Tenho que escolher uma instituição para o meu familiar: e agora?. Opinião por Marcelo Costa

O contributo da institucionalização para um envelhecimento com qualidade de vida

Quantas vezes o leitor já passou em frente a uma instituição de apoio à população idosa e já pensou na sua utilidade, em como será o dia-a-dia daqueles que usufruem deste tipo de serviço? Possivelmente até já teve/tem alguém a quem foi prestado o serviço, ou pelo menos já ponderou pedir apoio a alguma instituição deste género.

Com os mais recentes indicadores a sugerirem um país cada vez mais envelhecido, onde a esperança média de vida tem vindo a progredir, passa a colocar-se a seguinte questão: de que maneira é que a população idosa pode estar enquadrada na sociedade?

Infelizmente nestas idades surge ou acentua-se o grau de dependência, fruto de uma menor mobilidade, menor vitalidade cognitiva muitas vezes como sequelas de episódios clínicos (ex: AVC) e dos processos demenciais. Faço um parêntese para socorrer-me de um outro dado estatístico: em todo o globo estima-se que haja um diagnóstico de demência a casa 3 segundos. Este número é verdadeiramente assustador!

Assim sendo, a procura crescente de respostas sociais que cuidem da população idosa tem sido uma realidade.

Existem várias tipologias de respostas sociais que estas instituições agregam, contudo apenas irei debruçar-me nas mais comuns da nossa região geográfica: Centro de Dia, Serviço de Apoio Domiciliário e Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI).

O Centro de Dia é um serviço diurno que oferece – um pouco à semelhança da ERPI – cuidados ao nível das necessidades básicas desde a alimentação, à administração de fármacos e restantes cuidados de enfermagem bem como de medicina, passando pelos cuidados de higiene e lavandaria. Pode ainda oferecer serviços de psicologia e de animação sociocultural para a promoção das faculdades mnésicas dos seus clientes, promovendo desta forma um incremento ao nível da qualidade de vida, bem como o serviço de fisioterapia para o fornecimento da autonomia.

Destacar que os utentes inseridos nesta resposta social dormem nas suas respetivas residências, estando apenas durante o dia na instituição. É certamente uma boa opção para quem ainda preserva alguma autonomia e pode também continuar integrado na comunidade da sua localidade.

A Estrutura Residencial Para Idosos constitui-se como uma resposta que engloba todos os serviços anteriormente referenciados no Centro de Dia, com a particularidade de puderem ser prestados 24h por dia. Paralelamente, esta é uma opção a ter em conta para os idosos que se encontrem mais dependentes ou que apenas vivam distantes das suas famílias e por esse motivo apresentem uma limitada rede de suporte familiar/social.

Por sua vez, o Serviço de Apoio Domiciliário é bastante distinto dos anteriores na medida em que proporcionada alguns dos serviços acima referidos como a alimentação, administração de fármacos, cuida dos de higiene e de lavandaria, tudo isto ao domicílio. É um serviço mais adequado aos utentes que ainda possuam um satisfatório nível de autonomia e uma rede familiar e social próxima. Deste modo, a pessoa idosa pode, ainda, estar integrada na sua comunidade e na sua dinâmica relacional.

Estas linhas abordam em traços gerais o funcionamento de uma instituição para idosos, explicando de forma muito sucinta as diferentes respostas sociais, nomeadamente as suas características e adequação para cada idoso.

Em suma, é importante reter que estas instituições existem para colmatar a lacuna presente na nossa sociedade decorrente das profundas alterações ao nível do estilo de vida e da dinâmica laboral que impossibilitam que seja a família ou as pessoas próximas na comunidade a prestar cuidados aqueles que nesta faixa etária poderão estar mais desfavorecidos.

Como tal caro leitor, as respostas sociais devem ser vistas como oportunidades vitais para proporcionar ao seu familiar/vizinho/amigo dignidade e cuidados personalizados para que este tenha uma maior qualidade de vida junto de outras pessoas com as mesmas condições.

Dr. Marcelo Costa

Psicólogo Clínico

marcelocosta10@live.com.pt

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies