BE : “Estação de Comboios de Viseu? Foi chumbada há apenas dois meses…”

Recentemente, em declarações ao Jornal do Centro, Hélder Amaral, deputado eleito pelo círculo eleitoral de Viseu, cabeça de lista às próximas eleições legislativas pelo CDS, criticou tudo e todos por não fazerem o que ele não fez quando podia. Entendemos que as declarações de Hélder Amaral são infelizes e não correspondem totalmente à verdade.

“O centrista lembra que a estação não está prevista no Plano Nacional de Investimentos, que vai a votos na próxima semana. Ao Jornal do Centro, Hélder Amaral critica ainda Viseu por não se mexer, ao contrário de Évora, para ter uma paragem do comboio na nova ligação a Espanha.” Hélder Amaral ao Jornal do Centro

O Plano Nacional de Investimentos (PNI) engloba uma série de documentos, entre eles o Plano Estratégico de Transportes e Infraestruturas (PETI3+), apresentado pelo governo de PSD-CDS de Pedro Passos Coelho, Vítor Gaspar, Paulo Portas e Assunção Cristas, previa exatamente o que agora Hélder Amaral critica, a passagem pelo interior de mercadorias, como se este território fosse um empecilho entre os portos no litoral e a europa. Onde estava o deputado do distrito?

Nós somos críticos a este documento, como fomos com os documentos anteriores. Somos críticos por não traçar estratégias para um verdadeiro alargamento do acesso ao transporte de mercadorias e de passageiros pelo território, por não pensar na Rede Nacional como parte da Rede Trans-Europeia de Transporte (RTET-T), e por herdar erros do passado, como é o caso de não prever que todas as capitais de distrito tenham acesso à ferrovia.

O Bloco de Esquerda não só não abandona a defesa intransigente do investimento na ferrovia como motor de desenvolvimento económico e social do distrito, como tem apresentado propostas legislativas nesse sentido. Falamos concretamente da criação do Corredor Internacional Norte (Aveiro-Viseu-Mangualde) que prevê a construção de 86 Km de ferrovia e a ampliação da Linha da Beira Alta até Vilar Formoso (123,4 Km) previstas no Plano Ferroviário Nacional que Hélder Amaral e o seu partido rejeitaram no parlamento. O documento teve os votos contra de PS, PSD e CDS, com abstenção do PCP e PEV.

“Não quero acreditar que os viseenses tenham perdido a ambição e a alma, ou estejam cansados de derrotas” Hélder Amaral ao Jornal do Centro

Dito por quem está desde 2002 na Assembleia da República, eleito pelas listas do CDS, partido que esteve no governo com ministros e secretários de estado, responsável por ir além da troika na austeridade e no desinvestimento do país, diz muito do afastamento que as pessoas têm da política. São muitos anos, quantas vezes teve este deputado a possibilidade de influenciar e votar propostas que beneficiavam a região e não o fez? Quantas vezes votou pelo fim das portagens na A24 e A25? Quantas vezes influenciou o governo que o seu partido pertenceu para não encerrar escolas, tribunais, repartições de finanças ou postos dos CTT?

O corredor Aveiro-Viseu-Mangualde colocava a região com duas estações, a nova de Viseu e a atual de Mangualde, local estratégico onde defendemos que deveria existir uma Plataforma Logística regional de projeção internacional a pensar no tráfego de mercadorias, aproveitando a capacidade industrial instalada e a ligação com a Linha da Beira Baixa. Hélder Amaral foi a voz do CDS no parlamento contra este PNF.

O Distrito é mais que a sua capital

Porque o distrito não se circunscreve à sua capital e entendemos que é necessário ter uma visão mais larga sobre este tipo de investimentos, não poderíamos deixar de chamar a atenção também para a Linha do Douro, que estando localizada já fora do distrito, tem um impacto direto na economia da região Douro-Sul e no quotidiano de milhares de pessoas nos concelhos de Lamego, Tarouca, Cinfães, Resende, Armamar e São João da Pesqueira. Aqui, a tão urgente modernização da linha vai-se arrastando lentamente e a necessária requalificação de apenas 29,6 Km troço Pocinho – Barca d’Alva foi excluída do Plano Nacional de Investimentos, essencial para permitir uma outra ligação ferroviária a Espanha, proposta também pelo Bloco de Esquerda no seu PNF. Este é um assunto bem quente e que levou recentemente à criação de uma petição amplamente apoiada e difundida na região do Douro.

Também para a restante linha da Beira-Alta, entra a Pampilhosa e Mangualde, tinha a sua modernização prevista neste Plano que apresentámos na Assembleia da República.

Também esta é uma causa que não abandonamos sobre a qual, mais do que palavras, temos apresentado soluções concretas.

Época eleitoral começou

Não estivessem gravadas as declarações e talvez não fosse fácil de acreditar que Hélder Amaral, além da estação de Viseu, fala no problema das Alterações Climáticas, da aposta na Ferrovia e até das portagens nas ex-SCUT! Com uma campanha difícil pela frente, ainda vamos ouvir Hélder Amaral a defender aumento do salário mínimo, o fim das taxas moderadores na saúde, a proibição de herbicidas nas vias públicas, a reversão da privatização dos CTT ou até o fim das touradas… Cá estaremos para avivar a memória!

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies