GNR reforça patrulhamento e fiscalização

A Guarda Nacional Republicana (GNR), a partir de amanhã, dia 28 de junho e até dia 1 de setembro, intensifica as ações de patrulhamento, fiscalização e apoio aos utentes das vias rodoviárias, com o objetivo de garantir a sua segurança durante os deslocamentos, de, e para os locais de veraneio e eventos de diversa natureza, próprios desta altura do ano.

Tradicionalmente, durante a época estival, as vias rodoviárias do nosso país registam um aumento substancial de tráfego, consequência do afluxo de turistas estrangeiros, de emigrantes e das deslocações de cidadãos nacionais para locais de veraneio no gozo das suas férias.

Assim, durante a operação, a GNR, irá privilegiar uma atuação preventiva nos principais eixos rodoviários (autoestradas, itinerários principais, itinerários complementares e estradas nacionais), orientando o esforço para as vias mais críticas da sua zona de ação, com o objetivo de combater a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, proporcionando-lhes uma deslocação em segurança. Para o efeito, a GNR contará ainda com o apoio da Guardia Civil do Reino de Espanha, para, em conjunto, realizar ações de sensibilização e fiscalização, na proximidade das fronteiras terrestres.

Importa ainda informar que, das investigações realizadas pela Guarda nos anos de 2017 e 2018, se pode concluir que os acidentes com consequências mais graves resultam, principalmente, da condução distraída, do excesso de velocidade, de manobras perigosas e da condução sob o efeito do álcool.

Nas ações desenvolvidas pela Guarda, no período de 1 de janeiro a 31 de maio de 2019, foram fiscalizados 712 514 condutores, tendo sido detetadas mais de 254 mil infrações rodoviárias, das quais se destacam 60 433 por excesso de velocidade14 109 por falta de inspeção periódica obrigatória, 11 117 por uso indevido de telemóvel, 10 941 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças 11 221 por condução sob o efeito do álcool, dos quais 4 534 foram detidos por apresentar uma taxa crime, igual ou superior a 1,2 g/l de álcool no sangue, havendo ainda a acrescentar a detenção de 2 098condutores por falta de habilitação legal para conduzir. Este tipo de infrações detetadas contribui, muitas das vezes, para o aumento dos índices de sinistralidade rodoviária.

Desta forma, a GNR irá incidir numa fiscalização direcionada para comportamentos de risco, que coloquem em causa a segurança rodoviária, nomeadamente:

ü  Manobras perigosas de ultrapassagem, mudança de direção, inversão do sentido da marcha, cedência de passagem, distância de segurança e circulação na via mais à direita;

ü  Condução sob o efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas;

ü  Condução sem habilitação legal;

ü  Excesso de velocidade;

ü  Incorreta ou não utilização do cinto de segurança e/ou sistemas de retenção de crianças;

ü  Utilização indevida do telemóvel.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies