O Académico de Viseu entre a elite

O Académico de Viseu Futebol Clube, assim batizado em 2005, “herdou” os pergaminhos do Clube Académico Futebol Clube, numa mudança inteiramente motivada por questões de ordem financeira. Na sua génese, o Académico de Viseu existe oficialmente desde 1914. Hoje, os “Viriatos” militam na LigaPro, segundo escalão do futebol nacional, mas outrora estiveram mesmo entre a elite.

Década de 70

O Académico de Viseu é, nos dias que correm, presença habitual na Segunda Liga do futebol português, constantmente com os seus jogos disponíveis para apostas online em futebol. Até aos anos 70, o Académico de Viseu, ou Clube Académico Futebol Clube à data, deambulou sempre entre os segundo e terceiro escalões do futebol nacional, ainda que, em várias ocasiões, tenha estado perto de assegurar o acesso à elite do futebol português. O “passo de gigante”, tão aguardado pelos adeptos do emblema da zona centro, aconteceu na temporada 1977/78. Ora, o Clube Académico Futebol Clube terminou a Zona Centro da 2ª divisão portuguesa no segundo posto, atrás do Beira-Mar, emblema aveirense que assegurou a subida ao escalão máximo de forma direta. No entanto, os “Viriatos” viriam a beneficiar de uma oportunidade de ouro para ascender – corria o verão de 1978 quando  se disputou a “liguilha” com os vencedores de cada uma das Zonas, nomeadamente Clube Académico Futebol Clube, Aliados do Lordelo (norte) e Juventude de Évora (sul). A equipa à data comandada por Mário Morais venceu essa mesma “liguilha” e, desse modo, assegurou o acesso ao escalão máximo do futebol “luso”.

estreia no Campeonato Nacional da I divisão seria, no entanto, pouco auspiciosa. O Clube Académico Futebol Clube não conseguiu prolongar a sua estadia entre os maiores emblemas do futebol nacional e terminou no último lugar da tabela com apenas 11 pontos somados em 30 jornadas, resultado de cinco vitórias, um empate e 24 derrotas com 13 tentos marcados e 75 sofridos.

No entanto, o regresso seria breve, dado que bastou um ano à equipa viseense para regressar à elite. No final da época 1979/80, o Clube Académico Futebol Clube voltou a ser segundo colocado da Zona Centro, desta feita, atrás da também despromovida Académica de Coimbra. Na “liguilha” de promoção, o Clube Académico Futebol Clube voltou a levar a melhor diante do Juventude de Évora (sul) e do AD Fafe (norte), carimbando novo passaporte para o Campeonato Nacional da I divisão.

Manutenção

Na época 1980/81, o Viseu melhorou a sua prestação e terminou no 13º posto, mas sem se livrar de alguns momentos de maior aperto. É que no final dessa época, além dos três vencedores de cada uma das Zonas da 2ª divisão, a “liguilha” passou a ingerar também o 13º classificado do Campeonato Nacional da I divisão. Para conseguir a permanência, o Viseu superou o Leixões, o Nazarenos e o Juventude de Évora, assegurando, pela primeira vez na sua história, a manuenção no primeiro escalão.

No fim da época 1981/82, o Viseu voltaria a cair para o segundo escalão, ao terminar no 14º posto da tabela, ainda que em igualdade pontual com o Penafiel. Desta feita, a estadia nos escalões secundários viria a ser mais prolongada e até compreenderia uma crise diretiva. O Clube Académico Futebol Clube ainda voltaria ao escalão máximo na época 1988/89, terminando uma vez mais condenado à descida, naquela que foi a sua última experiência entre a elite.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies