Viseu. Centro logístico municipal nas antigas instalações da Sumol Compal

Município de Viseu aprova contrato de arrendamento com opção de compra das antigas Instalações da Sumol Compal

O Executivo Municipal aprovou também a minuta do contrato de arrendamento com opção de compra das antigas instalações da Sumol Compal em Viseu, para instalação do seu centro logístico municipal.

Com este contrato de arrendamento o Município poderá usufruir desde já destas instalações para usufruto das oficinas municipais e ficará com a opção de compra por um valor de 2,28 milhões de euros que pretende candidatar a fundos do IFFRU – Apoios Financeiros à Reabilitação Urbana.

Recorde-se que já neste ano o Município aprovou uma ARU para recuperação desta zona, reabilitará e procederá a requalificação destas instalações industriais devolutas, localizadas na periferia do centro urbano e com uma acessibilidade privilegiada a vários eixos rodoviários estruturantes. Inclui-se também o lote industrial onde se localizam as oficinas gerais dos SMAS

Com esta decisão, a Câmara Municipal de Viseu cumpre o duplo objetivo estratégico de concentrar os diversos serviços municipais num único local, podendo criar economias de escala e de melhoria da eficiência e eficácia dos respetivos serviços municipais e, por outro lado, possibilita a reabilitação e requalificação de um conjunto edificado de uso industrial atualmente devoluto.

Assim permite-se ainda melhorar a organização e o modo de funcionamento de muitos serviços logísticos da Autarquia que se encontram atualmente disseminados pelo concelho. A concentração dos serviços municipais possibilita economia de escala e uma resposta mais célere e eficiente às solicitações da população. Nesse sentido, a opção pelas instalações da fábrica da Sumol Compal permite tirar partido da sua localização e boas acessibilidades, recuperando o edificado e dando novas funções a este antigo espaço industrial que desempenha um importante papel no contexto urbanístico da cidade, fomentando-se, simultaneamente, uma intervenção mais ampla no território envolvente.

Adjudicada a “Reconstrução da Casa das Bocas – Unidade de Saúde Familiar”

O Executivo Municipal aprovou esta quinta-feira, 25 de julho, a adjudicação da empreitada de “Reconstrução da Casa das Bocas – Unidade de Saúde Familiar”.

A proposta de adjudicação surge depois de uma primeira adjudicação que foi contestada em Tribunal por imprecisões processuais da proposta anteriormente classificada na primeira posição.

O Acórdão proferido pelo Tribunal Central Administrativo Norte foi no sentido de se adjudicar à empresa Irmãos Almeida Cabral, Lda, uma intervenção de 2 milhões de euros. Depois dO Visto do Tribunal de Contas espera-se o início da empreitada para breve.

A obra de reabilitação devolverá à cidade um património de elevado valor e revitalizar socialmente uma zona crítica do centro antigo”. A recuperação permitirá “salvar elementos patrimoniais e arquitetónicos únicos que se encontram em ruína e dar nova vida à rua das Bocas, com um novo serviço-âncora. O centro histórico torna-se assim cada vez mais atrativo e dinâmico

Meio milhão de euros para seis freguesias

Ainda em sessão municipal foram aprovados contratos-programa e protocolos com 6 freguesias, num valor de cerca de meio milhão de euros.

Estes acordos visam a melhoria de Sinalização Horizontal e Vertical, prolongamento do sistema de águas pluviais e abastecimento de água, ampliação de cemitérios e requalificação de largos.

Já este ano, recorde-se, o Executivo havia aprovado contratos-programa com 19 freguesias, no valor de mais de 1,2 milhões de euros.

“Este Executivo tem feito um investimento sem precedentes na melhoria da qualidade de vida de todos os cidadãos do Concelho, bem patente no valor já investido nas freguesias, que ascende a 40 milhões de euros. Continuamos a dar um bom exemplo ao Estado do que é praticar a coesão territorial”, refere o Presidente da Câmara.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies