Mangualde. Largo Morgado do Cruzeiro requalificado

A Comissão de Coordenação Regional do Centro aprovou a candidatura da Misericórdia de Mangualde, que lhe irá permitir receber um incentivo financeiro, a fundo perdido, de cerca de 900 Mil Euros, para a reabilitação do Lar Morgado do Cruzeiro. Considerando os custos estimados desta obra em cerca de 1,5 milhões de Euros e a importância da mesma para a Misericórdia de Mangualde e para todos os mangualdenses, é muito importante e significativo o apoio comunitário para esta intervenção.  João Azevedo, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, visitou o espaço que será agora intervencionado e sublinhou que “esta requalificação é necessária e fundamental para que a Misericórdia de Mangualde continue a assegurar elevada qualidade e eficiência dos cuidados prestados”. A obra deverá ser realizada nos próximos 2/3 anos.

A Misericórdia de Mangualde foi pioneira no concelho na resposta social de Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI), quando em 1975 foi inaugurado o Lar Morgado do Cruzeiro. Depois da inauguração e durante mais de 10 anos, a Santa Casa garantiu, em exclusivo, esta resposta social, com cerca de 40 camas disponíveis, tendo depois começado a surgir novas IPSS e com elas novas ERPIs. Esta estrutura foi ampliada em 1983 (ala Sul) e hoje articula-se entre dois edifícios que são, a todos os níveis, muito distintos, com uma capacidade total autorizada de 87 camas. Por força de 40 anos de utilização intensa, hoje a ala mais antiga (ala Norte) apresenta sinais de grande desgaste, que a torna numa estrutura desadequada aos padrões de qualidade, conforto e segurança a que estamos habituados nos dias de hoje, pelo que a suareabilitação é urgente e inadiável, a qual a Santa Casa espera iniciar em 2020. A ala Sul, mais recente tem condições que se aproximam mais dos padrões atuais de qualidade e conforto, estando em muito melhor estado de conservação.

DEMOLIÇÃO TOTAL DO EDIFÍCIO MAIS ANTIGO (ALA NORTE), DANDO LUGAR A UMA ALA TOTALMENTE NOVA

A presente intervenção prevê a demolição total do edifício mais antigo (ala Norte), dando lugar a uma ala totalmente nova, que passará a funcionar em dois pisos. Na ala sul ocorrerão somente pequenas intervenções. Estamos perante uma requalificação da valência já existente e compreende por inerência as seguintes áreas: acesso/átrio; área administrativa; área de serviço/pessoal; área de refeições / convívio / atividades e a área de quartos.

Com esta ala edificada em dois pisos, com 1500m2 de área habitável, passará a ter, para além de 23 quartos com uma capacidade de 50 camas, todos com wc privativo, todas as restantes área necessárias: receção; serviços técnicos e administrativos; instalações para o pessoal; salas de convívio e atividades; sala de refeições; apoio à cozinha e à lavandaria; serviços de enfermagem e outros serviços de apoio como garagens, arrecadações e áreas técnicas.

Em termos de organização funcional, sublinha-se que esta intervenção altera a localização da entrada principal do edifício, agora situada na ala Sul, a nascente, para um ponto mais centralizado e articulado com os restantes edifícios. Esta reabilitação permitirá a comunicação interior entre as duas alas ao nível do 1º e 2º piso.

No final da reabilitação, a estrutura residencial manterá a sua capacidade em 87 residentes e terá novas áreas de convívio e atividades de lazer num total de 148,00 m², dividida por dois espaços separados, um em cada uma das alas. Esta divisão é, no entender da Misericórdia, justificável não só pelo facto de uma das salas já existir, mas também pelo facto de assim se permitir uma melhor distribuição e abrangência, pois temos quartos nas duas alas. Ambos os espaços se articulam facilmente com a Área de refeições e com a receção.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies