Oliveira do Hospital destruiu 367 ninhos de vespas

O Município de Oliveira do Hospital destruiu, durante o ano 2020, 367 ninhos de vespas, com predominância da espécie velutina conhecida também como vespa asiática. A atuação dos serviços da Proteção Civil do Município de Oliveira do Hospital permitiu destruir 311 ninhos de vespa velutina a que se juntam ninhos de outras espécies a saber: vespa crabro (50); vespa comum (2); e vespa germânica (4).

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital tem vindo a investir no reforço da resposta municipal no combate à vespa velutina, quer através da aquisição em meios que permitiram intensificar a eliminação desta espécie invasora, quer melhorando os mecanismos de deteção, vigilância e controlo, estabelecendo para tal uma parceria com a Associação Modelismo Centro Portugal.

Nesse sentido, a autarquia adquiriu meios mecânicos, designadamente uma cana de carbono e alumínio, para intervenção de ninhos até 22 metros, equipada com bomba elétrica e depósito de químico, e de uma arma de ar comprimido que injeta nos ninhos um atrativo em forma de cápsulas de libertação controlada, o que permite atuar de forma mais rápida e eficaz em todos os ninhos que são detetados e muito particularmente naqueles que se encontram instalados em árvores ou estruturas de grande altura. A solução é composta por um atrativo para vespas velutinas, com feromonas e desenvolvido especialmente para esta metodologia, para deste modo entrar no sistema de alimentação das colónias e garantir resultados mais eficazes. Acrescente-se que esta solução foi desenvolvida tendo em conta as melhores práticas ambientais, tanto nos princípios ativos com menor impacto possível, como nas quantidades a utilizar.

No combate à vespa velutina, a autarquia de Oliveira do Hospital, através dos Serviços Municipais de Proteção Civil, conta com a colaboração dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital, e tem também incentivado a população a comunicar os avistamentos de ninhos desta espécie, através do contacto telefónico da autarquia (238 605 250) para que possam ser desencadeados os mecanismos de controlo e destruição dos mesmos, o que impedirá o nascimento de centenas de obreiras desta espécie.

Recordamos que a autarquia, num passado recente, viu aprovada, através do Fundo Florestal Permanente, uma candidatura de apoio financeiro para destruição de ninhos de vespa velutina, num montante de dez mil euros, no eixo de intervenção “Funções Ecológicas, Sociais e Culturais da Floresta” do FFP que visava apoiar os municípios na tarefa de deteção e destruição dos ninhos e colónias de vespa velutina. Preocupada com a crescente evolução e presença desta espécie não-indígena e que é predadora da abelha europeia, a autarquia introduziu, em 2017, a georreferenciação online dos ninhos, tornando mais eficaz a monitorização da distribuição e expansão da praga da vespa asiática, bem como a intervenção e tratamento.

No ano seguinte verificou-se um exponencial aumento de ninhos de vespa velutina, com o avistamento e consequente destruição de 120 ninhos/colónias, registados na plataforma SOS Vespa, e em 2019 foram detetados e exterminados mais de três centenas de ninhos um pouco por todo o território concelhio, que não estão circunscritos apenas às zonas rurais, encontrando-se já em áreas urbanas, o que potencia a proximidade à população. Cenário semelhante no ano de 2020 o que reforça a pertinência do investimento em ações de combate, diminuindo o impacto causado por esta vespa, na saúde, bem-estar, segurança das populações e atividade apícola.

Município de Oliveira do Hospital,  16 de fevereiro de 2021