EDITORIAL: A tentativa de matar o mensageiro em Oliveira do Hospital

Começo com: Uma prática comum em tempos antanhos era matar o mensageiro se a notícia fosse ruim. No entanto,  nunca ouvi falar que fossem promovidos ou recompensados se a notícia fosse boa. 

Em Oliveira do Hospital estou a assistir, com total serenidade, a uma tentativa de linchamento na praça pública (leia-se redes sociais), à minha pessoa, como jornalista. Bem podem tentar – sou livre,  não tenho amarras e não vivo de avenças camarárias. A propósito, e como falei nelas, vejam as que tem o advogado João Ramalhete, ex Vereador do PS e um dos que tenta “matar o mensageiro”, com a Autarquia de Oliveira do Hospital e CIM da Região de Coimbra. Realmente compensa e muito estar na política.
E este senhor, num determinado grupo, ainda cometeu outro erro de palmatória (não sabe minimamente o que é jornalismo): classificou de ARTIGO um EDITORIAL. Aconselho-o a ver o Estatuto do Jornalista – até é advogado, deve ser simples, digo eu.
Tenho 15 anos de profissão e garanto aos meus leitores que já lidei com situações bem piores. Tenho uma boa “escola” noutros concelhos, mas com protagonistas que, apesar de tudo, nunca desceram ao lamaçal como alguns socialistas Oliveirenses estão a descer.
Reafirmo que todos os cenários e informações que avançámos são verdadeiras, mas claro, apenas vêm de fontes que não querem ser identificadas, mas são firmes.
Relevante e bem sintomático da guerra aberta dentro do partido, embora tenha sido noticiada há um ano, é este artigo do canal CentroTV:  (https://centrotv.sapo.pt/ps-desmente-ter-escolhido-candidato-a-camara-de-oliveira-do-hospital/?fbclid=IwAR2edelDq-r6zT-299JGBMcEMHFJXhTuYiPpcYz6hxeiyCvOmcOC0x1HUzg), onde está claro que o PS não escolheu, até aquela data, o candidato. Desde esta notícia,  nada mais foi adiantado na comunicação social do concelho, sobre o assunto. Nem nenhuma posição oficial do Partido.
Tentam fazer crer que há união, mas de facto ela não existe e o Partido está mesmo partido.
Aguardemos por novos desenvolvimentos.
José Miguel Silva
DIRETOR