Sonae planta um milhão de árvores em Mangualde

Sonae vai criar uma das “maiores florestas privadas” em Portugal, plantando um milhão de árvores numa área de mais de 1.100 hectares em Mangualde.

Este é um projeto em parceria com a Sonae Capital, a Sonae Arauco e a Sonae Indústria, e que implica um custo acumulado de 16 milhões de euros, até 2030, para manter a floresta produtiva.

O anúncio foi feito esta manhã, pela CEO da Sonae, à margem da apresentação de contas do grupo, referentes a 2020, com Cláudia Azevedo a explicar que se trata de uma iniciativa que pretende “compensar, de alguma forma, as emissões da frota” do grupo. Constitui uma “homenagem muito sentida” ao seu pai, Belmiro de Azevedo, que “sempre lutou imenso pela floresta portuguesa e pela sua conservação”.

Questionada pelos jornalistas, Cláudia Azevedo explicou que a floresta não constitui um novo negócio da Sonae, mas antes um investimento para compensar as emissões de CO2 do grupo, que hoje anunciou a decisão de atingir a neutralidade carbónica em 2040, dez anos antes do que estava previsto. “É para promover a biodiversidade, a resistência natural aos impactos dos incêndios. É, também, uma floresta produtiva, coma a Sonae Arauco e a Sonae Indústria a retirarem o benefício da mesma”, frisou.