“A Ancose está a estudar um futuro projeto de comercialização”

A Ancose, por delegação de competências do Estado, tem como missão o melhoramento animal, designadamente prestando serviços aos seus associados, destacandos-se: Contraste leiteiro, centro de testagem de machos, indução e sincronização de cios, inseminação artifical, diagnóstico de gestação e danidade.Sessão de comercialização, de produtos como queijo Serra da Estrela e queijo de ovelha curado. Projetos de investimento, serviço de tosquia, apoio jurídico, publicações,planeamento e formação profissional, estão também nos apoios prestados.

Atualmente a associação tem 210 associados e o número de animais sob sua responsabilidade é de cerca de 18 mil.

Manuel Marques, lidera a Ancose, e trava uma grande luta para apoiar os criadores de Ovinos Serra da Estrela.

A pastorícia e produção de Queijo Serra da Estrela passa por mais um grande desafio, talvez o maior, para sobreviver. Qual a sua avaliação deste momento crítico? 

Neste momento a pastorícia está a atravessar um mau momento, Por isso, é enorme a preocupação da direção da ANCOSE. Tudo faremos junto dos nossos associados para os apoiar atenuando-lhes este mau momento. A comercialização do QSE, apenas se notou um pequeno aumento nesta época festiva. Daí que a direção da ANCOSE esteja a estudar um futuro projeto de comercialização.

As vendas de Queijo certificado terão atingido níveis dramáticos (a Estrelacoop fala em mais de 60% de redução). Feiras e Eventos cancelados e circuito comercial severamente afetado. Poderá o setor ver a luz ao fundo do túnel em 2021?

Se não se deitar “mãos à obra”, os níveis de comercialização continuarão a ser dramáticos. Como já referi,vamos ver o que vai dar este projeto de comercialização em que a ANCOSE se está a envolver. Faço daqui um apelo aos presidentes de câmara para estudarem uma eventual ajuda aos produtores de QSE, nos custos de certificação.Felizmente que já há algumas câmaras a fazê-lo.

Os apoios do Estado. Este Governo tem olhados para uma das 7  maravilhas da gastronomia Lusitana, como merecedor de um apoio especial? O que podemos esperar a este nível em 2021? 

Tem ajudado dentro dos possíveis.Espero que as minhas solicitações sejam atendidas que são designadamente: O REAP, a portaria do leite que contemple os pastores que transformam o leite dos seus rebanhos.Da mais elementar justiça, será também o estudo de um subsídio para os criadores de borregos de carne.

Outro incentivo importante seria uma majoração pelas criação da Raça Serra da Estrela/Raças autóctones, que em vez de receberem 15€ anuais, deveriam receber 30€. De todas estas preocupações, já dei conhecimento ao atual Secretário de Estado, individualidade que eu conheço e que algumas esperanças me trouxe.