Salomão Fonseca foi “O MAIOR LOBO DA LAPA” : Homenagem do Lapense Vasco Jorge Almeida

O SALOMÃO, foi um HOMEM com um gosto e um amor incondicional à sua terra; mas, como acontece a qualquer ser vivo, morreu e deixou de estar entre nós, fisicamente.

O SALOMÃO, deixa uma obra de orgulho e valor na sua terra, LAPA DO LOBO.

Não resisto, a escrever meia dúzia de linhas, acerca do que o SALOMÃO sonhou e quis fazer.

Tive o privilégio de estar no grupo de amigos que tinha e isso aconteceu desde os meus 16, 17 anos (o Salomão com 36,37 anos), quando me convidava para o acompanhar nalgumas das “suas loucuras”.

Quis e fez, com ajuda de muitos, nos quais destaco os FUNDADORES, a nossa Associação Desportiva e Cultural Lapense (ADCL). Numa primeira fase abriu num antigo espaço comercial, propriedade do Sr. José Matias (hoje onde vive o meu cunhado e a minha irmã). O espaço era pequeno e nessa altura estavam a aparecer as associações desportivas e culturais (1975); o que fazia com que as aldeias se concentrassem, muito, nestes espaços.

Insatisfeito, após ter negociado uma zona para construção, a nível da sua vida pessoal, “arranjou” uma parcela de terreno, enorme, para edificar a nossa atual sede, campo de jogos polivalente, campo de futebol de 11 (hoje com o seu nome), espaço para a construção de piscina e zonas envolventes.

Hoje, a ADCL, possui umas instalações que nos orgulha a todos e de uma dimensão, que arriscaria a dizer, sem igual no nosso concelho / região.

Nestes anos, pós 25 de Abril de 1974, apareceu a “febre do atletismo” e o SALOMÃO arranjou equipa e a ADCL fez múltiplas provas na região, e não só.

Um dia “acordou” para fazer o GRANDE PRÉMIO DE ATLETISMO DA LAPA DO LOBO. 

O sonho, mais uma vez se concretizou e foi durante alguns anos uma referência, um marco, neste tipo de provas.

Que gozo poder acompanhar o SALOMÃO nos seus sonhos!!!

E, estes sonhos, continuaram!!!

Um dia, chamou-me, para partilhar que queria fazer da LAPA freguesia. “Não sei como o conseguir; mas, tem que ser”.

Com múltiplos contactos, viagens a Lisboa e o apoio incondicional de alguns amigos, o que parecia ser, para muitos, uma utopia, tornou-se realidade e a LAPA DO LOBO, passou a ser mais uma Freguesia, do concelho de Nelas.

A vida, por vezes, traz-nos algumas contrariedades e o SALOMÃO “teve que” emigrar para a Austrália, onde permaneceu alguns anos.

Voltou à sua terra natal e naturalmente foi líder, como Presidente, da nossa Junta de Freguesia, durante alguns mandatos.

Tudo o que fazia pela LAPA era pouco em relação ao que desejava que fosse feito.

Teve, no seu percurso de vida, uma “admiração brutal” de muitos de nós e um “ódio de sobra” de alguns outros. É sem dúvida, o perfil dos GRANDES HOMENS – amados por uns, odiado por outros.

Um HOMEM, com esta dimensão, é, para mim, sem qualquer dúvida, O MAIOR LOBO DA LAPA, até aos dias de hoje.

Uma palavra singela para a Rosete do Sr. António Pinheiro que passou a ser a Rosete do Salomão. A verticalidade e cumplicidade no acompanhamento do seu marido, durante todo o trajeto da vida em comum e particularmente, nesta difícil fase de doença do Salomão, só está ao alcance de grandes pessoas. Rosete foi e continuará a ser a GRANDE MULHER, que nos habituamos a lidar e a conhecer.

Obrigado SALOMÃO.

Até um dia

Vasco Jorge

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies