Testes rápidos arrancam em Escolas Secundárias de concelhos com risco extremamente elevado

Os testes rápidos de deteção de covid-19 começam nesta quarta-feira a ser aplicados nas escolas com ensino secundário dos concelhos em risco de contágio extremamente elevado, anunciou o Governo.

A campanha vai decorrer em estabelecimentos públicos e privados, através de testes de antigénio (Trag), de acordo com uma nota conjunta dos ministérios da Saúde e da Educação.

“Em caso de identificação de surtos ativos será intensificada a testagem, envolvendo e priorizando toda a comunidade escolar dos estabelecimentos de ensino afetados, independentemente do grau de ensino a que pertença”, precisaram as tutelas.

Com estes testes, pretende-se “aumentar a rapidez da deteção e rastreamento de eventuais casos de SARS-CoV-2”, em alunos, pessoal docente e não docente.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), em colaboração com as respetivas estruturas regionais e com as administrações regionais de saúde, elaboraram um modelo de consentimento informado para os encarregados de educação, juntamente com informação sobre a importância da deteção atempada do vírus.

O primeiro-ministro também anunciou no Parlamento que na quarta-feira vão iniciar-se os testes rápidos nas escolas e adiantou que não hesitará em fechar estabelecimentos de ensino se verificar que a variante inglesa do novo coronavírus, mais contagiosa, tornou-se dominante.

António Costa falava na abertura do debate sobre política geral na Assembleia da República, após uma intervenção do líder parlamentar do PSD, Adão Silva, que foi muito crítica em relação à atuação do Governo no combate à epidemia de covid-19.

“Neste momento, estamos a bater-nos para manter as escolas abertas, já que sabemos o enorme custo social que representa fechá-las. Na quarta-feira, vamos iniciar uma campanha de testes rápidos em todas as escolas, tendo em vista reforçar a segurança”, disse.

Se para a semana ou daqui a 15 dias se souber, ou até mesmo se já nesta quarta-feira se souber, por exemplo, que a estirpe inglesa se tornou dominante no país, então, muito provavelmente, vamos ter mesmo de fechar as escolas”, advertiu depois o líder do executivo.

O quadro geral de medidas de combate à covid-19, incluindo a abertura das escolas, vai ser ponderado na próxima semana, em nova reunião com especialistas e audiências aos partidos na terça-feira, anunciou hoje o Presidente da República.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.041.289 mortes, resultantes de mais de 95,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.246 pessoas dos 566.958 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da DGS.