25 de Abril: Só 10% acreditam viver em plena democracia. Opinião por José Miguel Silva

Celebram-se hoje, 25 de abril de 2021, 47 anos de democracia e liberdade, depois de 40 anos de ditadura. Mas é um facto que não são plenas as conquistas. A apologia e defesa da arrojada e corajosa atitudes dos Capitães de abril, está há muito enraizada em Portugal. Os benefícios foram claramente superiores aos custos.

Tinha apenas quatro anos, em 1974, mas tenho memórias do pós 25 de abril, e da tentativa da extrema esquerda em tomar de assalto o poder e impedir a concretização do regime democrático. Essa memória ocorreu num comício de Francisco Sá Carneiro no Porto. Felizmente tal tentativa não foi bem sucedida.

Mas passadas quase cinco décadas, as dúvidas são muitas e as ameaças são grandes.

Uma sondagem do ICS/ISCTE, publicada no jornal EXPRESSO, na última sexta feira, diz que 40% dos portugueses veem grandes defeitos na nossa democracia, e apenas 10% acreditam viver em plena democracia.

O que está a falhar? O aumento da pobreza e austeridade, que nos tem comandado nos últimos anos? A luta perdida no combate à corrupção e enriquecimento ilícito? O grande fosso entre litoral, grandes centros urbanos e o interior, que continua esquecido? Onde está a famigerada coesão territorial?

São muitas as incertezas, poucas as esperanças,  num mundo muito incerto em que vivemos.

José Miguel Silva

CENTRO NOTÍCIAS

DIRETOR