CIM Viseu Dão Lafões debateu “O Fogo prescrito para além do combate aos Fogos Florestais”

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, através do seu Gabinete Técnico Florestal Intermunicipal, promoveu, esta segunda-feira (dia 22 de março), o webinar “O Fogo Prescrito Para Além do Combate aos Fogos Florestais”. 

Neste seminário online, entre outros, foram abordados temas como “A perspetiva técnica do uso e da necessidade do fogo”, “O papel da mulher no uso do fogo” ou a “Gestão integrada do fogo”.

Enquadrado no tema escolhido pela Collaborative Partnership on Forests para as comemorações do Dia Internacional das Florestas 2021, este fórum teve como objetivo facilitar a partilha de informação e experiências no âmbito do uso do fogo controlado em diferentes regiões do globo (EUA, Brasil e Equador).

Este Webinar, integrado no projeto Life Landscape Fire, teve como oradores diversos especialistas internacionais como Luíz Gustavo Gonçalves, do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (Brasil); Flavia Bertier, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Brasil); de Rohdri Wiseman, da The Nature Conservancy-Oregon (EUA); e de José Luís Duce Aragüés, Coordenador Internacional do Programa TREX (The Nature Conservancy – Equador).

Reunindo mais de 250 participantes de todo o mundo, o seminário contou com a presença de inscritos oriundos de Espanha, EUA, Brasil e Itália, entre outros países.

Recorde-se que, o fogo controlado ou prescrito revela-se como a ferramenta mais eficaz e eficiente para a gestão de combustíveis, apresentando-se como uma estratégia essencial na regulação dos incêndios, ao mesmo tempo que, pela sua versatilidade, permite cumprir diversos objetivos de carácter ecológico como a restauração dos ecossistemas.

Para o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho, “Com este webinar, a CIM Viseu Dão Lafões, procurou, novamente, contribuir para promoção e partilha de conhecimento relativo ao uso de fogo controlado na gestão de combustíveis e combate aos incêndios florestais”.

“Estes tipos de ações afiguram-se, também, como instrumento essencial para dotar a região Viseu Dão Lafões de informação e ferramentas que permitam a adoção de estratégias cada vez mais eficazes no combate ao flagelo dos incêndios florestais e para a resiliência da nossa floresta”, concluiu o Secretário Executivo.