Carregal do Sal e Mangualde em risco máximo de incêndio

Imagem de Arquivo

Quatro concelhos da região de Viseu estão esta terça-feira (20 de agosto) em risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). São eles Carregal do Sal, Mangualde, Penedono e Tabuaço.

O IPMA também colocou praticamente quase todos os restantes concelhos da região em risco muito elevado, como Viseu, Sernancelhe, Aguiar da Beira, Moimenta da Beira, Tondela, Lamego, Penalva do Castelo, Sátão, S. Pedro do Sul, Nelas, Oliveira de Frades, Resende e Vouzela. Já Cinfães encontra-se em risco elevado.

De acordo com o instituto, o risco de incêndio vai continuar máximo, muito elevado e elevado pelo menos até ao fim de semana em vários distritos de Portugal continental.

Este risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave.

Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Na segunda-feira (dia 19), a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) alertou para o agravamento do risco de incêndio até sexta-feira (dia 23) para valores “muito elevados a máximos” em todo o território, com o aumento da temperatura e a diminuição da humidade.

Num “aviso à população”, a ANEPC refere que, de acordo com informações do IPMA, até sexta-feira a temperatura vai subir, variando entre os 30 e os 35 graus, podendo atingir valores superiores no interior (39).

Por causa das condições meteorológicas, a ANEPC recorda que durante o período crítico de incêndios, é proibido fazer queimadas extensivas ou queima de amontoados sem autorização, não é permitido utilizar fogareiros e grelhadores nas zonas críticas do espaço rural, nem fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.

A ANEPC recomenda ainda “a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente através da adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, na utilização do fogo em espaços rurais, observando as restrições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias”.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies