O relato de Jorge Ferreira depois do ataque de elementos de etnia cigana

Jorge Ferreira, natural de Folhadal, foi vítima, na passada segunda feira, 15 de fevereiro, de mais uma ataque de elementos de etnia cigana, que têm proliferado em Nelas, onde esta comunidade tem largas dezenas de residentes.

É uma situação que infelizmente, ao longo dos anos, temos vindo a relatar com alguma frequência. Alguns elementos de etnia cigana, em Nelas, são foco de delinquência e criminalidade, como temos noticiado. Desta vez, este Nelense, quando se dirigiu para uma mata sua, deparou-se com a presença de dois elementos “a carregar lenha para a sua carrinha”. Relatou ao nosso jornal que “quando peguei no telefone, para chamar as autoridades policiais, fui atacado com a viatura que conduziam, ficando com os pés presos entre um cepo de pinheiro e a carrinha”. “Fiquei imobilizado no chão e um deles ainda saiu para me dar uns murros”, diz-nos,  tendo ficado “sem reação” e “provavelmente se não estivesse ali o cepo, passavam-me por cima”.

Levado de emergência para o Hospital Distrital de Viseu, já foi sujeito a duas intervenções cirúrgicas e nesta última “tiveram que me amputar o dedo de um dos pés, por já não ter circulação”, revela. “Agora vou ficar em observação, para verificação do restabelecimento total da circulação nos outros dedos”, conclui, depois de quatro dias de internamento.

A Polícia Judiciária está a investigar o caso.