ETAR em Galizes contamina curso de água. Autarquia assume “falhas eletromecânicas” e garante para breve a resolução

Um leitor do nosso jornal, Fernando Trindade, fez-nos chegar fotos e vídeos, onde são visíveis descargas poluentes oriundas da ETAR de Galizes (Oliveira do Hospital), para o ribeiro da aldeia. As imagens e vídeo são de 29 de outubro 2019. Segundo o leitor, a água entra limpa na ETAR e sai contaminada, sendo lançada assim no ribeiro, gerando um odor nauseabundo, percetível na aldeia. De acordo com a mesma fonte, a ETAR é nova (terá sido inaugurada há cerca de três meses) e o problema já se arrastará praticamente depois da inauguração até à atualidade. Fernando Trindade tem residência em Galizes e uma propriedade ao lado da ETAR.

Consultando informações sobre os investimentos da autarquia, ao nível de ETAR´s, o nosso jornal verificou que Oliveira do Hospital pretende ser um dos municípios modelo no país, ao nível de tratamento de esgotos, eliminando todas as fossas séticas, rumo a uma taxa de cobertura de saneamento básico na ordem dos 100% (informação veiculada pela agência Lusa).

A autarquia instada a esclarecer a situação desta recente ETAR de Galizes, bem como dos investimento em curso nesta área (10 novas ETAR´s), remeteu-nos as seguintes informações :

A ETAR de Galizes foi projectada para solucionar a ineficiência da fossa existente que não só já não tinha capacidade para todo o efluente que estava a ser produzido como a sua avançada idade já não permitia um tratamento satisfatório. Em Dezembro de 2018, cumprindo os prazos definidos pelo POSEUR o Município de Oliveira do Hospital recebeu a obra por parte do empreiteiro tendo o mesmo desactivado a fossa existente e encaminhado o efluente para a estação de tratamento. Na recepção ficou claro que o empreiteiro se veria obrigado a entregar a ETAR em pleno funcionamento, no entanto desde a recepção nunca foi possivel colocar a ETAR em operação plena por diversas falhas eletromecânicas. O Município de Oliveira do Hospital definiu um prazo definitivo junto do empreiteiro para que as alterações sejam efectuadas no âmbito da garantia de obra e permita a operação em pleno da infraestrutura, estando para breve o seu término.

Importa, ainda, esclarecer que a ETAR não foi inaugurada conforme indicado no email, a ETAR que foi inaugurada foi a de Oliveira do Hospital pertença da empresa Águas do Vale do Tejo, e que em momento algum a situação se encontra em situação pior ao que estava anteriormente uma vez que neste momento se encontra em funcionamento o equipamento de dragagem de sólidos, existindo obviamente (uma vez que o equipamento electromecânico não está em funcionamento) um défice de rendimento.

O nosso jornal solicitou ainda à Edilidade, um pouco de situação sobre os investimentos em curso ao nível de saneamento básico e abastecimento de água, um pouco por todo o concelho :

Em relação às restantes ETARs existem ainda obras a decorrer nas ETARs de Seixas, Vale Torto, Póvoa das Quartas, Lourosa e Chão Sobral, estando concluídas e em pleno funcionamento as ETARs de Vilela, Póvoa de S. Cosme e Negrelos.

O Município encontra-se a trabalhar com o grupo AdP de modo a proceder às ligações técnicas de saneamento que estão em falta estando prevista a abertura de concurso em breve que permitirá a desactivação de mais fossas sépticas, nomeadamente nas localidades de Ervedal da Beira, Bobadela, Travanca de Lagos, Andorinha, São Gião e Meruge.

O Município de Oliveira do Hospital submeteu novas candidaturas ao POSEUR para fechos de rede de saneamento e abastecimento no âmbito das agregações que permitirá, se aprovadas, a construção de duas novas ETARs vários troços de rede de saneamento (aumentando a cobertura de rede) e a construção de uma rede de distribuição de água a uma localidade com défice de recursos  num investimento de mais de 2 milhões de euros.

Ribeiro, antes da água entrar na ETAR

ETAR lança residuos no ribeiro

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies