Município estuda possível musealização de achados no Centro Histórico de Viseu

Câmara aguarda confirmação da descoberta de um Castro da Idade do Ferro para, em conjunto com a Direção-geral do Património Cultural e a Direção Regional da Cultura do Centro, equacionar a abertura de uma janela de observação dos vestígios encontrados no Centro Histórico

Uma intervenção urbanística de jardinagem no Centro Histórico revelou achados arqueológicos que vão ao encontro dos 2.500 anos de história da cidade de Viseu. Por se tratar do Centro Histórico, a intervenção estava já a ser acompanhada pelo arqueólogo Pedro Sobral.

Naquela zona antiga da cidade foi encontrado, ao que tudo indica, um Castro da Idade do Ferro e também um suporte do fórum romano. Se confirmadas, estas podem configurar as descobertas mais relevantes dos últimos tempos.

Numa visita ao local, o Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, deu conta que “se estes achados arqueológicos revelarem ter a importância que têm e face à sua localização será solicitado à Sociedade de Reabilitação Urbana que, em conjunto com os arqueólogos, faça com que está descoberta possa ser usufruída por todos. E que de futuro possamos fazer a sua musealização”.

Junto à Igreja da Misericórdia foi também descoberto um fragmento cerâmico que parece comprovar que aqueles achados são mesmo da Idade do Ferro.

De acordo com o arqueólogo Pedro Sobral existem na cidade vários fragmentos deste género, mas este é esteticamente excecional.

O Vereador da Cultura e Património, Jorge Sobrado, que está a acompanhar os trabalhos, explica que “já foi iniciada a articulação institucional com a Direção Regional de Cultura do Centro, não apenas para que se alarguem as janelas de observação sobre estes importantes achados, mas também que permitam a sua futura musealização in situ”.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies