Abate de árvore(s) gera polémica em Nelas

A Câmara Municipal informa que está a proceder a uma intervenção nas nove árvores existentes no Largo Vasco da Gama, intervenção esta que é constituída por poda em geral e a remoção de apenas uma das árvores.

A intervenção levada a cabo é justificada no âmbito da melhoria da mobilidade urbana (com segurança no piso e em visibilidade) do referido Largo, tendo sido necessário remover uma das árvores por razões de prevenção e segurança contra o risco de queda, total ou parcial, atenta a sua altura e elevado porte e a proximidade com outras árvores de igual dimensão agravando, assim, o risco, o que constituía um perigo para os imóveis e habitações existentes e seus residentes, o exercício da actividade comercial ali desenvolvida e seus frequentadores e a circulação de utentes na via pública, situação de remoção que se lamenta e que a Câmara Municipal não deixará de compensar com a plantação de centenas de outras árvores em outros locais, à semelhança do que vem promovendo nos últimos anos.

Sendo um dos objectivos fundamentais da protecção civil, da qual é máximo responsável o Presidente da Câmara Municipal, o de prevenir riscos colectivos e a ocorrência de acidente grave, lamenta-se a situação de remoção verificada e os incómodos causados, solicitando-se a compreensão de todos os munícipes.

Publicado no Sítio na Internet da Câmara Municipal de Nelas

Entretanto os Vereadores Joaquim Amaral (PSD) e Manuel Marques (CDS/PP), perante a controvérsia gerada, solicitaram esclarecimentos ao presidente da Câmara de Nelas, sobre a intervenção.

Ambos fizeram chegar à nossa redação, as comunicações enviadas em Edil de Nelas.

Joaquim Amaral pretende “esclarecimentos sobre o abate de árvores históricas perpetrado hoje, 10 de outubro, no Largo Vasco da Gama, em frente aos antigos armazéns José Marques Loureiro, atual espaço da empresa Caminhos Cruzados. As árvores, históricas, do nosso património natural e geracional, foram abatidas sem razão aparente”. O Vereador afirma que “não é vislumbrável qualquer razão de segurança pública”, lamentando que “tenha decorrido ontem a Reunião de Câmara, e entre outra informação prestada, nada tenha sido informado este assunto aos vereadores”.

Manuel Marques, classifica mesmo de “bárbaro” a ato, tendo dele tido conhecimento “por alguns populares de Nelas”. “Assim requeiro, cópia de qualquer relatório emitido pelos Serviços de Proteção Civil, do qual conste iminente perigo para a segurança pública, ou relatório técnico que demonstre que as árvores sofriam de qualquer ataque de doença”, insta ao Edil de Nelas.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies