PSA : Pré Aviso de Greve para o próximo Sábado

Retomada a laboração no centro produção de Mangualde da PSA Peugeot/Citroen, a Comissão Sindical e a Comissão de Trabalhadores deparam-se com a intransigência da Administração, que se recusa a reunir com estas estruturas representativas dos trabalhadores para discutir o Caderno Reivindicativo apresentado em Janeiro de 2019, atitude que obriga a manter o pré-aviso de greve à Bolsa de Horas e ao Trabalho Extraordinário, já para o próximo sábado.

Relembramos que os principais objectivos a atingir com a marcação da greve são, o fim da Bolsa de Horas; a manutenção dos dois dias de descanso consecutivo; a não realização de mais de 8 horas diárias de trabalho; o fim da perseguição, chantagem, pressão e repressão sobre os trabalhadores.

Foi a arrogância social desta Administração, a sua recusa ao diálogo, a sua falta de respeito para com os direitos dos trabalhadores que forçaram a marcação da greve. Os trabalhadores estão confrontados com ritmos desumanos de trabalho, com condições de higiene e segurança deploráveis, com prolongamento excessivo do horário de trabalho sem remuneração, a que se junta o congelamento dos salários há 6 anos. No mesmo período de tempo os lucros da empresa não pararam de aumentar, assim como os prémios pecuniários aos administradores.

Na opinião da CS e da CT, este comportamento dos responsáveis pela administração do CP de Mangualde, ao mesmo tempo que provoca a deterioração das condições sociais dos trabalhadores, tem consequências nefastas na qualidade da produção, o que pode afetar a imagem da marca e pôr em causa o futuro do Centro de Produção.

É, por isso, tempo dos superiores hierárquicos desta administração virem ao terreno avaliar a situação e abrir as portas do diálogo, por nós reclamado.

A CS e a CT decidiram, entretanto, desencadear um conjunto de ações complementares à greve, tendo já reunido, a nosso pedido, com a ACT-Autoridade para as Condições de Trabalho, indo de seguida pedir reuniões aos cabeças de lista dos principais partidos, às eleições de legislativas de 6 de Outubro, pelo Círculo de Viseu, para avaliar do seu posicionamento e apoio à nossa luta.

Denunciando e condenando os métodos intimidatórios e chantagistas da Administração, não podemos deixar de manifestar a nossa satisfação pela adesão à Greve junto da generalidade dos trabalhadores, razão que leva a Administração ao assédio e ao “contrabando salarial” para garantir o funcionamento do Turno de Sábado.

A dignidade dos trabalhadores, não se compra. Hoje sacrificamos a perda de alguns euros, para amanhã ganharmos todos em salário e condições de trabalho. A luta é de todos, dos de dia e dos da noite. Está nas mãos dos trabalhadores a defesa dos seus direitos. Os trabalhadores podem contar connosco para sermos porta vozes e defensores das suas aspirações.

Unidos e organizados ninguém derrota os trabalhadores. A luta continua!

Dirigente Sindical / Membro da comissão trabalhadores 

Telmo Reis

Membros da  comissão trabalhadores

António Silva

Claro

Paulo Reis

José Fernando

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies