afundam José Sócrates, e pelo menos na aparência, parece haver um novo impulso para combater a corrupção. Esperemos que se reúnam as condições para a combater, garantindo a sua punição exemplar. Acreditemos. Pois de outra forma os populismos aí estarão para a colheita.

Manuel Alexandre Henriques

CDS/PP Nelas