IC12 e IC37 fora do Plano de Recuperação e Resiliência

Foi remetida à Comissão Europeia, a versão final dos grandes investimentos que o Estado português prevê realizar, recorrendo ao financiamento da chamada “bazuca Europeia” – um envelope financeiro de 16 644 milhões de euros, dos quais 13 944 milhões correspondem a subvenções. O plano entra agora em discussão, envolvendo diversas entidades, estando aberto a contributos diversos. 

É uma oportunidade única para a modernização do país, e um verdadeiro “plano Marshall”, para toda a Europa, mais importante ainda para os países menos desenvolvidos e que mais estão a sofrer com a crise económica decorrente da pandemia de Sars-Cov2. Assim o lema é mesmo este: “Recuperar Portugal, Construindo o futuro”. Uma vez mais, a região interior e em particular a Beira Alta está claramente prejudicada. Citamos aqui dois exemplos, de grande importância para a região da Serra da Estrela e sul do distrito de Viseu (concelho de Nelas principalmente), que não estão contemplados no mega programa de investimentos: a conclusão do troço do IC12 entre Canas de Senhorim e Mangualde, e a concretização do IC37, nova estrada que  poderá vir a ligar Viseu, Nelas e Seia.