Adjudicada a requalificação do Centro de Operações de Mobilidade de Viseu

Executivo Municipal aprova proposta de adjudicação por 4,6 milhões de euros. Obra tem um prazo de execução de 560 dias

O Executivo Municipal aprovou esta quinta-feira, 11 de julho, a adjudicação da empreitada de requalificação do Centro de Operações de Mobilidade de Viseu.

A proposta de adjudicação surge pouco mais de 3 meses depois da aprovação do lançamento do concurso e da apresentação pública do projeto.

O concurso público foi ganho pelo agrupamento de empresas Irmãos Almeida Cabral, Lda e Tomás de Oliveira Empreiteiros, SA.

A intervenção, com um custo global de 4,6 milhões de euros e um prazo de execução de ano e meio, será dividida em duas fases, avançando primeira a zona de estacionamento, o que permite que o atual equipamento continue a funcionar.

O Centro de Operações de Mobilidade de Viseu terá uma ilha central virada para os transportes urbanos de Viseu e boxes para o transporte intermunicipal.

“Será um autêntico terminal rodoviário, dos mais evoluídos do mundo. Viseu já merecia ter uma porta de entrada como a que este projeto vai proporcionar”, refere o Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques.

Neste Centro estará prevista a intermodalidade, integrando‐o na rede de mobilidade suave e assegurando a sua ligação aos diferentes modos complementares de transporte (autocarros elétricos e rodoviários, táxis, outros elétricos, bicicletas e rede pedonal).

No mesmo edifício, será também instalado o novo Centro de Operações para a Mobilidade de Viseu (COM Viseu), uma peça fundamental na mobilidade sustentável do concelho, onde estará centralizada a coordenação e controle de trânsito e tráfego. Será também responsável pela gestão da rede de mobilidade suave, dos sistemas de bike‐sharing e car sharing, do sistema demand responsive transport e pela coordenação dos serviços de gestão do estacionamento.

Com a criação deste dispositivo, pretende-se melhorar a rede de interfaces dos transportes públicos coletivos de passageiros em meio urbano (interfaces de transportes públicos como terminais de autocarros), enquanto se promove a organização funcional do Centro de Operações para a Mobilidade de Viseu e a sua inserção urbana no território.

Reforçar a utilização do transporte público urbano coletivo de passageiros e dos respetivos modos suaves, assim como implementar medidas tendentes à redução das emissões de gases poluentes, são alguns dos objetivos deste novo projeto.

Aprovada constituição de empresa plurimunicipal de água

O Executivo Municipal aprovou também o protocolo para a constituição de uma empresa plurimunicipal de captação, tratamento de água para consumo humano, adução, reserva e fornecimento aos municípios de Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo, Sátão e Viseu.

A formalização desta nova empresa decorre este sábado, a partir das 9h30, no salão nobre dos Paços do Concelho de Viseu, e conta com a presença do Ministro do Ambiente e da Transição Energética, José Pedro Matos Fernandes.

“Com a constituição desta empresa, damos um importante passo para a resolução do problema de falta de água na região”, refere o Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques.

O Município de Viseu terá 70% do capital social desta empresa plurimunicipal, cabendo aos restantes municípios os remanescentes 30%, numa participação que deverá ser proporcional, na medida do possível, ao volume de água fornecida a cada município.

Cobertura do Mercado 2 de Maio produzirá energia

O Executivo Municipal aprovou ainda na reunião desta quinta-feira o contrato-programa com a Viseu Novo SRU com vista à aquisição de serviços para a execução dos projetos de produção de energia fotovoltaica na cobertura global do Mercado 2 de Maio.

No decurso do desenvolvimento do projeto para a revitalização desta praça emblemática foi apresentada uma solução de produção e aproveitamento de energia elétrica que, além de permitir uma maior eficiência térmica do espaço, representa de imediato uma clara mais-valia ambiente, energética e financeira, não apenas para o projeto em causa, como também para os edifícios vizinhos de propriedade municipal.

Deste projeto resultará a produção de energia elétrica de proveniência não fóssil, que poderá utilizada, além do Mercado 2 de Maio, no edifício das Águas de Viseu e no próprio edifício dos Paços do Concelho.

Apoio ao Lusitano FC ultrapassou 1,1 milhões em 5 anos

Foi aprovado também um contrato-programa de desenvolvimento desportivo com o Lusitano FC, no âmbito da candidatura à medida 14 – manutenção de campos relvados -, designadamente para a manutenção do relvado natural do Estádio dos Trambelos.

Este contrato-programa tem um valor de 36 mil euros, o que equivale a 100% da referida despesa, substituindo-se, assim, o Município ao clube na manutenção do relvado natural do estádio cuja propriedade é do Lusitano FC.

Já este ano, o Município aprovou, no âmbito da medida 1 – apoio a atividades desportivas federadas -, um apoio global na ordem dos 165 mil euros ao Lusitano FC, 112 mil dos quais relativos a apoio financeiro.

Desta forma, o apoio total do Município ao Lusitano FC em 2019 ascende a 200 mil euros, mais de 150 mil dos quais financeiro.

Desde que o atual Executivo Municipal tomou posse, em 2013, o apoio do Município de Viseu ao centenário clube de Vildemoinhos já ultrapassou 1,1 milhões de euros.

O apoio financeiro do Município ao Lusitano FC em 2013 foi de 62 mil euros, tendo logo no ano seguinte ascendido a 109 mil euros, ou seja, quase duplicou com o atual Executivo Municipal.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies