Serpentes e Ratos no Hospital de Viseu (Departamento de Psiquiatria)

Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, vai apresentar o problema à ministra da Saúde.

Nas velhas instalações do Departamento de Psiquiatria do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, (CHTV) que funciona em Abraveses, entram ratos e serpentes, assegurou segunda-feira o diretor, Jorge Humberto Silva, que há anos reclama novas instalações.

“Estamos numa zona florestal muito significativa, portanto tem acontecido encontrar, no arquivo, ratos e, de vez em quando, aparece outro tipo de répteis”, afirma, referindo-se a serpentes, registadas fotograficamente.

Este é apenas um dos muitos problemas do edifício com, pelo menos, 70 anos, onde já funcionou um sanatório, que ontem foi visitado pelo bastonário da Ordem dos Médicos, depois de reunir com o Conselho de Administração do CHTV.

O diretor do Departamento de Psiquiatria explicou que os quartos têm falta de privacidade e de instalações sanitárias. “Temos 22 camas em cada ala e duas casas de banho, com a incapacidade de garantir água quente para todos os utentes ao mesmo tempo. Tomam banho por turnos “, explica o diretor.

“É um sítio que faz parte do passado, mas que tem uma equipa que trabalha no presente e com perspetiva de futuro”, afirma Jorge Humberto, que considera que o espaço não tem hipóteses de reabilitação.

“Precisamos de um espaço novo, integrado no espaço físico do Centro Hospitalar Tondela-Viseu”, reclama o diretor que, nos 18 anos que dirige o serviço, já se cansou de ouvir promessas.

“Do ponto de vista político [a Psiquiatria] não é algo que se expresse muito nas urnas”, lamenta, com um novo fôlego de esperança. “Esperemos que desta vez as coisas sejam diferentes e possamos, em breve, ter o projeto numa maqueta para podermos transformar o sonho em realidade”, afirma, confiante que tal possa acontecer até ao início do próximo ano.

Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, prometeu levar o assunto à ministra da Saúde, a quem apela que dê atenção e visite o Departamento de Psiquiatria. “É uma das prioridades do país”, sublinha.

Já sobre o Serviço de Urgência do CHTV, o Conselho de Administração transmitiu-lhe que a obra vai ser adjudicada e tem um prazo de execução de 400 dias.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies