Nelas, Mangualde e Viseu poderão deixar de ter recolher obrigatório

Recolher obrigatório aos fins de semana a partir das 13h poderá manter-se apenas nos 28 concelhos do escalão de risco mais elevado com mais de 960 casos de covid-19 nos últimos 14 dias. Na renovação do estado de emergência, a partir de 24 de novembro, Governo pondera deixar cair medida nos concelhos dos restantes escalões de risco: mais baixo (entre 240 e 480 casos), num total de 98, e intermédio (entre 480 e 960 casos) que abrange 62 concelhos, acrescentando a possibilidade de, neste último, manter outras restrições como o encerramento de grandes superfícies aos fins de semana.

O Governo pondera escalonar os concelhos de alto risco de contágio com base em três patamares de gravidade e em função do número de casos de infeção por 100 mil habitantes, segundo revelou aos jornalistas o deputado d’Os Verdes, José Luís Ferreira.

Em declarações reproduzidas pela RTP3, e à saída do encontro mantido com o Presidente da República, o deputado ecologista fez referência à “novidade” que lhe fora transmitida por Marcelo Rebelo de Sousa: “O Governo está a pensar nivelar em três [níveis] os concelhos” considerados de maior risco de contágio da covid-19 e onde foram impostas medidas mais restritivas.

PUB

Ainda de acordo com o deputado do PEV, o Executivo pretenderá manter o recolher domiciliário obrigatório a partir das 13:00 aos fins de semana somente nos concelhos com mais de 960 casos confirmados por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, ou seja, no patamar de maior risco.

Casos por 100 mil habitantes, de alguns concelhos da região, na última revisão (dados do Jornal de Negócios, edição digital) :

Nelas = 532

Mangualde = 486

Carregal do Sal = 108

Viseu = 314

Seia = 688

Oliveira do Hospital = 145

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies