Quinta dos Monteirinhos: Tradição de braço dado com a Modernidade

Miguel Ginestal antigo político, sobejamente conhecido no distrito – foi deputado durante décadas e Governador Civil do Distrito de Viseu. As suas raízes contudo não estão na política, mas sim na vinha e no vinho. O seu passado está familiar e indelevelmente ligado à vitivinicultura. O seu tetravô iniciou o negócio, que se vem perpetuando geração após geração. E já vai na sétima, com o Menino Afonso a garantir a continuidade da Quinta dos Monteirinhos, situada em Moimenta Maceira Dão, entre Nelas e Mangualde.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Quinta conta com uma vista privilegiada para a Serra da Estrela e está sob uma placa de granito, num terroir único, que confere aos vinhos ali produzidos uma “frescura e mineralidade ímpares”, conta ao nosso jornal Miguel Ginestal, na preparação de mais uma vindima. A colheita 2019, começou com a recolha das uvas da monda, que, depois de selecionadas, servem para vinificar espumantes, desde 2017: “Um sucesso no mercado”, explica o produtor/engarrafador. “Um espumante rosado e um branco, a partir de uvas tintas (Blanc de Noir), serão lançados na Primavera de 2020, depois de longo estágio em garrafa”, revela.

Encruzado, Malvasia Fina, Cerceal e Bical, são as castas brancas plantadas, enquanto nas tintas, às tradicionais do Dão (Touriga Nacional, Jaen, Tinta Roriz) se junta o Cabernet Sauvignon.

Os néctares dos Monteirinhos têm sido reconhecidos pela qualidade e diferenciação, em diversos concursos nacionais e internacionais, mostrando ao mundo o grande valor dos vinhos do Dão. No maior Concurso Asiático (ASIA WINE TROPHY), recentemente realizado na China, mais dois notáveis prémio: Medalhas de Ouro – Asia Gold, para os Tintos DOC de 2010 e 2011. “Precisamos de elevar o Dão a outros patamares de reconhecimento, que nacional quer internacional, dado que a sua qualidade está ao nível dos melhores do mundo e o preço tem que ser compatível”, defende, realçando, contudo, que “muito trabalho, meritório, tem sido feito nessa sentido pela CVR do Dão e produtores”. Ginestal lança mesmo um apelo a uma “elevação dos preços médios” e uma maior “união entre produtores”.

“Menino Afonso” Tinto 2016, um Blend (principalmente de Touriga Nacional) de homenagem à sétima geração da família e “o Pai Miguel” Reserva Especial 2017, que considera “o nosso vintage”, feito exclusivamente com a casta nobre do Dão: Touriga Nacional, são as novidades que apresentarão na Feira do Vinho do Dão, em Nelas.

“Sempre tivemos por objetivo homenagear o meu pai com um grande vinho – 12 anos depois conseguimos”, diz-nos, orgulhoso, Miguel Ginestal.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies