Soito Wines: Vinhos seletos provenientes de terroir privilegiado

Situada entre Nelas e Mangualde (Tibalde – Mangualde), a Soito Wines é composta para uma Adega de última geração, num projeto contemporâneo do arquiteto Perdigão (também produtor de vinhos) e duas quintas.

Construída de raiz e tirando partido do declive do terreno, para que a gravidade seja parte essencial no processo de vinificação, reúne as condições para a produção de vinhos de elevada qualidade e diferenciação. É aqui que se produzem os vinhos das duas Quintas da Soito Wines, aliando os métodos tradicionais a uma estratégia diferenciadora e inovadora que se apoia na tecnologia de ponta existente.

Na adega pode visitar o showroom, a sala de fermentação, a de armazenamento e a sala nobre – a das barricas. O produtor oferece variadas atividades mediante marcação: passeios pedestres; visitas guiadas às Quintas, vinhas e adega; provas/jantares vínicos, entre outras e atende cada vez mais Enoturistas, com ou sem marcação prévia.

A foto ilustra um dos preciosos detalhes que proporciona: experienciar a batonnage dos seus brancos na barrica. E cada cliente que vem, normalmente “compra”, como nos conta Sandra Soares, CEO da empresa, que deixou temporariamente o ensino para se dedicar em exclusivo à atividade vínica, como aconteceu com José Carlos Soares, seu marido e responsável pela produção.

Com cerca de 6.3 hectares de vinha, a Quinta do Cabeço da Roda situa-se na povoação de Mesquitela, concelho de Mangualde, distrito de Viseu. A casta predominante desta vinha é a Touriga Nacional (cerca de 60%) e as uvas que aqui se colhem são de extrema qualidade, fruto da excelente exposição solar aliada aos solos graníticos.

É numa rústica e bucólica paisagem que se insere a Quinta do Soito, localizada entre as Serras da Estrela e do Caramulo, com cerca de 10 hectares, dos quais cerca de sete hectares de vinha. A Touriga Nacional e Encruzado são o Rei e Rainha na Soito Wines, sendo as melhores uvas escolhidos para o rótulo Quinta do Soito. “O primeiro ano que isso aconteceu, desde que iniciamos o projeto, foi 2015, um ano muito bom para o Dão”; explica Sandra Soares, que conta todo o processo até se chegar aos néctares de excelência: “O nosso enólogo selecionou as melhores uvas de Touriga Nacional, fez o melhor lote que estagiou nas melhores barricas, o que resultou no primeiro Quinta do Soito, com 6 300 garrafas, já com um e meio de garrafeira, depois de18 meses em barricas”, confidenciando que “não temos pressa nenhuma em lançar para o mercado os nosso vinhos – eles aguardam em cave, na garrafa, pelo melhor momento”. “Talvez tenhamos um segundo Quinta do Soito, em 2017, que foi também um ano excecional”, revela.

Instada a fazer um ponto de situação da Colheita 2019, adianta estar a correr “muito bem”, com previsão de aumento na produção e uma qualidade “excecional”, dadas as condições meteorológicas “muito boas”, com “noites e manhãs frescas e tardes quentes”, explicando o processo de vindima: “Fazemos sistematicamente controles de maturação e mediante esses controles é que vindimamos a casta, portanto se tivermos que parar depois de oito dias, entre uma casta e outra, paramos”.

As castas plantadas são as tradicionais do Dão: Encruzado, Malvasia Fina, Jaen, Tinta Roriz, Alfrocheiro e Touriga Nacional. Novidade será a nova sala multiusos que vai servir “para todo tipo de eventos que tenham a ver com o vinho e com o turismo da região, incluindo jantares vínicos e workshops”. Outra vertente inovadora é a “rede de parceiros, sob a égide do nosso município, que considero irá revolucionar completamente a forma com que o turismo e o enoturismo têm sido vistos na nossa região”, acrescenta.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies