BE : Obras no Hospital de São Teotónio não avançam

O Bloco de Esquerda lamenta os sucessivos atrasos no arranque das Obras do Hospital de São Teotónio em Viseu e o anúncio feito hoje relativamente à desistência da empresa contratada.

Lamentamos que o Ministério da Saúde continue refém do Ministério das Finanças e da política de cativações do governo do Partido Socialista. É grave e irresponsável que esta obsessão do ministro Mário Centeno com as metas orçamentais e a gestão da sua imagem no Eurogrupo, empurrem o país para uma situação de paralisação dos serviços públicos, com a agravante de neste caso estarmos a falar de uma situação que afecta a vida de pessoas que já se encontrarão, eventualmente, numa situação de doença e fragilidade.

Entendemos que não obstante a necessidade de cumprimento dos procedimentos formais e legais inerentes à condição de um estado democrático, tal nunca deverá pôr em causa o interesse público e o bem comum. Recordamos que cabe ao governo zelar pelo bom funcionamento das instituições do Estado. Infelizmente isso não se tem verificado e esta ausência crónica de recursos técnicos e humanos, seja no governo, na administração pública ou nos tribunais, tem efectivamente posto em causa a operacionalização de procedimentos administrativos e financeiros.

Estamos perante uma combinação explosiva: por um lado o desinvestimento de sucessivos governos nos serviços públicos e nas instituições do Estado e por outro uma complexa teia burocrática. O resultado está à vista: continuam-se a travar decisões políticas e adiar a resolução de problemas concretos na vida das pessoas.

Com tudo isto, não poderíamos deixar de reconhecer o trabalho exemplar que os profissionais do Hospital de São Teotónio têm vindo a desenvolver, nas condições exigentes que todos conhecemos, e que todos os dias “fazem das tripas coração” para assegurar a dignidade possível e exigível à prestação cuidados de saúde.

Julgamos também ser errado confundir a árvore com a floresta. Para nós, por muitas falhas que se possam apontar ao Ministério da Saúde e à organização da rede de cuidados de saúde, é facto que o Serviço Nacional de Saúde continua a cumprir o seu papel de garantir o acesso universal a cuidados de saúde de excelência a milhares de pessoas, destacando o facto de que só o Hospital de São Teotónio serve mais de meio milhão de utentes em todo o distrito. Assim sendo, entendemos que em vez de se atacar o SNS será sim tempo de o reforçar e o dotar de meios que permitam fazer mais e melhor; chegar mais longe e mais depressa.

De resto, é de referir que o Bloco de Esquerda tem vindo a acompanhar com preocupação a situação do Hospital de São Teotónio, tendo o deputado Moisés Ferreira confrontado, por diversas vezes, a tutela com esta questão do atraso nas obras de ampliação do Serviço de Urgência e também, recentemente, com a questão da falta de médicos no Serviço de Oncologia.

Viseu, 12 de julho de 2019

A Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies