Quinta das Marias lança o Crudus.Primeiro néctar “out of the bottle”

Um monocasta, da uva rainha do Dão, Encruzado, com 13 graus, numa edição de 960 garrafas, deste produtor de Oliveira do Conde (Carregal do Sal).
Elaborado com desengace e maceração a frio, seguida de prensagem e decantação estática. Fermentação espontânea em barricas de 400 litros, originárias de França e Áustria, durante 34 dias. Após a fermentação, manteve-se em estágio sobre as borras finas durante 20 meses, até ser engarrafado. Vinho sem estabilização, sujeito a criar depósito natural.
“Este é o primeiro vinho da minha geração, onde iniciamos uma nova colecção de vinhos “Out of the bottle”. São vinhos de colecção, quantidade limitada. Vinhos a puxar às sensações e onde deixo falar o vinho tal como ele é. Estou muito contente com o resultado. Adoro o vinho. É Encruzado da vinha mais velha da Quinta, fermentou de forma espontânea em duas barricas, onde ficou 20 meses sobre as borras. E foi engarrafado sem ser estabilizado (colagens ou filtragens)”, começou por explicar ao nosso jornal, Luís Lopes, o jovem enólogo da Quinta das Marias.
“Encontrámos a forma perfeita de transmitir o vinho, com o magnífico design da Lígia Freixo, onde é transmitida por um lado a “manualidade” do vinho, e por outro a sua origem, o granito”, acrescenta, para concluir “pessoalmente este vinho tem para mim uma dose de resiliência e convicção, que me ajudam a gostar Ainda mais do que faço”.