Manuel Marques esclarece : “Só serei candidato se não aparecer uma candidatura credível”

Depois do dia 11.09.2019, data em que foi publicado o meu artigo “O Futuro a Deus Pertence”, vários(as) Concidadãos(as), do nosso concelho me manifestaram o seu apoio, quer pelo facebook, quer pessoalmente, quer pelo telemóvel a uma eventual candidatura às eleições autárquicas de 2021.

Por isso, de uma forma emocionada, motivada pela confiança que me foi dada, quero com um forte abraço agradecer a coragem daqueles e daquelas que o fizeram, demonstrando inequivocamente que o medo já lá vai!.
O medo já lá vai! Dado que, o ainda presidente da Câmara, paga a um funcionário com os nossos impostos, a exclusividade de lhe transmitir todos os escritos e quem os comenta, que a ele digam respeito.
O sentido literário do meu artigo, foi tão só e apenas a intenção de avivar a memória aos concidadãos e concidadãs do nosso concelho a forma como estão a ser tratados os trabalhadores da autarquia e os empreiteiros do nosso concelho e a falta de obras nas freguesias.
Onde estão os quase de cem milhões de euros, desde 2013, dos Orçamentos da nossa Câmara Municipal?
Em que Obras Municipais foram gastos?
Da leitura/interpretação do meu artigo, “O Futuro a Deus Pertence”, no seu máximo, apenas se poderá concluir, que só serei candidato ou farei parte de uma lista política, se não se apresentar ao eleitorado em 2021, uma candidatura credível à retoma do Desenvolvimento, do Progresso do nosso concelho, sem descurarmos uma política de Verdade.
Estar política para eu resolver os meus problemas pessoais, não foi e nunca será o meu modo de Vida.
Certamente tudo será resolvido até 2021, considerando que naturalmente surgirá uma convergência de Homens e Mulheres sérios e honestos, capazes de terminarem com o status de compadrio e perseguição que hoje paira na Casa Amarela.
Essa mesma convergência terá inequivocamente o meu incondicional apoio, e não será necessário fazer parte das listas.
Não acontecendo, poderei eventualmente avançar, se assim for entendido pelos demais, com um projeto para a retoma do Desenvolvimento do Nosso Concelho, contando com todos que me apoiaram em 2017, e com aqueles que foram enganados.
As explicativas que foram criadas ao Munícipes em 2013 e 2017, pelo ainda presidente da câmara esvaziaram-se.
Promessas não cumpridas! Aumentou em quase 4 (quatro) milhões a divida da Câmara, sem obra feita, nomeou o pessoal politico quanto baste, o que eu em 8 (oito) anos nunca fiz, mesmo podendo fazê-lo. Por esse facto, um velho “aliado” se virou contra mim.
Criou um clientelismo e amiguismo nunca visto.
Por tudo isto, alguém com coragem e determinação terá que se opor ao estado lastimável em que se encontra a nossa câmara.
Terminando e para que não resultem dúvidas, quando me acusam que só quero poder, quero publicamente afirmar que aquele menino que começou nos anos de 1964, a sua escola primária em Vila Ruiva, já alcançou na vida tudo que tinha para alcançar, em todas as vertentes: familiar, profissional, social e política.
Agora, afirmarei sempre, que até ao último bater do meu coração, defenderei o melhor para o meu concelho de Nelas, consequentemente para as suas Gentes, como o fiz nas associações concelhias que presidi, nunca misturando os interesses Públicos com os Pessoais.

O Vereador do CDS/PP
Manuel Marques

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies