“A difícil relação de Borges da Silva com as árvores”

A situação ocorrida no Largo Vasco da Gama, em frente aos antigos armazéns José Marques Loureiro, é, infelizmente, apenas mais um episódio da inexplicável e incompreensível obsessão pelo abate de árvores perpetrada por parte do presidente da câmara um pouco por todo o nosso Concelho. 

Logo no início do seu primeiro mandato ordenou o abate massivo das árvores do Largo da Câmara. Foi só o começo. Os abates de árvores, muitas delas centenárias, outras históricas, carregadas de memórias geracionais, nosso património natural, contnuaram ao longo dos anos em diversos pontos do Concelho. Os cortes recentes na EN 234, Nelas – Canas de Senhorim estão ainda bem presentes na nossa memória. Naturalmente que ninguém de bom senso pode ser contra o abate de árvores secas, em risco de queda e que representem perigo para a segurança pública. Mas o que se verifica é que para além dessas vão todas as outras que estão em perfeito estado de conservação. Como era o caso da árvore centenária hoje abatda. A mais frondosa e em melhor estado de conservação. Outra há que poderia ser ponderável uma intervenção. A que foi abatda, nunca. A justficação da autarquia nos seus meios de comunicação soa a oco e a desculpa esfarrapada de quem não tem a consciência tranquila. Não é verdade que a intervenção fosse somente de poda geral, um fraco argumento para ver se “cola”, mas de abate generalizado das árvores. Facto que só não aconteceu devido à pronta intervenção cívica de louvar de populares que se indignaram contra o crime ambiental e patrimonial. 

Este ostracismo com as árvores por parte deste executvo é bem visível na completa ausência de uma polítca de reflosteração que se impunha no nosso Concelho após os trágicos incêndios de outubro de 2017. O que a câmara fez foi quase zero. Quem o fez foram algumas freguesias e associações ambientais. Razão pela qual mais a oco e a falso soa a promessa de que “a Câmara Municipal não deixará de compensar com a plantação de centenas de outras árvores em outros locais, à semelhança do que vem promovendo nos últmos anos”. Lamentável ainda que nada tenha sido informado em reunião de câmara no dia anterior. 

Nelas, 10 de Outubro de 2019 

Joaquim Amaral – Vereador do PSD

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies